Poços são usados para atenuar efeitos da seca


Alternativa para salvar lavouras do sertão
Em Petrolina, 150 poços serão restaurados, e outros 50, vão ser instalados. Cerca de 4.500 agricultores perderam toda a safra em Pernambuco.
Instalação de poços em Petrolina, no Sertão de PE (Foto: Reprodução/TV Grande Rio)
Do Portal G1 – Petrolina
A seca prolongada está castigando o Sertão pernambucano por cinco anos seguidos. Enquanto não existe uma previsão de chuva, uma ação de emergência com instalação de poços artesianos surge como alternativa para salvar as lavouras e a criação de animais.
O sol é escaldante no povoado de ponta da serra, em Petrolina. Por isso, que nos quatro hectares de terra que agricultora Neuza Maria Costa tem para plantar, não nasceu nada. "Até que eu cheguei ainda a plantar feijão, mas se acabou em cima da cova mesmo, não vingou. A gente está precisando hoje realmente é de água, que venha chuva, que venha água de outras formas, porque se não a gente não tem como ter o cultivo da gente, porque a gente planta feijão, planta milho, e a gente realmente depende da água", ressalta.
Segundo o Instituto Agronômico de Pernambuco, cerca de 4.500 agricultores perderam toda a safra no estado de Pernambuco no ano passado por falta de chuva. De acordo com a Coordenadoria De Defesa Civil, um milhão e meio de pessoas estão sofrendo com a seca.
O alívio para esse sofrimento pode estar debaixo da terra, dependendo do local, a instalação de um poço artesiano faz jorrar a água que as famílias tanto precisam. Perfurado há uns dez anos, um poço ainda tem a vazão de quatro mil litros por hora. A água é utilizada para matar a sede das ovelhas e para plantar macaxeira.
O agricultor Averaldo Mariano Ferreira não tem mais dificuldade de obter água após o poço. "Graças a Deus mudou muita coisa, só de ver chegar água para os animais, porque o sofrimento do povo era muito triste. e a gente tá muito agradecido”.
O problema é que o serviço custa R$30 mil por cada perfuração. Em Petrolina, existem pouco mais de 300 poços, mas 150 deles serão restaurados, e outros 50, vão ser instalados. A previsão é de que as obras aconteçam em até um ano. O investimento é de 4 milhões e meio de reais, fruto de uma parceria entre a Codevasf e da Prefeitura de Petrolina .
O secretário de Desenvolvimento Econômico e Agrário de Petrolina, José Batista da Gama, disse que os poços vão ser instalados inicialmente na Ponta da Serra em Petrolina. “Com um poço com a vazão de 6 mil litros por hora, que vai abastecer essa comunidade, atendendo a mais de 50 famílias. E além do mais vamos aproveitar a água para fazer quintais produtivos com hortas comunitárias e com implantação de palma forrageira”, explica.
Um poço é suficiente para abastecer cerca de 50 famílias. A agricultora Maria Zulmira se emocionou ao ver a água saindo do chão. “Fiquei feliz mesmo! A água é para os bichos e para a vizinhança ter também, para pegar quem quiser e plantar para dar de comer aos bichos”, conta.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense