quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Agora é o Brasil ou o PT, você escolhe!!!


Governo Dilma !!!


Caça a Lula

Do El País - Juan Arias
É preciso se perguntar quem são os caçadores que têm pressa em capturar a fera
Não restam dúvidas de que a caça a Lula começou no Brasil, ao mesmo tempo em que é organizado um exército de defensores e até mesmo de aduladores do popular político que poderá acabar de vez com ele ao invés de ajudá-lo a sair de seu atoleiro.
Quem são os verdadeiros caçadores daquele que foi considerado o Moisés que tirou milhares de pessoas da escravidão da pobreza? Não estaremos diante de uma ilusão?
Lula, o primeiro Presidente da República sem formação e que representava a classe trabalhadora, se transformou no político mais popular, admirado e amado não só no Brasil, mas em meio mundo.

Ronaldo Caiado


Contracheques gordos às custas da Petrobras

Ricardo Boechat - ISTOÉ
Este mês, três engenheiros da Petrobras conseguiram engordar seus contracheques por uma decisão judicial.
Para os ministros do TST, eles criaram, de fato, a tecnologia para exploração de petróleo em águas profundas, tendo direito à metade do ganho da estatal com a mesma.
Os outros 50% são da Petrobras, dona da patente.
A decisão retroage a 1999 e vale por 20 anos.
A estatal alegou que a descoberta fazia parte do trabalho do trio. A defesa provou que eles foram contratados para outra finalidade.

VOCÊ TEM QUE IR PARA RUAS NO DIA 13 MARÇO


Escândalo da Petrobras eleito o 2º maior no mundo

De O Globo
Votação da ONG Transparência Internacional teve participação de 4,5 milhões de pessoas
O escândalo da Petrobras foi eleito o segundo maior caso de corrupção no mundo em votação popular da ONG Transparência Internacional. Com 11.900 votos, a petroleira só ficou atrás do ex-presidente ucraniano Viktor Yanukovych, que recebeu 13.210 votos pelo suposto desvio milionário de recursos para sua conta privada. A ONG, com sede na Alemanha, faz relatórios anuais com índices de percepção de corrupção. No último, o Brasil apareceu na 76ª posição entre 168 países.
A lista faz parte da campanha “Desmascare os Corruptos”, da Transparência Internacional. A campanha começou em outubro e teve a participação de mais de 4,5 milhões de pessoas que indicaram casos de corrupção ao redor do mundo.
O escândalo na estatal brasileira supera outros sete casos de grande repercussão. Entre eles, o da Fifa (1.844 votos), com 81 casos de lavagem de dinheiro comprovados, e o do ex-presidente do Panamá Ricardo Martinelli (10.166), que teria desviado US$ 100 milhões do dinheiro público.

Você apóia o presidente da Argentina, Mauricio Macri?


Crise, eleições e o futuro de Dilma

  Ano de eleições, 2016 começa de fato na próxima segunda-feira num cenário de tremendas incertezas no plano nacional. Interrompida pelo recesso do Congresso e as férias de janeiro, a crise da Lava jato, o maior escândalo dos últimos 30 anos, responsável pela quebradeira na Petrobras, terá duros reflexos na disputa municipal. O futuro de Dilma e do seu Governo ainda é de incertezas.
Embora o Supremo Tribunal Federal tenha amortecido o processo de impeachment, tirando poderes da Câmara dos Deputados e transferindo-os para o Senado, onde o Governo tem maior poder de controle, a certeza de que acabará o seu mandato ainda é uma grande incógnita para Dilma. Mais complicado está o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ).
Este deve ser cassado. Já o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), denunciado também na operação Lava Jato, está se complicando. Dilma tentou criar uma agenda positiva nos últimos 60 dias, mas não conseguiu superar a crise nem tampouco evitar que o Tribunal Superior Eleitoral avance em outro processo de cassação do seu mandato por contas de campanha mal-assombradas.
Na denúncia que apresentou ao TSE, o PSDB diz que a chapa que a elegeu deve ser impugnada porque a campanha da então candidata recebeu dinheiro de propina da Petrobras, omitiu a divulgação de dados para facilitar a sua reeleição e usou cadeia nacional de rádio e televisão para se promover — práticas, todas elas, vedadas pela Lei Eleitoral.
João Otávio de Noronha, relator do caso no TSE, pediu que o STF compartilhe as provas que estão naquele Tribunal, especialmente as apresentadas por Ricardo Pessoa, dono da UTC, que diz ter repassado à campanha da petista R$ 7,5 milhões depois de pressionado por Edinho Silva, então tesoureiro e hoje ministro da Comunicação Social. A doação está registrada na Justiça Eleitoral.
Um tribunal eleitoral não cassa um mandato sem a prova inequívoca. Se as provas forem consistentes, ela não cai só. Temer dança junto. Se isso acontecer, marcam-se novas eleições num prazo de 90 dias. Se ocorrer nos dois anos seguintes, o Congresso elege presidente e vice em 30 dias. Em qualquer dos dois casos, completa-se o que falta do mandato e se realizam eleições em 2018.

GRUPO DE APOIO AO DR SÉRGIO MORO- JUIZ DA OPERAÇÃO "LAVA JATO"


A Paraíba que dorme nas ruas

O agravamento da crise nacional atingiu em cheio o Nordeste. A recessão, que provoca desemprego e fome, está levando muita gente a mendigar, a adotar as ruas como seu habitat. A Paraíba, especialmente João Pessoa, a capital, onde passei o Carnaval e constatei isso sem nenhum esforço, andando nas ruas como um turista comum, exibe cruelmente o retrato deste quadro.
Há dois anos, quando estive em João Pessoa, não vi tanta gente dormindo nas ruas, esmolando e abandonada quanto constatei agora. O Governo Federal não tem divulgado os números oficiais das desigualdades sócias no País. O último é de 2013, apontando que, após uma década de queda na miséria, o número de brasileiros em condição de extrema pobreza voltou a subir.
O País tinha 10,08 milhões de miseráveis em 2012 contra 10,45 milhões um ano depois, segundo dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). O aumento é de 3,7%. O cálculo leva em conta o número de indivíduos extremamente pobres com base nas necessidades calóricas – aquelas com renda insuficiente para consumir uma cesta de alimentos com o mínimo de calorias para suprir uma pessoa de forma adequada, com base em recomendações da FAO e da OMS.
A conta estima diferentes valores para 24 regiões do País. Pesquisei que o programa Bolsa Família, que integra as ações do 'Brasil Sem Miséria', identificou, entre junho de 2001 a junho de 2014, 31.507 famílias em situação de extrema pobreza na Paraíba, incluídas no Cadastro Único e no Bolsa Família.
O Governo faz uma grande propaganda sobre redução de miséria no Nordeste. No caso da Paraíba, informa que desde o lançamento do programa Brasil sem Miséria, 980.821 pessoas saíram da extrema pobreza no Estado. Na prática, a situação é bem diferente. Ontem, quarta-feira de cinzas, o que encontrei no principal cartão postal de João Pessoa, o calçadão que liga as praias de Tambaú e Cabo Branco, foi digno de um filme de terror.
Homens, mulheres e crianças dormindo no chão ao lado de barracas armadas na orla ou em marquises e até em prédios públicos. São moradores de rua? Em boa parte, sim. Mas, entrevistando alguns deles, constatei também gente que perdeu emprego, que não consegue fazer mais sequer um bico, para tirar uns trocados e enganar a fome. “Perdi meu emprego, era ajudante de pedreiro, a firma quebrou e eu vim parar aqui”, disse José Alves Pereira, 41 anos, encontrado dormindo por cima de um papelão, a sua cama.
Na medida em que avançava na direção de Tambaú a Cabo Branco encontrava mais gente dormindo ao relento sem chamar a menor atenção dos ricos e abastados que faziam ali, logo cedo, a sua caminhada. Certamente, perderam a sensibilidade e a indignação. Encontrei idosos, como “seu” Antônio do Saco, morador de rua, abandonado pela família, mas o cenário em geral foi uma mistura de mendigos e desempregado jogados nas ruas pela crise.
Recentemente, também na Paraíba, me chamou a atenção o caso de uma família carente da cidade de Alagoa Grande, no Sertão. O líder da família havia se matado por não aguentar as cobranças de dívidas, principalmente para compra de alimentos. A viúva Arlinda Bento Tomáz, 32 anos, mãe de sete filhos, ficou sozinha para cuidar dos filhos.
No desespero, viu dentre os pequenos uma solução para aliviar a fome da família: caçar ratos para comer. Os roedores abatidos eram cozidos ou fritos nas refeições do dia. A família mora na comunidade conhecida por Barreira, no sítio Tambor, em Alagoa Grande. Ali, não falta não falta apenas comida, mas de água, esgotamento sanitário, moradia digna e expectativa de vida. Segundo ela, a família conseguiu se cadastrar no Bolsa Família e percebe uma renda de R$ 240.
Segundo dados oficiais, a Paraíba tem 504 mil pessoas vivendo na miséria. Mesmo com o avanço na distribuição de renda pelos programas sociais, o Estado ainda tem a sexta pior renda per capita do Brasil (R$ 474,09). O percentual de pessoas em condição de pobreza ou de extrema pobreza em relação ao total de habitantes é de 43%. No caso apenas dos domicílios urbanos não agrícolas, onde nenhum dos residentes trabalha com agricultura, o percentual dos paraibanos extremamente pobres cai para aproximadamente 10%.






TE PEGUE I!!


Sem conseguir fechar suas contas e gastando muito mal, o governo agora quer partir em direção ao bolso da classe-média. Provavelmente por meio de uma Medida Provisória, tem a intenção de aumentar os impostos pagos pelos prestadores de serviço e profissionais liberais, como médicos, fisioterapeutas e advogados - além de milhares de pequenos empresários que abriram seus próprios negócios. Seremos contra mais essa maldade contra os cidadãos.


quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Mendonça Filho

Nesta quarta-feira de Cinzas saiu mais um Boletim Focus do Banco Central e, infelizmente, as notícias não são nada animadoras para o bolso dos brasileiros. Analistas apontam um IPCA (índice oficial de inflação) elevado de 7,56%, previsto para o ano de 2016. Na semana anterior, a previsão estava em 7,26%. Quer dizer, pioraram as expectativas. O governo Dilma está destruindo as conquistas do Plano Real, corroendo o poder de compra dos trabalhadores.

Manda prender esse boi


Bernardo Mello Franco
"Quem foi, quem foi / Que falou no boi voador / Manda prender esse boi / Seja esse boi o que for." A marchinha de Chico Buarque e Ruy Guerra remete a um episódio do século 17, quando o conde holandês Maurício de Nassau prometeu fazer um boi voar no Recife. Também poderia embalar um caso caso mais recente: os bois voadores do senador Renan Calheiros.
Em maio de 2007, a revista "Veja" publicou que um lobista da empreiteira Mendes Júnior pagava despesas pessoais do presidente do Senado, Renan Calheiros. O dinheiro era repassado à jornalista Monica Veloso, com quem ele teve uma filha fora do casamento. A bolada ultrapassaria os R$ 28 mil por mês, em valores atualizados pela inflação oficial.
Ao se defender, o senador disse que não recebeu "qualquer recurso ilícito ou clandestino" e que repassava os recursos para o lobista fazer os pagamentos. Para sustentar a versão, apresentou recibos da venda de gado em Alagoas. A imprensa descobriu que os bois de Renan voavam. Até o gerente das fazendas reconheceu que o rebanho era menor que o declarado.
A Procuradoria-Geral da República demorou, mas denunciou o peemedebista por peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso. Nove anos depois de o caso vir à tona, o Supremo Tribunal Federal finalmente decidirá se abre uma ação penal contra o senador.
Para o Ministério Público, Renan não tinha recursos para bancar a generosa pensão da filha. O dinheiro seria mesmo da empreiteira, interessada em aprovar emendas no Congresso. O alagoano nega as acusações. Ele voltou à presidência do Senado e hoje é um dos principais aliados da presidente Dilma Rousseff.
O Carnaval é um bom momento para cantar velhas marchinhas. Se você esbarrar com um ministro do Supremo na folia, aí vai uma sugestão: "Quem foi, quem foi / Que falou no boi voador / Manda prender esse boi / Seja esse boi o que for". 

Quem sabe, sabe

Carlos Brickmann

O PT tapou a boca de quem achava que era impossível substituir à altura seu inacreditável líder Sibá Machado. E tapou duas vezes: primeiro, ao encontrar um substituto perfeito para Sibá, o gaúcho Paulo Pimenta.
Segundo, ao conseguir achar outro nome da mesma consistência, e que derrotou Paulo Pimenta na luta pela liderança. O novo Sibá Machado, igualzinho ao anterior, é o deputado baiano Afonso Florence.
Aliás, Florence não é igual a Sibá: é um Sibá aperfeiçoado.
Elegeu-se com doações das empreiteiras UTC e OAS, ambas participantes de praticamente tudo que está sendo investigado pela Operação Lava Jato; e também com doações do ex-presidente da Petrobras, Sérgio Gabrielli - um administrador que se notabilizou por assumir a empresa quando seu valor de mercado estava perto dos US$ 400 bilhões e por deixá-la com valor inferior a 10% do inicial.

Mas tudo tem seu lado bom: se Florence chegou lá, Pimenta não chegou.


Gilmar na presidência do TSE ameaça mandato de Dilma

Do El País - Afonso Benites
Um dos pesadelos do PT está próximo de se tornar realidade. Daqui a pouco menos de três meses o ministro Gilmar Mendes deverá ser empossado na presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em substituição ao ministro Dias Toffoli. Isso só não ocorrerá se houver uma reviravolta interna e os outros seis ministros da Corte romperem a tradição de indicar o atual vice-presidente no lugar do presidente. Na última semana, Mendes manteve o seu posto no foro eleitoral por indicação do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele dependia desse aval para continuar no cargo.
Considerado um bastião da oposição no Judiciário brasileiro, Mendes é um ferrenho crítico do PT. Já chegou a dizer que, diante do esquema de desvios bilionários da Petrobras, o mensalão petista deveria ter sido julgado por um tribunal de pequenas causas. É comum ouvi-lo fazer comentários como esse nos julgamentos STF ou em palestras que profere frequentemente pelo país.
Neste momento, o maior problema para o PT no TSE é a rigidez e a celeridade com que Mendes quer tratar temas como a prestação de contas eleitorais. Exatamente neste tribunal corre uma ação judicial, patrocinada pelo oposicionista PSDB, que questiona as contas da campanha presidencial de Dilma Rousseff (PT) e pede a impugnação da candidatura dela e de seu vice, Michel Temer (PMDB) no pleito de 2014, quando ela foi reeleita. No atual cenário, em que a Câmara dos Deputados está enfraquecida sob o comando de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a maior chance de Rousseff perder o seu cargo está no TSE. E lá é onde o Governo teria menor influência.



Governador manda tirar nome de Sarney de escolas

Da Folha de S.Paulo - Daniele Belmiro
Sete escolas estaduais do Maranhão batizadas em homenagem ao ex-presidente José Sarney tiveram os nomes alterados por um decreto assinado pelo governador Flávio Dino (PC do B).
No total, o nome de 37 escolas que homenageavam pessoas vivas foram trocados por nomes de professores, políticos, religiosos e poetas que já morreram, como os ex-deputados João Evangelista e Júlio Monteles.
A filha de Sarney, a ex-governadora Roseana Sarney, e mulher dele, Marly Sarney, também perderam as homenagens. O nome de Roseana batizava três escolas, e o de Marly, uma.
O decreto foi publicado no "Diário Oficial do Estado" no último dia 14 de janeiro.
Outro nome próximo ao clã Sarney, o do senador Edison Lobão, que é ex-governador do Estado e ex-ministro de Minas e Energia, foi retirado de quatro locais.
Há um ano, quando assumiu o governo do Maranhão, Dino assinou um decreto que proibia que bens públicos do Estado recebessem o nome de pessoas vivas ou responsabilizadas por violações aos direitos humanos durante o regime militar.
No caso das pessoas vivas, a medida não era retroativa, de modo que Sarney continuava a dar nome a pelo menos 160 escolas do Maranhão, além de bibliotecas e obras viárias em todo o Estado.
Com o novo decreto, os nomes do ex-vice-governador do Maranhão e atual senador João Alberto de Souza, do ex-governador João Castelo, da ex-secretária de Educação Leda Tajra, do ex-vice-presidente Marco Maciel e do ex-deputado federal Magno Bacelar também foram apagados da fachada de centros de ensino. O poeta maranhense e membro da Academia Brasileira de Letras Ferreira Gullar também deixou de ser homenageado.


De novo o sítio: Moro manda PF investigar

O juiz federal Sérgio Moro autorizou a Polícia Federal (PF) a instaurar um inquérito separado para investigar as reformas do sítio de Atibaia, frequentado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua família.
O documento autorizando a abertura do novo inquérito é sigiloso e foi assinado por Moro no dia 4 de fevereiro, mas entrou no sistema da Justiça Federal do Paraná apenas nesta terça-feira (9). "Este Juízo não tem óbices à efetivação do desmembramento requerido pela PF", afirmou Sérgio Moro ao autorizar a nova investigação, que ocorrerá sob sigilo.
A polícia apura se as obras de reforma foram pagas por empreiteiras investigadas na Operação Lava Jato. A PF já investigava as reformas em um inquérito ligado à empreiteira OAS, mas os agentes pediram ao juiz que autorizasse uma nova investigação, exclusiva, uma vez que provas envolvendo outras empresas e pessoas físicas passaram a ser analisadas. 
Em resposta, o Instituto Lula afirmou que o ex-presidente Lula nunca escondeu que frequenta em dias de descanso o sítio Santa Bárbara, que pertence a amigos dele e de sua família. O instituto afirma também que não há nada ilegal nestes fatos, que não servem para vincular o ex-presidente a qualquer espécie de suspeita ou investigação.

Canal da Transposição rompe no Sertão

Do Portal Brasil 247
O canal da Transposição do São Francisco ainda não entrou plenamente em operação e já apresenta problemas estruturais. A estrutura de concreto do aqueduto do terceiro trecho do Eixo Norte apresentou um vazamento neste final de semana após não resistir à força da água. O problema foi registrado no trecho do canal que corta o Sertão de Pernambuco, entre os reservatórios de Terra Nova e Tucutu, localizado em Cabrobó.
Segundo matéria veiculada pela TV Globo, um serviço emergencial realizado pela empreiteira Mendes Júnior e pelo Ministério da Integração nacional conseguiu conter o vazamento, mas uma avaliação completa sobre as causas do rompimento somente poderá ser feita após o canal estar completamente seco.
As obras da transposição estão orçadas em mais de R$ 8 bilhões e a previsão é que devem ser concluídas ainda este ano. O projeto inicial previa investimentos da ordem de R$ 4,5 bilhões e a previsão era que o serviço estivesse inteiramente concluído em 2010.
Quando estiver 100% em operação, a Transposição do São Francisco deverá beneficiar cerca de 12 milhões de pessoas que convivem rotineiramente com a seca em 390 municípios dos Estados de Pernambuco, Ceará, Paraíba e Rio Grande do Norte.