terça-feira, 22 de julho de 2014

José Jorge levará amanhã para julgamento a compra da Refinaria de Pasadena


Agência Brasil - ABr - Empresa Brasil de Comunicação - EBC


O ministro pernambucano José Jorge vai levar amanhã (23) para julgamento no TCU o processo, do qual é relator, que investigou a compra, pela Petrobras, da Refinaria de Pasadena (EUA) no ano de 2007 e que teria dado um prejuízo milionário à estatal.
O TCU levou cerca de dois anos apurando os fatos a pedido do Ministério Público Federal.
No entanto, os seus técnicos estão divididos entre responsabilizar ou não a presidente Dilma Rousseff, pelo prejuízo que a compra causou à Petrobras, pelo fato de, à época do negócio, ela se encontrar na presidência do Conselho de Administração da estatal.

‘Mal-estar’ no País dá novas chances à oposição, diz FHC

Por:
fhc
Fernando Henrique Cardoso. Foto: Reprodução
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse, em entrevista ao jornal chileno La Tercera, que a atual situação econômica do Brasil “dá novas e melhores oportunidades para a oposição”, referindo-se às eleições de outubro. Ele mencionou como “oportunidades” o aumento da inflação, a piora das contas externas e das contas públicas e perda de confiança dos agentes econômicos no governo. “O povo sente um mal-estar palpável em sua vida cotidiana.”
De acordo com FHC, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) beneficiou-se das linhas macroeconômicas criadas na gestão tucana e do alto preço das commodities, alavancadas pela demanda chinesa. Depois da crise de 2008, prosseguiu ele, a economia já não podia mais crescer de forma sustentável puxada pelo consumo. “Dilma tentou estimular a inversão afrouxando a política fiscal, forçando a queda da taxa de juros e concedendo incentivos seletivos a alguns setores”, mas a “colheita” dessa nova política ‘foi paupérrima”.
FHC disse ainda ao jornal chileno que há um “mal-estar difuso” na sociedade brasileira e que é um erro crer que isso se deva apenas aos meios de comunicação ou à “elite branca”.
Ele vê uma “insatisfação ampla e crescente” devido à inflação, ao baixo crescimento e à baixa qualidade de educação e saúde. Nos grandes centros urbanos, prosseguiu, “as taxas de criminalidade são elevadas e o transporte público é caro”. Assim, ele acredita que, na campanha eleitoral, o candidato tucano Aécio Neves terá tempo suficiente para ser competitivo e levar as eleições ao segundo turno. (Agência Estado

Peemedebistas às escondidas: ''Dilma não se reelege''




Deu hoje na coluna de Denise Rothenburg, no Correio Braziliense:
''Em conversas reservadas e longe da vista do vice-presidente da República, Michel Temer, os peemedebistas têm dito que duvidam da reeleição de Dilma Rousseff. Se isso ocorrer, será mais uma da série ''nunca antes na história desse país alguém com uma rejeição tão alta chegou à Presidência da República''. Daí, os fortes movimentos em direção a Aécio Neves.
Perguntei dia desses a um peemedebista o que ele estava achando da campanha presidencial. A resposta: ''Quando Romero Jucá pula a cerca, é porque está difícil'', disse, referindo-se ao ex-líder do governo.
Petistas de vários estados têm telefonado pedindo a presença de Lula nas campanhas. Quanto à presidente Dilma, os pedidos mais efusivos vêm do Norte e do Nordeste. Nas demais regiões, vale aquela máxima atribuída aos cariocas, que costumam dizer ''passa lá em casa'' , mas não dão o endereço.''

Cássio contesta inelegibilidade e diz que não entraria em uma aventura eleitoral

 Uma semana após o Ministério Público Eleitoral pedir a impugnação da candidatura, de Cássio Cunha Lima (PSDB), candidato ao governo do Estado, nas eleições deste ano, o tucano voltou a se manifestar sobre o assunto, reafirmando que está elegível. Em entrevista concedida a imprensa paraibana ele garantiu que não entraria numa aventura simplesmente por ser candidato e que já pagou a sua pena.

“Eu estou com cinqüenta e um anos de idade. Tenho um mandato de senador atualmente e se estivesse a consciência que estava inelegível, eu continuaria no senado cumprindo meu mandato”, disse.

Tentando explicar porque está elegível, Cássio disse que a contagem é muito simples e é feita a partir da data da eleição que foi disputada para a eleição presente. Ou seja, de 2016 para 2014, são oito ano e no dia 1º de outubro terá completado os anos da inelegibilidade.

“Eu não quero simplesmente retomar um mandato que foi interrompido. Não é este o meu objetivo. Eu quero fazer algo novo, diferente, fazer um governo muito mais planejado”, avaliou.

Voltando no tempo e relembrando a perda do mandato, ele disse que foi cassado de governador, não foi por corrupção ou por malversação do dinheiro público. Segundo ele, a Justiça Eleitoral entendeu de forma equivocada, que um programa social, que fora suspenso no período eleitoral, teve influência no resultado das eleições de 2006.

Ele enfatizou que o Programa da FAC à época era semelhante ao Bolsa Família, o qual tinha critérios e que nunca havia entregado cheques à famílias, mas a Justiça entendeu que o programa foi decisivo para a sua vitória.

“Eu vou morrer discordando dessa decisão. A Paraíba havia me escolhido governador em quatro oportunidades. Nos dois turnos de dois mil e dois, em dois mil e seis pela vontade livre e soberana do povo paraibano. Portanto, eu não perdi o mandato por ter colocado dinheiro no bolso e nem na cueca, mas sim por ter ajudado a quem mais precisa”, ressaltou.

O senador explicou ainda que por conta da cassação foi punido por três anos de inelegibilidade, que foi cumprida e que por só este argumento já garante o direito de disputa. Ele informou também que ainda que queiram aplicar os oito anos previstos na nova legislação, ele teria cumprindo também o prazo da inelegibilidade.

Redação

Apesar de sua origem, a candidatura de Eduardo Campos (PSB) ainda não engrenou no Nordeste. Levantamento feito pelo jornal Estado de S. Paulo mostra que Campos, embora seja oriundo e tenha construído carreira política em Pernambuco, acumula maus resultados e corre bem atrás de Dilma Rousseff (PT) na região.

Eduardo Campos não decola e oscila entre 8 e 10% nas pesquisas

Dilma passará três dias em Pernambuco em companhia do ex-presidente Lula em agosto, segundo confirmou, ontem, um petista que transita fácil na cúpula nacional. Ao lado de Armando e João Paulo fará atos na Região Metropolitana, no Agreste e no Sertão. O roteiro ainda não está fechado.


segunda-feira, 21 de julho de 2014

'Fracasso de Dilma une PSDB e oposição'

 O candidato a vice na chapa do presidenciável Aécio Neves (PSDB), o senador tucano Aloysio Nunes Ferreira, vê nas críticas a presidente Dilma Rousseff como o fator que ajudou a unir seu partido.
“Essa sensação de “não aguento mais” foi crescendo em relação ao governo Dilma e, aliada a um cansaço em relação ao PT, serviu para unir e motivar o PSDB.  O fracasso do governo Dilma uniu e motivou o PSDB e nossos aliados. Uniu e motivou a oposição como um todo. De outro lado, desagregou a sustentação política do governo, que se reflete na votação apertada da convenção do PMDB pela coligação com o PT”, disse em entrevista à revista Época.
Quanto à chapa do PSDB à Presidência, ele lamenta que o ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD) tenha seguido outro caminho em São Paulo. “José Serra está muito motivado para fazer uma campanha integrada com Alckmin e Aécio – mas, de fato, dividirá votos com Kassab. Uma pena”, disse.
 

Dilma vem a Pernabuco reforçar palanque de Armando Monteiro



 O comando da campanha da presidente Dilma decidiu que ela começará a percorrer o país pelos estados com palanque único, com Armando Monteiro, em Pernambuco, e Fernando Pimentel. em Minas Gerais. Nos estados com vários candidatos da base ela vai esperar a definição do quadro eleitoral. O Rio é um dos estados que deve ficar para depois. As informações são de Ilimar Franco, na coluna do jornal O Globo deste domingo.
Segundo ainda o colunista, o candidato tucano Aécio Neves pretende ir a todos os estados. Ela vai dar a largada percorrendo os menores, como Acre, Amapá e Roraima. Pois, se deixar para a reta final, a necessidade política poderá excluí-los da agenda.

O candidato do PSDB ao Planalto, Aécio Neves, vai dar início, hoje, a campanha. Num ato simbólico, ele fará uma visita ao Santuário de Nossa Senhora da Piedade, em Caeté (MG). Foi nessa igreja, em 1984, que seu avô, Tancredo Neves, começou caminhada que o levou, no ano seguinte, a eleger-se à Presidência. A segunda etapa será uma peregrinação pelo Nordeste.


domingo, 20 de julho de 2014

Osvaldo e Guilherme Coelho apresentam sugestões para o plano de governo de Aécio Neves


Osvaldo Coelho e Aécio Neves - Foto_George Gianni
O ex-deputado Osvaldo Coelho (DEM) e seu filho, Guilherme (PSDB), vice-prefeito de Petrolina, apresentaram em Brasília nesta quinta-feira (17) uma série de sugestões para o programa de governo do candidato a presidente Aécio Neves (PSDB).
Intitulado “Planejamento político: Desenvolvendo o Semiárido”, o documento contém uma série de propostas visando ao desenvolvimento do semiárido nordestino.
A principal proposta da dupla é a construção do “Canal do Sertão” para levar água do rio São Francisco para 17 municípios daquela região.
Além de ser usada para consumo humano, dizem os dois políticos, a água servirá para irrigação de 144 mil hectares de terra no vale do São Francisco e no sertão do Araripe.
“Petrolina é um modelo para o mundo. O que precisamos fazer agora é expandir o sucesso da irrigação para outras áreas no semiárido”, disse o senador Aécio Neves.
Osvaldo é um crítico dos governos petistas porque não fizeram em sete anos e seis meses sequer um palmo de irrigação no sertão pernambucano.

sábado, 19 de julho de 2014

Aécio comemora: ''2º turno cada vez mais próximo''



:
O candidato do PSDB à Presidência da República, Aécio Neves, comemorou os números da pesquisa Datafolha apresentados, no Jornal Nacional. 'Segundo turno cada vez mais próximo. É hora de aprofundarmos a discussão das nossas propostas', postou no Twitter.
A mostra aponta o senador com 20% das intenções de voto – mesmo percentual do que na última pesquisa, há duas semanas – contra 36% da presidente Dilma Rousseff, dois a menos do que no levantamento anterior. O candidato do PSB, Eduardo Campos, registrou 8%, um ponto a mais.
'É mais uma pesquisa que aponta na direção de que teremos segundo turno. Quanto mais ando pelo Brasil me convenço de que o sentimento de mudança prevalecerá. É hora de trabalharmos e apresentarmos nossas propostas para que os brasileiros tomem a melhor decisão', declarou Aécio Neves.
Texto publicado no site do PSDB comentando a pesquisa destaca o empate técnico entre Aécio e Dilma caso a eleição vá para o segundo turno e diz que 'o resultado consolida a tendência de crescimento de Aécio nas últimas pesquisas'.   Portal BR 247

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Advogado de Cássio frustra adversários

Advogado de Cássio frustra adversários: “Desta vez eleição será decidida no voto e não no tapetão”

O advogado Fábio Andrade, integrante do grupo de advogados que cuidam das ações de impugnação da candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB) ao governo do estado, destacou que a defesa está preparando suas argumentações para rebater as denúncias apresentadas nas impugnações.

Segundo ele, até a próxima semana, a defesa vai apresentar os documentos e está confiante de que o senador Cássio poderá concorrer ao governo.

Indagado sobre os pedidos de impugnação os argumentos apresentados pelos acusadores são: falta de quitação eleitoral e prazo de elegibilidade, após cassação.

Para isso a defesa vai apresentar a certidão de quitação eleitoral que consta no TSE- Tribunal Superior Eleitoral e que foi colocado como anexo no dia do registro de candidatura e ainda vai argumentar que mesmo o prazo de punição para Cássio fosse de 8 anos ele teria cumprido a  inelegibilidade, estando em 2014 elegível.

"Não há qualquer dúvida de elegibilidade. Não existe uma nova eleição no segundo turno, apenas uma necessidade de nova votação. Nossa confiança é total e não haverá problema para oficializar a candidatura de Cássio ao Governo. Desta vez a eleição será decidida no voto, e não no tapetão, para que assim o povo possa decidir nas urnas", sentenciou.

As informações foram divulgadas em entrevista à rádio CBN, em entrevista nesta sexta-feira (18).

PB Agora

Marília Arraes: “Não tenho medo de cara feia”

 A vereadora do Recife Marília Arraes (PSB) disse não ter medo de eventual retaliação do partido por ter anunciado apoio ao senador Armando Monteiro Neto (PTB), candidato ao Governo do Estado, pela coligação Pernambuco Vai Mais Longe. “Não tenho medo de cara feia”, disse a parlamentar, se “o partido tomar atitude ditatorial de me tirar…”. Segundo a pessebista, as suas críticas são direcionadas à condução do processo de escolha do candidato, além da falta de diálogo dentro da legenda. As declarações foram dadas durante coletiva para a imprensa, na manhã desta sexta-feira (18), em um hotel no Pina.

Em entrevista, ela disse que acredita que o melhor projeto é o de Armando e que ela está no mesmo projeto que sempre esteve. A pessebista também criticou a escolha “biônica” do candidato da Frente Popular e negou que a sua opção tenha sido em função de interesse contrariado. Ela disse também não saber como vai se explicar à população que o petebista não é continuidade.

Além de Armando Monteiro Neto (PTB) e João Paulo (PT), Marília Arraes declarou apoio a Dilson Peixoto (PT) para deputado federal e à presidente Dilma Rousseff (PT), que busca a reeleição em 2014.
 Folha de Pernambuco

Empate técnico Dilma x Aécio no 2º turno



Pesquisa Datafolha divulgada ontem pela TV Globo mostra que a presidente Dilma Rousseff (PT) ainda lidera a disputa com 36% das intenções de voto contra 20% de Aécio Neves (PSDB), mas, pela primeira vez, a diferença dela para o tucano no segundo turno caiu para apenas quatro pontos percentuais, a mais baixa do levantamento feito pelo instituto, configurando empate técnico, já que a pesquisa tem margem de erro de 2 pontos para mais ou para menos.
Se a eleição do segundo turno fosse hoje entre Dilma e Aécio, a petista teria 44% dos votos e o tucano teria 40%. Na pesquisa anterior sobre o segundo turno, realizada nos dias 1 e 2 de julho, Dilma tinha 46% contra 39% de Aécio, com uma diferença de sete pontos. Na disputa de Dilma com Eduardo Campos (PSB), a presidente teria agora 45% contra 38% do ex-governador de Pernambuco. Na pesquisa anterior, Dilma tinha 48% e Campos, 35%.  O Globo

