segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Alvo das ruas, Renan se diz "sensível"


Josias de Souza
Principal alvo das manifestações de rua deste domingo, Renan Calheiros (PMDB-AL) divulgou uma nota (íntegra aqui). No texto, o presidente do Senado diz que elas “são legítimas”. Acrescenta que “devem ser respeitadas”.
Com os olhos voltados para o retrovisor, Renan anota: “Assim como fez em 2013, quando votou as 40 propostas contra a corrupção em menos de 20 dias, entre elas a que agrava o crime de corrupção e o caracteriza como hediondo, o Senado continua permeável e sensível às demandas sociais.”
Quer dizer: Renan se diz “sensível” ao ronco do asfalto, mas a sociedade é incapaz de perceber sua sensibilidade. E ele é incapaz de demonstrá-la. Transformado em réu pelo Supremo Tribunal Federal, continua presidindo o Senado como se fizesse um favor ao país.
De resto, reage a uma manistação que apoia a Lava Jato sem dizer o que fará com o seu projeto de lei sobre “abuso de autoridade”, um dos itens tóxicos da pauta de votações desta semana no Senado.
Renan finge não perceber. Mas ele se converteu num novo Eduardo Cunha. As ruas desejam vê-lo na cadeia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário