quarta-feira, 30 de abril de 2014

PF acredita que Yousseff influenciava ex-ministro Alexandre Padilha

A Polícia Federal aponta “influência política” do doleiro Alberto Youssef – alvo maior da Operação Lava Jato – sobre o ex-ministro da Saúde Alexandre Padilha, pré-candidato ao governo de São Paulo pelo PT. A suspeita decorre de diálogo interceptado pela PF, entre Primo, como Youssef é conhecido, e a doleira Nelma Mitsue Penasso Kodama, no dia 5 de março, através de um aplicativo de mensagem instantânea. A informação é de reportagem de Fausto Macedo e Fernando Gallo, no jornal O Estado de S. Paulo.
Ela questiona Youssef se ele “tem acesso atualmente” ao delegado-geral da Polícia Civil paulista e cita o nome Maurício Blazeck, que ocupa o cargo desde novembro de 2012. Nelma diz que “queria um cargo para um amigo” dela no Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). “Se o Padilha ganhar o governo ajudo ele e muito”, respondeu o doleiro.
Para a PF, o diálogo grampeado “indica possivelmente que (Youssef) tem influência política junto ao candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha”. “Tá bom. Eu quero então acesso ao delegado geral de sp prá um cargo”, finalizou Nelma. Em outro momento, ela solicita a Youssef que entre em contato através do skype e indica o contato: “joaquina_apazza”. A PF conclui que os dois “possivelmente passaram a conversar através deste dispositivo”.
Labogen. Padilha não é investigado pela Lava Jato, mas o nome dele é citado em outros documentos da PF. No relatório principal, que resultou na ordem de prisão de Youssef e seu grupo, os investigadores revelam o empenho do doleiro para emplacar o laboratório Labogen Química Fina em negócio milionário da Saúde, na gestão do petista. A PF juntou aos autos cópia do projeto de Parceria de Desenvolvimento Produtivo (PDP) do ministério e anexou uma fotografia do ex-ministro em um evento.
Em um relatório, a PF transcreve diálogos entre o doleiro e o deputado André Vargas, que se desfiliou do PT na sexta feira. Numa conversa com Youssef, o parlamentar diz que foi Padilha quem indicou um ex-assessor na Saúde para ocupar cargo no Labogen.
A nova citação a Padilha consta de relatório complementar de monitoramento telemático número 8/14. O trecho em que Nelma indaga Youssef se ele tem acesso ao delegado a PF intitulou “influência governo São Paulo”. O grampo alcançou 512 mensagens entre Youssef, que se identifica por ‘Jaiminho’, e Nelma no período de 28 de fevereiro a 14 de março, no âmbito da Operação Dolce Vita, desdobramento da Lava Jato – foram quatro investigações simultâneas, cada uma relacionada a um grupo de doleiros.

CPI da Petrobras instiga troca de farpas no Congresso


Rede Brasil Atual


Governo e oposição caminham para o fim de mais uma semana no Congresso Nacional sem chegar a um acordo sobre a instalação de comissões parlamentares de inquérito. PSDB e DEM se queixam de que o governo está, por meio da base aliada, usando novas estratégias para protelar cada vez mais as apurações e inviabilizar a comissão. A bancada governista, por sua vez, alega que é a oposição que não quer mais a instalação da CPI da Petrobras.
Enquanto a troca de farpas segue firme e forte, o presidente do Senado Federal, Renan Calheiros (PMDB-AL), determina que os partidos indiquem rapidamente os integrantes de uma comissão exclusiva para investigar denúncias contra a estatal petrolífera, a ser instalada na terça-feira (6), sem caráter de colegiado misto, em parceria com a Câmara dos Deputados, como desejavam os críticos do Palácio do Planalto.

Após reunião com o ministro da Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República, Ricardo Berzoini, o líder do Partido dos Trabalhadores no Senado, Humberto Costa, disse que a base aliada conseguiu firmar o entendimento de indicar os integrantes da comissão naquela Casa Legislativa “o mais rapidamente possível”. Segundo ele, está definido, inclusive, que caberá ao PMDB decidir se quer ficar com a presidência ou a relatoria da comissão.
O restante dos integrantes será decidido em bloco, pelas demais lideranças. “Pedimos a CPI, lutamos pelo seu formato no STF [Supremo Tribunal Federal] e queremos a instalação para ontem”, respondeu o senador Álvaro Dias (PSDB-PR).

“Quem vai devolver o meu mandato?”, pergunta o ex-presidente Fernando Collor

O senador e ex-presidente da República, Fernando Collor de Mello (PTB-AL), discursou ontem no Senado sobre sua absolvição pelo STF, na semana passada, da acusação de improbidade administrativa, 22 anos após ter sido cassado pelo Congresso Nacional.
Ele aproveitou a ocasião para tecer duras críticas ao presidente do STF, ministro Joaquim Barbosa, e também ao Ministério Público Federal por ter feito a denúncia que a ministra e relatora do processo, Carmem Lúcia, considerou inconsistente.
“É de se lamentar também a participação final no julgamento do presidente do Supremo Tribunal Federal, Sr. Joaquim Barbosa. Se, no Brasil, a Justiça como um todo padece de letargia, como ele próprio reconheceu ao final de meu julgamento, o presidente da mais alta Corte judicial carece de liturgia. O Sr. presidente da Suprema Corte do país tem uma carência de liturgia para o exercício de seu cargo. Mais grave do que se confundir ao declarar o resultado do julgamento, chegando a dizer que não havia como proclamá-lo, e até dele desdenhar com descaso e falta de postura, foi a tentativa do senhor ministro Joaquim Barbosa em resumir, de forma desmerecedora e embaraçosa, todo o enredo da ação e do julgamento, deturpando completamente o parecer da ministra relatora e reinterpretando desidiosa e deformadamente os fatos”, afirmou o ex-presidente da República.
Para ele, “não é essa a conduta, a razoabilidade, o estoicismo que se espera de um chefe de Poder da República. Querer, ao fim de um julgamento em que ele mesmo votou pela absolvição do acusado, reescrever todo um processo pelas palavras que lhe são mais convenientes, e ainda com a suposta convicção errônea, que somente a ele pertence, não é crível nem prudente a um presidente do Supremo Tribunal Federal, ainda mais se nada do que disse reflete a verdade do juízo”, acrescentou.
Collor foi absolvido na última quinta-feira das acusações de peculato, corrupção passiva e falsidade ideológica.
Na sessão, todos os ministros concordaram que a denúncia do Ministério Público Federal foi mal formulada e sem provas suficientes para condenar o ex-presidente.
Por esse motivo, perguntou: “Depois de mais de duas décadas de expectativas e inquietações pelas injustiças a mim cometidas, cabe agora perguntar: quem poderá me devolver tudo aquilo que perdi, a começar pelo meu mandato presidencial e o compromisso público que assumi, a tranquilidade perdida por anos a fio?. Quem pagará pela difamação insana, pelo insulto desenfreado, pela humilhação provocada, pelas provações impostas, ou mesmo pelas palavras intolerantemente pronunciadas e, mais ainda, inoportunamente escritas?”

Renan pode responder por desobediência judicial e até quebra de decoro

Diário do Poder

Os líderes dos partidos de oposição avisaram o presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB-RN), que tomarão uma série de medidas contra presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), caso ele continue enrolando a criação da CPI mista da Petrobras, que inclui participação de deputados. Dentre as medidas está representação na Procuradoria Geral da República por crime de desobediência a ordem judicial.
A oposição também ameaça representar contra Renan Calheiros no Conselho de Ética do Senado, por quebra de decoro parlamentar.
O PSDB discute ainda entrar com nova ação no STF pedindo mandado de segurança para estender o princípio constitucional e instalar CPMI.
Em pé de guerra com Renan, o líder Eduardo Cunha (PMDB-RJ) já avisou à oposição que assinará a representação no STF pela CPMI .
Líder do Solidariedade, Fernando Francischini (PR) quer Sérgio Machado (Transpetro), afilhado de Renan, depondo na Câmara.

O cenário está ficando difícil para a presidente

Inaldo Sampaio

 Saiu ontem mais uma pesquisa do MDA sobre a corrida eleitoral pelo Palácio do Planalto e os números não são animadores para a presidente Dilma Rousseff. Em pesquisas anteriores de outros institutos, Dilma sempre liderou com folga em todos os cenários e bateria seus adversários no primeiro turno se porventura a eleição fosse hoje. Agora, não. Ela ainda é o 1º com 37% de intenções de voto (eram 43,7% em fevereiro), mas a soma de Aécio Neves com Eduardo Campos totaliza 33,4%. Temos, portanto, empate técnico entre ela e as oposições, donde se deduz que a eleição será decidida no segundo turno. Além disso, todos os outros cenários são negativos para a atual presidente. Caiu a taxa de eleitores que aprovam o seu governo e cresceu a que desaprova, bem como o percentual que acha que o custo de vida está subindo. Exemplo? O reajuste de 17,51% na conta de luz dos pernambucanos que passou a valer a partir de ontem.

Ex-prefeito de Santa Cruz do Capibaribe é condenado por improbidade administrativa

O juiz da 1ª Vara Cível da Comarca de Santa Cruz do Capibaribe, Tito Lívio Araújo Monteiro, condenou o ex-prefeito do município, José Augusto Maia, e o filho do ex-vice-prefeito, José Alexsandro de Araújo, por improbidade administrativa. Os réus foram acusados de envolvimento em irregularidades na contratação da merenda escolar do município nos anos de 2005 e 2006. As partes ainda podem recorrer.
O ex-prefeito, que hoje é deputado federal, foi condenado à suspensão dos direitos políticos pelo prazo de três anos e ao pagamento de multa civil no valor de R$ 18 mil. Sobre o valor incidirá juros de 1% ao mês e correção monetária a partir da data da sentença. A decisão foi publicada na edição do último dia 11 de abril no Diário de Justiça Eletrônico.
O réu José Alexsandro de Araújo teve os seus direitos políticos suspensos e ficou proibido de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, ambos pelo prazo de três anos. José é filho do ex-vice-prefeito, José Elias Filho.

A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) criticou no Senado a passagem de Eduardo Campos e Marina Silva pelo Amazonas. O líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque, no seu blog brincou: “Você preocupada com meu candidato e nós engajados na campanha do seu (Flávio Dino, candidato a governador). Dilma apoia quem no Maranhão?”.


terça-feira, 29 de abril de 2014

CNT/MDA: Dilma ainda lidera, mas cai de 43% para 37%

Valor.
A presidente Dilma Rousseff (PT) permanece na liderança da disputa pelo Palácio do Planalto. Pesquisa do Instituto MDA encomendada pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), realizada entre 20 e 25 de abril e divulgada nesta terça-feira (29), indica a petista com 37% das intenções de voto em sondagem estimulada, abaixo do levantamento anterior, de fevereiro, quando aparecia com 43,7%.

Em segundo lugar aparece o senador Aécio Neves (PSDB-MG) com 21,6% das intenções de voto. O ex-governador Eduardo Campos (PSB) vem na sequência somando 11,8%. No mês passado Aécio tinha 17% e Eduardo 9,9%.

Em um possível segundo turno, a presidente lidera em todos os cenários em que seu nome é apresentado, com o percentual máximo de 41,3%. Num cenário em que a petista ficaria de fora do segundo turno, Aécio venceria Eduardo, com 31,3% das intenções de voto, contra 20,1% do socialista.

Foram entrevistadas 2.002 pessoas, em 137 municípios, entre os dias 20 e 25 de abril. A margem de erro é de 2,2 pontos percentuais.

"Lula tem dificuldade de entender o Judiciário"

 O presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator do processo do mensalão, ministro Joaquim Barbosa, ficou indignado com as declarações do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre o julgamento do processo. Barbosa divulgou nota nesta segunda-feira dizendo que os comentários de Lula revelam a dificuldade dele em compreender o papel do Judiciário em uma democracia.
O ministro defendeu a atuação do tribunal ao longo do julgamento, pois, segundo ele, houve larga oportunidade de atuação da defesa e da acusação. “O juízo de valor emitido pelo ex-Chefe de Estado não encontra qualquer respaldo na realidade e revela pura e simplesmente sua dificuldade em compreender o extraordinário papel reservado a um Judiciário independente em uma democracia verdadeiramente digna desse nome”, diz o texto. O Globo 

O PT está preparando munição para detonar o ex-governador Eduardo Campos, candidato a presidente, no plano nacional. Uma delas é a coleção de ex-prefeitos abrigados no Governo do Estado para mostrar que o discurso de Eduardo está longe do que vem pregando pelo País quando ataca loteamento de cargos e apadrinhamento no Governo Dilma.

Exemplo é o ex-prefeito de Itapetim Adelmo Moura (PSB)

Lula mente aqui e fora do Brasil!

O ex-presidente Lula mente com uma desfaçatez impressionante. É uma das suas marcas. Mente aqui e fora do Brasil, principalmente. Numa entrevista a uma televisão portuguesa, disse que os mensaleiros enjaulados por causa da roubalheira em seu Governo não eram da sua confiança.
Traduzindo: José Dirceu, José Genoíno e João Paulo Cunha, ex-presidente da Câmara dos Deputados, nunca mereceram um vintém de crédito de Lula. Mas, refresquemos a memória de Lula: João Paulo, um deputado inexpressivo de São Paulo, só foi eleito presidente da Câmara por causa do rolo compressor do Governo e o empenho pessoal do ex-presidente.
Genoíno, de líder do PT na Câmara, foi alçado à presidência do partido por indicação de Lula. Já José Dirceu, dispensa comentários. Pintou e bordou no Governo, sendo, na expressão de Lula, “o capitão do seu time”.
Na intenção de atingir o Supremo Tribunal Federal, a mais alta corte jurídica do País, instituição inatacável, Lula afirmou, no mesmo festival de gaiatice para os portugueses, que 80% do julgamento dos mensaleiros foram de natureza política e 20% técnica.
E, para encerrar a aula Pinóquio, disse que o mensalão não existe, foi uma invencionice da mídia e da justiça. Dá nojo e vergonha ouvir tantas asneiras. Mais vergonha ainda por saber que um ex-presidente brasileiro engana telespectadores de outro País.

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Deputados do PR tiram apoio a Dilma

Diario do Poder 

 Sob orientação do dono do PR, o mensaleiro Valdemar da Costa Neto(Foto), preso na Papuda em regime semiaberto, a bancada do PR na Câmara deve anunciar nesta segunda rompimento com o governo. Segundo o líder Bernardo Santana (MG), a maioria dos deputados é contrária à reedição da aliança com o PT para reeleger a presidenta Dilma. “Esse governo não é o mesmo que fizemos parte com José Alencar de vice”.
 Após levantamento nos Estados, Bernardo Santana garante que a maioria dos convencionais quer desembarcar do governo Dilma. O líder afirmou que o rompimento com Dilma tem apoio do “PR de Mogi
das Cruzes”, numa referência à cidade de Valdemar da Costa Neto.

Na bancada, só Anthony Garotinho – candidato ao governo do Rio – e o governista Luciano Castro (RR) divergem do rompimento com Dilma.

"Presos do mensalão não são gente de sua confiança"

 O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em entrevista divulgada neste domingo pela TV portuguesa RTP, que os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) tomaram mais uma decisão política do que jurídica ao condenar 25 réus do processo do mensalão.
'O mensalão teve praticamente 80% de decisão política e 20% de decisão jurídica. O que eu acho é que não houve mensalão', afirmou ele, em uma das poucas manifestações públicas que fez sobre o caso após o fim do julgamento. Em seguida, Lula interrompeu a repórter, que começou uma pergunta sobre o fato de pessoas da confiança do ex-presidente terem sido presas.
'Não se trata de gente da minha confiança', disse Lula. E remendou: 'Tem companheiro do PT preso. E eu também não vou ficar discutindo a decisão da Suprema Corte. O que eu acho é que essa história vai ser recontada'. Lula esteve em Portugal para participar da comemoração dos 40 anos da Revolução dos Cravos.  O Globo

Domingo de troca-troca nos apoios

Do Diario de Pernambuco 

O final de semana em Pernambuco ficou marcado pela infidelidade partidária, o que só ressalta a fragilidade dos partidos brasileiros. Integrante do PSB, a prefeita de Afrânio, Lúcia Mariano, declarou apoio ao senador Armando Monteiro Neto (PTB) para a disputa do governo do estado. Já o pré-candidato do PSB ao pleito estadual, Paulo Câmara, recebeu a adesão da prefeita de Arcoverde, Madalena Brito (PTB) e do deputado estadual Betinho Gomes (PSDB), que era integrante da bancada independente na Assembleia Legislativa até o início deste mês.

Ontem, cerca de mil pessoas prestigiaram o segundo evento do Pernambuco 14, em Petrolina, para discutir os problemas estaduais e elaborar o programa de governo do PTB. Na ocasião, prestigiada pelo pré-candidato ao Senado pelo PT, João Paulo, Lúcia Mariano explicou os motivos de não seguir o PSB nesta eleição.

“Se tem uma coisa que deu certo em Pernambuco, foi a parceria com o governo federal, que precisamos continuar. Não podemos investir num projeto presidencial, resultado de uma ambição pessoal”, atacou Lúcia Mariano, criticando o rompimento de Eduardo Campos (PSB) com a presidente Dilma Rousseff (PT).
Já o pré-candidato ao Senado do PSB, Fernando Bezerra Coelho, defendeu a mudança de lado da prefeita de Arcoverde. “Ninguém pode criticar Madalena por sua decisão. Ela está defendendo os interesses de sua gente”, destacou o socialista. Ele mesmo, inclusive, teria articulado a aproximação de Betinho Gomes com Paulo Câmara. Betinho estava relutante em apoiar Câmara, mas conversou com ele e recebeu a garantia de que não sofreria interferência do prefeito do Cabo, Vado da Farmácia (PSB), na sua campanha de deputado federal.

Sport vence e briga pelo topo do Brasileirão

FOLHA DE PERNAMBUCO

Foi sofrido e suado. Jogo duro de verdade contra a Chapecoense. Mas o Sport – com um inusitado uniforme verde- superou as dificuldades, fez o resultado e cumpriu seu papel no reencontro com a torcida na Série A. Sem apresentar um futebol brilhante, conseguiu o que importava: a primeira vitória na competição.
O 2 x 1 sobre a Chapecoense estenderam para o resto da noite a festa que a torcida leonina começou a fazer a partir do meio-dia, em comemoração aos títulos da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano.
Com o triunfo, o Leão soma quatro pontos e ocupa a quarta posição do Campeonato Brasileiro da Série A, juntamente com mais três clubes. Números importantes para uma equipe que vai ter de fazer uma pequena sequência de duas partidas longe de casa, contra Internacional e Coritiba.
Em relação ao jogo, a verdade é que o primeiro tempo foi muito morno. O desenho tático era claramente identificável. O Sport – com dois meias- tentava propor o jogo. A Chape queria os contra-ataques.
A tarefa do Leão foi facilitada com o gol que marcou aos 11 minutos. O volante Rithely aproveitou bola espalmada pelo goleiro Danilo e mandou para as redes, reivindicando, com o tento, um lugar permanente no time titular.
Mesmo atrás no placar, a Chapecoense não tentou pressionar muito. Tanto que, em vários momentos, a torcida do Sport ficou impaciente com a troca de passes do próprio Leão em seu campo de defesa. Mas o visitante tinha uma arma muito perigosa: o contra-ataque.
Aos 36, o time de Santa Catarina provou isso. Após bola perdida por Patric lá no campo de ataque, o Leão sofreu um contra-ataque mortal. A chapecoense fez uma trama ofensiva muito bonita – depois da qual o meio-campista Ricardo Conceição só teve o trabalho de empurrar para as redes.
Mas não teve tempo para os visitantes comemorarem – nem para os mandantes lamentarem. No minuto seguinte, o meia Ananias recebeu passe de Aílton e soltou o pé. O goleiro Danilo nada pôde fazer para pegar o disparo do jogador.
A Chapecoense voltou ao segundo tempo com o desejo natural de virar ou pelo menos empatar o placar. O melhor jogador do time era o meia Regis. Habilidoso e veloz, infernizou a defesa do Sport durante todo o jogo. Aos dois minutos da segunda etapa, fez um carnaval pela esquerda e só parou em Magrão.
O Sport também assustava. Sobretudo em bolas paradas. Neto Baiano, aos nove, chegou perto de marcar. Aos 18, Aílton também tentou com uma bola venenosa e quase surpreendeu Danilo.
A partir dos 20, a Chapecoense se lançou ao ataque com menos cautela. E conseguiu, desta vez, pressionar o Sport. Rondou a área do Leão por algum tempo e teve oportunidades. A melhor dela foi aos 24, com falta cobrada por Ednei. Na rede pelo lado de fora.
Eduardo Baptista percebeu que o time caiu de rendimento e mexeu. Sacou Ananias e Aílton e colocou Felipe Azevedo e Érico Júnior. Os dois que entraram têm características semelhantes: são velozes e dedicados defensivamente. Mas, na frente, deixam a desejar. Para o momento, funcionaram. Diminuíram o ímpeto adversário e ajudaram a segurar a vitória – magra mas importante.

domingo, 27 de abril de 2014

ANIVERSÁRIO DO EMPRESÁRIO EVANDRO VALADARES

Fotos do Blog Pajeudagente

Folha PE elegem a seleção do PE 2014


Com toda a experiência e seriedade, Durval foi eleito o craque do PE 2014 pela Folha PE. (Foto: André Nery/Folha PE/Arquivo)

Fim de Campeonato Pernambucano e o Blog de Primeira e Folha de Pernambuco elegem a sua seleção. Na votação do escrete poucas divergências. O time oficial acabou sendo baseado no Sport, campeão da disputa, sendo: Magrão; Patric, Durval, Ferron e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Zé Mario e Pedro Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Na escolha do melhor treinador algo incomum aconteceu: um empate. Com cinco votos para cada, Eduardo Baptista e Lisca irão dividir o posto de treinador da seleção do PE 2014.
A disputa do craque da certame foi boa também, mas por 6×3 Durval levou a melhor sobre Neto Baiano.

Gustavo Lucchesi
Magrão; Patric, Durval, Ferron, Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Zé Mário e Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista.
Craque: Durval.

Paulo Henrique Tavares
Magrão; Patric, Durval, Ferron, Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Zé Mário e Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista
Craque: Durval.

Carlos Lopes
Magrão; Patric, Durval, Luiz Alberto e Renê; Sandro Manoel, Ewerton Páscoa, Mancha e Carmona; Neto Baiano e Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista.
Craque: Durval.

Gustavo Paes
Magrão; Patric, Durval, Ferron e Renê; Mancha, Ewerton Páscoa, Zé Mario e Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista.
Craque: Durval.

William Tavares
Magrão; Patric, Durval, Ferron e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Zé Mario e Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Eduardo Baptista.
Craque: Neto Baiano.

Rômulo Alcoforado
Magrão; Patric, Durval, Luiz Alberto e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Aílton e Zé Mário; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Lisca.
Craque: Neto Baiano.

Haim Ferreira
Magrão, Patric, Durval, Ferron e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa, Carmona e Zé Mario; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Lisca.
Craque: Durval.

Márcio Cruz
Alessandro; Patric, Durval, Everton Sena e Renê; Elicarlos, Ewerton Páscoa, Aílton e Carmona; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Lisca.
Craque: sem voto.

Ramon Andrade
Magrão; Patric, Durval, Luiz Alberto e Renê; Elicarlos, Ewerton Páscoa, Pedro Carmona e Zé Mário; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Lisca.
Craque: Neto Baiano.

Fernando Barros
Magrão; Patric, Durval, Ferron e Renê; Elicarlos, Ewerton Páscoa, Carmona e Zé Mário; Neto Baiano e Léo Gamalho. Técnico: Lisca.
Craque: Durval.

Pesquisa mostra que Cássio tem 42,9% , Ricardo 27,4% e Veneziano 10,7%

 Pesquisa do Instituto Souza Lopes, em parceria com o jornal Correio da Paraíba, revela que se as eleições para governador da Paraíba fossem hoje, o senador Cássio Cunha Lima (PSDB) teria 42,9%. Em segundo aparece o atual governador, Ricardo Coutinho (PSB), com 27,4%. O ex-prefeito de Campina Grande, Veneziano Vital do Rêgo (PMDB) tem 10,7%.

A pesquisa completa está publicada na edição deste domingo do jornal Correio da Paraíba. É a primeira de uma série o Sistema Correio de Comunicação fará em parceria com o Instituto Souza Lopes.

A pesquisa foi realizada entre os dias 21 e 24 de abril últimos. Está registrada no Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) sob o número PB-00007/2014.

Ainda segundo a pesquisa Souza Lopes, 8,4% dos eleitores responderam que votariam nulo ou em branco se as eleições fossem hoje. Dos entrevistados, 6,7% disseram que não sabem e apenas 0,9% não respondeu. De acordo com Bruno Souza Lopes, diretor do Instituto, "a partir do momento em que eles [os candidatos] colocarem o bloco na rua para valer, o eleitor vai pode decidir com mais segurança o que deseja para o seu futuro". Na primeira pesquisa publicada pelo jornal Correio da Paraíba este ano, também foram citados na preferência do eleitorado paraibano a advogada Nadja Palitot (1,5%), pré-candidata do PT, mas que pode sair da disputa caso o o seu partido formalize a aliança com o PMDB; os deputados federais Major Fábio (0,8%), do Pros; e Leonardo Gadelha (0,7%), do PSC.


  Jornal Correio da Paraíba

Como Ideli Salvatti, PGR utilizou o helicóptero do Samu

Além de ministra, procuradorias usam helicópteros de resgate em viagens
Foi para evitar um “mico” que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, arquivou a investigação sobre o fato de a ministra Ideli Salvatti haver utilizado, em Santa Catarina, um helicóptero do Samu destinado à remoção de pacientes graves resgatados em acidentes e tragédias naturais. É que o próprio órgão chefiado por Janot usou o mesmo helicóptero para transportar procuradores, como atestam documentos.
O helicóptero do Samu foi usado pela Procuradoria da República de Tubarão (SC) e a Procuradoria da República em Santa Catarina.
Em Tubarão, o helicóptero foi requisitado para transportar, em agosto de 2013, o subprocurador-geral da República Mário Gisi, em serviço.
Os procuradores pediram o helicóptero através dos ofícios PRMT/n° 664/2013 e PR/SC/GABPC/nº 7233/2013 (cópias em poder da coluna).
Em seu despacho, o procurador-geral Rodrigo Janot afirma não haver encontrado “elementos que configurem qualquer ilícito penal” de Ideli.

O inimigo número 2 de Dilma

Na visão do governo, cada página de documento e cada diálogo grampeado têm sido negociados milimetricamente para aumentar o desgaste do Planalto, sem que o ministro José Eduardo Cardozo, a quem a PF está subordinada, seja capaz de fazer muita coisa. A avaliação é de Paulo Moreira Leite, na sua coluna da revista ISTOÉ. Mais alguns tópicos do colunista em torno dos bastidores do Planalto

Rei do Blocão, carrasco de Dilma: suspeita de fraude

Dois novos depoimentos podem reabrir o inquérito que aponta Eduardo Cunha como beneficiário do vazamento de informações sobre a investigação de fraudes e sonegação fiscal na refinaria de Manguinhos (RJ).
Em 2010, Cunha foi flagrado em conversas telefônicas com Ricardo
Magro, dono da refinaria, prometendo ajudá-lo em questões comerciais. No ano passado, o caso foi arquivado por falta de provas.

Havia, até então, a suspeita de que o ex-procurador de Justiça do Rio
de Janeiro, Claudio Lopes, repassou a Cunha dados sigilosos da
investigação.

Agora, um policial e um promotor registraram oficialmente que Lopes
pediu para que os autos do inquérito fossem levados ao seu gabinete. E que Cunha foi ao prédio do MP no dia da remessa dos papéis.

Radar - Veja