sábado, 12 de novembro de 2016

'NINGUÉM MAIS ASSALTOU O ESTADO QUE O LULA', DIZ CAIADO

O líder do DEM no Senado, Ronaldo Caiado (GO), afirmou na manhã desta sexta-feira (11) que as revelações da delação premiada de Marcelo Odebrecht mostram que o ex-presidente Lula nunca teve as condições mínimas necessárias para ocupar a função de chefe de Estado. “Agora, comprova-se que ninguém mais assaltou o Estado brasileiro e se beneficiou de cargo público que o Lula”, disse ao comentar reportagem da revista Isto É sobre o recebimento de dinheiro vivo pelo petista como pagamento de propina pela empreiteira.
“Fica claro que seu objetivo para atingir o poder tinha mais a ver em promover o seu enriquecimento e de seus familiares do que realmente ser um presidente que se preocupasse com a melhoria da qualidade do povo. Sempre dissemos isso e éramos duramente rebatidos”, opinou o parlamentar goiano. 
Para o senador, as informações da delação de Marcelo Odebrecht mostram que o ex-presidente do PT convivia com toda prática de corrupção agora exposta pela Operação Lava-Jato. “A figura de Lula passou a ser desprezível diante de tantos crimes acumulados no período em que teve o poder em suas mãos. Os mineiros têm um ditado que diz: quando na política se deparam com pessoas tão desqualificadas quanto o ex-presidente Lula classificam: isso é homem de ‘nigocinho’, de atitude baixa, rasteira”, acrescentou.  
Dilma 
Sobre as afirmações de Marcelo Odebrecht de que a ex-presidente Dilma teria negociado diretamente caixa dois para sua campanha, Caiado disse que o PT implantou a cultura do pagamento do pedágio no governo. “Nenhuma decisão do governo do PT acontecia sem o pagamento de pedágio. A delação de Marcelo Odebrecht comprova que Dilma negociava o repasse de dinheiro para sua campanha eleitoral estava atrelada a autorização de recursos para a construção do porto de Mariel (Cuba) por exemplo”. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário