sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Barroso pode propor que decisão sobre Lula seja executada imediatamente


Blog do Valdo Cruz
Se mantiver a posição que vem adotando recentemente, o ministro Luís Roberto Barroso pode propor a execução imediata de uma eventual decisão do plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Barroso é relator do registro.
Se for determinada a execução imediata, Lula não poderia se apresentar como candidato, mesmo se sua equipe de defesa entrar com recursos no próprio tribunal contra a decisão. Um desses recursos poderiam ser os chamados embargos de declaração.
O ex-presidente, por ter sido condenado em segunda instância, é considerado inelegível pela Lei da Ficha Limpa.
Em decisões adotadas em casos envolvendo os governadores do Amazonas e do Tocantins, Barroso votou pela execução imediata da decisão do TSE, que era o afastamento do cargo, antes mesmo da apresentação de recursos pela defesa dos políticos condenados à perda do mandato.
Essa foi a posição vitoriosa no tribunal, o que acelerou a realização de eleições suplementares naqueles estados.
Até então, o TSE costumava aguardar que os recursos fossem julgados para determinar que a decisão entrasse em vigor. O argumento usado pela defesa de réus é que uma reversão do caso prejudicaria o político.
No entanto, nos casos de Amazonas e Tocantins, a posição vitoriosa no tribunal foi a de que a condenação era clara e irreversível e que recursos só serviriam para protelar a realização de eleições suplementares.
O mesmo argumento pode ser usado no caso do ex-presidente Lula, já que o tribunal, em sua maioria, entende que o petista é inelegível, por estar preso após condenação em segunda instância.
Assim, a situação de Lula não será revertida com recursos. A equipe de defesa de Lula não concorda com essa avaliação e vai impetrar embargos de declaração logo após o plenário do TSE tomar a decisão que já é esperada pelos petistas, de indeferimento do registro de candidatura.
Os advogados vão solicitar que, até o julgamento desse recurso, o petista possa participar do horário eleitoral gratuito e manter sua condição de candidato.
Barroso deve aguardar o prazo para apresentação de pedidos de impugnação, que vai terminar no dia 22, abrindo prazo de sete dias para os advogados do petista apresentarem sua defesa no caso.
A expectativa é que o processo sobre o ex-presidente vá a julgamento no plenário até o final de agosto.

Mendonça Filho o senador de Pernambuco!


Saem as primeiras nomeações do primeiro escalão do governo Bonifácio

 
As primeiras nomeações do governo Bonifácio Rocha (PPS) saíram no Diário Oficial do município desta quinta-feira (16). Rocha confirmou a permanência de alguns nome do grupo do prefeito afastado Dinaldo Filho (PSDB). 
Manoel Noia que ocupava a Secretaria de Administração do município e saiu após a exoneração do chefe de Gabinete Múcio Sátyro Filho, preso preventivamente na Operação Cidade Luz. A nomeação de Noia para o Gabinete saiu no Diário Oficial da terça-feira, dia do afastamento de Dinaldo.
Outros nomes da administração Dinaldo vão permanecer e foram anunciados já nesta quinta-feira (16), como é o exemplo de Wendel Palmeira, que já foi coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), secretário adjunto de Saúde do Município de Patos, e atualmente é diretor da Unidade de Pronto Atendimento (UPA).
Wendel foi nomeado pelo prefeito interino Bonifácio Rocha (PPS) secretário da Saúde.
Na Educação, quem vai assumir é a professora Socorro Chaves. Já o secretário de Infraestrutura, Junior Brandão, recém-empossado no cargo, foi exonerado nesta quinta-feira.
No Desenvolvimento Econômico e Habitação, foi confirmado Lamark Leitão, que ora ocupava a mesma secretaria como adjunto de Jardelson Medeiros, outro afastado das atividades públicas pelo Tribunal de Justiça na Operação Cidade Luz.
Outro que ficará no governo remanescente da Gestão Dinaldo é o coordenador de Comunicação Misael Nóbrega. Ele já ocupou cargos na mesma área nas gestões Nabor, Francisca e Lenildo.
Augusto Camboim, foi exonerado do cargo de secretário adjunto Infraestrutura e agora será o titular da pasta na gestão do prefeito Bonifácio Rocha.
Isis Carla saiu da presidência da Fundap e será secretária executiva. Deleon que já era da Fundap será o presidente.
O médico Pedro Augusto Dias Timóteo será coordenador da UPA – Unidade de Pronto Atendimento Otávio Pires de Lacerda.

Fonte - Vicente Conserva – Portal 40 Graus

Pesquisa Ibope em ALAGOAS para o Senado: Renan, 33%; Benedito de Lira, 25%; Rodrigo Cunha, 19%; Mauricio Quintella, 18%

Por G1 AL


Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (16) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado em Alagoas:
  • Renan (MDB): 33%
  • Benedito de Lira (PP): 25%
  • Rodrigo Cunha (PSDB): 19%
  • Mauricio Quintella (PR): 18%
  • Sergio Cabral (PATRI): 10%
  • Cicero Albuquerque (PSOL): 7%
  • Flavio Moreno (PSL): 5%
  • Flávia Melo (PCO): 4%
  • Osvaldo Maciel (PCB): 2%
  • Branco/ Nulo - Vaga 1: 22%
  • Branco/ Nulo - Vaga 2: 33%
  • Não sabe: 22%
A pesquisa foi encomendada pela TV Gazeta. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

Como foi feita a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos;
  • Quem foi ouvido: 812 eleitores de todas as regiões do estado, com 16 anos ou mais;
  • Quando a pesquisa foi feita: de 13 a 15 de agosto;
  • Número de registro no TRE-AL: AL-00461/2018.
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
  • Renan (MDB): 5%
  • Rodrigo Cunha (PSDB): 5%
  • Benedito de Lira (PP): 4%
  • Mauricio Quintella (PR): 2%
  • Cicero Albuquerque (PSOL): 0%
  • Flávia Melo (PCO): 0%
  • Osvaldo Maciel (PCB): 0%
  • Flavio Moreno (PSL): 0%
  • Sergio Cabral (PATRI): 0%
  • Outros: 5%
  • Branco/ Nulo: 26%
  • Não sabe: 67%

Pesquisa Ibope para o Senado no CEARÁ: Cid, 55%; Eunício, 37%

Por G1 CE


Pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (16) aponta os seguintes percentuais de intenção de voto para o Senado no Ceará:
  • Cid Gomes (PDT): 55%
  • Eunício (MDB): 37%
  • Eduardo Girão (PROS): 9%
  • Pastor Pedro Ribeiro (PSL): 7%
  • Dra. Mayra (PSDB): 6%
  • Anna Karina (Psol): 4%
  • Pastor Simões (Psol): 4%
  • João Saraiva (Rede): 4%
  • Alexandre Barroso (PCO): 3%
  • Dr. Márcio Pinheiro (PSL): 3%
  • Magela (PSTU): 3%
  • Robert Burns (PTC): 2%
  • Brancos/nulos vaga 1: 15%
  • Brancos/nulos vaga 2: 22%
  • Não sabe, não respondeu: 27%
A pesquisa foi encomendada pela TV Verdes Mares. É o primeiro levantamento do Ibope realizado depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral.

Como foi feita a pesquisa

  • Margem de erro: 3 pontos percentuais para mais ou para menos
  • Quem foi ouvido: 1.204 eleitores de 58 cidades.
  • Quando a pesquisa foi feita: entre 13 e 15 de agosto
  • Número de registro no TSE: 8.812/2018
  • Número de registro do TRE-CE: 4.197/2018
O nível de confiança utilizado é de 95%. Isso quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o atual momento eleitoral, considerando a margem de erro.

Espontânea

Na modalidade espontânea da pesquisa Ibope (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:
  • Eunício (MDB): 4%
  • Cid Gomes (PDT): 3%
  • Eduardo Girão (PROS): 1%
  • Anna Karina (Psol): 0%
  • Dra. Mayra (PSDB): 0%
  • Alexandre Barroso (PCO): -
  • Dr. Márcio Pinheiro (PSL): -
  • Magela (PSTU): -
  • Pastor Simões (PSOL): -
  • João Saraiva (Rede): -
  • Pastor Pedro Ribeiro (PSL): -
  • Robert Burns (PTC): -
  • Outros: 5%
  • Brancos/nulos: 18%
  • Não sabem ou preferem não opinar: 78%

Mendonça desafia Paulo Câmara a expor críticas frente a frente

Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Foto: Tato Rocha/JC Imagem
Por Douglas Fernandes em Eleições 
O deputado federal e candidato ao Senado Mendonça Filho (DEM) subiu o tom e desafiou o governador Paulo Câmara (PSB) a encontrá-lo frente a frente no Palácio das Princesas ou fora dele para o socialista a demonstrar que o governo estadual foi descriminado pela gestão dele no comando do Ministério da Educação. Visivelmente irritado, Mendonça falou que o discurso de Paulo é “fake news” e que o adversário quer ganhar a eleição “pendurado ao pescoço” do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).
“Nós investimos como ministro da Educação 3 bilhões de reais. Eu desafio, inclusive, o governador, se ele quiser amanhã marcar comigo, para fazer rum comparativo qualquer época na historia do Brasil que alguém tenha investido mais em educação do que a minha pessoa. Ele basta marcar o horário, no Palácio, fora do Palácio, eu desafio ele a demonstrar que Pernambuco foi descriminado em qualquer item, em qualquer área. Isso é uma fake news, isso é uma mentira deslavada”, disparou o deputado, pouco antes de entrar nesta quinta-feira (16), na missa realizada na Igreja de Nossa Senhora da Conceição.
A celebração fechou a agenda do primeiro dia de campanha de rua do chapa encabeçada pelo senador e candidato ao governo Armando Monteiro Neto (PTB), o candidato a vice, vereador Fred Ferreira (PSC), e o deputado federal Bruno Araújo (PSDB), outro postulante à Casa Alta. Todo os três estiveram junto com Mendonça no ato.
Mendonça chamou de “farsa” o apoio de Paulo Câmara ao ex-presidente Lula e disse que o socialista tem uma postura “covarde”. “Não vou engolir mentira. Se ele quer ganhar eleição, venha com práticas limpas e falando a verdade. Não sou moleque para ouvir este tipo de postura, sórdida e covarde de uma pessoa que quer ganhar uma campanha pendurada no pescoço de Luiz Inácio Lula da Silva. Isso é uma farsa. Essa farsa eu vou combater porque eu não tenho covardia para combater qualquer luta”, disparou.
Mendonça ainda criticou o prefeito Geraldo Julio (PSB) por obras que, segundo ele, tiveram os recursos garantidos pelo MEC, mas não foram executadas por problemas não solucionados pela prefeitura. “Aqui no Recife seis creches de responsabilidade da prefeitura não foram iniciadas por conta da indisponibilidade do registro dos terrenos. Isso é lamentável, afirmou. 
Após a sabatina à Rádio Jornal nesta quinta-feira (16), o governador havia afirmado que Bruno Araújo e Mendonça “prometeram mais do que efetivamente fizeram”. Sobre o deputado federal Fernando Filho (DEM), Paulo disse que  “é só ver o preço da gasolina, do botijão de gás, a venda da Chesf e do Rio São Francisco para saber que ele fez um grande desserviço ao Brasil”.

Relator de Lula é defensor ferrenho da Ficha Limpa


Reynaldo Turollo JR - Folha de S.Paulo
“Uma medida importante em favor da moralidade administrativa e da decência política. Muita gente é contra. Paciência. Nós não somos atrasados por acaso. Somos atrasados porque o atraso é bem defendido.”
Foi desse modo que o ministro Luís Roberto Barroso saiu em defesa da Lei da Ficha Limpa na introdução de seu livro “A Judicialização da Vida e o Papel do Supremo Tribunal Federal” (ed. Fórum), lançado no ano passado. Na obra, o magistrado fala, entre outros pontos, do papel civilizatório das supremas cortes pelo mundo —papel que ele chama de “iluminista”.
Hoje, Barroso é o relator, no TSE (Tribunal Superior Eleitoral), do pedido de registro de candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que deseja voltar ao Planalto. A presidente do TSE, Rosa Weber, decidiu na noite desta quinta (16) mantê-lo à frente do caso, após questionamento da defesa do petista.
Lula foi condenado em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e está preso. Ele nega os crimes e diz sofrer perseguição política. Potencialmente, ele se enquadra na Ficha Limpa, devido à condenação na Lava Jato —operação elogiada por Barroso no mesmo livro.
“A magistratura, o Ministério Público e a Polícia Federal conduziram a chamada Operação Lava Jato, o mais extenso e profundo processo de enfrentamento da corrupção da história do país. Talvez do mundo. Utilizando técnicas de investigação modernas, [...] a operação desvendou um pacto oligárquico de saque ao Estado brasileiro, celebrado por empresários, políticos e burocratas”, escreveu o ministro.
Não só em sua obra Barroso advogou pela Ficha Limpa. Conhecido pelas contendas com o ministro Gilmar Mendes, seu colega de bancada no STF, Barroso disse em agosto de 2016, bem antes de Lula ser condenado pelo juiz Sergio Moro, que considera a norma “sóbria”.
Foi uma resposta direta a Gilmar, que dissera dois dias antes que a Lei da Ficha Limpa parecia ter sido feita por bêbados.

No STF, PT quer derrubar inelegibilidade de Lula


A legenda já tinha decidido recorrer ao Supremo Tribunal de Justiça
Mônica Bergamo – Folha de S.Paulo
O PT planeja acionar também o STF (Supremo Tribunal Federal) nos próximos dias para tentar a suspensão da inelegibilidade de Lula. A defesa já tinha decidido recorrer ao STJ (Superior Tribunal de Justiça).
A ideia é dar início ao debate nas cortes superiores para tentar desacelerar a tramitação do julgamento do registro de Lula no TSE(Tribunal Superior Eleitoral): enquanto STF e STJ não derem seu veredicto, Lula não poderia ser retirado da disputa.
Uma série de recursos devem ser apresentados para retardar o mais possível qualquer decisão definitiva nos dois tribunais. Do outro lado, a PGR (Procuradoria-Geral da República) tentava desde a quinta (16) acelerar o processo.
A estratégia do PT é não apenas ganhar tempo, empurrando a candidatura até o começo da propaganda eleitoral na TV, como mostrar que Lula foi “arrancado da disputa”, nas palavras de um dirigente.

Estreia de campanha: Ciro insinua que PT é sigla suja


No 1º dia em que candidatos podem pedir voto, pedetista diz que ganhou na loto ao ser criticado por Michel Temer
Italo Nogueira e Gustavo Uribe – Folha de S.Paulo
O presidenciável Ciro Gomes (PDT) inaugurou sua campanha atacando de forma indireta o PT, os rivais Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL).
Em discurso na zona norte do Rio, o pedetista afirmou que seu partido e o PSB são "a esquerda limpa, que não está em delegacia de polícia".
Questionado sobre qual seria a "esquerda suja", afirmou: "É papel seu dizer", disse.
Nesta quinta (16), começou oficialmente a campanha eleitoral. A partir de agora, os candidatos podem pedir voto claramente.
A fala é um ataque ao PT, cujo candidato à Presidência, Lula, está preso na Polícia Federal de Curitiba.
A declaração mostra mudança na postura de Ciro, que vinha dizendo considerar injusta a condenação de Lula. O PT tem outras lideranças que já foram presas como José Dirceu, José Genoino, e o tesoureiro João Vaccari Neto.
Nesta quinta, Ciro celebrou a aliança entre PDT e PSB no Rio em torno da candidatura de Pedro Fernandes ao governo estadual. No plano federal, o PSB não se aliou a Ciro após forte pressão do PT.
No discurso para uma plateia majoritariamente feminina, Ciro também fez críticas indiretas a Bolsonaro.
"A revolta, a cabeça quente não são boas conselheiras. Não basta falar mal, esculhambar. Não faltam razões. Mas vamos evitar transformar o nosso protesto numa escolha que precipite o Brasil em inexperiência, aventura, extremismo e radicalismo. Porque, ainda que faça bem ao nosso fígado, o Brasil não aguenta mais essa cultura de ódio", disse Ciro.
Alckmin também foi alvo ao ser associado ao impopular presidente Michel Temer.
"Acabei de ganhar na loto. Atenção, brasileiros! O presidente Michel Temer, com licença da má palavra, acabou de anunciar na Folha que o adversário dele sou eu e que o candidato do governo é o Alckmin. Isso ajuda muito à população a ir tomando lugar", disse Ciro.
O pedetista voltou a falar da promessa de tirar brasileiros da lista de devedores do SPC (Serviço de Proteção ao Crédito). Em vídeo, afirmou que as pessoas terão seus nomes limpos após assinarem um contrato de parcelamento.
A ideia é que o governo reduza o compulsório das instituições financeiras para que as dívidas sejam diminuídas de uma média de R$ 4.200 para R$ 1.400. Para chegar ao valor, seriam descontados juros, multas e correções.
O candidato não explicou se será o governo que arcará com a dívida restante caso ela não seja paga ou se devedores voltarão para a lista do SPC.
"Se pode ajudar as empresas e os ricos, o governo também, claro, pode ajudar os mais pobres e a classe média", disse.
No início da semana, especialistas disseram que a proposta é vaga.
p(inter). Brasil está quase na UTI, diz Marina em estreia de campanha
São Paulo"No salão paroquial de uma igreja católica no Cangaíba (zona leste de São Paulo), a presidenciável Marina Silva (Rede Sustentabilidade) abriu sua campanha eleitoral de rua dizendo que quer "tratar da saúde das pessoas e da saúde do Brasil".
"O nosso país está quase que numa UTI", afirmou a candidata a uma plateia de 180 pessoas no salão da Igreja Bom Jesus do Cangaíba. Ela estava acompanhada do vice, Eduardo Jorge (PV), e de outros apoiadores.
Minutos antes, Marina visitou um espaço anexo ao templo onde funciona um serviço voluntário de médicos desde a década de 1970.
Um dos criadores do posto de saúde gratuito foi o vereador Gilberto Natalini (PV-SP), candidato a deputado federal. Ele tem base eleitoral na região.
Marina, que é evangélica e pertence à denominação Assembleia de Deus, frisou no discurso que estava fazendo uma visita institucional à igreja e que no salão também ocorrem atividades da comunidade.
Ali funciona um centro de convivência que recebe recursos do município e atende 180 crianças e adolescentes, além de uma escola de moda apoiada pelo governo estadual.

Priscila Krause é 25222


quinta-feira, 16 de agosto de 2018

Lyra: PE é que está arrependido de ter votado em Paulo

O ex-governador do Estado e vice de Eduardo Campos durante quase oito anos, João Lyra Neto (PSDB), reagiu de maneira dura à entrevista de Paulo Câmara à Rádio Jornal na manhã de hoje. “Como dizia Eduardo, Governo precisa trabalhar e entregar e não ficar choramingando e reclamando da vida”. Durante a entrevista, Paulo culpou, por diversas vezes, o Governo Federal pela inércia de Pernambuco nos últimos anos.
“A violência explodiu, com homicídios, assaltos a bancos e roubos. Os pernambucanos têm medo de sair de casa. Na saúde ele prometeu construir quatro hospitais pelo interior, não entregou nenhum. Aliás, a malha da saúde é praticamente a mesma que deixamos em 2014”, afirmou João, que foi coordenador do Pacto pela Vida e secretário de Saúde durante a gestão Eduardo Campos.
Com bastante experiência administrativa, João Lyra Neto lembrou que estados vizinhos como Paraíba, Bahia e Ceará também são governados por opositores de Temer, mas seguem avançando e crescendo. “Pernambuco é o Estado que mais desemprega, os investimentos públicos foram cortados pela metade e faltam projetos para buscar financiamentos”, analisou.
O ex-governador lembrou que durante o processo de impeachment o PSB pernambucano apoiou integralmente a chegada de Temer ao poder. Paulo Câmara, inclusive, liberou 4 secretários para votarem na derrubada de Dilma Rousseff. “Agora ele diz que se arrepende de ter apoiado o impeachment, mas nós pernambucanos é que nos arrependemos de ter escolhido Paulo, porque ele não está preparado para ser o líder que Pernambuco precisa”, concluiu.

Lula vetado de participar do debate de amanhã


O ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Sérgio Banhos decidiu há pouco rejeitar o pedido do PT para autorizar a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no debate que será realizado amanhã (17), na Rede TV, com candidatos à Presidência da República nas eleições de outubro.
Na decisão, o ministro entendeu que a prisão de Lula está ligada com questões criminais, que não podem ser analisadas pela Justiça Eleitoral. "Carece esta Justiça especializada de atribuição constitucional e legal para intervir em ambiente carcerário, no qual em curso o cumprimento, ainda que provisório, de sanção penal, dispondo sobre a eventual utilização intramuros de aparato tecnológico que possibilite, para além de todas as demais questões jurídicas certamente envolvidas, a participação do segundo requerente, por videoconferência ou por meio de vídeos pré-gravados, em debates a serem realizados nos mais diversos meios de comunicação social".
Em tese, o ex-presidente estaria enquadrado no artigo da Lei da Ficha Limpa que impede a candidatura de condenados por órgãos colegiados. No entanto, o pedido de registro e a possível inelegibilidade precisam ser analisados pelo TSE. O pedido funciona como o primeiro passo para que a Justiça Eleitoral analise o caso.  Por André Richter, repórter da Agência Brasil

Na campanha dos filhos, FBC apresenta mais um à política

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Por Victor Tavares em Eleições 

Na campanha em que o filho do ex-governador Eduardo Campos será candidato a deputado federal, com grande expectativa de votos, os olhares também se voltam à sucessão política de outra tradicional família da política de Pernambuco: a família Coelho do senador Fernando Bezerra (MDB).
Neste ano o ex-socialista e senador da república lança mais um filho para concorrer a um cargo político, trata-se do candidato a deputado estadual Antônio Coelho (DEM). Depois de ‘emplacar’ Fernando Filho (DEM) – que é deputado federal e foi ministro do governo Temer – e Miguel Coelho (PSB), prefeito de Petrolina, FBC tenta em 2018 garantir um mandato na Alepe para seu filho de 22 anos.
Diante de cerca de 200 trabalhadores da fazenda Frutos do Sol, localizada em perímetro irrigado da zona rural de Petrolina, o candidato a deputado estadual esteve, nesta quinta-feira (16), ao lado de Armando Monteiro (PTB) e da chapa majoritária da frente ‘Pernambuco Vai Mudar’. O ato no Sertão do São Francisco abriu a campanha oficialmente.
Estiveram no ato o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB), o prefeito Miguel Coelho (PSB), o ex-prefeito Guilherme Coelho (PSDB), suplente de Bruno Araújo, e o presidente da Câmara de Vereadores do município, Osório Siqueira (PSB).
Antonio Coelho tem 22 anos, é graduado em Economia e Ciências Políticas pela Universidade de Nova York  (NYU), nos Estados Unidos e entra na disputa eleitoral pela primeira vez.

Pernambuco: migração para Marília pode definir eleição


Com saída de Marília Arraes da disputa, 33% de seus eleitores preferem Armando Monteiro (PTB), enquanto 13% ficam com Paulo Câmara (PSB), diz pesquisa
Estêvão Bertoni - Veja
Marcada por interferências externas sobre decisões locais, a eleição em Pernambuco pode consolidar uma hegemonia do PSB que já dura 12 anos no estado. Com a tentativa de reeleição do governador Paulo Câmara, o partido tem chances de conseguir sua quarta vitória seguida. As duas primeiras, em 2006 e 2010, foram com Eduardo Campos
Mas o resultado nas urnas poderá ser definido na hora em que os eleitores que tendiam a votar em Marília Arraes (PT) migrarem seus votos para os candidatos que restaram.
A vereadora petista havia sido escolhida na convenção estadual como candidata ao governo. Porém, um acordo entre as executivas nacionais do PT e do PSB, para que o segundo se mantivesse neutro nas eleições presidenciais, enterrou a candidatura de Marília em troca do apoio petista a Câmara.
Com a manobra, o objetivo do partido de Lula era isolar Ciro Gomes, que ficou nacionalmente sem a aliança com o PSB. O arranjo também afetou a candidatura de Márcio Lacerda (PSB) ao governo de Minas Gerias, que pretende insistir na postulação contrariando a orientação da executiva nacional.
Em pesquisas de opinião feitas no mês passado pelo instituto Datamétrica, Câmara aparecia em primeiro, com 25% das intenções, seguido de Marília (21%) e Armando Monteiro (17%), candidato do PTB. Como a margem de erro é de 4 pontos, os três candidatos estavam tecnicamente empatados.
Levantamento do mesmo instituto mostra que 33% dos eleitores de Marília pendem para Armando Monteiro, enquanto apenas 13% votariam em Paulo Câmara. Em 2014, o governador de Pernambuco apoiou o tucano Aécio Neves no segundo turno contra Dilma Rousseff (PT), e se posicionou favoravelmente ao impeachment da presidente.
Sem a presença da vereadora petista na pesquisa, o candidato do PSB tem 28%, enquanto o do PTB aparece com 22%. Tecnicamente, eles continuam empatados.
A pesquisa está registrada sob o número PE-09139/2018. A Datamétrica ouviu 600 pessoas entre 11 e 12 de julho. O levantamento possui nível de confiança de 95% e margem de erro de quatro pontos percentuais para mais ou para
Legado de Miguel Arraes
Com as candidaturas ao governo do estado definidas, Marília decidiu concorrer ao cargo de deputada federal. Neta do ex-governador Miguel Arraes, ela disputará a mesma vaga que o novato em eleições João Campos (PSB), filho de Eduardo Campos e bisneto de Arraes, numa briga pelo legado do político.
Marília já havia rompido com Eduardo Campos, seu primo, em 2014, porque ele não a lançou como candidata à deputada federal. Em relação ao PT e a sua candidatura frustrada ao governo, ela optou por não insistir pela vaga para manter o ambiente pacificado no partido. João Campos tem o apoio de Paulo Câmara e do prefeito do Recife, Geraldo Júlio (PSB).
Conheça os candidatos ao governo de Pernambuco:
Armando Monteiro (PTB), senador
Vice: Fred Ferreira (PSC)
Coligação: PTB, PPS, PSDB, DEM, PSC, PRB, PV, Pode, PRTB, PSL, PHS, DC, PMB
Dani Portela (PSOL), historiadora e advogada
Vice: Gerlane Simões
Coligação: PSOL, PCB
Julio Lossio (Rede), médico e ex-prefeito de Petrolina
Vice: Luciano Bezerra (Rede)
Maurício Rands (Pros), advogado e ex-deputado federal
Vice: Isabella Fiorenzano (PDT)
Coligação: Pros, PDT, Avante
Paulo Câmara (PSB), governador de Pernambuco
Vice: Luciana Santos (PCdoB)
Coligação: PSB, PCdoB, PT, MDB, PP, PR, PMN, PTC, PRP, Patriota, PSD, PPL, Solidariedade
Simone Fontana (PSTU), professora
Vice: Jair Pedro (PSTU)
Ana Patrícia Alves (PCO), agente de saúde
Vice: Gilson de Oliveira (PCO)

Barroso pode propor que decisão sobre Lula seja executada imediatamente

Blog do Valdo Cruz Se mantiver a posição que vem adotando recentemente, o ministro Luís Roberto Barroso pode propor a execução imediata ...