Armando sai na frente com 40% e Câmara tem 8%




Primeira pesquisa do Instituto Opinião, de Campina Grande, sobre a sucessão estadual, com exclusividade para este blog, aponta o candidato do PTB a governador, Armando Monteiro Neto, na dianteira com 40,5% das intenções de voto, enquanto o candidato do PSB, Paulo Câmara, aparece com 8,4%.
O candidato do PSOL, Zé Gomes, tem 2,5%, Jair Pedro (PSTU) 1,6%, Miguel Anacleto (PCB) 1,1% e Pantaleão (PCO) 0.9%. Brancos e nulos somam 17,3% e 27,7% disseram que estão indecisos.
O levantamento foi a campo entre os dias 9, 10, 11 e 12 deste mês em 80 municípios do Estado, sendo aplicados dos mil questionários. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos sobre os resultados encontrados no total da amostra feita em todas as regiões do Estado.
A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-00222/214 e no Tribunal Regional Eleitoral no PE-00009/2014. Armando lidera com folga em todas as regiões do Estado, sendo seu maior percentual no Agreste, onde aparece com 47,6% contra 7,1% de Câmara. Na Região Metropolitana, o trabalhista tem 36% contra 8,5% do socialista.
Já na Zona da Mata, Armando desponta com 47,6% contra 7,1% do adversário, no Vale do São Francisco tem 31,3% contra 10,4% de Câmara, enquanto que no Sertão aparece com 44,2% contra 13,3%. Na estratificação social da pesquisa, os maiores percentuais de Armando estão entre os eleitores com renda entre um e três salários (43,7%).
Vem em seguida os eleitores na faixa etária acima de 60 anos (43%), os eleitores com grau de instrução no ensino médio (43,3%) e entre os eleitores do sexo masculino (44,5%). Os menores percentuais do trabalhista se situam entre os eleitores com grau de instrução até a 4ª série (32,7%), os jovens (37,1%) e entre os eleitores com renda familiar até um salário mínimo (36,5%).
Já Paulo Câmara tem seus maiores percentuais de intenção de voto entre os eleitores com renda familiar acima de 10 salários (15,1%), entre os eleitores com grau de instrução superior (11,9%) e entre os eleitores na faixa etária de 16 a 24 anos (12,5%). Quanto ao sexo, Câmara tem 11% dos eleitores masculinos e 6,1% dos femininos.
Seus menores percentuais aparecem entre os eleitores com grau de instrução entre a 5ª e a 8ª séries (5,8%), entre os eleitores com renda familiar até um salário mínimo (6,4%) e entre os eleitores na faixa etária entre 25 e 34 anos (6,5%).
METODOLOGIA - A modalidade adotada é a técnica de Survey, que consiste na aplicação de questionários estruturados e padronizados a uma amostra representativa do universo de investigação. Foram aplicados dois mil questionários em 80 municípios do Estado distribuídos nas regiões do Agreste, Zona da Mata, Região Metropolitana, São Francisco e Sertão.

   Por Magno Martins

Conforme era previsto, a pesquisa do Instituto Opinião apontou a fragilidade do candidato a senador da Frente Popular, Fernando Bezerra Coelho, na Região Metropolitana. João Paulo, o candidato de Armando, tem cinco vezes mais o percentual de FBC – 48,4% contra 9,5%. O ex-ministro tem que rever a sua estratégia e fazer uma espécie de esforço concentrado no Grande Recife.


Armando Monteiro em céu de brigadeiro

Magno Martins 
Contratada com exclusividade por este blog, a primeira pesquisa do Instituto Opinião, com sede em Campina Grande (PB), mostra um cenário no qual o candidato do PSB, Paulo Câmara, em campanha desde abril, ainda não decolou.
A diferença de 32 pontos em favor de Armando Neto, candidato do bloco da oposição, é muito grande, hoje, e só tende a ser reduzida quando começar o guia eleitoral, em agosto.
O levantamento mostra que Câmara ainda é um ilustre desconhecido e que não há vinculação com o seu padrinho, o ex-governador Eduardo Campos.
Quando isto ocorrer, com a chegada da propaganda eleitoral no rádio e na televisão, o socialista tende a crescer, conforme mostra a parte da pesquisa na qual se avalia o peso e a influência dos dois principais cabos eleitorais no Estado – o próprio Eduardo e o ex-presidente Lula.
Lula tem potencial para influenciar até 43% dos eleitores, enquanto Eduardo chega a 38%, conforme o leitor pode comprovar no terceiro texto sobre o resultado da pesquisa. É aí onde residem todas as apostas de Câmara, do ex-governador e de todas as lideranças da Frente Popular.
Há muito mais tempo em campanha e, portanto, com uma visibilidade bem maior, Armando larga numa posição bastante confortável, liderando em todas as regiões do Estado, diferente do cenário de senador.
Mesmo tão conhecido quanto Fernando Bezerra, o ex-prefeito João Paulo, candidato a senador na chapa de Armando, perde para FBC no Sertão do São Francisco e no Alto Sertão, regiões em que a cara do ex-prefeito recifense é pouco ou quase nada familiar.
A pesquisa do Opinião, a primeira de uma série que o blog fará até o dia das eleições, é muito ampla, abrangendo 80 municípios e ouvindo duas mil pessoas. É o verdadeiro termômetro da realidade do cenário desta fase preliminar da campanha no Estado.

A Federação Nacional dos Médicos (Fenam) e a Associação Médica Brasileira (AMB) comunicaram ao presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG) que apoiarão a oposição na disputa pela Presidência contra Dilma Rousseff. Em reunião na quarta (16), o presidente da Fenam, Geraldo Ferreira, garantiu ao tucano que a maior parte dos médicos trabalhará por sua eleição.


quinta-feira, 17 de julho de 2014

PSDB disputa 12 governos estaduais com candidato próprio


O PSDB terá 12 candidatos próprios a governador nas eleições deste ano, além de oito candidatos a vice e oito candidatos ao Senado.
O partido tentará repetir o que ocorreu em 2010, quando foi a única legenda a eleger governadores nas cinco regiões do Brasil: Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste.
No Centro Oeste, o PSDB terá três candidatos na disputa pelo governo. Os deputados federais Reinaldo Azambuja e Luiz Pitiman concorrerão, respectivamente, no Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal, enquanto Marconi Perillo buscará a reeleição em Goiás.
Para o Senado na região, o partido indicou o nome da presidente licenciada do PSDB-Mulher do Distrito Federal, Sandra Quezado.
No Nordeste, são candidatos a governador o senador Cássio Cunha Lima (Paraíba) e Eduardo Tavares (Alagoas).
O ex-governador Tasso Jereissati é o candidato ao Senado no Ceará e Eduardo Magalhães disputará o cargo em Alagoas.
Para vice-governador, o PSDB terá seis representantes na região: Augusto Franco Neto (SE), Carlos Brandão (MA), Gilvan Barros (AL), Joaci Góes (BA), Ruy Carneiro (PB) e Silvio Mendes (PI).
O baiano Joaci Góes, ex-deputado federal, será o vice em uma chapa que conta com Paulo Souto (DEM) ao governo e Geddel Vieira Lima (PMDB) ao Senado.
Na região Norte, o PSDB terá três candidatos a governador: Acre (deputado federal Márcio Bittar), Rondônia (ex-senador Expedito Júnior) e Pará (governador Simão Jatene, que tentará a reeleição).
O senador Mário Couto (PA) buscará a reeleição no Pará e o ex-governador José de Anchieta Junior concorrerá ao Senado por Roraima.
No Sudeste, Pimenta da Veiga, em Minas Gerais, e Geraldo Alckmin, em São Paulo, são os dois tucanos na disputa pelo governo estadual na região mais populosa do Brasil.
Os ex-governadores José Serra (SP) e Antonio Anastasia (MG) serão os representantes do partido na disputa pelo Senado.
Ainda no Sudeste, o deputado federal César Colnago é candidato a vice-governador no Espírito Santo.
No Sul, o senador Paulo Bauer concorrerá ao governo de Santa Catarina e Beto Richa disputará a reeleição no Paraná.
Também no Paraná, o vice-líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias, tentará a reeleição.

Douglas Cintra assume cadeira no Senado

Márcio Didier

(Agência Senado)
Com o afastamento do senador Armando Monteiro (PTB-PE) do Congresso para disputar o governo de Pernambuco nas eleições de outubro, tomou posse nesta quinta-feira (17) o primeiro suplente Douglas Cintra, também do PTB. Em Plenário, ele assinou o termo de posse e fez o juramento previsto no Regimento Interno.
Natural de Caruaru (PE), Douglas Maurício Ramos Cintra nasceu em 16 de março de 1966 e é empresário do ramo de supermercados e atacados.
Eleito em 2010, Armando Monteiro, ex-presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), tem mandato no Senado até 31 de janeiro de 2019.