STJ diz que não há fatos novos, e nega mais uma liminar que pediu o retorno de Francisca Motta à Prefeitura de Patos

 
O Ministro Rogério Schietti Cruz, do Superior Tribunal de Justiça, não tomou conhecimento do Agravo de Instrumento em que a defesa da prefeita afastada Francisca Motta pretendia que fosse modificada a sentença daquele magistrado que negou liminar permitindo o retorno de Francisca ao cargo.  
A decisão foi publicada nesta terça, 04/10, e conclui nos seguintes termos que: “Não há fatos novos aptos a ensejarem a reconsideração do decisum e nem utilidade em analisar a controvérsia de forma superficial, própria dos pleitos liminares, se o mérito do habeas corpus será julgado pelo colegiado, tão logo o Ministério Público apresente o parecer, pois já prestadas as informações pela autoridade coatora. À vista do exposto, com fulcro no art. 34, XVIII, do RISTJ, não conheço do agravo regimental.”
Por fim o Ministro determina: “Encaminhem-se os autos ao Ministério Público Federal, encarecendo o envio do parecer, com a máxima urgência, para que o processo seja apresentado, na primeira oportunidade, para julgamento perante a Sexta Turma.”
Ou seja, o julgamento do mérito da ação está a depender agora do parecer no Ministério Público Federal. Enquanto isso, Francisca continua afastada do cargo. Não se pode prevê qual será a próxima decisão da 6ª Turma, uma vez que certamente levará em consideração o parecer do Ministério Público Federal.
Com informações do Blog Revista da Semana

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo