segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Em campanha informal para reeleição na Câmara, Maia se reúne com Alckmin em SP

G1 São Paulo

Em meio a campanha informal pela reeleição no comando da Câmara dos Deputados, o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), visitou nesta segunda-feira o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e se reuniu com grupo de políticos aliados no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual. 

A eleição interna na Câmara está marcada para 2 de fevereiro. Eleito em julho para um "mandato-tampão" de seis meses, Maia passou a comandar a Câmara após o então presidente da Casa, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), renunciar ao cargo.
A audiência desta segunda-feira teve a presença de mais de 50 nomes da política, a maioria deputados, vereadores e prefeitos do PSDB, do DEM e outros partidos aliados em São Paulo. Entre os presentes, estavam também o prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB).
Após a reunião, que terminou por volta de 14h, Alckmin disse que não quer interferir na eleição, mas afirmou que "nesses poucos meses que presidiu a Câmara Federal, ele [Maia] foi bem". Maia não falou com a imprensa.

“Nós recebemos o candidato a presidente da Câmara com um grande número de deputados federais do estado de São Paulo. Tivemos a oportunidade de ouvi-lo, [conhecer] suas propostas, seu trabalho”, afirmou. “Não pretendo interferir, quero aqui reiterar. É um assunto do Parlamento”, completou o governador de São Paulo. 

O tucano disse considerar a visita de Maia positiva em razão da relação que deve haver em uma República Federativa. Disse, ainda, que foi possível conversar sobre reformas e sobre a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) dos precatórios. 

Além de Maia, outros 16 deputados federais participaram da audiência, incluindo representantes do estado de São Paulo no Legislativo e integrantes de partidos da base de Alckmin (10 do PSDB, 4 do DEM, 1 do PR e 1 do PV). 

Apesar de não declarar abertamente que será candidato à reeleição ao cargo de presidente da Câmara, Maia iniciou uma espécie de campanha informal nos bastidores para não ficar atrás dos concorrentes na busca por votos. Quando se dirige às câmeras e gravadores da imprensa, Maia ainda se limita à afirmação “se eu decidir ser candidato”. Longe dos microfones, porém, está conversando com partidos e procurando deputados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário