quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Guerra federal: vazamento foi vingança


Blog do Kennedy
O projeto contra o abuso de autoridade, que voltou a ser priorizado pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, tem boa chance de aprovação, porque há um incômodo político do PMDB e do governo com a delação de Cláudio Mello Filho, executivo da Odebrecht. O PMDB e o governo suspeitam que o Ministério Público vazou a delação de Melo Filho em retaliação àquela decisão do Supremo Tribunal Federal na semana passada que manteve Renan no comando do Senado.
A aprovação desse projeto funcionaria como uma resposta da classe política contra o que seriam excessos da Lava Jato. Mas, nessa briga, todos podem sair perdendo se o projeto contra abuso de autoridade, que tem qualidades e que atualizaria uma lei de 1965, for usado como uma forma de vingança.
Sinal de alerta
O placar de 53 votos a favor da PEC do Teto no Senado serve como um sinal de alerta para o governo Temer. Em duas semanas, houve uma piora no clima político.
A margem de segurança do governo caiu de 12 para apenas 4 votos para aprovar emendas constitucionais, que exigem 49 votos no Senado. Isso pode atrapalhar a tramitação da reforma da Previdência.
Mas é inegável que foi uma vitória importante do presidente Michel Temer. Ele aprovou a principal medida proposta pela equipe econômica para tentar equilibrar as contas públicas no médio e longo prazo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário