sexta-feira, 30 de abril de 2010

Democratas: Magalhães ou Coelho

Se o DEM indicar o vice de Jarbas, o nome mais cotado continua sendo o do deputado Roberto Magalhães, que não disputa mais eleição proporcional. Se a opção for regional, não está descartada a entrada de um Coelho na chapa, no caso Guilherme, filho do ex-deputado Osvaldo Coelho. Tony Gel sai a deputado federal. Folha Política

PP dá seu tempo de TV a Dornelles para que ele possa brigar pela vice de Serra

Foi ao ar na noite desta quinta-feira, em cadeia nacional de rádio e TV, o programa político do PP (Partido Progressista).

O senador e presidente nacional do partido, Francisco Dornelles (RJ), foi quem ancorou o programa do início ao fim por estar com o seu nome cogitado em Minas e em São Paulo para ser o vice de José Serra.

Dornelles é sobrinho de Tancredo Neves, primo de Aécio e presidente nacional de um partido, que, se for para a aliança de Serra, leva um 1 minuto e 40 segundos de TV para o PSDB, tirando esse mesmo tempo da coligação de Dilma.

Dornelles não fala sobre a vice. Mas, como diria o ex-governador do MA, Luiz Rocha, “não pensa 48 horas por dia nesta possibilidade porque o dia só tem 24h”. Fogo Cruzado

Compromisso cobrado a Sergio Guerra

Prorrogado o anúncio da decisão do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) de disputar ou não o Governo do Estado, o dia seguinte dos oposicionistas passou sem maiores avanços nas negociações. Há quem diga que o ex-governador, que vinha sofrendo pressão crescente à medida que via seu prazo inicial se encurtar, conseguiu respirar de alívio depois do adiamento da resposta (de hoje para o dia 7), mesmo que por pouco tempo. De outro lado, ao atender o pedido dos partidos aliados de trocar a data, acabou indo de encontro a um dos princípios que prioriza: arcar com prazos.

Fiel a horários e datas, o senador teria passado por cima de si próprio, ao mudar de última hora os planos, procedimento que não teria lhe deixado confortável. Concordou em nome da última esperança de reunir condições na aliança oposicionista de selar a chapa “mais competitiva”. O que estaria faltando é uma decisão do senador Sérgio Guerra (PSDB) de concorrer à reeleição. Ao ser alçado à condição de coordenador da campanha presidencial de José Serra, rezam os fatos, o dirigente não teria como conciliar o papel de articulador de palanques regionais com uma campanha majoritária no Estado. Embora não condenem o receio de Guerra em abrir mão da coordenação, aliancistas cobram agora “compromisso” da parte dele. Por RENATA BEZERRA DE MELO

quinta-feira, 29 de abril de 2010

Jarbas adia decisão e sinaliza ser candidato

Era final da tarde de ontem, quando o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PSDB), deixou o gabinete do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), após breve reunião. Pouco tempo depois, o peemedebista soltou comunicado pedindo tempo - mais uma semana. No lugar de anunciar se será ou não candidato ao Governo do Estado amanhã, como estava previsto, avisou que só o fará na próxima sexta-feira (7 de maio). Diante da mudança, jarbistas veem sinais claros de um “sim” à vista. “Porque ninguém adia uma resposta para dizer que não é”, foi dito no bastidor.
Por tabela, cogitou-se que o adiamento poderia vir a calhar com uma visita, a Pernambuco, do presidenciável José Serra (PSDB) - razão maior de Jarbas entrar na disputa. Coordenador geral da campanha presidencial, Sérgio Guerra informou que o ex-governador de São Paulo tem sim agenda pelo Nordeste, “mas só dentro de 15 dias”. “Vamos ter uma programação pelo Nordeste daqui a duas semanas. Será uma visita pelo Interior e pelas capitais. Faremos Ceará, Piauí, Paraíba e Pernambuco”, adiantou

Eleições: o balcão de negócios pela prefeitura em 2012

Faltando praticamente três anos para as eleições de 2012, figuras do PT de são José do Egito já começaram a transformar seus projetos de chegar ao poder fazendo da prefeitura em um balcão de negócio para facilitar a candidatura de um de seus integrantes, provavelmente o ex-presidente do PT e ex-diretor do único hospital público da cidade, Romério Guimarães.

O ex-diretor do hospital Unidade Mista Maria Rafael de Siqueira ainda não assumiu de público sua postura de ter feito um acordo com o ex-deputado Zé Marcos de Lima e o deputado federal Inocêncio Oliveira (PR). A troca seria o apoio à candidatura a deputado do Zé em 2010 e em 2012, receber sua reciprocidade.

A informação sobre o conchavo político entre PT e o PR de Zé Marcos e Inocêncio Oliveira, foi divulgada e comentada na rádio liberdade FM por este jornalista há dias, e, consequentemente, publicada na última edição deste jorna, aniversário da referida cidade.

O impressionante nessa “estória” é as novas caras de paus dessa gente do PT, figuras que até pouco tempo, inclusive, o ex-secretário de cultura Neném Patriota, que dizia há dez anos atrás que sua casa havia sido alvejada de balas, e que o mandante do crime teria sido o ex-deputado, quem não lembra? Eu pessoalmente nunca acreditei que Zé Marcos tivesse tido participação naquele caso, mas o Patriota afirmava em todo canto da cidade que a encomenda partiu do gordo. Foi verdade ou Patriota mentiu na época para deturpar a imagem política do Zé, e enganar o povo?

Rona Leite beijou a pedra? Sim! Esse é o principal articulador do conluio. Há tempo que esse senhor se encontra com Zé Marcos em Recife para tratar de assunto político pertinente ao município, aliás, Rona atende os caprichos do ex-presidente do partido dos trabalhadores, Dr. Romério.

É bom esse pessoal do PT ter muito cuidado. Eu já vi o mais fraco vencer o mais forte, mas o mais esperto sempre vence, e, nesse filme, o mais esperto é o ZÉ...

A lição que se tira disso é que, às vezes, a melhor estratégia para o menos apto é permanecer invisível, imperceptível. Desta forma, os maiores lutam entre si e, caso não se destrua, ao menos haverão de se enfraquecer mutuamente. O Zé não alisa e não cumpre o que diz.

Para concluir: “A melhor maneira de resolver o problema é olhar para frente e pensar para trás”. Por Claudio Soares

André diz que Eduardo constrange prefeitos

O deputado federal André de Paula (DEM) afirmou que o grande número de prefeitos que eram da oposição e aderiram ao Governo Eduardo Campos (PSB) só o fizeram por conta da “coação” que o socialista impõe aos gestores municipais. “Há um pragmatismo e também uma debilidade econômica dos municípios, que facilita a voracidade de um governador, mesmo quando ele não tem essa intenção, como era o caso de (o hoje senador) Jarbas Vasconcelos (PMDB). Mas não é o de Eduardo agora. Eduardo gera constrangimento, cerca o prefeito, constrange os adversários e obriga-os a serem aliados. Ele faz o discurso do bom moço, daquele que governa para todos, mas na prática não é verdade”, afirmou o democrata, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

O povo não é inocente

O deputado federal, Inocêncio Oliveira (PR) puxa daqui há três eleições sempre pouco mais de dois mil votos. Nos seus discursos ele já prometeu escola técnica, faculdade, açudes, hospital, etc. O hospital que seu aliado possuía (menino de Jesus) foi fechado, açudes e faculdade só se for em Serra Talhada, a escola técnica pode aparecer graças a ação do prefeito Evandro Valadares que pediu direto ao governador Eduardo Campos, e o governador disse que vai sair. Desse jeito, o povo não é Inocêncio. Por Claudio Soares

Guerra: o nó a ser desatado

A indecisão do senador Sérgio Guerra (PSDB) foi o motivo. Mas nem ele nem algum outro intregrante do bloco oposicionista assume. Porém, o fato de o tucano ainda não ter afirmado publicamente se disputará a reeleição obrigou a oposição a esperar por mais uma semana: o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) só anunciará se concorre ou não ao governo no dia 7 de maio.


Na conversa que tiveram ontem em Brasília, Jarbas não obteve garantias de que Sérgio Guerra concorrerá à reeleição em outubro Foto: Jaqueline Maia/DP/D.A Press - 23/2/06
Inicialmente marcada para acontecer amanhã, a oficialização do destino Jarbas depende, pelo que se observou ontem, do rumo que o tucano irá tomar. Guerra diz que antes de bater o martelo levará em consideração a opinião de amigos e de correligionários do PSDB, partido que preside nos planos nacional e estadual. Curiosamente, gente muito próxima a ele garante que o líder tucano está decidido a disputar cadeira na Câmara dos Deputados, abrindo mão da corrida ao Senado.

Na conversa que teve ontem com Jarbas para tratar exatamente de qual caminho seguirá em 2010, Guerra não foi afirmativo. Na visão de deputados federais que acompanhavam a movimentação o encontro "não foi conclusivo". Ou seja, a condição de ter o tucano na briga pela reeleição, colocada pelo senador do PMDB para aceitar entrar no páreo pelo Executivo, não foi confirmada. DP,29/04/10

A banda podre do PT

Corre solto na boca miúda em São José do Egito, precisamente, na rua da baixa: “a banda do PT que está com Zé Marcos é a podre, pois a banda boa (pessoal do sindicato rural) corre do Zé feito o diabo corre da cruz”... Por Claudio Soares

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Jarbas Vasconcelos avisa que a sua decisão será adiada

O Senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) envia nota à imprensa informando que vai adiar ainda mais sua decisão sobre ser ou não candidato ao Governo de Pernambuco. Confira a nota abaixo:


Comunicado do Senador Jarbas Vasconcelos

“Gostaria de informar que, atendendo solicitação do PSDB, DEM, PPS, PMN e PMDB, resolvi adiar para o próximo dia 7 de maio, uma sexta-feira, o anúncio da minha decisão de disputar ou não o Governo de Pernambuco. Nos últimos dias, conversei com os representantes dos partidos de oposição sobre as eleições deste ano. Essas mesmas lideranças apontaram a necessidade de que essas reuniões se estendessem além desta sexta-feira, dia 30 de abril, prazo que tinha fixado anteriormente para me pronunciar sobre o assunto”.

Senador JARBAS VASCONCELOS (PMDB-PE)

Jarbistas não consideram prefeitos como problema

O tempo vai ficando mais curto e a oposição, ainda no suspense sobre o destino do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), admite não ter argumentos extras a lançar para convencê-lo a disputar o Governo do Estado. Também não tem ideia exata do que poderia justificar uma negativa dele a essa altura do campeonato. Se, ao apontar a candidatura do senador Sérgio Guerra (PSDB) à reeleição como premissa para encarar o desafio, Jarbas entendia que isso poderia significar arregimentação dos prefeitos tucanos, aliados diminuem a importância desse fator. Não veem, na ausência do tucano na chapa, motivo para o ex-governador dar um “não”. Ao mesmo tempo, entendem que ele tem o direito de pedir. Sobretudo, em função da necessidade de demonstrar “unidade”. Isso estaria prevalecendo.
“Os prefeitos são necessários, mas, neste momento, a discussão não é essa. É um entendimento entre Guerra, Jarbas e José Serra (PSDB) para montar a chapa, porque o PSDB é um dos partidos mais importantes da nossa aliança em Pernambuco”, observou o deputado federal Raul Henry (PMDB). E por que Sérgio seria tão relevante nessa composição? “Ele é uma grande liderança, a maior do PSDB, fundamental e tem o candidato a presidente da República (José Serra)”, complementou. Por RENATA BEZERRA DE MELO

Deputada do DEM admite clima de tensão

A deputada estadual Miriam Lacerda (DEM) deixou transparecer, ontem, o clima de apreensão dos parlamentares e candidatos ao Legislativo, devido à indefinição do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) quanto à candidatura ao Governo Estadual. Ela assumiu que todo cenário do grupo dependerá essencialmente da decisão do peemedebista. “Achamos que devemos sair no chapão, mas tudo depende se Jarbas é candidato ou não. É ruim sair sem candidato, é importante ter uma chapa forte, representativa. Chegar no eleitor sem governador e senador é difícil”, confessou, ontem, em entrevista à Rádio Folha 96,7 FM.

Para o DEM, saída amplia chances de Serra

O presidente do DEM, deputado Rodrigo Maia (RJ), avaliou como positiva para a candidatura de José Serra (PSDB) a saída do deputado Ciro Gomes (PSB) da disputa presidencial. “É uma decisão que favorece muito a candidatura do Serra. Ele é o grande beneficiado”, disse o deputado. Para ele, a saída de Ciro fará com que Serra ganhe a eleição no primeiro turno. O deputado disse que uma eleição de contraponto favorece o tucano. “Eles estão olhando para o passado, quando a população vai votar olhando para ao futuro.”

Segundo Maia, o eleitorado que Ciro tinha deve passar para Serra, já que os ataques ao deputado vieram da campanha de Dilma. “Como Dilma começou a campanha antes, ela acabou tomando votos de Ciro. Esse eleitor que está com Ciro agora já teve todos os motivos para votar nela”, disse. Maia afirmou que o presidente do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, iria comprometer a sua reeleição se Ciro fosse candidato, já que a popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva no Estado é alta. “Eu não conseguia entender como é que o Eduardo Campos ia para a eleição com a base de Lula dividida.”

Projeto ficha-limpa

Fique atento para a reunião de hoje da Comissão de Constituição e Justiça da Câmara: estará em votação o projeto dos ficha-limpa, que proíbe a candidatura de cidadãos condenados em segunda instância, mesmo que ainda caiba recurso. Considerando-se que o compromisso básico de cada político é com a própria sobrevivência, uma coisa é certa: do jeito que está, o projeto não passa. Com modificações que o tornem bem mais inofensivo, talvez consiga passar. Blog

terça-feira, 27 de abril de 2010

Ciro: "Ao rei tudo, menos a honra"

Em reação à decisão do PSB de rifá-lo da eleição presidencial, Ciro Gomes postou o seguinte artigo em seu blog: 'A cúpula de meu partido, o PSB, decidiu-se por não me dar a oportunidade de concorrer à Presidência da República. Esta sempre foi uma das possibilidades de desdobramento da minha luta. Aliás, esta sempre foi a maior das possibilidades. Acho um erro tático em relação ao melhor interesse do partido e uma deserção de nossos deveres para com o País.

Não é hora mais, entretanto, de repetir os argumentos claros e já tão repetidos e até óbvios. É hora de aceitar a decisão da direção partidária. É hora de controlar a tristeza de ver assim interrompida uma vida pública de mais de 30 anos dedicada ao Brasil e aos brasileiros e concentrar-me no que importa: o futuro de nosso País!

Quero agradecer, muito comovido, a todos os que me estimularam, me apoiaram, me ajudaram, nesta caminhada da qual muito me orgulho.
Quero afirmar que uma democracia não se faz com donos da verdade e que, se minhas verdades não encontram eco na maioria da direção partidária, é preciso respeitar e submeter-se à decisão. É assim que se deve proceder mesmo que os processos sejam meio tortuosos, às vezes."

Blog 'Política com P maiúsculo' comemora hoje um ano de vida

1) Este blog está comemorando hoje um ano de existência. Ele foi lançado no dia 27 de abril de 2009, no Paço Alfândega, em noite festiva que reuniu as lideranças políticas mais expressivas de Pernambuco, além de dezenas de jornalistas.

2) Lá se vão 12 meses de muita informação sobre a política local e nacional, além de comentários, opiniões, críticas, etc.

3) O editor agradece aos políticos pernambucanos que de uma forma ou de outra ajudaram a manter este blog permanentemente atualizado, assim como à sua colaboradora número um, Fabiana Gonçalves, que também é jornalista e responsável pela postagem das notícias e também dos comentários.

4) Vai também um agradecimento especial aos diretores da TV Asa Branca, especialmente ao seu sócio Vicente Jorge Espíndola, por terem feito o convite ao editor para “hospedar” o blog naquele veículo, que é afiliado à Rede Globo e tem alcance sobre mais de uma centena de municípios pernambucanos.

5) O editor é grato também aos seus leitores, que têm enriquecido o conteúdo do blog com seus comentários e críticas. Bola pra frente!

Inaldo Sampaio

Agora é oficial. PSB rifa Ciro Gomes, para curvar-se a Dilma

O presidente Nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, finalmente anunciou, na tarde desta quinta-feira (23), em Brasília, a decisão da legenda sobre ter ou não candidatura própria à Presidência da República.


O PSB dispensou o deputado federal Ciro Gomes como pré-candidato à sucessão presidencial. Vinte Estados foram contra a candidatura de Ciro enquanto apenas sete votaram a favor.

Segundo integrantes do partido, não houve discussão sobre as negociações entre o partido e o PT nos Estados, mas, reservadamente, esperam que ocorra algum avanço para as próximas semanas.

O presidente da legenda, Eduardo Campos, afirmou que pode se encontrar com Ciro ainda hoje para comunicar a decisão.

"Eu não tenho dúvida que o Ciro Gomes vai seguir a decisão do PSB", disse Campos.

OBRAS FANTASMAS DO GOVERNO EDUARDO CAMPOS

O deputado Augusto Coutinho (DEM), tem andado muito pelo Interior e se deparado com obras fantasmas, mas que aparecem na propaganda governista. Em Saloá, a escola Monsenhor João Marques é um belo exemplo disso. Desde novembro instalaram uma placa e a obra não nasceu. A mesma coisa acontece em relação à Academia das Cidades, que de grandiosa, na verdade, só tem mesmo a placa. “Uma vergonha”, conclui. Folha Política

Guerra: “Jarbas é quem vai decidir”

A conversa agora é entre os senadores Jarbas Vasconcelos (PMDB) e Sérgio Guerra (PSDB). Nos momentos finais de articulação antes de o peemedebista decidir se será ou não candidato ao Governo do Estado, os dois não devem economizar diálogos. “Estou conversando com Jarbas. É com ele que eu tenho que conversar agora”, resumiu, ontem, o tucano. Guerra tem primado pela reserva em relação ao assunto. “Jarbas é quem vai dizer. Ele deu prazo (sexta-feira), ele que vai falar”, advertiu. Mas garantiu que o clima mantém-se amigável, imune a especulações de desentendimento. Em sinal disso, até revelou ter adquirido, nos últimos dias, uma das peças de arte do acervo do ex-governador, “um porco de Brennand”. Pretendia dar de presente, mas gostou tanto da cerâmica que acabou ficando. “Achei muito bonito”, comentou, com bom humor.
O senador peemedebista embarcou para Brasília, ontem pela manhã, e não compareceu, à noite, ao lançamento do livro “A Dinâmica Eleitoral no Brasil”, de seu ex-secretário de Administração, Maurício Romão. Teve a preocupação de explicar, segundo a assessoria do autor, que o momento não seria propício à sua presença diante do clima de costuras finais na oposição. “Se eu for, não consigo sair”, teria ponderado. Por RENATA BEZERRA DE MELO

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Acidente no campo de pouso de São José do Egito, com o ex- deputado Dr. Edson Moura e seu filho Dr. Junior Moura, provocado por crianças na pista









BRASIL URGENTE, NORMA BENGELL PRESIDENTE!!!

Marco Maciel comemora avanços da lei de arbitragem judicial

O senador Marco Maciel (DEM-PE) comemorou nesta segunda-feira (26) os avanços obtidos na prestação jurisdicional a partir da sanção da Lei nº 9.307/96, que dispõe sobre arbitragem no Brasil e de cuja iniciativa ele foi autor em 1992. Maciel assinalou que grande parte das demandas deixou de ser encaminhada para as instâncias de juízo e passou a ser resolvida por comissões de arbitragem. Para ele, mais criativas na busca de caminhos alternativos para a solução de litígios.

- Acredito, firmemente, que a arbitragem e os demais métodos extrajudiciais de solução de controvérsias terão, cada vez mais, a desejada utilização dos operadores de direito, à medida que a cultura se espalhe e sua utilização se torne conhecimento comezinho do campo do direito - afirmou. Agência Senado

Única candidatura que não depende de ninguém é a de Marco Maciel

Roberto Magalhães ainda não está 100% convencido da não candidatura do senador Jarbas Vasconcelos ao governo estadual, embora esteja ciente dos seguintes fatos:

1) Que Jarbas só será candidato se Serra demonstrar interesse por sua candidatura, pois já teve oportunidade de declarar que não está motivado para entrar numa “luta provinciana” apenas para entrar.

2) Que o senador Sérgio Guerra revela inclinação para ficar com a coordenação política da campanha de Serra, o que seria incompatível com sua candidatura à reeleição.

3) Que a candidatura de Marco Maciel é a única que não depende de ninguém. “Ele permanece calado, discreto, mas fazendo campanha diuturnamente”. Por Inaldo Sampaio

Roberto Magalhães diz que Maciel na chapa de Serra seria muito bom para o DEM-PE

Foi o deputado Roberto Magalhães (DEM) quem chamou a atenção de Marco Maciel para a nota publicada ontem na coluna política do jornalista Cláudio Humberto apontando-o como uma das opções de Serra para ser seu vice.

Maciel foi o vice de Fernando Henrique Cardoso nos dois mandatos e saiu com fama de alguém que conseguiu ser discreto sem ser omisso. Não procurou fazer sombra ao presidente, nem criou qualquer tipo de problema para o governo. Muito pelo contrário.

Marco, até a hora do telefonema do deputado, não tinha visto ainda o jornal (JC). Mas não quis fazer nenhum tipo de comentário sobre a nota por achar que só quem deve falar sobre isso é o candidato.

Para Roberto Magalhães, eventual presença de Marco na chapa seria uma ótima notícia para o DEM-PE, que se encontra politicamente fragilizado, e também para o DEM nacional. Fogo Cruzado

PSDB organiza viagens de Serra

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, pode voltar a se encontrar com o ex-governador mineiro Aécio Neves nesta quarta-feira, em viagem a Minas Gerais. O PSDB organiza a ida dos dois ex-governadores à região de Uberaba para visitar a Expozebu, um dos maiores eventos agropecuários do País. Nesta fase de pré-campanha, Serra tem apostado em viagens ao Nordeste e a grandes colégios eleitorais, onde tem conversado com empresários e comerciantes e concedido entrevistas a rádios e televisões regionais.

Serra e Aécio promovem aparições públicas juntos como forma de mostrar unidade do partido. Considerado o vice dos sonhos de Serra, Aécio diz que disputará uma vaga ao Senado por Minas. Ontem, em entrevista ao jornalista Ricardo Noblat, o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, disse que, na opinião dele, “não tem chances” de o mineiro ser o vice. Também está prevista a volta de Serra à Bahia, amanhã, para visitar Alagoinhas e Feira de Santana. Na primeira cidade, décimo maior colégio eleitoral do Estado, o prefeito é o tucano Paulo Cezar.

Em Feira de Santana, segundo maior colégio eleitoral do Estado, Serra participa do lançamento da pré-candidatura do ex-prefeito José Ronaldo (DEM) ao Senado, na chapa, que lançará Paulo Souto (DEM) ao governo baiano com o apoio dos tucanos. “É a segunda vez que ele vem num período de dez dias. É o reconhecimento da importância do Nordeste. O PT teve desempenho bom na Bahia nas últimas eleições, mas Serra pode mudar isso”, afirmou o deputado ACM Neto (DEM-BA).

Rio Grande do Norte oferece concurso com mais de 2 mil chances

Rosália Vasconcelos
Da Folha dos Concursos

Com salários que variam entre R$ 800 a R$ 3.200, a Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte abriu concurso para preencher 2.450 vagas em cargos na área médica, de níveis médio e superior. Além dos vencimentos, ainda há ainda Gratificação de Deslocamento Geográfico, para os cargos de nível superior, que varia de R$ 420 a R$ 840. As provas objetivas serão aplicadas em 23 de maio.

Os interessados devem realizar as inscrições até o dia 04 de maio, através do site da Funcab (www.funcab.org), organizadora do certame. A taxa de participação é de R$ 60 para nível médio e R$ 95 para nível superior.

Os profissionais das diversas especialidades médicas que forem aprovados no processo seletivo serão lotados nas unidades de saúde da Sesap em todo o estado do Rio Grande do Norte. De nível médio, os cargos são de técnico em análises clínicas, necrotomista, técnico em enfermagem, técnico em hemoterapia e técnico em radiologia.

Já de nível superior, as vagas são para médicos anestesiologista, broncoscopista, cardiologista, cardio-pediatra, cirurgião geral, cirurgião pediátrico, cirurgião vascular, clínico geral, endoscopista, geneticista, gineco-obstetra, hematologista (adulto), infectologista, intensivista, intensivista infantil, neonatologista, nefrologista, neurocirurgião, neuroencefalografista, neurologista, ortopedista, patologista, pediatra, pneumologista, psiquiatra, psiquiatra infantil, tomografista, do trabalho, ultrassonografista e urologista, além de biomédico, enfermeiro, farmacêutico e farmacêutico/bioquímico.

Serviço

Vagas: 2.450

Cargos: diversos

Nível: médio e superior

Salário: de R$ 800 a R$ 3.200

Inscrições: até 04/05

Taxa: R$ 60 e R$ 95

Prova: 23/05

Informações: www.funcab.org

domingo, 25 de abril de 2010

Cinco dias de suspense na oposição









É aparentando serenidade que o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) vai conduzindo o barco até o dia 30 quando já prometeu anunciar se será ou não candidato ao Governo do Estado. A amigos revelou, na sexta-feira: “A gente tem que resolver sem se angustiar”. Até o ultimato, são cinco dias. “Muito tempo na política, muita coisa pode acontecer”, observou o ex-governador a um aliado. Distante do clima de angústia que muitos apostam estar tomando a oposição de assalto, o senador passou a manhã da sexta-feira lendo em seu escritório Debate. Aproveitou para se atualizar com as notícias jornalísticas, almoçou com amigos e seguiu para reunião familiar à tarde. Desde a última quarta-feira, não arredou o pé do Recife. Não voltou a Brasília para a posse do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, como se cogitou.

O que tinha de resolver fora da capital pernambucana, na última semana, sanou. Foi visto, inclusive, num vôo de São Paulo para Recife, depois de ter deixado Brasília na terça-feira. Aliados tiveram o cuidado de dizer que a referida aeronave partira de Brasília, implicitamente, no intuito de afastar a ideia de que o ex-governador teria ido acertar os ponteiros com o presidenciável José Serra (PSDB). Estava nas mãos do tucano o rumo que o senador tomaria.

Embora não dê demonstrações, Jarbas, esta semana, teria dado um salto nas articulações no plano nacional para a etapa de contato com aliados locais. Estaria conferindo o sentimento de amigos pernambucanos. Tudo em sigilo. As conversas estariam ocorrendo desde o meio da semana que se encerra, mas ninguém está autorizado a comentá-las.

Entre os aliancistas, persiste a interrogação. Não há definição é o que respondem os oposicionistas quando questionados. Parte deles, não esconde o incômodo da espera, outra metade optou por rir da indefinição. Há costuras desencadeadas em Pernambuco? “Não. Há suturas”, brinca o deputado federal Raul Jungmann (PPS). “Este maracatu está mal ensaiado”, resume, em seguida, em tom de riso. Prevalece o clima de que o que não tem remédio remediado está.

Em ligações telefônicas, uns tacham os outros de “oráculo de Delfos” na pressão psicológica por sacar alguma informação adicional. Jarbas não disse que não era candidato até agora. Há o consenso de que o ingrediente responsável pelo “sim” seria uma confirmação do senador Sérgio Guerra na chapa. Não precisava nem ser como candidato à reeleição, poderia ser até na vaga de vice.

“Ele teria como conciliar (a vice) com a coordenação da campanha presidencial. Se não estiver na chapa, quem garante que os prefeitos do PSDB todos, boa parte ligada ao Palácio do Campo das Princesas, vai votar, inclusive em José Serra (presidenciável do PSDB)? São cinco votos. Vão concentrar todos em governistas e separar um para Serra? Quem garante?”, questiona um jarbista.


Senador

Do outro lado da história, o senador Sérgio Guerra nunca disse publicamente que trocaria a disputa do Senado pela Câmara Federal. Mesmo assim, até tucanos deixam correr solto nos bastidores as chances de isso ocorrer. Da cozinha de Jarbas não se condena o receio do presidente do PSDB de enfrentar uma dura disputa pelo Senado, mas se reconhece que um desvio de rota do dirigente tucano diminuiria a probabilidade de Jarbas encarar, em condições consideradas já desfavoráveis, um adversário emblemático - o governador Eduardo Campos (PSB).

A delonga também ganha outra explicação, ungida por governistas: Jarbas representaria o anti-Lula de que Serra não precisaria agora, uma vez que o presidente da República domina o eleitorado do Nordeste. Pessoas ligadas a Jarbas dizem que tal versão serviria até para tirar o peso das costas dele, caso Serra a acatasse.

Por RENATA BEZERRA DE MELO

sábado, 24 de abril de 2010

Ciro questiona Lula e já aponta erros de Dilma

Sem papas na língua, Ciro Gomes (PSB) questionou: "por que o presidente Lula não trata direto comigo, frente a frente? Segundo Ciro, a alta popularidade de Lula está fazendo com que ele perca a humildade. Outro ponto abordado durante a entrevista ao SBT agora há pouco foi a concordância do PT e do PSDB em não querer sua candidatura à Presidência.

"Serra e o PT querem que eu desista. Um deles está errado", dispara Ciro. E depois conclui dizendo que quem erra é o PT, já que trata-se de um aliado que apoiaria Dilma em um segundo turno. Para ele, Dilma cometeu três erros básicos: ir a Minas Gerais, ir ao Ceará e ter José Dirceu em seu staff de campanha. "Será um desacato ao Judiciário e à opinião pública a Dilma usar José Dirceu na campanha. Ele deve explicações à Justiça".

Líderes do PSDB endossam declarações

Lideranças do PSDB endossaram ontem as palavras de Ciro Gomes (PSB) de que o tucano José Serra é “mais preparado” para assumir a Presidência da República do que a pré-candidata petista Dilma Rousseff. Além de comemorar as farpas de Ciro disparadas a Dilma, os tucanos também se mostraram surpresos com o fato de um aliado do presidente Lula criticá-lo publicamente. Na opinião dos oposicionistas, Ciro reagiu depois de ser “escanteado” pelo presidente Lula, que optou por fazer de Dilma a sua candidata. “Ele foi cozinhado grosseiramente, depois percebeu que sequer seria candidato a governador de São Paulo. O tratamento que deram a ele não foi leal”, disse o líder do PSDB no Senado, Arthur Virgílio (AM).
Para o líder tucano na Câmara, deputado João Almeida (BA), Ciro se “iludiu” com o presidente Lula quando acreditou que seria o candidato da base aliada ao Palácio do Planalto. “O Ciro não entendeu a personalidade do Lula. Achou que seria valorizado, mas o projeto do Lula é a Dilma”, afirmou. Na opinião de Almeida, as recentes declarações de Lula mostram que o presidente está “cada vez mais distante da realidade”.

Ciro critica aliados e elogia Serra

Ciro Gomes, deputado federal pelo PSB e até anteontem à noite possível candidato à Presidência, disparou ao ver o partido retirar apoio à sua candidatura: “Lula está navegando na maionese”. Em entrevista ao portal IG, o pessebista fez referência ao “apoio desmedido” do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a sua pré-candidata, a ex-ministra petista Dilma Rousseff.

“Ele está se sentindo o Todo-Poderoso e acha que vai batizar Dilma presidente da República. Pior: ninguém chega para ele e diz “presidente, tenha calma”. No primeiro mandato eu cumpria esse papel de conselheiro, a Dilma, que é uma pessoa valorosa, fazia isso, o Márcio Thomaz Bastos fazia isso. Agora ninguém faz”, disse.

Embora afirme que ele merece a alta aprovação de seu governo, Ciro diz que “Lula não é Deus”. Sua mágoa é com a influência do presidente nas resoluções internas de seu partido. “Estou como a Tereza Batista cansada de guerra. Acompanho o partido. Não vou confrontar o Lula. Não vou confrontar a Dilma.” O deputado afirmou que vai obedecer a decisão do seu partido, mas que não desistiu de ser candidato à Presidência. “Até terça-feira de manhã, vou lutar e espernear, mas vou obedecer a decisão do partido”, disse em entrevista, ontem à noite, ao programa “SBT Brasil”, do SBT.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Brejinho: Sem saúde e sem governo...

Caros amigos
O blog esta com dificuldade de postar materias, logo republicamos a materia sobre o hospital de Brejinho. Agradece a Redação

‘Dilma está agressiva’, diz Sérgio Guerra

Em resposta à comparação que a candidata petista Dilma Rousseff fez, chamando o tucano José Serra de “biruta de aeroporto, que ora critica, ora elogia o governo Lula”, o presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE), disse que “Dilma está agressiva e desregulada”. Mas o senador também afirmou que quer manter o tom da campanha tucana “leve e construtivo” até outubro.

PT da Bahia censura Lula após ‘pito’ no governador Jaques Wagner

O líder da oposição na Assembléia baiana, Heraldo Rocha (DEM), brincou que “o PT da Bahia conseguiu se superar. Desta vez censurou o presidente Lula”. Trata-se de um pedido do PT para retirar uma peça de propaganda política do Democratas, com imagens captadas num evento em Ihéus e exibidas na internet, em que o presidente desautoriza do governador petista Jaques Wagner, que havia acabado de prometer a construção de uma ponte. A suspensão da peça pegou o DEM de surpresa, “pois era material jornalístico amplamente divulgado em blogs da Bahia”, segundo Heraldo.

Jarbas com Serra

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) teve uma longa conversa com José Serra sobre sua candidatura ao governo de Pernambuco, mas nada ficou decidido. Jarbas só definirá a candidatura no dia 30. CH,23/04/10

quinta-feira, 22 de abril de 2010

PM é ameaçado de morte pelo prefeito Brejinho

No dia 15/04/2010 o sargento da PM, Antonio Felix da Silva, mais conhecido como Silva Soldado” registrou uma ocorrência na Delegacia Policial de Itapetim, onde relatou que foi ameaçado pelo prefeito de Brejinho José Wanderlei.

Silva, como é conhecido, residente na rua João Venâncio em Brejinho, afirmou em seu depoimento que a discussão iniciou quando o prefeito indagou que “andou sabendo que silva andava se importando com a vida dele”, e o Sgtº Silva se defendeu falando que não se preocupava com a vida do prefeito nem quando estava sendo perseguido pelo mesmo”, no sentido de ser transferido por várias vezes de cidade a pedido do prefeito.

Silva afirma que o prefeito falou que nada mais podia fazer para prejudicar ele pelo estado, que ele cuidasse da vida, pois ia mandar lhe matar”, Silva ainda afirmou, “que era só isso que estava faltando para o prefeito fazer, utilizar de sua fortuna para mandar matar gente”.

O prefeito então foi até o carro e retornando juntamente com o sr. João Bento, insistiu por várias vezes para que silva lhe batesse, dizendo "Deixa de ser mole, seja homem e bata na minha cara agora" Silva então respondeu que já mais faria isso, saiu do local e falou que iria procurar seus direitos e resgistrar a ameaça, O prefeito então responde "Pode procurar quem você quiser, promotor, juiz, delegado, que depois que eu fizer o que eu quiser com vc, o resto eu resolvo com esse pessoal"

Será que o senhor prefeito, tá ainda na era de que se mandava matar as pessoas para não ter oposição? Os tempos são outros... Nem as feiras podem ser transferidas, ou os crimes não serem julgados. Brejinho é de todos, não apenas deste CORONÉ...

Mendonça Filho rebate ataque do presidente

Em resposta às declarações do presidente Luiz Inácio Lula da Silva referentes à Companhia Hidro Elétrica do São Francisco publicadas em entrevista exclusiva ao Diario, o ex-governador Mendonça Filho, presidente do DEM, disse ontem que o governo está incomodado com a pressão da oposição para evitar o suposto esvaziamento da empresa.
Segundo ele, os aliados do presidente esqueceram de avisá-lo que o responsável pelo projeto de lei que permitiu a privatização da Celpe foi o ex-governador Miguel Arraes(PSB). "Ainda ontem (última terça-feira) eles estavam festejando o leilão da Usina de Belo Monte, que é uma privatização", provocou. "Quando tentaram privatizar a Chesf (no governo FHC) fui eu, Marco Maciel e Roberto Magalhães que lutamos para preservá-la", destacou o democrata.

'Vai ser uma merda' adverte Ciro sobre futuras baixarias da turma de Dilma

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) concedeu entrevista ao jornalista Eduardo Oinegue, do portal iG, em que afirma que a campanha presidencial será marcada por baixarias, entre as quais uma ação de grupos radicais abrigados no PT: "Sabe os aloprados do PT que tentaram comprar um dossiê contra os tucanos em 2006? Veremos algo assim de novo. Vai ser uma merda". Ele admite que José Serra tem mais chances de ser eleito e que chegou ao fim o projeto de disputar a presidência da República. Mas faz uma ressalva: "Não me peçam para ir à televisão declarar o meu voto, que eu não vou. Sei lá. Vai ver viajo, vou virar intelectual. Vou fazer outra coisa”.

Ibope mostra Serra em vantagem

Pesquisa Ibope/Diário do Comércio divulgada ontem, encomendada pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e realizada entre os dias 13 e 18 de abril, mostra que o pré-candidato à Presidência da República pelo PSDB,José Serra, tem 36% das intenções de voto, enquanto a pré-candidata petista, Dilma Rousseff, aparece com 29%, uma diferença de sete pontos porcentuais. A margem de erro do levantamento é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Em terceiro lugar estão empatados o deputado Ciro Gomes (PSB-SP) e a senadora Marina Silva (PV-AC), com 8% das intenções de voto cada um. A porcentagem de votos em branco e nulos somou 10% e os que disseram não saber em quem votarão nas eleições presidenciais deste ano atingiram 9%.

O último levantamento Ibope, divulgado em 17 de março e encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), mostrou o pré-candidato do PSDB com 35% das intenções, seguido pela pré-candidata do PT com 30%. Ciro registrou 11% e Marina teve 6%. Naquela sondagem, o porcentual de votos em branco e nulos alcançou os mesmos 10% do levantamento atual e dos que disseram não saber em quem votar ou não quiseram responder somou 8%. De acordo com o “Diário do Comércio”, os levantamentos encomendados pela CNI e pela ACSP usam a mesma base de apuração e, logo, podem ser comparados entre si.

Jarbas: “Não conversei com Serra”


Após dois dias de muita especulação, com aliados batendo cabeça e dando informações desencontradas, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) foi localizado pela reportagem, ontem à noite, para esclarecer se conversou ou não com o presidenciável José Serra (PSDB), na última terça-feira, sobre sua provável candidatura ao Governo. “Não conversei com Serra”, garantiu o peemedebista, adiantando, apenas, que se reunirá com o aliado “neste final de semana”. O dia e o local da conversa não foram revelados. Jarbas, entretanto, não negou a possibilidade de o tão esperado encontro ser antecipado para hoje, na posse do novo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, ou para amanhã, quando será empossado o novo mandatário do Supremo Tribunal Federal (STF), Cezar Peluso.

Jarbas Vasconcelos também negou que tivesse viajado no mesmo avião que Serra, de Brasília para São Paulo, na terça-feira. “Fui ao Rio de Janeiro resolver problemas pessoais, depois voltei para aqui (Recife). Amanhã (hoje), vou para Brasília”, salientou o senador, apressado em desligar o telefone porque estava pronto para seguir para a Ilha do Retiro a fim de acompanhar o jogo entre Sport e Atlético Mineiro, pela Copa do Brasil. “Não há fato novo”, finalizou. Por ARTHUR CUNHA

Vereador da Paraíba é preso por suspeita de tráfico de drogas

Da Folha Online

O vereador Pedro Eulâmpio da Silva Filho (PMDB), de São Bento (423 km de João Pessoa), foi preso na noite desta terça-feira (20), em Maceió, com 1 kg de pasta de cocaína. Segundo a PF (Polícia Federal), ele é suspeito de ser dono também de outros 25 kg da droga que estavam em um caminhão interceptado.

Silva Filho foi flagrado ao receber 1 kg de pasta --base para o refino da droga-- de um caminhoneiro em um posto de combustíveis da cidade. Segundo o delegado Daniel Coraça, chefe da Divisão de Entorpecentes da PF alagoana, o motorista --que também foi preso e não teve o nome divulgado pela polícia-- disse que os outros 25 kg da droga também seriam entregues ao vereador.

A quantidade apreendida com Silva Filho era, diz o delegado, uma amostra do produto, que seria levada ao comprador. Depois disso, outros 9 kg do entorpecente --encontrados no banco do carona do veículo-- seriam vendidos. Os outros 16 kg da droga, localizados em um fundo falso do veículo, tinham como destino final a cidade de São Bento, de acordo com o depoimento do motorista.