quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Renan acompanha do gabinete sessão do STF que pode afastá-lo da presidência

Por G1, Brasília

O Senador Renan Calheiros (PMDB-AL) acompanhou do gabinete da Presidência do Senado nesta quarta-feira (7) a sessão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode afastá-lo do comando da Casa.
O plenário do Supremo começou a analisar por volta das 14h15 desta quarta a decisão provisória do ministro Marco Aurélio que afastou Renan da Presidência do Senado. Nesta terça (6), a Mesa do Senado decidiu não cumprir a ordem do ministro.
O afastamento do peemedebista pode ser revertido se os ministros acolherem um recurso apresentado pelo Senado, segundo o qual a decisão de Marco Aurélio causará "enormes prejuízos ao já combalido equilíbrio institucional e político da República".
A sessão de votações do Senado desta quarta, marcada para as 14h, foi cancelada devido ao julgamento do Supremo sobre a situação de Renan.
O vice-presidente do Senado, Jorge Viana (PT-AC), afirmou que será realizada uma sessão extraordinária, com início entre 18h e 19h desta quarta.
Impasse
Em entrevista nesta terça, Renan Calheiros criticou a decisão monocrática de Marco Aurélio, que o afastou da Presidência do Senado. Ao comentar a decisão, Renan disse: “A democracia não merece esse fim”.
Entre os colegas do peemedebista há dúvida sobre quem, atualmente, preside o Senado.
O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse que a decisão da Mesa Diretora havia causado uma “confusão” sobre a presidência. Para ele, o vice-presidente Jorge Viana é o presidente da Casa.
No entanto, o próprio Jorge Viana disse que o melhor era aguardar a decisão do Supremo e que o presidente era Renan Calheiros. O petista declarou ainda que esperava que a Corte revertesse a decisão de Maro Aurélio Mello.

Nenhum comentário:

Postar um comentário