quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Aécio Neves aponta consequências de “herança maldita” do primeiro governo Dilma


Aécio Neves _ Foto Orlando Brito

Fabiana Gonçalves
O senador Aécio Neves (PSDB) divulgou ontem (19) uma nota falando sobre “herança maldita” do primeiro governo Dilma Rousseff (PT). No texto, recheado de críticas, ele diz que falta à presidente coragem para reconhecer que está fazendo “tudo o que se comprometeu a não fazer”.
Confira a íntegra da nota:
Onde está a presidente?
O Brasil está assustado com o tamanho da herança maldita que o primeiro governo Dilma deixou para o país. Apagão, racionamento de energia, aumento de impostos, cortes de direitos trabalhistas já preocupam e demonstram como milhões de brasileiros foram enganados durante a campanha eleitoral.
Os erros do governo do PT não podem mais ser “escondidos embaixo do tapete”. E a conta de todos esses erros será, injustamente, paga pela população.
Em meio a tudo isso, o país se pergunta: onde está a presidente?
Duas características são essenciais a um governante: responsabilidade e coragem.
Durante a campanha eleitoral faltou responsabilidade à presidente. Focada apenas em vencer as eleições, a candidata adiou medidas necessárias que agora, diante de um quadro agravado, vão custar ainda mais caro à população.
Hoje, falta à presidente coragem para olhar nos olhos dos brasileiros e reconhecer que está fazendo tudo o que se comprometeu a não fazer.
Ao se omitir no momento do anúncio de medidas que afetarão gravemente a vida do nosso povo, a presidente parece querer terceirizar responsabilidades que são essencialmente dela.
A pergunta que milhões de brasileiros se fazem hoje é: Onde está a presidente?
Aécio Neves

Álvaro Porto diz que “sucessão de desgraças” no sistema prisional é fruto de omissão do Estado


Álvaro Porto - divulgação



O deputado estadual e futuro vice-líder da oposição da oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco,Álvaro Porto (PTB), lançou hoje pela manhã um manifesto culpando o governo pela atual situação do sistema prisional do Estado. Ele denuncia problemas na penitenciária de Canhotinho e diz que o governo “empurrou com a barriga” as soluções propostas anteriormente para a situação.
Confira a sua nota:
O problema no sistema penitenciário realmente não é exclusividade de Pernambuco, porém não vem de pouco tempo. Soluções definitivas já foram cobradas diversas vezes mas o governo foi deixando de lado e preferindo empurrar com a barriga. 
Agora vem anunciar uma ‘série de medidas’ e resolver colocar pra funcionar obras que já estão paradas há anos, mesmo quando as penitenciarias que já existem funcionam em condições subumanas.
A penitenciaria de Canhotinho, por exemplo, foi construída nos anos 70 para abrigar 280 detentos, foi recém ‘reformada’ para acomodar até 400 reclusos, porém essa grande obra do governo foi apenas a compra de camas que foram colocadas nos corredores da unidade onde hoje estão jogados mais de 1200 presos. Isso não bastasse, a unidade funciona apenas com 7 agentes penitenciários, porém 4 deles trabalham em serviços burocráticos e os outros 3 para tomar conta dos mais de 1200 presos. E isso tudo acontece no centro de uma cidade com 25 mil habitantes e apenas 3 policiais militares por plantão.
Isso não é segurança! Isso não é ressocialização!
O governo é o mesmo, pregou que era continuidade durante todo 2014 porque somente agora esses pontos foram enxergados?
A sucessão de desgraças que vem acontecendo no decorrer dessa semana aconteceram por omissão do estado! O repudio da população pernambucana está para aqueles que causaram essa situação.
Por fim, vale lembrar que não fomos nós que pegamos carona em desgraça alheia ou usamos a morte de alguém como plataforma eleitoral.

Desfiliação em massa no PT. Cresce o nº de pessoas que abandonam o partido em todo o país.


Bandeira-PT1
O número de filiados descontentes com o Partido dos Trabalhadores tem sido uma das maiores preocupações da cúpula do PT nos últimos meses, Embora seja um assunto mantido em sigilo, eventualmente fontes internas vazam casos de dezenas de desfiliações diárias em praticamente todo o país.
A onda antipetista que atinge o partido entre a população e também internamente tem causado bastante desconforto entre os dirigentes. As contribuições financeiras dos filiados estão caindo a níveis tão preocupantes que o partido já determinou o combate à corrupção interna, que também é grande. Temendo o pior, o PT aprovou uma nova regra que agiliza os processos de punição a corruptos. A expectativa é de um expurgo imediato dos quadros partidários.
Um bom exemplo da debandada vem do PT de Caruaru, que perdeu de uma só vez 32 filiados. A grande baixa ocorre após a desfiliação de militantes históricos da sigla, a exemplo de Paulo Naílson, Tânia Bazante e professor Reginaldo. De acordo com Mário Flávio, em seu blog, os mais de 30 ex-integrantes estão ligados a Hérlon Cavalcanti, que também deixou o PT.
Na ocasião, foi divulgada uma carta coletiva que o leito acompanha abaixo:
Carta de desfiliação coletiva do PT de Caruaru
Ao Presidente do Municipal do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras de Caruaru
Sr. Adilson Lira
Venho por meio deste, comunicar que, em discussão realizada pelo grupo ‘Semeando Estrelas’, ficou determinado, imediatamente, a DESFILIAÇÃO COLETIVA de 32 integrantes do PT de Caruaru.
Os motivos políticos que levaram a essa decisão são muitos. Assim sendo, solicitamos ao Diretório Municipal que encaminhe a Justiça Eleitoral os afastamento e registros de todos e todas na lista que segue em anexo.
Hérlon Cavalcanti
Presidente do coletivo ‘Semeando Estrelas’
Lista de nomes para DESFILIAÇÃO COLETIVA (conforme carta enviada ao Presidente do Municipal do Partido dos Trabalhadores e das Trabalhadoras de Caruaru Sr. Adilson Lira)
1. ALANO CLEMENTE TORRES DE ARAUJO
2. ANDERSON CRISTOVAM DE OLIVEIRA
3. ARMERSON VILANOVA TENORIO
4. BRUNO HENRIQUE DA SILVA
5. EDILSON LIRA DA LUZ
6. EDNA MARIA SANTOS DA LUZ
7. FABIO HENRIQUE PEREIRA
8. HALINSON JONES DE OLIVEIRA SOUZA
9. HELIO HENRIQUE DE FIGUEIREDO CAVALCANTI
10. HILARIO LINO DE SOUZA
11. INACIO LUIZ FALCAO JUNIOR
12. JOSE DORGIVAL TABOSA
13. JOSE ERIVONALDO DA SILVA
14. JOSE GILVAN DA SILVA RODRIGUES
15. JOSE NELSON DE ALMEIDA LIMA
16. JOSE ROBERTO RODRIGUES
17. JOSEFA HERMELINDA DE SOUZA
18. JOSEFF RICHARD FALCAO
19. LUCAS GUILHERME BARBOSA CAVALCANTI
20. MAGALY SIMONE FIGUEIREDO CAVALCANTI
21. MAITE OHAMA DE FIGUEIREDO CAVALCANTI
22. MANOEL NERISVALDO RODRIGUES ALVES
23. MARCELO DA SILVA
24. MARIA DAS GRAÇAS DE SOUZA SILVA
25. MARIA LUCIA DA SILVA
26. OLEGARIO FERNANDES FILHO
27. PEDRO TARSIS DE ALMEIDA MACEDO
28. REJANE DE FIGUEIREDO CAVALCANTI
29. SAFIRA SONALYS MATIAS DE FIGUEIREDO
30. SERGIO BARBOSA DE LIRA
31. TADEU CASSIMIRO BEZERRA
32. THIAGO ITALO SANTOS LIMA
Em Pernambuco, Cerca de 20 pessoas protocolaram a saída, maior parte deles compõem a tendência Lutas e Massas (PTLM), liderada pelo membro da Executiva Nacional, Gilson Guimarães. “Identificamos que o PT de Pernambuco está totalmente desconectado com a realidade social” declarou, ao justificar a debandada em massa.
As perspectivas de Guimarães são ainda mais sombrias para o futuro do PT no estado. “O primeiro momento é construir um diálogo, com os outros filiados – somos quase 5.000 – para construir um debate e definir o nosso rumo”, observou. De acordo com ele, a expectativa é que alguns membros do PTLM deixem o partido.
Em São Paulo, a situação não é diferente. Antes mesmo do pronunciamento de Marta Suplicy onde previu o fim do partido, vários militantes de peso já haviam abandonado a legenda. Lula está muito preocupado com a saída “negociada” de Marta, pois isso pode causar mais uma sangria nas fileiras do partido. Segundo aliados próximos do ex-presidente, Lula estaria disposto a atuar como articulador de uma saída de Marta do partido para evitar que a ex-prefeita e ex-ministra da Cultura provoque danos ainda maiores ao governo e ao PT.
Desde que disponibilizou o formulário de contato no topo do site para seus leitores, a redação do Domínio do Fato tem recebido centenas relatos de pessoas decepcionadas com o PT. Muitos são filiados e simplesmente deixaram de recolher a contribuição partidária. Pelo estatuto da legenda, filiados são obrigados a pagarem a chamada contribuição partidária. Há casos extremos, onde pessoas mudaram de endereço para fugir do embaraço de sua ligação com o partido.
@muylaerte

No plano nacional, a volta de Raul Jungmann (PPS), vereador no Recife, para a Câmara dos Deputados com a convocação de quatro federais para o primeiro escalão de Paulo Câmara, está sendo interpretado como uma contribuição do PSB pernambucano para reforçar a oposição a Dilma. Criativo, Jungmann é bom de briga.


Quando um prefeito ou qualquer gestor tem mais de uma conta rejeitada pelos tribunais não é mais classificado como ficha suja, como de praxe. Os técnicos do Tribunal de Contas da União só se referem a estes como “fichas imundas”. Ex-prefeitos na imundície estão, portanto, fora da disputa de 2016.


Por acha que foi “rebaixado” ao perder o Ministério das Cidades para o PSD, o PP quer agora manter o controle da Codevasf e indicar, também, o diretor-geral do Departamento Nacional de Obra Contra a Seca (Dnocs). Já o PT está de olho na Eletronorte, com orçamento de R$ 1 bilhão, e o PR no Dnit, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte, com orçamento de R$ 11 bilhões.

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

PRESIDENTES DE ASSOCIAÇÕES RURAIS DECEPCIONADOS COM O PREFEITO ROMÉRIO GUIMARÃES

Representantes de cinco associações da zona rural de São José do Egito estiveram na manhã do ultimo sábado 17/01 na Rádio Gazeta FM, onde fizeram várias críticas a gestão do prefeito Romério Guimarães PT, acusando a gestão de não participativa, do descaso no que se refere ao problema do abastecimento de água nas comunidades, estradas sem manutenção e uma série de coisas que vem trazendo transtornos aos seus moradores. Segundo eles, o "Projeto Água Para Todos"não teve continuidade, estão a mais de noventa dias sem verem a água sendo bombeada mesmo tendo uma barragem cheia, o transformador foi retirado prejudicando mais de 300 famílias.Eles disseram ainda, que se as providências não forem tomadas o mais rápido possível, irão fazer um movimento reivindicatório pelas ruas da cidade!

domingo, 18 de janeiro de 2015

Advogados lançam nota de apoio ao presidente da OAB-PE


Pedro Henrique Reynaldo Alves - reprodução Facebook

Um grupo de mais de 300 advogados e 14 entidades representativas de advogados divulgaram hoje (19) uma nota de apoio ao presidente da OAB-PE, Pedro Henrique Reynaldo Alves, no sentido de apoiar a sua decisão em se opor judicialmente à possibilidade de um quinto mandato consecutivo do presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Uchoa.
Confira a íntegra da nota:
NOTA DE APOIO AO PRESIDENTE DA OAB-PE
“A consciência é o último ramo da alma que floresce; só dá frutos tardios”. Joaquim Nabuco
Os advogados abaixo-assinados vêm a público manifestar irrestrita solidariedade ao presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de Pernambuco, Pedro Henrique Reynaldo Alves, em razão de recentes matérias publicadas na imprensa local, em que se pôs em dúvida a legalidade de seu licenciamento do cargo de Procurador do Estado a fim de se dedicar aos relevantes temas e demandas inerentes ao exercício da Presidência da OAB/PE. Sabe-se que tal iniciativa decorre de insatisfação acerca da decisão do Conselho Pleno da entidade, tomada com base em parecer de renomados juristas integrantes da Comissão de Estudos Constitucionais, no sentido de questionar judicialmente eventual candidatura do atual Presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco – ALEPE ao quinto mandato consecutivo.
A questão do licenciamento do cargo de Procurador do Estado já foi devidamente esclarecida por nota da Associação dos Procuradores do Estado de Pernambuco, na qual se reafirmou categoricamente a legalidade, a moralidade e a pertinência do afastamento do Presidente Pedro Henrique Reynaldo Alves, deferido pelo Secretário de Administração, após pronunciamento favorável do Conselho Superior da Procuradoria Geral do Estado e de seu Procurador-Geral.
Nesse contexto, ao mesmo tempo em que se solidarizam com o presidente Pedro Henrique Reynaldo Alves, os advogados signatários da presente nota repudiam qualquer tentativa de se personalizar o debate, por meio de ataques descabidos à pessoa do presidente da OAB-PE.
A decisão de se opor judicialmente à possibilidade do exercício de um quinto mandato consecutivo como Presidente da ALEPE retrata à perfeição a forma independente, objetiva e responsável com a qual o Presidente Pedro Henrique Reynaldo Alves tem conduzido a nossa instituição no incessante cumprimento de sua missão de guardiã do Estado Democrático de Direito, sempre nos estritos limites do debate institucional, fazendo jus, assim, ao papel histórico da OAB/PE enquanto representante dos legítimos anseios da sociedade civil, honrando, inclusive, a tradição libertária do povo pernambucano.
Recife/PE, 19 de janeiro de 2015.
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS ADVOGADOS DA UNIÃO
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PARTICIPANTES DA FUNCEF.
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROCURADORES FEDERAIS
ASSOCIAÇÃO DOS PROCURADORES DO MUNICÍPIO DO RECIFE
FEDERAÇÃO PERNAMBUCANA DOS PROCURADORES MUNICIPAIS
ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROCURADORES ESTATAIS
ASSOCIAÇÃO DOS PROCURADORES DE OLINDA
ASSOCIAÇÃO DO PROCURADORES DOS CORREIOS;
ASSOCIAÇÃO DOS ADVOGADOS DO GRUPO ELETROBRÁS;
ASSOCIAÇÃO DOS PROCURADORES DO ESTADO DE PERNAMBUCO
UNIÃO DOS ADVOGADOS PÚBLICOS FEDERAIS DO BRASIL
ASSOCIAÇÃO DOS PROCURADORES DO MUNICÍPIO DE JABOATÃO
DOS GUARARAPES
SINDICATO NACIONAL DOS PROCURADORES DA FAZENDA
NACIONAL
SINDICATO NACIONAL DOS PROCURADORES ESTATAIS
ADRIANA ROCHA DE HOLANDA COUTINHO
FERNANDO JARDIM RIBEIRO LINS
BRUNO DE ALBUQUERQUE BAPTISTA
SILVIO PESSOA DE CARVALHO JUNIOR
LEONARDO ACCIOLY DA SILVA
PELÓPIDAS SOARES NETO
HEBRON COSTA CRUZ DE OLIVEIRA
ERIK LIMONGI SIAL
RONNIE PREUSS DUARTE 3
JAYME ASFORA FILHO
OCTAVIO DE OLIVEIRA LOBO
FERNANDO COELHO
JOAQUIM CORREIA DE CARVALHO JÚNIOR
ALUISIO VASCONCELOS XAVIER
HENRIQUE NEVES MARIANO
ISABELA LINS CARVALHO DE AGUIAR
ANA LUIZA MOUSINHO DA MOTTA E SILVA
GUSTAVO RAMIRO COSTA NETO
CARLOS EDUARDO RAMOS BARROS
ANTONIO BRAZ DA SILVA
CARLOS ANTONIO HARTEN FILHO
CARLÚCIA BARBOSA LAPENDA
CATARINA ALMEIDA DE OLIVEIRA
DENIVALDO BATISTA DOS SANTOS
RAIMUNDO MENEZES FILHO
EDILSON FERNANDO TAVARES DE ARAÚJO
FÁBIO PORTO ESTEVES
FERNANDO AUGUSTO LAPA GUIMARÃES
FREDERICO PREUSS DUARTE
HÉLDER PESSOA DE MACEDO
HENRIQUE BURIL WEBER
JOÃO OLÍMPIO VALENÇA DE MENDONÇA
JOSÉ NELSON VILELA BARBOSA FILHO
LUÍS FILIPE PAGANELLA CESCANI
MARIA PAULA LATACHE RIBEIRO DE VASCONCELLOS
MARIA RITA DE HOLANDA SILVA OLIVEIRA
MAURÍCIO BEZERRA ALVES FILHO
NAIR ANDRADE DOS SANTOS
EDUARDO EMERENCIANO
RONEY JOSÉ LEMOS RODRIGUES DE SOUZA 4
SAULO DE TARSO GOMES AMAZONAS
SÍLVIO ROBERTO SOUZA DE FREITAS
ALEXANDRE AUGUSTO SANTOS VASCONCELOS
ALEXANDRE GUSMÃO PINHEIRO DE ARAÚJO
ANA LUIZA DUARTE PIRES DE CASTRO
ANTONIO FARIA DE FREITAS NETO
ANTONIO TIDE TENÓRIO ALBUQUERQUE MADRUGA GODOI
ANTONIO XAVIER DE MORAES PRIMO
BRUNO CÉSAR MACHADO TORRES GALINDO
CLÁUDIO ALEXANDRE SOARES CORREIA
MARCONDES SÁVIO
FREDERICO MATOS DE CARVALHO
CRISTIANE MAIA LUSTOSA
DALÔNIO PATRÍCIO DE CARVALHO FILHO
EDUARDO AUGUSTO PAURÁ PERES FILHO
EDUARDO LYRA PORTO DE BARROS
GENER DE SOUZA SERRALVA RODRIGUES
GEORGE CLÁUDIO CAVALCANTI MARIANO
IAN COUTINHO MAC DOWELL DE FIGUEREDO
LEONARDO OLIVEIRA DA SILVA
LUIZ FELIPE FARIAS GUERRA E MORAIS
JÂNIO DE BARROS CARVALHO
PETRÔNIO MONTEIRO DE MENEZES
JOÃO VIEIRA NETO
WALTER GIUSEPPE MANZI
JOSÉ CAUBI ARRAES BANDEIRA JÚNIOR
JOSÉ MONSUÊTO CRUZ
LEONARDO OLIVEIRA DA SILVA
LUCIANA DA FONSECA LIMA BRASILEIRO
LUIZ OTÁVIO MONTEIRO PEDROSA
MARCELO AUGUSTO LEAL DE FARIAS 5
MARÍLIA MONTENEGRO PESSOA DE MELLO
MARCO AURÉLIO VENTURA PEIXOTO
MARCUS ANDRÉ ALMEIDA LINS
PAULO COLLIER DE MENDONÇA
PEDRO HENRIQUE CAVALCANTI MONTENEGRO
RICARDO SAMPAIO FERREIRA DA SILVA
ROBERTO DE ACIOLI ROMA
SÍLVIO NEVES BAPTISTA FILHO
SÓCRATES VIEIRA CHAVES
JOSÉ FLORENTINO TOSCANO FILHO
GABRIELA REIS FEITOSA BATISTA
CÉSAR RICARDO BEZERRA MACEDO
ADRIANO VENDICIANO DOS SANTOS
ANTONIO JACKSON DE ARAÚJO SANTOS
FRANCISCO FAELANTE C.L. FILHO
GENY PEREIRA DE LIRA
PAULO ANDRÉ LIMA DO COUTO SOARES
EMANUEL JAIRO FONSECA DE SENA
PAULO DE TARSO ALMEIDA SAIHG
MIRIAM MARIA DA SILVA ARAÚJO
ELISSANDRA PEREIRA DOS SANTOS SPINOLA
WILSON DE BARROS SANTOS
CLÓVIS ALVES DE ALMEIDA
MARIA ANGELICA V. DE ALBUQUERQUE
TACIANA MARIA COSTA MAGALHÃES SANTANA
CLÓVIS DA SILVA BASTOS
MANOEL JOÃO DE SOUZA
LUIZ PAULO GUERRA
ROSIMÁRIA FREIRES LINS
JOSÉ ARAÚJO COSTA
ALMIRA NUNES DA SILVA 6
SÉRGIO JOSÉ GALINDO OLIVEIRA
AUGUSTO CESAR DE FREITAS RAMOS
JOSÉ DANTAS DE LIMA
LÁSARO DE CARVALHO MENDES FILHO
PERICLES ROSA SOARES
GRACIELE LINS
ERALDO CEZAR RODRIGUES DE SOUZA
MARCOS HENRIQUE RAMOS SILVA
ESTEFFERSON DARLEY FERNANDES NOGUEIRA
EMANUEL RODRIGUES DA SILVA NETO
CARLOS ALBERTO FERNANDES SILVA
WASHINGTON LUÍS MACÊDO DE AMORIM
SUZANA DE SOUZA TIMES
MARCONDES RUBENS DE OLIVEIRA
PETERSON PARPINELLI
HILTON GALVÃO
SILVANA GUERRA BARRETO
GUSTAVO VENTURA
PAULO TIMES
GERALDO LOBATO CARVALHO JR.
ANTONIO DE MOURA APOLINÁRIO,
JOÃO MARCELO GOMES FERREIRA
JOSÉ TADEU VICENTE SANTANA
VOLGRAN CORREIA LIMA JÚNIOR
ALEXANDRE BARTILOTTI
MARCIA MARIA PEIXOTO
INGRID ZANELLA
RICARDO SOUZA
JULIO AVELINO
ADEILDO NUNES
CARLOS EDUARDO VASCONCELOS 7
SORAYA NUNES
EDVALDO EUSTÁQUIO
ANTONIO TEOBALDO AYMAR
FREDERICO RODRIGUES DE LIMA
GRAÇA MARIA BARZA
MAURICIO DE MIRANDA SOARES
XIMENE SERIAMES DALGRO
PEDRO TEIXEIRA
MARIANA MONTEIRO FERNANDES
GERALDO DE CARVALHO
FABIO DUARTE
TICIANO GADELHA
JOSE EGITO
GILKA BURIL WEBER
MARIA AMÉLIA DE ALMEIDA
RODRIGO NOROES
EMMANUEL PLÁCIDO:
HERÓDOTO RAMOS
CAROLINE DE FÁTIMA TORRES LOBATO
MARTHA GUARANÁ
THEOBALDO PIRES FERREIRA
DANIELA DANTAS DE OLIVEIRA
FLAVIO EDUARDO BARROS GALVÃO
GERALDO CARVALHO FONSECA NETO
ELKER SIQUEIRA CAMPOS
JANAINA SIQUEIRA CAMPOS
ROBERTA SANTOS BARBOSA
LUIZ KEHERLE CORDEIRO BEZERRA
FERNANDA NEVES BAPTISTA LEAL
ARNALDO BORGES
FERNANDA CRUZ DA FONSECA 8
ALEXANDRE MELO
ALCIDES FRANÇA
KARINA BARRETTO
CÁSSIA ANDRADE
ROBERTO MAIA
EDUARDA MELQUIADES
RENATA FURTADO
CAMILA CARVALHO
PATRÍCIA SANTA CRUZ
MARIA BARBOSA
PAULO CÉSAR MAIA PORTO
LUIZ PEREIRA DE MELO
AMANDA FREITAS
RENATA DAYANNE PEIXOTO DE LIMA
RICARDO DE LIMA E SOUZA
MAXIMIANO MACIEL NETO
GRINALDO GADÊLHA
VINICIUS CALADO
BARBARA PEIXOTO
RAMIRO BECKER
SANDRA PIRES
AQUILES BEZERRA
ANDRÉ BERADO
TIAGO ANDRADE LIMA
DANIELLE ROCHA
YURI BREDERODES
GINA GOUVEIA PIRES DE CASTRO
GLAUCO SALOMÃO LEITE
LUIZ HENRIQUE DINIZ DE ARAUJO
PEDRO DE MENEZES DE CARVALHO
KEILLA FERRAZ NOGUEIRA 9
TACIANA VIANA
EDUARDO DANTAS
LEONARDO GALIZA
NUBIA SILVA
MARIO DE GODOY
YOLANDA NUNES
ANA PAULA WANDERLEY
ANNA PRISCYLLA LIMA PRADO
MANOELA TRIGUEIRO CAROCA
IGOR ZANELLA
RICARDO SOUZA
FERNANDO DE SOUZA JR.
MARIA JOSÉ DO AMARAL
ANA ELIZA SOUZA
MICHELE MOTA LINS ARAUJO
JULIANA CRUZ DE MOURA
ABNER DAVID CANÁRIO
FABIANO GOMES BARBOSA
EVELINE GUEDES FERREIRA LIMA
ISABELA GUEDES FERREIRA LIMA
RICARDO CAVALCANTE BARROSO
DJAIR FARIAS
JORGE LUIZ DA S. ROCHA
SILVANA BRITO
ISABELLA DE ARAÚJO MARINHO
HELEN LUCIA TAVARES
AUGUSTO CESAR DE FREITAS RAMOS
ADALBERTA PAES BARRETO
IVON PIRES
MARIA DO SOCORRO LAPENDA
RAQUEL BRAGA VIEIRA 10
JURANDY SOARES DE MORAES NETO
ADRIANO BAPTISTA
BRUNO BEZERRA CAVALCANTI
MARCELO LEAL
GISELY MARIA DA SILVA
RENATA SOUZA SAMPAIO
RAFAELA FERRA DE ALBUQUERQUE
JULIO HENRIQUE FERREIRA PATRIOTA
ANDREA NERY DE ANDRADE LIMA
VANESSA VIANNA
MARILEIDE FERREIRA NUNES
TIAGO MAGGI DE SOUSA
MARIA VITORIA GAVAZZA DE AQUILO
ISABEL ARAUJO LESSA
JULIANA SOARES HIGINO
TATYANE NOVAES DE CARVALHO
PRISCILA TRIGUEIRO
PAULO ROSENBLATT
CARLOS SOARES SANTANA
EDUARDO DE SOUZA LEÃO
RICARDO SOUTO MAIOR
WAGNER FERREIRA LOPES DE ASSIS
JARBAS CUNHA FILHO
IRAPUAN EMERECIANO
THERESA CHRISTINE NÓBREGA
ROSEO LEITE CARTAXO
RODRIGO COIMBRA
LEONARDO MOREIRA
CHARBEL ELIAS MAROUN
FÁBIO OLIVEIRA FONSECA
MAURICIO FERREIRA DA SILVA 11
BRUNO PAES BARRETO LIMA
DILSON CONDÉ FREIRE
JOAQUIM CERQUEIRA FORTES
LEONARDO SALES DE AGUIAR
POLLYANNA DREON TENORIO
CARLOS GILBERTO DIAS
ARTHUR AGUIAR DE BARROS
AMANDA PEREIRA DA COSTA PORTO
LUANNA NATHALY
BRUNO RIBEIRO
RICARDO GALVÃO
THIAGO CARLOS DE LIMA
ALUISIO XAVIER
ANATILDES DA CRUZ GOUVEIA
ANDRÉ FONSECA
BELINDA HERSZON
BRUNO BACELAR
MARCO BENEVIDES FILHO
CAMILA OMAYARA
CARLOS CASTRO
CAROLINA FERRAZ
CLAUDIA BARROS CUNHA
CONCEIÇÃO LACERDA
DANIEL MEIRA
DÉBORA MARANHÃO
DIEGO GALVÃO DIEGO GARIBALDI
EMMANUELE BELTRÃO
EWERTON KLEBER
FABIANA ARNALD
FABIO TULIO BARROSO
FABIOLA LOBO 12
LUCIANA GRASSANO
FELIPE BELEM
FERNANDA RODRIGUES DE LIMA
FREDSON RODRIGUES DOS SANTOS
JESSICA SANTOS ALVES
GISLEY GEORGEA BRAGA GRANJA
GUSTAVO OLYMPIO
HELIO MARIANO JR.
HERMANN DANTAS DO NASCIMENTO
ROSSANA CINTHYA DE MEDEIROS DANTAS
JANINE DANIELLE DE ANDRADE
SAMUEL HORACIO DE OLIVEIRA
CLAYTON JOSE OLIVEIRA SOARES
JOÃO GALAMBA PINHEIRO
AYANNE FREITAS DE PAIVA
JOSÉ MARIA SILVA
KEILA LETÍCIA
LOURATILDE XAVIER
LUCAS COELHO
MARCELO LABANCA
MARIANGELA MARQUES PEREIRA
MARÍLIA BORGES
JOÃO PAULO CAVALCANTI
ELIAH ÉBSAN MENEZES DUARTE
THIAGO CARVALHO
WANESSA SIMÕES
EDMUNDO LACERDA
EDMILSON BOAVIAGEM A. MELO JUNIOR
ROGÉRIO ANTÔNIO DORNELAS CÂMARA SOTHER
CÂNDIDA ROSA DE ACIOLI ROMA
MARINA DE ACIOLI ROMA 13
RAQUEL BARRETO LINS GABRIEL
ADRIANA DE ANDRADE ROZA

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Trinta anos da eleição de Tancredo Neves

 


Do Diário de Pernambuco
A eleição do presidente Tancredo Neves (PMDB) no Colégio Eleitoral, que completa exatos 30 anos hoje, ainda suscita debate e reflexões para a chamada “Nova República”, que marcou o fim do regime militar de 1964 e deu ao país uma virada na agenda política. Em Pernambuco, o único a se abster da votação indireta, o ainda senador e futuro deputado federal Jarbas Vasconcelos (PMDB), se arrepende de não ter comparecido à votação. “Eu era a favor da eleição direta. Eu fui o único do PMDB a não comparecer, mas o que importa é que hoje eu fiz uma autocrítica e vi que eu estava equivocado”, disse.
A posição de Jarbas poderia até mudar o placar, mas não alteraria o resultado final do pleito. Tancredo Neves, ex-governador de Minas Gerais, venceu o candidato da situação, Paulo Maluf, do PDS, por 480 votos a 180 no Colégio Eleitoral, formado por deputados federais, estaduais, senadores e governadores. Porém, apesar de sair vitorioso na disputa, Tancredo não chegou a assumir por questões de saúde, abrindo caminho para a diplomação e posse do então vice-presidente José Sarney (PMDB), que até pouco tempo ainda circulava no Senado representando o estado do Amapá.
Além de Jarbas Vasconcelos, outros nomes de Pernambuco foram destaque na época, mas, no caso, favoráveis à eleição de Tancredo Neves. A articulação, realizada pelo então senador Marco Maciel e o então governador do estado Roberto Magalhães - que estavam no mesmo partido de Paulo Maluf e abriram uma dissidência -, deu força à campanha de Tancredo. “Todos os governadores do Nordeste eram do PDS, e apenas um, o da Paraíba, Wilson Braga, votou em Maluf. Isso foi decisivo para Tancredo, que, depois da eleição, fez uma série de elogios a Roberto”, relembrou o então prefeito do Recife Joaquim Francisco, hoje no PSB.
O ex-deputado federal Gilson Machado era delegado do PSD, partido governista, e lembra que Maluf não alcançou o consenso na legenda. “Houve uma disputa interna entre Maluf e Mário Andreazza, e Maluf acabou ganhando. O nome ideal seria o de Andreazza. Eu não participei da votação no Colégio Eleitoral, mas segui a determinação do partido”. A votação indireta para o novo presidente foi aberta e incluiu nomes como os dos deputados Cristina Tavares, do PMDB, Inocêncio Oliveira (PR) e Roberto Freire (PPS).

Procuradoria pede cassação de oito deputados no RJ


 A Procuradoria Regional Eleitoral do Rio pediu na Justiça a cassação do diploma de oito deputados federais e estaduais eleitos no Estado. Eles são acusados de captação e gasto ilícitos no último pleito. A suspeita é de que tenham pago a impressão de panfletos com recursos não declarados.A ação atinge os deputados federais Marco Antônio Cabral (PMDB), filho do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB-RJ), Pedro Paulo (PMDB), Leonardo Picciani (PMDB), Otávio Leite (PSDB), e os estaduais Rafael Picciani (PMDB), Jorge Picciani (PMDB), André Lazaroni (PMDB) e André Ceciliano (PT).
O governador do Rio, Luiz Fernando Pezão (PMDB), também responde a ação semelhante proposta em dezembro. (Da Folha de S.Paulo)

Tudo dominado: Senado e Câmara são de Renan e Cunha


A cúpula do maior partido aliado do governo saiu da sua primeira reunião do ano convencida da vitória de Eduardo Cunha na Câmara e de Renan Calheiros, no Senado.
A eleição é daqui a 16 dias. Renan sai da toca oficialmente apenas às vésperas do pleito. Nos bastidores, ele já está contando os votos e garante ter número suficiente para vencer a disputa.

A reunião de ontem foi decidida no sentido de evitar candidaturas avulsas dentro do próprio PMDB contra Renan Calheiros, no Senado. Embora até aqui ninguém tenha admitido abertamente o desejo de concorrer, o partido preferiu deixar tido desde já que não apoiará candidatos sem o aval da maioria da bancada. Foi um balde de água fria na oposição, que planejava lançar Ricardo Ferraço.(Denise Rothenburg - Correio Braziliense)

terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Diferenças entre a lei e a ética

Carlos Chagas
 Quantas viagens fez o Lula ao exterior, depois que deixou a presidência da Republica? Mais de vinte. Sempre em jatinhos particulares, postos à sua disposição por empreiteiras, ele esteve em diversos países da África e da América Latina, sendo recebido por presidentes, ministros e até ditadores, junto aos quais defendeu os interesses das empresas financiadoras das viagens, de olho em contratos para executar obras públicas.
Quem resistiria aos apelos de um dos mais populares líderes políticos mundiais? Presume-se que quando a “cláusula de sucesso” se confirma, o ex-presidente recebe um percentual ou um fixo por conta de seus esforços.
Ilegal essa atividade não é. Aproveitar-se de amizades feitas nos tempos do exercício do poder para agenciar negócios, também não. Ainda mais se for para beneficiar empresas brasileiras, contribuindo para sua expansão. Da mesma forma, não é crime ser remunerado por serviços prestados, desde que declarados de acordo com a lei.
Então… Então estaria o Lula, agora que não é mais presidente da República, livre para exercer atividades comuns no mundo dos negócios e no mercado, até melhorando sua conta bancaria?
A conclusão seria positiva caso não fosse ele mentor da presidente Dilma, aconselhando-a em todos os setores da administração federal, até no relacionamento com governos estrangeiros. E se não estivesse envolvido na atividade política, que nunca abandonou, disposto, como parece, a candidatar-se para retornar ao palácio do Planalto em 2018. Nesse caso, todo cuidado é pouco, e a evidência de ser pantanoso o terreno onde trafegam as empreiteiras está no fato de que o Lula interrompeu as viagens como seu garoto-propaganda. Pelo menos, delas não se tem mais noticia. Qualquer tratado elementar de ética recomenda cautela.
Nem tudo o que parece legal costuma ser moral. Aí estão os exemplos de ex-ministros como José Dirceu e Antônio Palocci, perdidos para a política porque flagrados em atividades de consultoria para empresas variadas, em especial empreiteiras. Traficaram influência, que ainda dispunham junto ao governo, mesmo depois de afastados. Seria diferente a situação do Lula?
Se sua candidatura consumar-se, quem garante ficarem fora da campanha suas relações com as empreiteiras, com governos estrangeiros e com a própria presidente Dilma? Muitas vezes a lei e a ética seguem caminhos distintos.

Discurso velho num governo velho

Carlos Chagas
 Não propriamente pronunciamentos, que devem ser densos e profundos, mas pelo menos dois discursos protocolares a presidente Dilma deverá pronunciar na quinta-feira, início de seu segundo mandato. Um no Congresso, quando jurar pela segunda vez cumprir a Constituição. Outro no parlatório, se não estiver chovendo, ou no salão de recepções do palácio do Planalto.
Houve tempo em que os pronunciamentos dos presidentes da República despertavam as atenções gerais, quando de suas posses. Novos sistemas ou pelo menos novos personagens empolgavam ou desanimavam o país. Agora, será o mais do mesmo.  Ninguém deve esperar que prometa acabar com o latifúndio, muito pelo contrário.Ou que acabará com a farra da remessa de lucros para o estrangeiro.
Em suma, nenhuma proposta daquelas em condições de caracterizar mudanças institucionais, sociais e econômicas. A composição de seu novo ministério, aliás, lamentável, dá bem a medida da pasmaceira que assola o governo e o PT. Ficará no plano das intenções evitar a corrupção, porque nenhuma iniciativa de vulto está prevista para punir com rigor corruptos e corruptores. Falta ao segundo governo Dilma a eloquência das convicções.

Barbas de molho


 Uma das empreiteiras acusadas de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras fez circular entre seus diretores e funcionários um e-mail que dizia ser 'expressamente proibido' dar ou receber brindes e presentes neste fim de ano. revela Vera Magalhães, hoje na Folha de S.Paulo.
A construtora quer evitar novas evidências de intimidade com políticos e funcionários públicos. O empregado que receber qualquer mimo será obrigado a devolvê-lo.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Cresce insatisfação do PT com as escolhas de Dilma

 A insatisfação do PT com a reforma ministerial cresceu tanto que dirigentes da sigla ensaiam uma reação mais clara à escolha de Pepe Vargas para a Secretaria de Relações Institucionais. Deputados da corrente petista Construindo um Novo Brasil, majoritária no partido, dizem que Vargas, da tendência Democracia Socialista, "não tem capacidade de articulação política" e que sua indicação vai rachar a bancada do PT na Câmara.
Também insatisfeita com o novo desenho do governo, a cúpula do PMDB vai exigir de Dilma a verticalização de suas seis pastas.(Vera Magalhães - Folha de S.Paulo)

Novo ministério de Dilma atacado por jornalista

 O colunista Ricardo Melo, um dos mais identificados, na Folha, com o público de esquerda, faz duras críticas aos ministros já escolhidos até agora, na coluna O mi(ni)stério de Dilma. "Quem tem algum compromisso, ou pelo menos preocupação, com as questões sociais fica decepcionado com as escolhas para o novo gabinete. Ao lado de uma equipe econômica alinhada com a banca, a presidente Dilma fez questão de nomear gente cuja trajetória vai no sentido oposto daqueles que garantiram sua vitória", diz ele, afirmando, ainda, que "Gilberto Kassab no Ministério das Cidades é uma bofetada, em todos os sentidos".
Melo alerta, ainda, para o risco de novos protestos, como ocorreram em junho de 2013. "Ignorar a história é um risco capital. Não que o povo adore passeatas, manifestações diárias, greves, faltar ao trabalho ou atrapalhar o trânsito. Não! Mas ninguém consegue aguentar calado a ameaça de deterioração das condições de vida, a degradação de serviços públicos, a perda de poder aquisitivo e a piora no bem-estar da família."
Por fim, ele coloca uma questão e uma cobrança. "Mistério: quais serão os novos programas sociais? Dilma, mostra a sua cara."   (Portal BR247)

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Aécio defende nova CPI logo após o recesso


:
"Não é possível que com tantas delações, confissões, o Congresso Nacional se mantenha blindado em relação a este gravíssimo escândalo. O Congresso tem a responsabilidade de participar das investigações e colaborar com apurações, punindo todos aqueles que tiverem responsabilidade com esses desvios, independentemente do partido", disse o senador tucano nesta segunda-feira; ponto de partida seria a inclusão das delações premiadas