Elo de ministro e secretário incomoda governo de SP


Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo
A proximidade do ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, com o atual secretário de Segurança Pública de SP, Mágino Alves Barbosa Filho, está gerando desconforto em setores do governo de Geraldo Alckmin.
Há uma desconfiança de que Moraes contribui, com a sua influência, para manter a Polícia Militar tensionada em relação aos protestos contra Michel Temer em SP. O atual secretário foi adjunto do ministro da Justiça quando ele comandava a segurança no Estado. Os dois mantêm contato direto.
Um dos secretários acha que episódios envolvendo a PM, ainda que os policiais "possam ter razão", faz com que o desgaste do protesto, que deveria ser exclusivo de Temer, atinja também o governador e deveriam ser evitados de todas as formas. "Cada um com seus problemas. Temer é problema do PMDB", diz um dos auxiliares mais próximos de Geraldo Alckmin.
Um outro secretário diz desconhecer o alcance da influência de Moraes sobre a Secretaria de Segurança. Mas afirma que o ministro já deixou como herança a abertura de investigação sobre fraudes na merenda, que até hoje desgasta o governo de SP. "Acho que chega, né?", afirma.
A coluna tentou localizar o ministro, por contato direto e também via assessoria de imprensa. Mas ele não tinha respondido até a conclusão desta edição.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo