Para Jarbas, prisão de Cunha fortalece a Lava Jato

“A prisão de Eduardo Cunha, no início da tarde desta quarta-feira (19), foi um fato esperado e aguardado pela maioria da população brasileira, principalmente por aqueles que acompanharam as manobras e chantagens feitas pelo o ex-deputado na Câmara Federal para protelar o processo que culminou na sua cassação”. É essa avaliação do deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), uma das primeiras vozes no Congresso Nacional a pedir a saída de Cunha da então presidência da Casa em função das denúncias de corrupção que começavam a surgir contra ele. “Eduardo Cunha embarcou num trem cuja parada final era a cidade de Curitiba. E ele fez de tudo para evitar isso. Só que a hora dele acertar as contas com o Juiz Sérgio Moro chegou”, afirmou.
Para Jarbas, quem acreditava que Eduardo Cunha não seria preso porque a Operação Lava Jato seria seletiva ou tinha como objetivo principal a destituição do PT do poder, ficou sem discurso agora. “Me causava perplexidade que alguns setores da política e da opinião pública ainda tinha esse discurso, que eu debitava na conta do despreparo político ou da má fé. Com mais esse passo, a Lava Jato se fortalece e se consolida como a maior frente de investigação contra a corrupção já ocorrida no País”.
Sobre uma possível delação premiada que Cunha poderia fazer à Justiça -, fato já ventilado desde antes da sua cassação e que ganha força com a prisão -, o deputado pernambucano acredita ser possível. “Uma pessoa que desdenha de tudo, que zomba da consciência do povo e se mostrou preparado para a malandragem, é capaz de negociar qualquer tipo de acordo, inclusive uma delação”, disse Jarbas.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo