terça-feira, 31 de julho de 2012

Supremo não levará em conta parecer de Ana Arraes

O Supremo Tribunal Federal não levará em conta a jogada de última hora, no Tribunal de Contas da União, para tentar descriminalizar o mensalão do governo Lula, informa Cláudio Humberto, em sua coluna. O parecer que fez alegria dos mensaleiros foi obra da ministra Ana Arraes, mãe do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, grande aliado de Lula. Ministros do STF admitiram à coluna, em ”off”, que o parecer não vai alterar os rumos do julgamento. Ana Arraes virou ministra porque Lula se engajou em sua “campanha”, na Câmara, a pedido de Eduardo Campos, amigo dele e filho dela.
Apesar de “perplexos com a ousadia”, ministros do STF, elegantes, dizem que Ana Arraes apenas “retribuiu a gentileza” de sua nomeação. Relator do caso, o ministro Joaquim Barbosa vai iniciar a intervenção, no julgamento do mensalão, fazendo elogios rasgados ao próprio STF. Joaquim Barbosa dirá que recebeu dos colegas e da direção do STF todo suporte necessário ao trabalho de relator do caso do mensalão.

Mensalão: R$ 141 milhões no centro da discussão

A defesa dos réus do mensalão sustentará que os recursos vieram de empréstimos bancários. A acusação alegará que esta versão é mera cortina de fumaça para esconder o golpe, diz Christina Lemos no seu blog. Afinal o que se sabe é que esse julgamento faz história nesta semana, com muito poucos semelhantes na vida do País, pelas destacadas figuras políticas envolvidas e o volume de dinheiro movimentado no 'malfeito'. São as seguintes as cifras do escândalo:
R$ 141 milhões - Foi o montante movimentado pelo mensalão em dois anos, somados empréstimos bancários e os recursos que teriam sido desviados de contratos com o setor público. As informações são da Procuradoria Geral da República.
R$ 32 milhões – Foi a soma total repassada a beneficiários do esquema do mensalão, apontados nominalmente pela Procuradoria nas alegações finais do processo. O Ministério Público não esclareceu o que aconteceu com o restante do dinheiro.
R$ 56 milhões - Foi o valor total dos repasses de Marcos Valério a pedido do PT, segundo lista apresentada pelo próprio publicitário às autoridades, em 2005.
R$ 55 milhões - Foi o montante de empréstimos tomados pelas empresas de Marcos Valério junto aos Bancos Rural e BMG, segundo relação apresentada pelo publicitário para justificar a origem do dinheiro que movimentou.

Mensalão abala PT de Dilma e Lula

Dilma, Lula e as principais lideranças do PT estão assombradas com o enfoque da mídia em torno do julgamento do mensalão pelo STF, que começa amanha. O Jornal Nacional está fazendo uma cobertura fantástica, uma espécie de retrospectiva do maior escândalo da República nos últimos anos.




segunda-feira, 30 de julho de 2012

BENONE É 25


Retrato de uma região sem governo!



São José do Egito: Sem Água e Sem Governo!

Berço da poesia dos repentistas, São José do Egito é o município mais atingido pela seca no Sertão do Pajeú. Os reservatórios que abastecem a cidade secaram e a água que chega para socorrer a população chega de carro-pipa da barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, e do açude Rosário, em Iguaracy.

Quadrilha de prefeitos rouba municípios pobres do NE

Reportagem exibida na noite deste domingo pelo programa Fantástico, da Rede Globo, revelou que prefeitos de cidades muito pobres do Nordeste são acusados de promover eventos superfaturados e botar no bolso mais de R$ 60 milhões, que deveriam ser usados pra beneficiar a população. A matéria mostra que, no papel, a JC Produções é uma experiente firma de eventos e nos últimos três anos venceu 231 concorrências de prefeituras. Faturou R$ 3 milhões. O endereço da sede da empresa é a casa da Joelma e do Seu Jorge, nuam rua simples, sem asfalto. O endereço deles foi usado para montar uma das empresas fantasmas envolvidas em um esquema milionário de desvio de dinheiro público. Ao todo, 27 pessoas foram presas. A quadrilha agia em 30 cidades paraibanas e em mais três estados do Nordeste.
No grupo havia até prefeitos: Francisco de Assis Melo, de Solânea, João Clemente Neto, de Sapé, e Renato Mendes, de Alhandra. O esquema foi desvendado pelo Ministério Público da Paraíba e pela Polícia Federal. O foco da quadrilha era o dinheiro de festas populares, como Carnaval e São João. Os prefeitos envolvidos tinham uma missão: fraudar contratos para que empresas de amigos conseguissem os serviços.

Em São José do Egito, Augusto Valadares, vice na chapa de Eclériston Ramos, foi alvo de Ação de Impugnação. O pedido foi feito após análise de documentos que comprovariam abuso de autoridade.



Com uma propaganda modesta, Mendonça Filho (DEM) criticou a overdose de publicidade do socialista Geraldo Julio neste início de campanha. “É dinheiro demais e poder. Mas cada um faz o que pode. Eu quero conquistar o povo no contato direto nas ruas“, disse o candidato a prefeito do Recife.


Mendonça realizou nova “bicicleata”. Acompanhado de cerca de 500 militantes, ele percorreu 12 quilômetros, indo do Engenho do Meio ao Parque da Jaqueira. “Cortamos boa parte da cidade, saindo do Oeste para o Leste passando por áreas que demandam muito investimento da Prefeitura, como Mangueira e Mustardinha. Mostramos a cara do Recife”, afirmou.



Mensalão: ato de olho no STF

RIO – O início do julgamento do mensalão pelo Supremo Tribunal Federal, na quinta-feira (2), começa a mobilizar a sociedade civil. Cerca de 60 pessoas marcharam pela orla da Zona Sul carioca na manhã de ontem, pedindo o fim da impunidade no País. Um bolo de três andares e com 11 bonequinhos representando os ministros do STF foi cortado em comemoração ao início do julgamento em Brasília, após sete anos de investigações.
“Queremos apoiar o Poder Judiciário. Já é uma vitória o início do julgamento. Não cabe a nós julgar. O que defendemos é que os juízes o façam com isenção e que os réus do caso sejam tratados com justiça”, disse Ana Luiza Archer, coordenadora do ato.
Os manifestantes levaram faixas com frases como “O País precisa virar essa página com justiça e coragem” e “Cumpra seu papel, STF”, ao som de músicas como “Que país é esse?”, do Legião Urbana.
Os ativistas questionavam a origem de recursos para a contratação de advogados com honorários milionários pelos réus do mensalão.

Sérgio Cabral sem apoio no PMDB

Apesar de ter sido blindado pelo PMDB na CPMI do Cachoeira, com ajuda do PT e PSDB, o governador do Rio, Sérgio Cabral, não tem apoio integral do partido. Membros da cúpula peemedebista reclamam que ele não é partidário e, diferentemente de outros governadores, “nunca doou um centavo” para as contas da sigla. Cabral também é visto como mais ligado ao PT e a Lula do que ao próprio PMDB. Ele é acusado de favorecer a Delta Construções – ligada a Cachoeira – que teve um salto nos contratos com o Rio em sua gestão. O ex-diretor da Delta Fernando Cavendish, de quem Cabral nunca escondeu ser amigo, deve depor na seguna quinzena de agosto na CPMI.

quinta-feira, 26 de julho de 2012



Presidente nacional do PSDB, o deputado federal Sérgio Guerra criticou o PT por tentar proibir que o processo do mensalão seja citado na campanha eleitoral. “Eles querem trabalhar para que ninguém tenha a capacidade de discernir e fazer o seu próprio julgamento”, afirmou o dirigente.



Mensalão: julgamento leva pânico a petistas e PMDB

O julgamento do chamado escândalo do mensalão, no início de agosto, e sua devastadora repercussão não é temido só pelos petistas, que foram os protagonistas principais da maroteira. Também o PMDB está em pânico. Lauro Jardim diz por que em nota na sua coluna:
 ''Veja como o julgamento do mensalão poderá influenciar nas eleições até mesmo nos mais remotos municípios brasileiros. Aliados do PT em diferentes cidades país afora, os integrantes do PMDB temem o alcance do noticiário em torno de José Dirceu, Marcos Valério e tantos outros personagens do julgamento no STF (Lula não será julgado, mas será mais do que lembrado).
Por se tratar de um julgamento histórico, até mesmo nos municípios mais distantes o mensalão será assunto. Um graúdo peemedebista reflete:
– O mensalão vai estar todos os dias, durante um mês, em todas as parabólicas, em todas as rádios, em todos os canais de TV e jornais… Vai ser uma campanha de massa. Será difícil resistir a trinta dias de um noticiário como esse. Vai ser o efeito mensalão.''

O trono de Sarney: Renan quer, mas Dilma não

Não há nada a opor à pretensão do senador Renan Calheiros de voltar a presidir o   Senado. Pertence à velha guarda do PMDB, a maior bancada, conta com o apoio dos companheiros do PT e de outros partidos da base oficial e não contrariará,  propriamente, os desejos da presidente Dilma. Afinal, era apenas no tempo dos generais-presidentes que as escolhas se faziam no palácio do Planalto. Mesmo assim, como bissextamente se ouve nos corredores vazios do Congresso, a chefe do governo preferiria Edison Lobão no comando do Senado. Por causa disso...  (Carlos Chagas)

Mendonça Filho diz que limpeza urbana será prioridade

Durante a visita que fez hoje (25) ao Alto da Esperança, no bairro de Dois Unidos, o candidato a prefeito do Recife, Mendonça Filho (DEM), disse que a limpeza urbana é uma das suas prioridades de governo. 'Uma das maiores reclamações do povo é com relação à sujeira que toma conta da cidade, uma prova de que o atual sistema não funciona. Minha intenção é rever imediatamente os contratos firmados e colocar o serviço para funcionar de verdade. Há muitas coisas nebulosas e ainda não explicadas no que diz respeito à licitação do lixo e minha proposta é tornar tudo transparente', pontuou o democrata.

Com a decisão do juiz Jefferson Félix de integrar o PMDB à coligação da oposição em Caruaru, a candidata do DEM, Miriam Lacerda, terá mais tempo na televisão e no rádio do que o prefeito José Queiroz. A democrata fechou uma aliança com PSDB, que indicou o vice na sua chapa. Queiroz brigava pelo controle do PMDB e seu alinhamento no palanque.



Golpistas do Pajeú: Inocêncio Oliveira, José Marcos de Lima e Francisco Dessoles.

Em Iguaracy, a 360 km do Recife, o prefeito Albérico Rocha (PR) também teve cassado o seu direito de disputar a reeleição num episódio semelhante ao que ocorreu com João da Costa (PT). A única diferença, na realidade, é que o prefeito da capital acabou sendo substituído por um candidato do seu próprio partido, mesmo à força.
No caso de Iguaracy, Rocha não teve sequer o direito de indicar um nome do seu partido, porque o deputado Inocêncio Oliveira, cacique estadual do PR e secretário geral do partido José Marcos de Lima, preferiram se curvarem aos caprichos do ex-prefeito Francisco Dessoles, do PTC.
Rocha é cria de Dessoles, foi leal, não se tem conhecimento de nenhum tipo de deslize ao longo do seu mandato, coroado de êxito. É, sem dúvida, também, um dos prefeitos mais bem avaliados do Pajeú, cuja reeleição era dada como certa.
Mas, estranhamente, Dessoles conspirou contra a reeleição do afilhado sem dar pistas. Inocente no processo, Rocha não ventilou sequer a possibilidade de mudar de partido.
Passado o período permitido para o troca-troca partidário, Inocêncio interviu no diretório do PR em Iguaracy e negou ao prefeito o direito de disputar um novo mandato. Um golpe, dando por Inocêncio e José Marcos.

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Tiranos do PR: Inocêncio Oliveira e José Marcos derrotados no TRE-PE

O Pleno do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) indeferiu, ontem, ação do PR estadual que tentava derrubar liminar do desembargador eleitoral Virgínio Carneiro Leão, assegurando a permanência da prefeita de Bezerros, no Agreste do Estado, Elizabete Maria Silva Lima, Bete de Dael, na presidência municipal da legenda, o que - por consequência - valida a convenção que homologou a sua indicação como candidata à reeleição. Com a decisão, mantendo a liminar até o julgamento do mérito, a prefeita Bete de Dael está apta a disputar a eleição de 7 de outubro deste ano.
Por unanimidade, o pleno entendeu ainda que a competência para julgar o mérito da destituição de Bete de Dael da presidência da comissão provisória do PR é do juiz de 1º grau de Bezerros, Paulo Alves de Lima. Ele havia se declarado impedido por achar que cabia ao TRE julgar a intervenção realizada pelo PR nacional, a pedido do secretário geral José Marcos e presidente estadual da legenda, Inocêncio Oliveira, que pretendia uma coligação com o candidato o PSB local, Severino Otávio, Branquinho, ex-conselheiro do Tribunal de Contas (TCE). Agora, o juiz Paulo Alves vai ter de julgar se a destituição foi um ato legal ou não do PR.
Investigada por suspeita de abuso de poder econômico, chegando inclusive a ser presa, Bete de Dael presidia a comissão provisória do PR de Bezerros, efetivou os trâmites legais para a convenção de 30 de junho e acabou indicada à reeleição. Sob o argumento de que respondia a acusações de irregularidades, o PR estadual conseguiu a intervenção. No TRE, o desembargador Virgínio Carneiro Leão concedeu liminar restituindo a comissão. O PR recorreu ao TSE, mas a ministra Cármem Lúcia declarou que a competência era do 1º grau. Ontem, o TRE seguiu o pensamento da ministra e manteve a liminar.
“Bete está livre para concorrer. Ela não foi atingida pela (Lei da) Ficha Limpa, nem foi destituída do PR. Não houve outra convenção, nem o registro dela foi impugnado pelo PR. Um partido não pode destituir uma comissão provisória em ato sumário, sem dar direito ao contraditório”, avaliou a advogada Diana Câmara.

Mendonça Filho no ataque a Geraldo Júlio

Débora Duque

Para criticar o atrelamento do adversário Geraldo Júlio (PSB) ao governador Eduardo Campos (PSB), o prefeiturável Mendonça Filho (DEM) já se referiu ao socialista como o candidato “tirado do colete” e “criado no laboratório do Palácio”. Ontem, o oposicionista, que já se autoproclamou como o “único” postulante a não contar com padrinhos políticos, foi ainda mais incisivo ao ironizar o apadrinhamento do governador. “Não serei prefeito para dizer ‘amém’ ou ‘sim, senhor’ ao governador ou a presidente da República. O cargo exige altivez para que quem ocupe a função possa sentar de igual para igual com quem quer seja em favor do Recife”.
Embora o recado seja extensivo também a Humberto Costa (PT) – apoiado pela presidente Dilma –, o alvo principal de Mendonça foi om socialista. Ele insinuou que a Prefeitura do Recife pode perder autonomia e ficar subordinada ao comando da gestão estadual. “Já disse que o candidato não precisa estar alinhado automaticamente com o Estado ou governo federal porque, senão, bastava que eles indicassem o prefeito. Mas é pior do que isso. Estou alertando para um caminho de submissão”.

Dissidentes do PHS apoiam o democrata Mendonça Filho

Embora, oficialmente, o partido esteja coligado com o PT, tanto na disputa proporcional como na majoritária, parte dos candidatos a vereador do PHS não estão engajados na campanha do senador Humberto Costa (PT) à Prefeitura do Recife. Por falta de suporte financeiro, a maioria estuda a possibilidade de atuar como cabo eleitoral do deputado federal Mendonça Filho (DEM).
A presença, aliás, de candidatos a vereador do PHS em atos de campanha do democrata tem sido corriqueira, conforme já foi noticiado pelo JC. A informação é de que, hoje, um grupo da chapa proporcional deve se reunir para fechar o apoio ao oposicionista que conseguiu a adesão do PMN.
Os dissidentes do PHS alegam que o presidente da sigla, o vereador Edmar Oliveira, acordou com o PT, mas não garantiu um “reforço” à campanha dos proporcionais, razão pela qual eles estão se sentindo “livres” para negociar seus respectivos “passes”.

Investigação do TRE no caso das camisas

Uma denúncia anônima levou a Justiça Eleitoral ontem à loja Mega Transfer, em Boa Viagem, onde teriam sido fabricadas as camisas que a campanha de Geraldo Julio distribuiu com eleitores durante visita ao Mercado da Madalena, no último sábado, junto a capacetes – marca da campanha socialista. A equipe de dois oficiais de justiça, dois policiais militares e um auxiliar do TRE chegou ao estabelecimento com um mandado de vistoria, busca e apreensão, entretanto, não encontraram o material procurado.
Após a vistoria, o dono do estabelecimento disse que faz apenas os negativos para bandeiras, banners e outros materiais permitidos pela Justiça Eleitoral, mas que não faz camisa para candidato.

terça-feira, 24 de julho de 2012

Enquanto muitas legendas estão desesperadas por mulheres, a cidade de São José do Egito é a campeã do Alto Pajeú, em concorrentes ao pleito. Para as próximas eleições há 19 registros de pedido de candidaturas.


O candidato a prefeito de São José do Egito (foto) Benone Leão (DEM) deverá inaugurar o seu ‘ESPAÇO 25 do DEMOCRATAS’ no início de agosto.



Mendonça fala de propostas para a saúde

Durante mais uma caminhada, desta vez, no bairro da Mangabeira, na zona norte do Recife, o democrata Mendonça Filho falou de suas propostas com foco na área da saúde. O candidato a prefeito do Recife disse sua atenção será voltada para as policlínicas.
'Em quase todos os cantos que vou as policlínicas estão em péssimo estado de conservação e sem prover o atendimento necessário à população. Minha proposta é fazê-las funcionar por 24h todos os dias da semana, uma vez que em vários lugares elas incrivelmente ficam fechadas aos sábados e domingos. Ora, nenhuma doença tem hora para chegar, então é preciso dotar as policlínicas de uma estrutura que as permita funcionar em regime integral', justificou Mendonça.
O democrata também disse que vai transformar o Hospital Bandeira Filho no Hospital da Mulher, e municipalizar o Hospital de Areias, para que seja construído o Hospital do Idoso. 'São públicos que precisam de cuidados especiais e não os têm hoje na rede municipal. Também vamos investir no programa de médicos especialistas, pois uma das grandes reclamações que ouvimos é a de que faltam cardiologistas, ginecologistas e otorrinos, entre outros', explicou Mendonça Filho.

sábado, 21 de julho de 2012


Datafolha: Humberto 35%; Mendonça 22%; Geraldo 7%


A primeira pesquisa Datafolha sobre a eleição para prefeito de Recife (PE) mostra que uma polarização entre os candidatos do PT e do PSB ainda está distante. Segundo o levantamento, o petista Humberto Costa lidera a corrida sucessória, com 35% das intenções de voto, enquanto o socialista Geraldo Júlio aparece na quarta colocação, com 7%.
Mendonça (DEM) ocupa o segundo lugar, com 22%, à frente de Daniel Coelho (PSDB), com 8%, em situação de empate técnico com Geraldo. O petista é o segundo mais rejeitado, com 24%, em empate técnico com Mendonça, citado por 26%.
A pesquisa Datafolha (PE-49/2012) foi realizada em 19 e 20 de julho com 828 eleitores. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos.(Informações da Folha de S.Paulo - Fabio Guibu)

O Governo perdeu o controle na retirada diária de água da barragem de Brotas, em Afogados da Ingazeira, a 386 km do Recife. Dali estaria saindo cerca de 500 mil litros de água por dia, para abastecer outras cidades da região, sobretudo São José do Egito. Nesse ritmo, o reservatório tende a entrar em colapso devido ao agravamento da seca.