terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Diferenças entre a lei e a ética

Carlos Chagas
 Quantas viagens fez o Lula ao exterior, depois que deixou a presidência da Republica? Mais de vinte. Sempre em jatinhos particulares, postos à sua disposição por empreiteiras, ele esteve em diversos países da África e da América Latina, sendo recebido por presidentes, ministros e até ditadores, junto aos quais defendeu os interesses das empresas financiadoras das viagens, de olho em contratos para executar obras públicas.
Quem resistiria aos apelos de um dos mais populares líderes políticos mundiais? Presume-se que quando a “cláusula de sucesso” se confirma, o ex-presidente recebe um percentual ou um fixo por conta de seus esforços.
Ilegal essa atividade não é. Aproveitar-se de amizades feitas nos tempos do exercício do poder para agenciar negócios, também não. Ainda mais se for para beneficiar empresas brasileiras, contribuindo para sua expansão. Da mesma forma, não é crime ser remunerado por serviços prestados, desde que declarados de acordo com a lei.
Então… Então estaria o Lula, agora que não é mais presidente da República, livre para exercer atividades comuns no mundo dos negócios e no mercado, até melhorando sua conta bancaria?
A conclusão seria positiva caso não fosse ele mentor da presidente Dilma, aconselhando-a em todos os setores da administração federal, até no relacionamento com governos estrangeiros. E se não estivesse envolvido na atividade política, que nunca abandonou, disposto, como parece, a candidatar-se para retornar ao palácio do Planalto em 2018. Nesse caso, todo cuidado é pouco, e a evidência de ser pantanoso o terreno onde trafegam as empreiteiras está no fato de que o Lula interrompeu as viagens como seu garoto-propaganda. Pelo menos, delas não se tem mais noticia. Qualquer tratado elementar de ética recomenda cautela.
Nem tudo o que parece legal costuma ser moral. Aí estão os exemplos de ex-ministros como José Dirceu e Antônio Palocci, perdidos para a política porque flagrados em atividades de consultoria para empresas variadas, em especial empreiteiras. Traficaram influência, que ainda dispunham junto ao governo, mesmo depois de afastados. Seria diferente a situação do Lula?
Se sua candidatura consumar-se, quem garante ficarem fora da campanha suas relações com as empreiteiras, com governos estrangeiros e com a própria presidente Dilma? Muitas vezes a lei e a ética seguem caminhos distintos.

Discurso velho num governo velho

Carlos Chagas
 Não propriamente pronunciamentos, que devem ser densos e profundos, mas pelo menos dois discursos protocolares a presidente Dilma deverá pronunciar na quinta-feira, início de seu segundo mandato. Um no Congresso, quando jurar pela segunda vez cumprir a Constituição. Outro no parlatório, se não estiver chovendo, ou no salão de recepções do palácio do Planalto.
Houve tempo em que os pronunciamentos dos presidentes da República despertavam as atenções gerais, quando de suas posses. Novos sistemas ou pelo menos novos personagens empolgavam ou desanimavam o país. Agora, será o mais do mesmo.  Ninguém deve esperar que prometa acabar com o latifúndio, muito pelo contrário.Ou que acabará com a farra da remessa de lucros para o estrangeiro.
Em suma, nenhuma proposta daquelas em condições de caracterizar mudanças institucionais, sociais e econômicas. A composição de seu novo ministério, aliás, lamentável, dá bem a medida da pasmaceira que assola o governo e o PT. Ficará no plano das intenções evitar a corrupção, porque nenhuma iniciativa de vulto está prevista para punir com rigor corruptos e corruptores. Falta ao segundo governo Dilma a eloquência das convicções.

Barbas de molho


 Uma das empreiteiras acusadas de envolvimento no esquema de corrupção da Petrobras fez circular entre seus diretores e funcionários um e-mail que dizia ser 'expressamente proibido' dar ou receber brindes e presentes neste fim de ano. revela Vera Magalhães, hoje na Folha de S.Paulo.
A construtora quer evitar novas evidências de intimidade com políticos e funcionários públicos. O empregado que receber qualquer mimo será obrigado a devolvê-lo.

segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

DEMOCRATAS!!!


Cresce insatisfação do PT com as escolhas de Dilma

 A insatisfação do PT com a reforma ministerial cresceu tanto que dirigentes da sigla ensaiam uma reação mais clara à escolha de Pepe Vargas para a Secretaria de Relações Institucionais. Deputados da corrente petista Construindo um Novo Brasil, majoritária no partido, dizem que Vargas, da tendência Democracia Socialista, "não tem capacidade de articulação política" e que sua indicação vai rachar a bancada do PT na Câmara.
Também insatisfeita com o novo desenho do governo, a cúpula do PMDB vai exigir de Dilma a verticalização de suas seis pastas.(Vera Magalhães - Folha de S.Paulo)

Novo ministério de Dilma atacado por jornalista

 O colunista Ricardo Melo, um dos mais identificados, na Folha, com o público de esquerda, faz duras críticas aos ministros já escolhidos até agora, na coluna O mi(ni)stério de Dilma. "Quem tem algum compromisso, ou pelo menos preocupação, com as questões sociais fica decepcionado com as escolhas para o novo gabinete. Ao lado de uma equipe econômica alinhada com a banca, a presidente Dilma fez questão de nomear gente cuja trajetória vai no sentido oposto daqueles que garantiram sua vitória", diz ele, afirmando, ainda, que "Gilberto Kassab no Ministério das Cidades é uma bofetada, em todos os sentidos".
Melo alerta, ainda, para o risco de novos protestos, como ocorreram em junho de 2013. "Ignorar a história é um risco capital. Não que o povo adore passeatas, manifestações diárias, greves, faltar ao trabalho ou atrapalhar o trânsito. Não! Mas ninguém consegue aguentar calado a ameaça de deterioração das condições de vida, a degradação de serviços públicos, a perda de poder aquisitivo e a piora no bem-estar da família."
Por fim, ele coloca uma questão e uma cobrança. "Mistério: quais serão os novos programas sociais? Dilma, mostra a sua cara."   (Portal BR247)

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Aécio defende nova CPI logo após o recesso


:
"Não é possível que com tantas delações, confissões, o Congresso Nacional se mantenha blindado em relação a este gravíssimo escândalo. O Congresso tem a responsabilidade de participar das investigações e colaborar com apurações, punindo todos aqueles que tiverem responsabilidade com esses desvios, independentemente do partido", disse o senador tucano nesta segunda-feira; ponto de partida seria a inclusão das delações premiadas

Julio Delgado faz campanha no Recife



Do Blog da Folha


O candidato à presidência da Câmara Federal Júlio Delgado (PSB-MG) fará reunião em Pernambuco nesta segunda-feira. Ele se reunirá com o governador eleito, Paulo Câmara, o prefeito do Recife, Geraldo Julio, e os futuros deputados federais em uma casa de eventos em Boa Viagem, às 17h.
Todos os parlamentares foram convidados, independentemente de apoiarem ou não a postulação do socialista. O senador e deputado federal eleito Jarbas Vasconcelos (PMDB), por exemplo, já anunciou publicamente que votará no candidato do PMDB, Eduardo Cunha (RJ).
Júlio Delgado também aproveitou a passagem por Recife para fazer uma visita à viúva do ex-governador Eduardo Campos (PSB), Renata. A visita ocorreu no início da tarde e ele estava acompanhado pelo prefeito Geraldo Julio.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Governador Marco Maciel lança a obra de abastecimento hídrico da cidade de Lajedo, no Agreste Meridional. Na ordem: o prefeito Lídio Cosme, o então deputado federal José Tinoco (de bigode) e o também então deputado Josias Leite, além do próprio Maciel.


Bancada do Petrolão tentará driblar a cassação

G1 - Brasilia
listão da propina 01
Corporativismo é a carta na manga para escapar de cassação de mandatos e inelegibilidade
A cassação de deputados e senadores enrolados no Petrolão pode ser inviabilizada por uma antiga regra, não escrita, que já livrou muitos deles da perda de mandato: ninguém é punido por quebra de decoro sobre fato ocorrido em legislaturas anteriores. Segundo essa regra, ficariam livres de processo toda a Câmara e um terço do Senado, que em fevereiro tomam posse de mandatos obtidos nas últimas eleições.

A regra de não cassar por fato ocorrido antes do mandato livrou vários mensaleiros cujos processos foram adiados para a legislatura seguinte.
O procurador-geral Rodrigo Janot já avisou que somente em fevereiro, após o início da próxima legislatura, denunciará a bancada do Petrolão.
A deputada Jaqueline Roriz (PMN-DF), enrolada no escândalo da Caixa de Pandora, livrou-se da cassação usando a “regra não escrita”.
A regra fez a Câmara “cozinhar” a cassação de Genoino e João Paulo, do PT-SP, Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT).

Veja o 1º listão da propina

G1- Brasilia
listão da propina 01
O ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa entregou 28 políticos envolvidos no escândalo na estatal durante cerca de 80 depoimentos em âmbito de delação premiada na Operação Lava Jato, ocorridos entre agosto e setembro, segundo informações do jornal “O Estado de S. Paulo”. A lista de políticos envolvidos no esquema inclui um ministro e ex-ministros do governo Dilma Rousseff (PT), deputados, senadores, um governador e ex-governadores. Na relação constam nomes de parlamentares da base aliada do governo e da oposição. Na lista dos partidos estão PT, PMDB, PSB, PSDB e PP.
Veja abaixo a lista de Paulo Roberto Costa:

PT
Antonio Palocci – ex-ministro dos governos Lula e Dilma
Gleisi Hoffmann – senadora (PR) e ex-ministra da Casa Civil
Humberto Costa – senador (PE) e líder do PT na Casa
Lindbergh Farias – senador (RJ)
Tião Viana – governador reeleito do Acre
Delcídio Amaral – senador (MS)
Cândido Vaccarezza – deputado federal (SP)
Vander Loubet – deputado federal (MS)

PMDB
Renan Calheiros – presidente do Senado (AL)
Edison Lobão – ministro de Minas e Energia
Henrique Eduardo Alves – presidente da Câmara (RN)
Sérgio Cabral – ex-governador do Rio de Janeiro
Roseana Sarney – ex-governadora do Maranhão
Valdir Raupp – senador (RO) e 1º vice-presidente do partido
Romero Jucá – senador (RR)
Alexandre José dos Santos – deputado federal (RJ)

PSB
Eduardo Campos – governador de Pernambuco de 2007 a 2014 (morto em 2014)

PSDB
Sérgio Guerra – presidente nacional do PSDB de 2007 a 2013 (morto em 2014)

PP
Ciro Nogueira – senador (PI)
João Pizzolatti – deputado federal (SC)
Nelson Meurer – deputado federal (PR)
Simão Sessim – deputado federal (RJ)
José Otávio Germano – deputado federal (RS)
Benedito de Lira – senador (AL)
Mário Negromonte – ex-ministro de Cidades
Luiz Fernando Faria – deputado federal (MG)
Pedro Corrêa – ex-deputado federal (PE)
Aline Lemos de Oliveira – deputada federal (SP)

Apenas os senadores Delcídio Amaral (PT-MS) e Benedito de Lira (PP-AL) e os deputados José Otávio Germano (PP-RS) e Simão Sessim (PP-RJ) não quiseram se pronunciar. Os demais afirmam que não é verdade.
Iniciada em março deste ano, a Operação Lava Jato investiga o esquema de lavagem e desvios de dinheiro em contratos assinados entre empreiteiras e a Petrobras, que somam R$ 59 bilhões, considerando o período de 2003 a 2014.
Segundo as investigações, parte desses contratos se destinava a “esquentar” o dinheiro que irrigava o caixa de políticos e campanhas no país.
Na sétima fase da operação, a Polícia Federal prendeu 23 executivos, entre eles presidentes de empreiteiras e o ex-diretor da Petrobras Renato Duque, ligado ao PT.
listao da propina 02

domingo, 21 de dezembro de 2014

Nova presidente do PTB: contra Dilma, apesar de Armando

 A nova presidente nacional do PTB,  a deputada federal eleita pelo Estado do Rio, Cristiane Brasil, que sucede ao pai, ex-deputado Roberto Jefferson, no comando da sigla, quer frustrar o plano do Planalto de atrair o partido para a bancada governista no segundo mandato. Ela promete que a sigla será "independente", apesar do convite ao senador Armando Monteiro Neto (PTB-PE) para o Ministério do Desenvolvimento. "Ele é um quadro que orgulha o partido, mas foi uma escolha pessoal da presidente Dilma. O PTB não é base. Teremos independência."
Entre as bandeiras do Planalto que Cristiane quer combater está o projeto de regulamentação da mídia, defendido por Dilma na campanha presidencial. Escalada pelo pai, ela conduziu as negociações para que a sigla apoiasse o tucano Aécio Neves.
"Para nós foi ótimo. O PTB foi um dos únicos partidos que aumentaram sua bancada na Câmara. Passamos de 18 para 25 deputados."
A petebista é só elogios ao pai, a quem descreve como "um fofo". "Sou uma filha apaixonada. Ele é tudo para mim", derrama-se.
Apesar das juras, ela avisa: não pretende reabrir conflitos com os inimigos de Jefferson em Brasília. "Não quero herdar os ódios que meu pai amealhou ao longo da vida."   (Da Folha de S.Paulo)

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Em janeiro, quando ainda refletia sobre a construção de sua candidatura, inserida num contexto no qual seu partido estaria, pela primeira vez, aliado ao PSB, Priscila Krause enviara um email para o pai, Gustavo Krause, com a seguinte mensagem: “Quero lhe dizer que não serei refém de conveniências eleitorais. Se eu tiver que optar entre o princípio e a conveniência, volto para casa”. Hoje, eleita deputada estadual, mesmo sem aparecer no guia eleitoral, ela se prepara para equilibrar-se numa linha tênue entre a bancada governista, liderada pelos socialistas, e a oposicionista, que inclui o PT, partido ao qual, nacionalmente, o DEM, faz oposição ferrenha. Consciente do desafio, continua pondo suas convicções como limite. “Estou na linha da desobediência partidária. Não vai ser fácil de jeito nenhum. Por isso antecipar é complicado. Vou ter que vivenciar esse dia a dia para construir”, pondera ela, que despediu-se da Câmara, ontem, entre afagos também de governistas.


Bolsonaro: “sou quem melhor encarna a oposição”

Gabriela Korossy/Câmara dos Deputados:                                             
Deputado Jair Bolsonaro (PP-RJ) diz em artigo já ter sido tachado de homofóbico, racista e estuprador, afirma que muitos teriam a mesma reação no caso Maria do Rosário (PT-RS) e defende a ditadura militar: "devemos acreditar no PT, que rejeita qualquer investigação" no caso Celso Daniel, ou no Exército, que "salvou o país do comunismo em 1964?"

Verissimo contesta tese dos 'dois lados' na ditadura


:
Num artigo sensato e corajoso, o escritor Luis Fernando Verissimo contesta a tese que se alastrou entre os veículos de comunicação conservadores, todos apoiadores do regime militar de 1964, de que a Comissão Nacional da Verdade deveria ter igualado os crimes cometidos por agentes do Estado aos atos de violência ligados à esquerda revolucionária; 'Não aceitar a diferença entre a violência clandestina de contestação a um regime ilegítimo e a violência que arrasta toda uma nação para os porões da ditadura é desonesto", diz Verissimo

PT e PMDB podem costurar acordo na Câmara

:                                                             
Embora o PT tenha lançado a candidatura do deputado federal Arlindo Chinaglia (PT-SP) a presidente da Câmara, a possibilidade de um acordo com o PMDB, que tem como candidato ao mesmo cargo Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não está descartada; a opinião corrente na Casa é a de que na hora H, o PT vai negociar com Cunha, assegurando para si – possivelmente tendo como indicado o próprio Chinaglia – a primeira vice-presidência, ficando assegurada a continuidade do revezamento entre os dois partidos, com o PT voltando ao cargo daqui a dois anos; quem faz esta avaliação é a jornalista Tereza Cruvinel, na mais recente postagem do seu blog no 247; ela pontua no entanto que partidos ainda precisam costurar acordo, mas que isso só ocorrerá em janeiro

“vê-se agora quem tinha razão”


Enquanto "a postura do PSDB refletiu o conservadorismo de matriz norte-americana", pregando "um tratamento agressivo do governo de Raúl Castro", propondo "o isolamento forçado do regime", o governo Lula-Dilma adotou uma "postura em linha de continuidade com a escola diplomática civilizada, que prega o respeito à soberania dos povos como o princípio básico para a convivência pacífica entre países"; a análise é do jornalista Paulo Moreira Leite, diretor do 247 em Brasília; segundo ele, o reatamento anunciado ontem entre Estados Unidos e Cuba "tem uma utilidade suplementar no Brasil: coloca em seu devido lugar o anti-comunismo primitivo que fez uma grande aparição na última campanha presidencial"

Na briga pela presidência da Câmara dos Deputados, o PT anunciou a formação de um Bloco com PDT, PROS e PCdoB, que reúne 110 deputados, em torno da candidatura de Arlindo Chinaglia (SP). Eduardo Cunha, que já está articulando sua candidatura desde o final da campanha eleitoral, recebeu ontem o apoio do DEM, 22 deputados, e do PTB, 25, e ontem do PRB, 21 deputados.


Ministério Público da Paraíba pede a cassação de Ricardo Coutinho



O Ministério Público da Paraíba protocolou junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), nesta quarta-feira (17), uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), pedindo a cassação do registro de candidatura do governador do Estado, Ricardo Vieira Coutinho (PSB) e da sua vice, Lígia Feliciano.


O pedido (petição) contra o governador Ricardo Coutinho foi movido pelos procuradores regionais eleitorais, Dr. Rodolfo Alves e pelo substituto, Dr. Victor Veggi.

Para pedir a cassação, o Ministério Público da Paraíba se baseia na denúncia de uso do programa Empreender, do Governo do Estado, para compra de votos e beneficiamento da campanha de reeleição de Ricardo Coutinho, nas eleições deste pleito de 2014, ou seja, abuso de poder político e econômico.

O Diário do País tentou entrar em contato com Célio Alves, secretário executivo de Comunicação do Estado e coordenador da campanha do governador reeleito, mas as ligações não foram atendidas.

Confira a ação:


quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Encontro de Pimentel com Aécio irritou Dilma



Por Leandro Mazzini, do blog Coluna Esplanada

A presidente Dilma Rousseff ficou muito irritada ao descobrir pela imprensa a reunião entre o governador eleito de Minas Gerais, Fernando Pimentel (PT), e o senador e presidenciável Aécio Neves (PSDB).
Ela quer manter o controle da base em Minas, seu Estado natal e o segundo maior colégio eleitoral do Brasil. O pacto de não-agressão e não-devassa nas contas de Pimentel com Aécio causou ciúme na chefe da nação. Pimentel foi avisado de que a presidente quer saber de todos os passos em nível nacional do petista.
NA CONTA
O crédito de Pimentel é tão grande com a presidente que ele está negociando emplacar um nome de sua confiança na presidência da Previ. Pimentel e Dilma são amigos inseparáveis e de alta confiança mútua desde os tempos do regime militar, em Belo Horizonte.

Prefeito de Bom Conselho está foragido


O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), rejeitou o habeas-corpus impetrado pela defesa do prefeito de Bom Conselho, Danilo Godoy (PSDB). A decisão deixou o prefeito na condição de foragido, podendo ser preso a qualquer instante.
Ele e os estudantes Jocelino Ramos de Carvalho Filho e Eduardo Cavalcante Ramos de Carvalho são acusados pelo homicídio de Rufino Gomes de Araújo Neto, dono de academia de artes marciais e professor de jiu-jitsu em João Pessoa (PB), conhecido como Morceguinho.
A decisão do relator revogou liminar anteriormente deferida que concedia direito à liberdade provisória aos três acusados. Rufino Gomes teria sido morto por conta de uma briga ocorrida durante o Fest Verão de 2011, na cidade de Cabedelo (PB), envolvendo o furto de uma garrafa de uísque. Testemunhas disseram que Morceguinho envolveu-se na briga para defender um amigo e foi morto pelos pernambucanos dias depois, em um crime premeditado.
Decisão
O ministro assentou em sua decisão que a Primeira Turma do STF consolidou entendimento no sentido da inadmissibilidade do uso de habeas corpus em substituição ao recurso ordinário, previsto na Constituição Federal. Contudo, salientou que o colegiado tem examinado a possibilidade da concessão da ordem de ofício. No entanto, segundo o ministro, não é o caso dos autos.
O relator observou que o decreto prisional expedido pelo juízo de origem está devidamente fundamentado na conveniência da instrução criminal, na garantia da ordem pública e na preservação de futura aplicação da lei penal.
Segundo o ministro, de acordo com a jurisprudência do STF, “a gravidade concreta dos fatos até então apurados justifica a custódia cautelar para a garantia da ordem pública”. As prisões, diz o relator, foram determinadas com base na gravidade concreta dos fatos, aferida diante do modo cruel do crime e da periculosidade dos acusados.

Barões da mídia comandam publicidade oficial

c
Levantamento sobre investimento de empresas estatais em publicidade, publicado com viés político pela Folha de S. Paulo nesta quarta-feira, revela que ainda há grande concentração em grupos de comunicação que pertencem às chamadas famílias midiáticas; só as empresas ligadas ao grupo Globo, dos irmãos Marinho, receberam mais de R$ 5 bilhões; em seguida vieram emissoras do Bispo Edir Macedo (R$ 1,3 bi), de Silvio Santos (R$ 1,2 bi) e de Johnny Saad (R$ 1 bi); editora Abril, dos Civita, ficou com R$ 523 milhões e a própria Folha, de Otávio Frias, levou R$ 206 milhões, enquanto seu concorrente Estado de S. Paulo, dos Mesquita, ficou com R$ 188 mi; no capítulo internet, Folha politiza a discussão e questiona investimentos em veículos como o 247

MT: mulher ficha suja vetada para o Tribunal de Contas

Reprodução/Facebook/JaneteRiva55
Janete foi candidata ao governo de MT no lugar do marido, barrado pela Lei da Ficha Limpa
Janete foi candidata ao governo de MT no lugar do marido, barrado pela Lei da Ficha Limpa
A Justiça de Mato Grosso determinou a suspensão da sabatina na Assembleia Legislativa, prevista para a tarde desta terça-feira (16), que formalizaria a indicação da pecuarista Janete Riva (PSD) ao cargo de conselheira do Tribunal de Contas do Estado (TCE).
Ela, que já foi presa pela Polícia Federal em 2010 por crimes ambientais, é mulher do deputado estadual José Geraldo Riva (PSD), réu em mais de 100 processos por improbidade administrativa.
O juiz Luis Aparecido Bertolucci Júnior acatou a ação civil pública proposta pelo Ministério Público Estadual e fixou multa de R$ 20 milhões em caso de descumprimento da decisão liminar.
Bertolucci Júnior também determinou que o governador Silval Barbosa (PMDB) não nomeie Janete ao cargo e que o presidente do TCE, Waldir Júlio Teis, não a emposse, até o julgamento do mérito da liminar. A determinação implica multa de R$ 5 milhões, para cada um, em caso de descumprimento. Silval é aliado da família Riva, ao contrário do governador eleito Pedro Taques (PDT), que considera um "absurdo" a escolha dela para o cargo.
Na ação, assinada pelo procurador-geral de Justiça, Paulo Prado, a Promotoria argumenta que Janete  não possui reputação ilibada e não atende aos requisitos necessários para assumir o cargo.Janete, que já foi secretária de Cultura de Mato Grosso e candidata ao governo na última eleição, possui apenas o ensino médio.
A pecuarista também responde a processos por formação de quadrilha, desmatamento ilegal e trabalho escravo. Ela nega todas as acusações e afirma ser vítima de perseguição política.
O TCE de Mato Grosso é composto por sete conselheiros -quatro são indicados pela Assembleia e o restante, pelo governador. O cargo é vitalício e o salário é de cerca de R$ 30 mil.(Da Folha de S.Paulo - Helcio França)

PSB não digere aliança com PPS, PV e Solidariedade

 Causou desconforto em parte dos socialistas a participação do PSB no bloco composto também por PV, PPS e Solidariedade. Entre as críticas apresentadas, alguns parlamentares reclamaram da falta de um diálogo mais amplo com a bancada e da falta de identificação programática da sigla com o Solidariedade, presidido por Paulinho da Força (SDD-SP). A informação é de Mel Bleil Gallo, no blog Poder Online.
No evento de lançamento, -- revela a colunista, -- foi notada a ausência da maioria dos 29 parlamentares do PSB. Além do presidente da sigla, Carlos Siqueira (PE), e do líder da sigla na Câmara, Beto Albuquerque (RS), – que compuseram a mesa oficial – apenas o mineiro Júlio Delgado (MG) esteve presente durante todo o ato político.
Contrariada, parte da bancada já se prepara para enfrentar a cúpula do partido. Ainda nesta semana, um manifesto assinado por parlamentares como Glauber Braga (PSB-RJ) e Luiza Erundina (PSB-SP) deve ser divulgado contra a presença do PSB no bloco recém-lançado.

PSDB quer cassar Dilma hoje, antes da diplomação amanhã

 O PSDB decidiu apresentar hoje ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral para pedir a cassação do próximo mandato de Dilma Rousseff por abuso de poder político na campanha. Um dos exemplos citados para justificar a representação será a suspeita de que os Correios favoreceram a entrega de material gráfico da candidatura petista. A ação precisa ser apresentada antes da diplomação da petista, que está marcada para amanhã. A informação é de Vera Magalhães, na sua coluna de hoje na Folha de S.Paulo.
A nova ofensiva tucana no TSE -- diz a colunista -- inclui ainda representação por irregularidades no financiamento de campanha e Ação de Impugnação de Mandato Eletivo.
Esse tipo de ação é de competência do corregedor-geral eleitoral, o ministro João Otávio de Noronha, conhecido por ter boas relações com o PSDB.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

DAVID DE DEUS

FALA DAVID DE DEUS...
Pajeúdagente

Gostaria de primeiramente agradecer a Deus, por proporcionar este momento tão importante na minha vida, agradecer aos meus familiares...a todos meus amigos de São José do Egito, a população que a todo momento me deu a palavra de incentivo, e dizer aos senhores que eu me candidatei, não foi simplesmente para me sentar na cadeira de presidente. Me candidatei com a proposta de fazer algo novo por São José do Egito, agradecer ao meu amigo Albérico Tiago,
Beto de Marreco, Jota Ferreira e Rogaciano Jorge e Flávio Jucá, e quero trazer aqui um abraço especial a uma pessoa que sempre admirei que é meu amigo Bal de Riacho do Meio, dizendo que infelizmente não pude contar com seu voto hoje, aqui nesta casa, nós já chegamos sabendo do resultado, que era "um jogo de carta marcada", eu lutei contra uma estrutura," foi oferecido a alguns vereadores secretarias, diretorias...empregos.
Então jamais um simples vereador lutando contra uma estrutura poderia obter êxito, mas Albérico Tiago, nosso líder de bancada, ou melhor  ex líder, já se pronunciou aqui que nossa posição será de independência ao gestor municipal, e votar o que for bom para o povo de São José do Egito nós vamos defender, uma oposição propositiva, mas nós vamos sim, fazer parte da bancada de oposição a partir do dia 20 de janeiro.
O que eu quero é transparência nesta casa, o povo de São José do Egito, quer saber quanto nós ganhamos, e fazer um único pedido ao presidente eleito. "Transparência e sucesso na sua administração" falou ele.

ALBÉRICO TIAGO


Pajeúdagente

Queria inicialmente mostrar solidariedade ao companheiro David, Beto, Rogaciano e Flávio, dizer que a democracia, ela nos deixa nessa situação, faz com que aqueles que obtiveram mais votos saiam como vencedores, mas os vencidos de hoje podem ser os vencedores de amanhã, a certeza que temos e que votamos com o nosso coração, votamos naquilo que acreditamos, infelizmente companheiro não conseguimos vitória.
Mas quero dizer e desejar aos novos companheiros, José Vicente Souza, José Maurício Mendes, Rômulo Maciel e Aldo Lima sucesso a frente desta  casa, pois ela merece respeito, transparência, é exigido que se faça as coisas como manda o regulamento, então também aproveito para dizer que lutamos de maneira incansável pela vitoria do companheiro David. Fomos fiel, fomos leal ao que determina nosso partido da maneira como nos pediram, e de comum acordo com o presidente do nosso partido, como nosso secretário geral do PR, José Marcos de Lima, peço que esta casa na noite de hoje, e a última seção.
Oficie ao poder executivo, que eu José Albérico Nunes de Brito, estou entregando a liderança do governo, para que o governo fique a vontade para escolher uma liderança daquela, que fique justamente no nível que ele quer!, "talvez o trabalho que eu fiz nesses dois anos não tenha sido suficiente para que eu permanecesse na liderança".
 E também dizer que o partido da república o PR, o qual a gente faz parte a partir de amanhã, ou ainda hoje, estamos tomando a decisão de sermos independentes em relação ao governo municipal.

O governador eleito Paulo Câmara (PSB) divulgar a equipe que compõe o seu secretariado a partir do dia 1° de janeiro.


Veja a lista completa abaixo:
Secretaria da Casa Civil – Antônio Figueira

Secretaria de Educação – Fred Amâncio
Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária – Nilton Mota
Secretaria de Cidades – André de Paula
Secretaria de Defesa Social – Alessandro Carvalho
Secretaria da Fazenda – Marcio Stefani
Secretaria de Imprensa – Ennio Benning
Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade – Sérgio Xavier
Secretaria de Planejamento e Gestão – Danilo Cabral
Secretaria de Transportes – Sebastião Oliveira
Secretaria de Turismo, Esportes e Lazer – Felipe Carreras
Secretaria de Administração – Milton Coelho
Secretaria de Saúde – José Iran Costa Júnior
Secretaria de Desenvolvimento Econômico – Thiago Norões
Procuradoria-Geral do Estado – Antônio César Caúlla Reis
Secretaria de Relações Institucionais – André Campos
Chefe de Gabinete do Governador – Ruy Bezerra
Chefe de Gabinete de Projetos Estratégicos – Renato Thiebaut
Controladoria Geral do Estado – Rodrigo Amaro
Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude – Isaltino Nascimento
Secretaria de Habitação – Marco Batista
Secretaria de Justiça e Direitos Humanos – Pedro Eurico
Secretaria de Micro e Pequena Empresa, Qualificação e Trabalho – Evandro Avelar
Secretaria da Mulher – Silvia Cordeiro
Secretaria de Ciência e Tecnologia – Lucia Melo
Secretaria de Cultura – Marcelino Granja
Chefe da Assessoria Especial – José Francisco Neto
Chefe da Casa Militar – Coronel Mário Cavalcanti
Líder do Governo na ALEPE – Waldemar Borges

Políticos: e os nomes? 30 deles serão divulgados

Foto: Wilson Dias/ABr
Rodrigo Janot passou o fim de semana lendo a delação premiada de Alberto Yousseff. Pretende enviá-la para Teori Zavascki até sexta-feira, último dia de trabalho do Judiciário este ano. Zavascki precisa homologar a delação, que contém cerca de 30 nomes de políticos com foro privilegiado (ou seja, deputados, senadores e governadores) também citados no depoimento de Paulo Roberto Costa.
Comentário de um dirigente do BNDES para uma empresa do setor elétrico em vias de receber um financiamento de longo prazo:
- Ok, está tudo bem, mas não me venha com parceiro que esteja na Lava-Jato.

Como se sabe, os grandes empreendimentos de energia necessitam de uma empreiteira.  (Lauro Jardim - Veja Online)

Petrobras vale só um terço do seu patrimônio líquido

 A situação da Petrobrás retrocedeu 19 anos e se igualou à de janeiro de 1996, quando se considera a relação entre o valor de mercado e o patrimônio líquido, um dos parâmetros usados pelos analistas para avaliar o desempenho financeiro das empresas.
A conta é do economista Einar Rivero, da consultoria Economática. Analisando os números, ele destaca que o mercado já chegou a avaliar a Petrobrás em 4,22 vezes o valor do patrimônio líquido, e hoje avalia em apenas 0,31%. Isso significa que a empresa vale apenas um terço do seu patrimônio.
O valor de mercado - preço que o mercado está disposto a pagar pela empresa - é de R$ 114 bilhões. Já o patrimônio líquido é de R$ 360,7 bilhões, pelo último dado oficial de junho de 2014, citado no balanço do segundo trimestre.
As ações da empresa fecharam em baixa novamente nesta segunda-feira, 15. A Petrobras ON fechou em baixa de 9,94%, a R$ 8,52, menor valor desde 15/09/2004 quando fechou em R$ 8,4844. A Petrobras PN fechou em baixa de 9,20%, a R$ 9,18 menor valor desde 20/07/2005 quando fechou em R$ 9,1713.  (Do Estadão)

Independente da qualificação técnica ou dos arranjos, a cara do secretariado do governador eleito Paulo Câmara (PSB) reedita a velha União por Pernambuco, aliança montada para eleger o então governador Jarbas Vasconcelos. Na verdade, só faltou o representante do DEM. Mas figuras carimbadas que serviram ao DEM, como André de Paula, macielista de carteirinha, foram ressuscitadas. E igualmente prestigiadas.


Já era madrugada do dia 1° para o dia 02 de abril de 1964 quando o então presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, o deputado sertanejo Walfredo Siqueira, empossa o vice Paulo Guerra no cargo de governador do Estado após a deposição e prisão do governador eleito Miguel Arraes.


Reeleição na Alepe é inconstitucional

A reeleição do atual presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), deputado Guilherme Uchôa (PDT), é inconstitucional. Esta é a conclusão do parecer da Comissão de Estudos Constitucionais (CEC) da OAB-PE, presidida pelo jurista Ivo Dantas. “Estamos enviando o parecer para a Alepe, na expectativa que aquela Casa Legislativa dê o exemplo no cumprimento da Constituição de nosso Estado”, frisa o presidente da Ordem em Pernambuco, Pedro Henrique Reynaldo Alves.
Ele ressalta que a matéria foi aprovada, por unanimidade, pelo Conselho Pleno da OAB-PE, em reunião realizada na noite da segunda-feira. "Caso a Alepe insista em perpetuar o seu presidente no cargo, em desprezo à norma constitucional, judicializaremos a questão", acrescenta Pedro Henrique.
Relatado pelo professor doutor Marcelo Labanca, em 19 páginas, o parecer da CEC destaca que “sob pena de ocorrência de grave inconstitucionalidade, não é possível ao atual presidente da Assembleia, concorrer ao próximo pleito eleitoral para o mesmo cargo que ocupa atualmente”. Para chegar a esta conclusão, a Comissão da OAB-PE fez uma análise da correta interpretação e amplitude da Emenda Constitucional (EC) 33, de 2011.
A regra vigente, de acordo com o documento, é a vedação à reeleição do terceiro mandato e a excepcional, carreada pelo Artigo 3º da EC 33, é a possibilidade da reeleição para o terceiro mandato apenas na eleição para o segundo biênio da 17ª legislatura (biênio 2013/2014). O parecer ressalta ainda que “regras excepcionais devem ser interpretadas restritivamente, já que não se pode interpretar de forma ampla aquilo que é uma exceção”.
Dessa maneira, a interpretação do Artigo 3º, combinada com a do parágrafo 5º do Artigo 17 da Constituição, conduz à aplicação da vedação da reeleição para o terceiro mandato já no primeiro biênio da próxima legislatura.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

República de Surubim emplaca ex-prefeito de Carnaíba


O ex-prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), vai assumir a Secretaria de Desenvolvimento Regional, emplacado pelo deputado Danilo Cabral, que sai extremamente fortalecido na montagem da equipe de Paulo Câmara.
Além de assumir a pasta de Planejamento, Danilo colocou o primo Nilton Mota em Agricultura e Márcio Stafani na Fazenda. De tão forte na futura gestão, as pessoas já estão se referindo ao Governo de Câmara como a 'A República de Surubim'.
Em tempo: Danilo e NIlton são de Surubim.

Lula presta depoimento à Polícia Federal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva prestou, na última terça-feira (9), depoimento à Polícia Federal em um inquérito complementar do mensalão. O depoimento do petista foi dado em Brasília, na condição de testemunha. Segundo a Folha apurou, Lula não relatou grandes novidades. Ele aproveitou compromissos na capital para atender ao pedido da PF. O encontro, contudo, não foi divulgado por sua assessoria de imprensa.
Em setembro deste ano, a Folha mostrou que a Polícia Federal tentava, desde fevereiro deste ano, colher declarações do ex-presidente. Lula negou, naquele momento, ter recebido qualquer convite nesse sentido.
"Não sei como vocês ficam sabendo de uma notificação que eu não recebi. Não sei se é o editor, o redator, sinceramente não sei", afirmou ele à época, prontificando-se a ajudar caso fosse chamado.(Da Folha de S.Paulo - Natuza Nery)

Queria. Aécio faria de FHC seu chanceler

 O candidato derrotado do PSDB à Presidência, Aécio Neves, tinha convidado Fernando Henrique Cardoso para ser seu chanceler caso fosse eleito. O tucano queria ampliar o peso do país na política externa. FHC tinha aceitado a ideia. A informação é de Vera Magalhães, na Folha de S.Paulo desta segunda-feira Seria a primeira vez desde a redemocratização que um ex-presidente eleito assumiria como ministro num governo posterior. Nilo Peçanha, que virou presidente com a morte de Afonso Pena e governou de 1909 a 1910, foi ministro das Relações Exteriores no governo Venceslau Brás (1914-1918).

A despedida de velhos conhecidos

Hora do adeus: senadores Pedro Simon e José Sarney  (Foto: Geraldo Magela / Ag. Senado)Hora do adeus: senadores Pedro Simon e José Sarney
Com o fim da legislatura, nomes importantes do Congresso Nacional estão deixando suas cadeiras.
De alguns, o país sentirá falta. De outros, nem tanto
Quando o jovem senador Pedro Simon tomou posse no Congresso Nacional, o Brasil ainda era uma ditadura. O político gaúcho se transformaria em uma das principais vozes do processo de transição para a democracia. Naquele ano de 1979, entretanto, já fazia 24 anos que José Sarney chegara à Câmara dos Deputados pela primeira vez. O imperador do Maranhão, que àquela altura era filiado à Arena, seria eleito presidente do Senado quatro vezes.
O índice de renovação do Congresso nas últimas eleições ficou em cerca de 45%, dentro da média histórica. Mas, como é natural, um grupo de parlamentares importantes está deixando o Congresso. Alguns deles chegaram ao fim da carreira política. Outros ainda pensam em voltar, mas precisarão se acertar com as urnas. De alguns, como o gaúcho Pedro Simon, o país sentirá falta. De outros, como o maranhense eleito pelo Amapá José Sarney, nem tanto.
Simon e Sarney são expoentes de uma geração que, apesar de hoje serem colegas de partido, muitas vezes estiveram em lados opostos da História. Enquanto Sarney apoiou o regime militar até que o barco começasse a afundar, Simon esteve no lado contrário. Enquanto Sarney passou por sete partidos, Simon está no PMDB desde a fundação da sigla – até hoje o gaúcho se refere à legenda como MDB. Antes, havia pertencido apenas ao PTB, que foi extinto pela ditadura.
Simon enfrentou Sarney também durante o escândalo dos atos secretos, que veio à tona em 2009, e por pouco não abreviou a longeva carreira do maranhense. Sarney presidia o Senado e escapou dos processos de cassação.  (Da Veja - Gabriel Castro)

domingo, 14 de dezembro de 2014

Acusadora foi a principal assessora do delator Costa

 A geóloga Venina Velosa da Fonseca foi, durante muitos anos, considerada braço direito do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa. Na condição de gerente executiva da diretoria dele, ela era, na prática, a pessoa mais importante depois de Costa. Podia até substituir interinamente o chefe, e participava de praticamente todas as reuniões com fornecedores. Tinha, portanto, um ponto de vista privilegiado do que se passava na Diretoria de Abastecimento.
Venina foi gerente executiva da área corporativa do Abastecimento entre 2005 e 2009, período em que foram superfaturados parte dos contratos com empreiteiras investigados na Operação Lava-Jato para a construção de projetos como a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. Entre março de 2008 e julho de 2009, ela também foi integrante do conselho de administração da refinaria, que era presidido por Costa.
— Só ocupa esse cargo quem tem a confiança do diretor e um bom pistolão político — diz um executivo da Petrobras que pede para não se identificar.
Geóloga formada pela Universidade Federal de Ouro Preto, Venina é mais conhecida como ocupante de cargos executivos do que técnicos na Petrobras. Concursada, ela ingressou na estatal em 1990 como geóloga no Distrito de Exploração e Produção da Amazônia. Logo assumiu cargos de gerência na área de meio ambiente e segurança. Em 1999, no governo Fernando Henrique, ela passou a atuar na área de gestão da Diretoria de Gás e Energia, onde começou a trabalhar com Paulo Roberto Costa, na época gerente geral de Logística. Com a posse de Lula, Costa virou diretor de Abastecimento e, em 2005, levou Venina para ser sua principal auxiliar.
Executivos da Petrobras que trabalharam com Venina se surpreenderam ontem com as denúncias dela. Como assinava tudo junto com Costa, ela era vista como alguém alinhada ao grupo dele.

Collor e Roseana receberam da Lava Jato, diz delator

A operação Lava Jato da PF (Polícia Federal) já descobriu um complexo e bilionário esquema de corrupção dentro da Petrobras, mas faltava aos investigadores entender como o dinheiro ia parar nas mãos dos corruptos. Reportagem da revista Veja deste sábado (13) indica que o leva-e-traz da quadrilha era Rafael Ângulo Lopez, braço-direito do doleiro Alberto Youssef, que está preso na PF em Curitiba desde março deste ano. Lopez já se ofereceu para fazer a delação premiada.
De acordo com a reportagem, Lopez era o responsável pela distribuição da propina. Para levar a grana, ele cobria o corpo com camadas de notas de dinheiro coladas ao corpo — com fita adesiva e plástico filme — e viajava em aviões comerciais de carreira para chegar ao seu destino.(Do portal R7)

20 trilhões: enfiada na Lava Jato, quer quebrar o País

 A construtora Mendes Júnior está cobrando na Justiça uma indenização de R$ 20 trilhões por conta dos prejuízos que teria tido durante a construção da Usina Hidrelétrica de Itaparica, na divisa dos estados de Pernambuco e Bahia, durante a década de 1980.
O valor pedido equivale a quatro vezes o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil. A construtora é investigada hoje na operação lava jato.

Abreu e Lima: sobrepreço de 272% em valor de obra


A Comissão Interna de Apuração da Petrobras, que investigou irregularidades no setor de Abastecimento, analisou dois e-mails da ex-gerente Venina Velosa da Fonseca reclamando de irregularidades. Além de um endereçado a Costa, ela também se queixou sobre o procedimento na contratação do projeto da Casa de Força da refinaria Abreu e Lima, em setembro de 2009. Primeiro Venina pediu explicações à área de Engenharia e afirmou que o valor do empreendimento (US$ 4,056 bilhões) não estaria compatível a contratação da obra da casa de força por R$ 966 milhões (cerca de US$ 568 milhões), a ser feita pela Alusa. O preço era 272% acima do valor orçado e ela encaminhou e-mail a Francisco Pais, assistente de Costa (atual gerente geral de gestão tecnologica) e a Paulo Cezar Amaro Aquino, então gerente executivo do Abastecimento-Petroquímica:
'Somente ontem a noite tomei conhecimento destes números. Quando assinei a pauta da DE isto não foi citado. Peço que da próxima vez estas informaçães sejam incluídas no DIP que vai para a DE. As comparações dos orçamentos, na minha opinião devem ser feitas com a estimativa da Engenharia e com a estimativa do ABAST, no caso em questão , estimativas de FEL 2 da RNEST. Os desvios são grandes e isto me preocupa muito. Hoje na reunião com o Barusco abordaremos esta questão”, disse Venina.
A Comissão atribui à Venina o fato de um desconto negociado com a Alusa não ter sido aplicado integralmente. O desconto oferecido pela empresa era de R$ 34,2 milhões, mas foram aplicados apenas R$ 9,2 milhões. Ou seja, a Petrobras deixou de economizar R$ 25 milhões. Mas a Casa de Força acabou custando para a Petrobras R$ 1,215 bilhão aos cofres da estatal depois de 15 aditivos autorizados.

Antecipação de obra aumentou custos
Marcelino Guedes, presidente da Refinaria Abreu e Lima e atual gerente de capacitação da área de Abastecimento, que também será ouvido pelo Ministério Público Federal, afirmou à Comissão que a antecipação da refinaria, encomendada por Costa, foi danosa para a empresa: 'O Programa de Antecipação causou a quebra do conceito geral de EPC e a antecipação das contratações sem que o projeto tivesse um nível de maturidade suficiente, gerando aditivos e elevação dos custos.”  (De O Globo)

sábado, 13 de dezembro de 2014

Mendonça Filho pede demissão da presidente da Petrobras

Mendonça Filho - foto agência brasil

Por Inaldo Sampaio

O líder do DEM na Câmara Federal,
deputado Mendonça Filho (PE), enviou ofício nesta sexta-feira ao presidente da Casa, deputado Henrique Eduardo, pedindo que solicite à Polícia Federal proteção à funcionária da Petrobras, Venina Velosa da Fonseca, que, segundo o jornal “Valor Econômico” de hoje (12), alertou diversas vezes à presidente da empresa, Graça Foster, sobre a roubalheira que lá existia.
De acordo com o jornal, Venina avisou por escrito a Graça Foster que sucessivos aditivos contratuais estavam tornando a Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco, uma das mais caras do mundo.
Mendonça defende a demissão da presidente da Petrobras por ter se omitido diante das denúncias que foram feitas por sua subordinada.
Ela era gerente-executiva da diretoria de Abastecimento (subordinada diretamente a Paulo Roberto Costa e depois a José Carlos Cosenza) e após insistir em combater as irregularidades chegou a ter uma arma apontada para sua cabeça com recado para que ficasse “quieta”.
“Os integrantes da diretoria não têm a menor condição de permanecer, a começa da presidente Graça Foster. Diante dessas graves denúncias com provas publicadas no ‘Valor’, o mínimo a fazer é substituir toda a cúpula da empresa em nome da preservação da empresa destroçada pelo governo do PT. Graça Foster se omitiu, o que é inadmissível”, disse o líder do DEM.
Já o senador eleito Ronaldo Caiado (DEM-GO), líder da Oposição no Congresso Nacional, acredita que as novas revelações são a prova cabal do envolvimento de Graça Foster com a roubalheira.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Lava Jato: 36 denunciados por corrupção e quadrilha



Ministério Público Federal em Curitiba apresentou denúncia formal contra 36 investigados na Operação Lava Jato, que apura suspeitas de corrupção na Petrobras. Se a peça acusatória for recebida pela Justiça Federal, os acusados viram réus em processo penal por crimes como corrupção, evasão de divisas, entre outros.Destes, 23 são ligados às empresas Camargo Corrêa, Engevix, Galvão Engenharia, Mendes Júnior, OAS  e UTC
Veja a seguir quem são os denunciados:
Alberto Youssef, doleiro

Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento da Petrobras

Waldomiro de Oliveira, dono da MO Consultoria

Carlos Alberto Pereira da Costa, representante formal da GFD Investimentos e subordinado de Alberto Youssef

João Procópio Junqueira Pacheco de Almeida Prado, apontado como operador das contas de doleiro Youssef no exterior

Enivaldo Quadrado, ex-dono da corretora Bônus Banval, atuava na área financeira da empresa GDF e foi condenado no processo do mensalão

Sérgio Cunha Mendes, diretor vice-presidente executivo da Mendes Júnior
Rogério Cunha de Oliveira, diretor da área de óleo e gás da Mendes Júnior

Angelo Alves Mendes, vice-presidente da Mendes Júnior

Alberto Elísio Vilaça Gomes

José Humberto Cruvinel Resende, da Mendes Júnior
Antonio Carlos Fioravante Brasil Pieruccini, advogado que teria recebido valores de Youssef
Mário Lúcio de Oliveira, diretor de uma agência de viagens que atuava na empresa GDF, segundo delação de Youssef
Ricardo Ribeiro Pessoa, presidente da construtora UTC, que fez empréstimos ao doleiro
João de Teive e Argollo, diretor de novos negócios na UTC
Sandra Raphael Guimarães
Dalton Santos Avancini, presidente da Camargo Corrêa

João Ricardo Auler, presidente do Conselho de Administração da Camargo Corrêa

Eduardo Hermelino Leite, o Leitoso, vice-presidente da Camargo Corrêa
Mário Andrade Bonilho, sócio e administrador da empresa Sanko-Sider
Jayme Alves de Oliveira Filho, atuaria com Youssef na lavagem de dinheiro

Adarico Negromonte Filho, irmão do ex-ministro das Cidades Mário Negromonte (PP-BA), apontado como emissário de Youssef

José Adelmário Pinheiro Filho, Leo Pinheiro, presidente da construtora OAS

Agenor Franklin Magalhães Medeiros, diretor-presidente da área internacional da OAS
Mateus Coutinho de Sá Oliveira, funcionário da OAS em SP
José Ricardo Nogueira Breghirolli, apontado como contato de Youssef com a OAS

Fernando Augusto Stremel Andrade, funcionário da OAS

João Alberto Lazzari, representante da OAS

Gerson de Mello Almada, vice-presidente da Engevix Engenharia

Carlos Eduardo Strauch Albero, diretor técnico da Engevix

Newton Prado Junior, diretor técnico da Engevix

Luiz Roberto Pereira, ex-diretor da Engevix

Erton Medeiros Fonseca, diretor de negócios da Galvão Engenharia

Jean Alberto Luscher Castro, diretor presidente da Galvão Engenharia

Dario de Queiroz Galvão Filho, da construtora Queiroz Galvão

Eduardo de Queiroz Galvão, da Queiroz Galvão