sábado, 15 de julho de 2017

Cadê as panelas deles? Acabaram?, pergunta Lula, em SP


Ex-presidente comentou ainda a sentença de Moro: “O golpe não fecha se eu não for condenado”
Jornal do Brasil
“Eu quero saber como estão os coxinhas agora com o Michel Temer governando o país. Cadê as panelas deles, acabaram?”, questionou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã deste sábado (15), em Diadema (SP), durante a posse de Adi dos Santos Lima, que assume a nova direção do PT da cidade.
Durante o evento, Lula falou sobre a sentença do juiz federal Sérgio Moro e disse que ele está julgando politicamente. “Nunca acreditei que ele fosse me absolver. Eles não estão julgando o Lula, estão julgando o nosso governo e as coisas boas que fizemos nesse país. Eles me condenaram porque estão subordinados a prestar contas com a imprensa”, afirmou.
Para o ex-presidente, se a condenação não acontecesse, o impeachment, que ele chama de "golpe" não faria sentido. “O golpe não fecha se eu não for condenado”, disse Lula, que afirma estar tranquilo por saber que “a única prova daquele processo é a prova da minha inocência. Tenho a consciência tranquila por saber que nenhum daqueles que estão me processando, é mais honesto do que eu”.
Lula ainda acrescentou: “Enquanto eles não provarem nada contra mim, vou andar por esse país para ser julgado por vocês”, diz.
O ex-presidente falou sobre a imprensa e comentou as notícias veiculadas sobre o presidente Michel Temer. “Sabe por que a Globo está tentando derrubar o Temer agora? É porque ela está preocupadíssima em encontrar um candidato para me enfrentar em 2018”, disse, afirmando ainda que o Jornal Nacional já completou mais de 20 horas com notícias ruins a seu respeito. “E por que eles não conseguem me quebrar? Porque eu não sou eu, eu sou vocês. Eles não conseguem me derrubar porque as asas que eu voo não são minhas, são as asas dos trabalhadores e dos jovens desse país”.
Lula  falou também sobre a trajetória do Partido dos Trabalhadores. “Foi esse partido que teve o presidente que entrou para a história como o presidente que mais fez universidade e escolas técnicas no Brasil. Tenho orgulho de dizer que o tempo em que eu presidi esse país, os trabalhadores viveram melhor. Sei que não fiz tudo, mas tenho orgulho de olhar para o povo e dizer que, nos últimos 12 anos, fizemos a maior política de inclusão social do mundo”, completou.
O ex-presidente falou ainda sobre seu governo. “O erro que cometi foi fazer o povo sonhar e viver melhor. O que nós temos orgulho, parecem que eles têm ódio. Porque eles não querem que as pessoas debaixo subam o degrau da escada da inclusão social”, disse Lula, acrescentando: “Eu, um nordestino que só foi comer pão aos 7 anos de idade, quero dizer: contem comigo porque nós vamos consertar esse país”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário