segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Temer detalhará nesta segunda a Renan e Maia texto da reforma da Previdência

G1, Brasília

O Presidente Michel Temer vai apresentar na tarde desta segunda-feira (5) aos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), detalhes do texto da reforma da Previdência Social que será enviado nesta terça (6) ao Congresso Nacional, informou a assessoria da Presidência. O encontro está marcado para as 17h no Palácio do Planalto.
Ainda de acordo com a assessoria, a audiência também contará com a presença de líderes da base aliada, além dos ministros Henrique Meirelles (Fazenda), Eliseu Padilha (Casa Civil) e do secretário da Previdência, Marcelo Caetano.
Após o encontro com os parlamentares, Temer vai receber no Planalto os presidentes da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah, da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB), Adilson Gonçalves, e da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (Contag), Alberto Ercílio Broch.
Meirelles e os ministros Ronaldo Nogueira (Trabalho) e Dyogo de Oliveira (Planejamento) acompanharão a conversa com os sindicalistas.
Mais cedo, em um evento da Federação da Indústria do Estado de São Paulo (Fiesp), o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que a expectativa do governo é de que a reforma da Previdência seja “bem recebida” no Congresso. Ele ressaltou que a necessidade de mudança nas regras previdenciárias é "urgente" para equilibrar as finanças da União.
“Porque Previdência quebra. O Rio de Janeiro mostra isso, os estados estão mostrando e outros países mostram”, destacou o ministro.
Meirelles afirmou ainda aos empresários paulistas que a reforma da Previdência tem como “objetivo fundamental” assegurar o recebimento da aposentadoria.
“Melhor do que tentar antecipar ou manter uma idade de aposentadoria ainda relativamente jovem na vida, e eu posso dizer isso com tranquilidade, a pessoa se aposentar aos 55 anos de idade ou até 60 anos está relativamente jovem, pela minha experiência de vida pessoal, eu posso dizer isso. Agora, é importante dizer que o que é crucial para todos é que todos tenham segurança de que vão receber a aposentadoria”, enfatizou.
Ao comentar o atual sistema de aposentadorias, Meirelles disse que “é injusto conceder privilégios a pequenos grupos”, citando o serviço público.
Déficit da Previdência
Na semana passada, ao participar de um evento em São Paulo com investidores, Michel Temer ressaltou que a proposta tem como objetivo sanar o déficit na Previdência que ele disse estar próximo de R$ 100 bilhões neste ano.
De acordo com o presidente, a previsão do governo é de que, para o ano que vem, o rombo previdenciário chegue a R$ 140 bilhões.
Pontos da reforma
Em outubro, o presidente da República afirmou que a reforma da Previdência vai propor o fim das diferenças entre o regime de previdência geral e o público. Atualmente, os funcionários do setor público e do setor privado são regidos por normas diferentes.
Além disso, o governo deverá propor idade mínima de 65 anos para a aposentadoria de homens e mulheres, tanto de servidores públicos quanto os da iniciativa privada. A nova regra valeria para os trabalhadores com menos de 50 anos.
Quem tem mais de 50 permaneceria na regra atual. Apenas teria que pagar um pedágio proporcional ao tempo que falta para a aposentadoria.
Mulheres e professores teriam um tratamento diferenciado. Pra eles, a idade de transição não seria de 50 anos, mas de 45 anos de idade. O tempo de contribuição só teria peso para o valor do benefício.

Rede pede ao STF afastamento de Renan da presidência do Senado

Por Mariana Oliveira, TV Globo, Brasília

O Partido Rede Sustentabilidade pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) nesta segunda-feira (5) uma liminar (decisão provisória) para que o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), seja afastado do cargo. Para a Rede, Renan Calheiros virou réu e não pode continuar na presidência do Senado em razão de estar na linha sucessória da Presidência da República.
A Rede quer que o ministro Marco Aurélio Mello, relator da ação que questiona se um réu pode estar na linha sucessória, conceda uma liminar e depois leve o caso para referendo do plenário.
"Com o recebimento da denúncia, passou a existir impedimento incontornável para a permanência do referido Senador na Presidência do Senado Federal, de acordo com a orientação já externada pela maioria dos ministros do STF", diz o partido.
Na semana passada, o plenário do Supremo decidiu, por oito votos a três, abrir ação penal e tornar Renan réu pelo crime de peculato (apropriação de verba pública). Segundo o STF, há indícios de que Renan fraudou recebimento de empréstimos de uma locadora de veículos para justificar movimentação financeira suficiente para pagar pensão à filha que obteve com a jornalista Mônica Veloso.
E também há indícios de que usou dinheiro da verba indenizatória que deveria ser usada no exercício do cargo de Senador para pagar a locadora, embora não haja nenhum indício de que o serviço foi realmente prestado.
Antes, em novembro, o Supremo começou a julgar ação apresentada pela Rede sobre se um réu pode estar na linha sucessória da Presidência. Para seis ministros, um parlamentar que é alvo de ação penal não pode ser presidente da Câmara ou presidente do Senado porque é inerente ao cargo deles eventualmente ter que assumir a Presidência. O julgamento não foi concluído porque o ministro Dias Toffoli pediu vista, ou seja, mais tempo para analisar o caso.
No novo pedido de liminar dentro da mesma ação, a Rede afirma que o pedido de vista do ministro Toffoli não impede Marco Aurélio Mello de analisar o pedido de liminar. E lembra que isso já aconteceu em outros casos, de um ministro pedir vista sobre um tema e outro conceder liminar sobre o mesmo tema.
Segundo o partido, o caso deve ser analisado com urgência porque não dará tempo de o STF analisar a questão antes do fim do mandato de Renan Calheiros.
"Se aproxima o recesso de final de ano no STF. Como se sabe, a Corte entrará em recesso no dia 20 de dezembro e só voltará a realizar sessões em fevereiro de 2017. Assim, ainda que o ministro Dias Toffoli solicite prontamente a inclusão do processo em pauta, apresentando seu voto, é altamente improvável que o julgamento da presente ADPF venha a ser finalizado antes do término do mandato do Senador Renan Calheiros, que se encerra em 1º de fevereiro de 2017", diz a peça.

Ministro do TCU e deputado são alvos da Lava Jato


Da Folha de São Paulo
O ministro do TCU (Tribunal de Contas da União) Vital do Rêgo e o ex-presidente da Câmara Marco Maia (PT-RS) são alvos de mandados de busca e apreensão da Lava Jato nesta segunda-feira (5) pela Polícia Federal. A operação foi batizada de Deflexão.
O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Teori Zavascki autorizou, no âmbito de um inquérito da Lava Jato, buscas em endereços pessoais, funcionais e empresariais do ministro do TCU e do deputado petista, que presidiu a Casa entre 2011 e 2012.
Segundo a PF, "o inquérito apura se parlamentares teriam solicitado a empresários contribuição financeira para que não fossem convocados a prestar depoimento na CPMI".
A nota diz ainda que os executivos afirmam ter repassado valores superiores a R$ 5 milhões a ambos para evitar retaliações e contribuir para campanhas eleitorais.
Apenas a mulher e filha de Maia estavam na casa da família, em Canoas (RS). De lá, foram levados documentos e computadores.
A investigação foi aberta em maio com base na delação premiada do senador cassado Delcídio do Amaral que cita o envolvimento de Rêgo e Maia na CPI da Petrobras.
Vital do Rêgo e Maia eram, respectivamente, presidente e relator da CPI mista da Petrobras e foram acusados por Delcídio de cobrança de "pedágio" na comissão para beneficiar empreiteiros e não convocá-los para depoimentos.
No pedido de abertura de inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, disse que os fatos narrados pelo senador cassado indicam crimes de concussão ou corrupção passiva.
Em setembro, o sócio da OAS Léo Pinheiro, que está preso, admitiu ao juiz Sergio Moro que pagou cerca de R$ 3,8 milhões para abafar as investigações da CPI da Petrobras, em 2014.
Os pagamentos, segundo o empreiteiro, foram feitos a Rêgo, Maia e ao ex-senador Gim Argello (ex-PTB), preso pela Lava Jato em abril.
Segundo o empreiteiro, Maia e Rêgo disseram que poderiam adiar requerimentos e controlar o calendário da investigação, além de impedir a convocação de determinados empreiteiros.
A PF cumpre mandados de busca e apreensão em Brasília, Porto Alegre, Canoas (RS), João Pessoa e Campina Grande (PB).

Descrença estimula “justiça com as mãos”, diz ministra

Um dia depois de manifestantes tomarem as ruas do País para defender as investigações da Operação Lava Jato, a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), ministra Cármen Lúcia, disse, hoje, esperar que a sociedade brasileira não deixe de acreditar no funcionamento das instituições.
Ao falar na abertura do 10º Encontro Nacional do Poder Judiciário, Cármen Lúcia destacou que o papel da Justiça é exatamente "pacificar", alertou para uma "intolerância" com a falta de eficiência do Poder Público e ressaltou que os juízes têm "deveres comuns" com a sociedade brasileira num momento de "extrema dificuldade".
"Nenhum servidor público de qualquer um dos Poderes existe se não pra cumprir uma finalidade constitucionalmente fixada para atender ao interesse público. Como não há paz sem justiça, o que se busca é exatamente que atuemos no sentido de uma pacificação num momento particularmente grave, porque aqui, como em outros lugares, nós somos servidores públicos diretamente responsáveis por resolver conflitos que estejam nos processos", disse Cármen Lúcia.
Ao citar a filósofa alemã Hannah Arendt (1906-1975), Cármen destacou que toda sociedade tem um momento em que se vê numa "encruzilhada". "Ou a sociedade acredita numa ideia de Justiça que vai ser atendida por uma estrutura estatal e partimos para um marco civilizatório específico. Ou a sociedade deixa de acreditar nas instituições e por isso mesmo opta pela vingança. Nós não esperamos que a sociedade em algum momento precise desacreditar (nas instituições), a tal ponto que resolva fazer justiça pelas próprias mãos, que é nada mais é que exercer a vingança, que é a negativa da civilização", frisou a ministra.
Intolerância
A presidente do STF e do CNJ também ressaltou que o Poder Judiciário tem "deveres comuns com a sociedade brasileira num momento de extrema dificuldade". "Há uma enorme intolerância com a falta de eficiência do Poder Público que nos leva a pensar como é que temos de agir para que a sociedade não desacredite no Estado, uma vez que o Estado democrático previsto constitucionalmente parece ser até aqui a nossa única opção. Ou é a democracia ou a guerra. E o papel da Justiça é exatamente pacificar", concluiu Cármen.

Bancada do PT sai em defesa de Marco Maia

Em nota divulgada na tarde desta segunda-feira, 5, a bancada do PT criticou a nova fase da Operação Lava Jato e o que chamou de "espetacularização desnecessária" da Polícia Federal no cumprimento de busca e apreensão na residência do deputado Marco Maia (PT-RS) no Rio Grande do Sul.
"Marco Maia sempre esteve à disposição para colaborar com as investigações iniciadas a partir da delação de um réu confesso, sem nenhum indício que justifique a exposição e o ataque à sua imagem, como ocorreu com a operação de hoje. Portanto, a bancada denuncia a forma e questiona o conteúdo jurídico e político da ação da Polícia Federal", diz a mensagem assinada pelo líder na Câmara, Afonso Florence (BA).
A nova fase da Lava Jato atingiu Maia, que é ex-presidente da Câmara, e o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Vital do Rêgo, que foi senador pelo PMDB. A operação foi autorizada pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, e faz parte das investigações da PF e da Procuradoria-Geral da República no inquérito que apura a atuação dos dois políticos para blindar empreiteiros na CPI Mista da Petrobras realizada em 2014. Maia foi relator dos trabalhos e Vital presidente da comissão.
Na nota, os petistas afirmam que durante sua atuação como relator da CPMI da Petrobras, Maia "comportou-se de forma transparente e todas as suas decisões foram públicas e aprovadas pelo colegiado da Comissão, inclusive o relatório final". A bancada ressalta que o ex-relator pediu o indiciamento de 53 pessoas, entre elas o ex-diretor da estatal, Nestor Cerveró, e recomendou a investigação de 20 empresas ao Cade por crime de cartel. "É bom lembrar que Cerveró era protegido à época pelo mesmo delator que hoje tenta acusar Maia, para escapar de sua responsabilidade", emenda a mensagem.
Em nome dos deputados petistas, Florence afirmou confiar em Marco Maia e disse esperar "que as investigações ocorram seguindo os princípios constitucionais e não sejam meramente operações seletivas e arbitrárias".
Maia está em Brasília e deve se pronunciar sobre a operação ainda nesta tarde, pelas redes sociais.

Deputado Dinaldinho tem desenvolvido intensa atividade nos últimos dias

Apesar do trabalho de montagem de sua equipe e providências para sua próxima posse como prefeito do município de Patos, o deputado Dinaldinho Wanderley não tem descurado de sua atividade parlamentar, que pretende exercer plenamente até a posse no Governo de sua terra. Na , ele tem participado ativamente dos debates e tem defendido matérias de interesse dos municípios de sua base política.
Destaque para as seguintes matérias de sua iniciativa aprovadas na sessão desta quinta-feira:
•        Concessão de título de cidadã paraibana para a Irmã Aparecida Graciele da Costa, diretora do Colégio Cristo Rei, em Patos, pelos relevantes serviços prestados à educação paraibana;
•        A inclusão do PATOS MOTOFEST nos eventos turísticos da Paraíba, tendo em vista a tradição da referida festa, como indutor de renda no município;
•        A denominação da Rodovia Patos-São José de Espinharas homenageando o saudoso deputado Múcio Sátyro, um dos grandes batalhadores pela pavimentação daquela estrada;
•        Um Projeto Resolução concedendo a Medalha de Honra ao Mérito ZILDA ARNS à Dra. Adriana Melo, cientista paraibana que foi responsável pela pesquisa que identificou a relação entre o zika-virus e o surto de microcefalia que acomete o Brasil;
•        Um requerimento ao Governo do Estado no sentido de construção um poço artesiano que suplemente o suprimento d’água ao Distrito patoense de Santa Gertrudes;
•        Com um segundo requerimento ele conseguiu que fosse determinada a realização de Audiência Pública para debater os problemas observados entre o DETRAN, empresas de registro de gravame, bancos financiadores e revendedores de automóveis, que vem trazendo inúmeros transtornos à população do nosso Estado, bem assim prejuízos ao setor automotivo estadual.
Todas as matérias tiveram a aprovação decisiva dos seus pares.
 Assessoria 

PF faz buscas nas casas de Vital do Rego Filho (Vitalzinho) e de ex-presidente da Câmara

A Polícia Federal (PF) cumpriu na manhã desta segunda-feira (5), com apoio da Procuradoria Geral da República (PGR), mandados de busca e apreensão nas casas do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) e ex-senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) e do deputado federal Marco Maia (PT-RS), ex-presidente da Câmara.
Os mandados de busca e apreensão para coleta de provas foram autorizados pelo ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF).
Os dois são suspeitos de terem cobrado propinas de fornecedores da Petrobras para blindá-los e impedir suas convocações na CPI mista do Congresso Nacional que, em 2014, investigava as suspeitas de irregularidades na estatal do petróleo. À época, Vital ainda ocupava uma cadeira no Senado e presidia a CPI da Petrobras. Já Marco Maia era o relator da comissão parlamentar.
Em maio, Teori havia autorizado a abertura de inquéritopara investigar o envolvimento dos dois na Lava Jato com base na delação premiada do senador cassado Delcídio do Amaral (sem partido-MS).
No pedido de abertura de inquérito, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, alegou que os fatos narrados por Delcídio indicam crimes de concussão ou corrupção passiva.

Almoço

Um dos delatores da Lava Jato, o executivo da Andrade Gutierrez Gustavo Xavier Barreto afirmou em depoimento à Polícia Federal que a blindagem aos empreiteiros foi discutida em um almoço na casa de familiares do ex-senador Gim Argello (PTB-DF), preso e condenado na Lava Jato sob acusação de cobrar propina para barrar a convocação de empresários na CPI da Petrobras.
Ainda de acordo com Barreto, Vital do Rêgo participou do almoço.
 Do G1

O "capitão do time" abandonado na prisão em Curitiba


Carlos Brickmann
Este colunista conheceu o jornalista Perseu Abramo nas redações. Jornalista meticuloso, atento aos detalhes, estudioso (formou-se também em Sociologia, fez mestrado), dono de excelente memória e texto esmerado. Nos tempos pré-Google, era a ele que se recorria para refrescar a memória. Era também a ele que se dirigia quem tinha dúvidas sobre grafia correta ou questões de gramática. O jornalista Gilberto di Pierro, Giba Um, até hoje, vinte anos após a morte de Perseu Abramo, ainda se queixa da falta que lhe fazem a cultura, a memória, a boa educação e a paciência do amigo ao elaborar sua coluna diária (www.gibaum.com.br).
E quem é que o PT coloca como presidente do Conselho Curador de sua Fundação Perseu Abramo? Sim: Dilma Vana Rousseff. Voltando a nosso poeta, "O voz zelosa que dobrada... brada".
A posse como presidente da Fundação Perseu Abramo foi o último compromisso de Dilma Rousseff no país. Em seguida, iria para Cuba com o ex-presidente Lula, para prestar as últimas homenagens a Fidel Castro. As cinzas de Castro partem de Santiago de Cuba (onde está o túmulo de Che Guevara, seu companheiro de revolução) e farão um circuito pelo país.
É uma bonita atitude de Lula e Dilma: mesmo enfrentando problemas, não esqueceram do amigo. Mas outro amigo, que fisicamente esteve muito mais próximo de ambos, que enfrenta a pior fase de sua vida, não mereceu a honra de uma visita dos amigos: é José Dirceu, que Lula chamava de "capitão do time", que chamou Dilma de "companheira de armas". Dirceu está preso desde 3 de agosto de 2015, condenado a mais de 20 anos de prisão e com processos ainda correndo. Apesar da pena pesada, Dirceu lembrou dos amigos e se recusou a fazer a delação premiada. O comando do PT, Lula e Dilma incluídos, o deixou abandonado na prisão de Curitiba.

Alvo das ruas, Renan se diz "sensível"


Josias de Souza
Principal alvo das manifestações de rua deste domingo, Renan Calheiros (PMDB-AL) divulgou uma nota (íntegra aqui). No texto, o presidente do Senado diz que elas “são legítimas”. Acrescenta que “devem ser respeitadas”.
Com os olhos voltados para o retrovisor, Renan anota: “Assim como fez em 2013, quando votou as 40 propostas contra a corrupção em menos de 20 dias, entre elas a que agrava o crime de corrupção e o caracteriza como hediondo, o Senado continua permeável e sensível às demandas sociais.”
Quer dizer: Renan se diz “sensível” ao ronco do asfalto, mas a sociedade é incapaz de perceber sua sensibilidade. E ele é incapaz de demonstrá-la. Transformado em réu pelo Supremo Tribunal Federal, continua presidindo o Senado como se fizesse um favor ao país.
De resto, reage a uma manistação que apoia a Lava Jato sem dizer o que fará com o seu projeto de lei sobre “abuso de autoridade”, um dos itens tóxicos da pauta de votações desta semana no Senado.
Renan finge não perceber. Mas ele se converteu num novo Eduardo Cunha. As ruas desejam vê-lo na cadeia.

Temer levou a Renan apelo da ministra Cármen Lúcia


Jorge Bastos Moreno - O Globo
O presidente Michel Temer recebeu no domingo passado um “apelo institucional” da presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Cármen Lúcia, para que transmitisse ao Poder Legislativo a solicitação de que não discutisse, nem votasse, o projeto que torna crime o abuso de autoridade de juízes e membros do Ministério Público, porque isso poderia gerar uma grave crise entre os Poderes, com consequências imprevisíveis. Temer procurou no mesmo dia o presidente do Senado, Renan Calheiros, que, no entanto, manteve-se irredutível.
— O senador Renan Calheiros e alguns parlamentares, aos quais transmiti esse apelo, apresentaram fortes argumentos para que a matéria não fosse retirada da pauta. Eu tinha dito a eles que endossava totalmente as preocupações da presidente Cármen Lúcia. Mas eles, em função de seus argumentos, mantiveram-se irredutíveis — disse o presidente ontem ao GLOBO.
Temer destacou que respeitou a decisão de Renan de ter prosseguido nas tentativas para votar a matéria.

domingo, 4 de dezembro de 2016

Movimentos deixam Temer em paz e pedem Fora Renan


MBL e Vem Pra Rua deixam Temer em paz e bradam "Fora, Renan!"
O Globo - Ilimar Franco
As organizações que foram às ruas pelo impeachment da ex-presidente Dilma decidiram dar uma trégua ao presidente Temer. Para justificar essa posição, para seus seguidores, o MBL chegou a publicar uma nota em sua página oficial no Facebook. Nela, faz uma avaliação positiva da gestão do peemedebista e afirma que não está construindo um caminho para defender o "Fora, Temer". O MBL e o Vem Pra Rua, grupo preferido pelo PSDB, adotaram como palavra de ordem: "Fora, Renan".
Hoje, juntamente com o S.O.S. Forças Armadas, que defende a volta dos militares ao poder, promovem protesto em defesa das 10 medidas contra a corrupção e pedindo a cabeça do presidente do Senado, Renan Calheiros. Nem mesmo o STF e seus ministros, como o relator da Lava-Jato, Teori Zavascki, são poupados. Numa ilustração da página do Vem Pra Rua (acima), o ministro é criticado pela não abertura de inquéritos contra Renan. O grupo manda um recado direto para Teori: "É indecente essa demora!". E há também ilustração em que se reivindica: "STF, chega de moleza!".
O MBL não fica atrás e, referindo-se ao ministro Dias Toffoli, publicou ilustração em que denuncia: "Decisão de Toffoli garante Renan na presidência do Senado". A organização reproduz texto publicado em um jornal eletrônico (acima).

Amigo de Lula é expulso de restaurante


O empresário Jonas Suassuna, amigão de Lula, foi expulso outro dia do restaurante Ettore, no Rio. Ele recebeu um bilhete de um cliente dizendo que faria um escândalo, se ele não deixasse o local. Suassuna foi embora na hora.
Já o executivo Paulo Cesena deixou a presidência da Odebrecht Transport. Em seu lugar, vai assumir Juliana Baiardi, filha de um dos acionistas. Sua missão é vender os ativos e ajudar a empresa-mãe a sair do atoleiro.
O ex-diretor da Petrobras, Renato Duque está próximo de fechar a sua delação, o que pode acontecer ainda neste ano. Tomara que os procuradores perguntem sobre a sua monumental coleção de arte. Tem até desenhos de Monet.  (Lauro Jardim - O Globo)

Recife: protestos a favor da Lava-Jato e contra corrupção


Manifestantes fazem ato a favor da Lava Jato e contra corrupção no Recife. Protesto foi convocado pelo movimento 'Vem Pra Rua'. Manifestação ocupa Avenida Boa Viagem, orla da capital.
 Do Portal G1 - PE
Manifestantes se reúnem na Avenida Boa Viagem, na Zona Sul do Recife, neste domingo (4), para um ato em apoio à operação Lava Jato e às 10 medidas contra a corrupção na forma como foram apresentadas pelo Ministério Público. A concentração aconteceu na altura da esquina com a Rua Padre Bernardino Pessoa desde às 10h (horário local), saindo em caminhada por volta das 12h.
O ato deste domingo foi convocado pelo movimento Vem Pra Rua. Segundo os organizadores, a estimativa era de aproximadamente 5 mil pessoas por volta das 11h30. A Polícia Militar não divulgou estimativa de participantes. Os manifestantes também protestam contra o “foro privilegiado e contra a criminalização dos juízes e procuradores”.
"A gente está protestando devido a velocidade que os fatos estão acontecendo. Estamos vendo que a classe política está querendo barrar a Lava Jato, então viemos aqui mostrar o nosso repúdio a essa forma corrupta de fazer política. O que vimos acontecer na , desvirtuaram as medidas apresentadas pelo Ministério Público. Elas praticamente se transformaram em dez medidas para proteger corruptos", aponta a porta-voz do movimento, Maria Dulce Sampaio.
O tráfego de veículos está interrompido na avenida na altura da Padaria Boa Viagem, devido às pessoas que participam do protesto e ocupam a via. No local, há faixas contra os presidentes da Câmara de Deputados e do Senado Federal, além de um boneco gigante fazendo referência ao juiz federal Sérgio Moro. A expectativa é que os manifestantes caminhem até o Segundo Jardim de Boa Viagem.

Chapecoense: Cléber Santana é velado no Recife

Desastre do Chapecoense
Capitão da Chape, Cléber Santana é velado na Ilha do Retiro.Sport Club do Recife abriu as portas para homenagem ao jogador. Família e admiradores de Santana acompanham o último adeus.
Do Portal G1 - PE
Depois do velório coletivo realizado na Arena Condá, no sábado (3), o último adeus de Cléber Santana acontece no Recife, neste domingo (4). Parentes, amigos e admiradores se reúnem na na sede social da Ilha do Retiro, do Sport Club, para se despedir do jogador, vítima do acidente áreo com a equipe da Chapecoense na Colômbia.
O corpo de Santana chegou ao Aeroporto Internacional dos Guararapes, na Zona Sul da capital, por volta das 10h. De lá, ele seguiu no carro da funerária até a sede do Sport, onde o jogador foi revelado nas categorias de base. O caixão fechado é coberto por uma bandeira da Chapecoense e outra do Sport.
Parentes e amigos próximos vestiram camisas brancas em homenagem a Santana, que tinha 36 anos e era capitão da Chapecoense. Nas costas, uma das blusas tem o número 88 do antigo capitão. Na frente, as outras trazem o rosto do jogador com o uniforme do time catarinense. O capitão do time deixou a mulher e dois filhos, um de 14 e outro de 11 anos

Plano de escape: soterrar STF com excesso de trabalho


Carlos Brickmann
A Odebrecht é organizadíssima, e a organização se estende ao ramo de pagamentos descentralizados. Há informações completas sobre o pixuleco, seus destinatários, entregador, receptor, local e horário da entrega.
Com assustadora frequência a entrega é fotografada ou filmada - a Odebrecht sabia com quem lidava.
Pois bem: se no pixuleco romântico para Renan já se sabia de tudo, com nomes e quantias, e o caso levou mais de nove anos para chegar à aceitação da denúncia, quanto tempo levará para processar o tsunami de documentos e chegar ao mesmo estágio?
Há gente imaginando até que se trate de uma estratégia da defesa da Odebrecht: fornecer todas as informações possíveis e soterrar o Supremo com o excesso de trabalho.

Planalto escapou, mas e irmão siamês do Congresso


Helena Chagas - Blog Os Divergentes
As manifestações deste domingo pelo Brasil afora não tiveram a dimensão dos protestos pré-impeachment, mas foram significativas, sobretudo em São Paulo. Desta vez, o Planalto escapou e o Congresso virou bola da vez, na figura do presidente do Senado, Renan Calheiros, e mais secundariamente do deputado Rodrigo Maia. Mas o governo Michel Temer continua na zona de risco e sabe disso.
O Planalto fez questão de deixar claro que respira aliviado e soltou nota em que declara respeito e toma distância dos protestos, afirmando que os “poderes da República” devem ouvi-los.   É uma recado para o Congresso, mas não é preciso ir muito longe para constatar que, na atual conjuntura, Executivo e Legislativo vivem num abraço inseparável de irmãos siameses.
Afinal, o Congresso que agora tenta aprovar leis supostamente contra a Lava Jato é o mesmo que botou Temer no Planalto, e os acusados de corrupção no parlamento são primos e irmãos dos que estão no governo. Ainda que Michel Temer, publicamente, recue aparentemente enojado diante de anistias e outras coisas mais, seus mais diletos assessores participam e têm interesse direto nessa reação para salvar a própria pele.
O Planalto, portanto, escapou por pouco, muito pouco. E pode entrar na linha de tiro caso Renan e o Senado não recuem na intenção de botar para votar já nesta terça-feira o projeto do Abuso de Autoridade.

Vice de Petrolina reúne-se com líderes políticos

Guilherme Coelho - foto reprodução internet
O vice-prefeito de Petrolina, Guilherme Coelho (PSDB), iniciou neste sábado (3) uma série de confraternizações com líderes políticos que eram ligados ao seu pai, o falecido ex-deputado federal Osvaldo Coelho (DEM).
Participaram do primeiro encontro a vice-prefeita eleita Luska Portela (DEM) e Ronaldo Rozendo, representando o prefeito eleito Miguel Coelho (PSB).
“Tenho uma história com cada um dos presentes aqui. Seja no período em que fui prefeito, ou mesmo nas últimas campanhas, estamos todos unidos pelo desejo de fazer Petrolina crescer”, declarou o vice-prefeito, que nas últimas eleições distanciou-se do prefeito Júlio Lossio (PMDB) e apoiou a candidatura do seu primo, Miguel Coelho.
Foi a segunda vez nos últimos 30 anos que a família Coelho se uniu em torno de um mesmo candidato.
Em 2002, quando o então governador Jarbas Vasconcelos (PMDB) concorreu à reeleição, todos decidiram apoiá-lo, mas em palanques diferentes.
O então prefeito Fernando Bezerra Coelho, que à época pertencia ao PPS, participou de um comício pró Jarbas, mas sem a presença do tio, Osvaldo, que participou de outro sem a presença do sobrinho.
Agora em 2016, todos se uniram para eleger o deputado Miguel Coelho, filho do senador Fernando Bezerra (PSB), para a prefeitura de Petrolina.

Ângelo Ferreira vai governar Sertânia pela terceira vez



041216-divulgacao
O deputado estadual Ângelo Ferreira (PSB) foi diplomado prefeito eleito de Sertânia pela terceira vez na última sexta-feira, à noite. Ele derrotou por 1.752 votos de diferença o atual prefeito Guga Lins (PSDB), que concorreu à reeleição.
Também foram diplomados na mesma ocasião o vice-prefeito eleito Toinho Almeida e os 13 novos vereadores. A diplomação aconteceu na sede da Câmara Municipal.
Ângelo Ferreira é filho do ex-prefeito Arlindo Ferreira e casado com a ex-prefeita Cleide Ferreira. Ele cumpre atualmente o terceiro mandato de deputado estadual.
O retorno à prefeitura foi uma exigência do partido a que pertence para dar suporte à campanha do governador Paulo Câmara à reeleição em 2018.