sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Rainha do Carnaval 2014

Letícia Martins foi eleita a Rainha do Carnaval 2014
A Rainha do Carnaval 2014 do Rio será eleita na Cidade do Samba. São oito candidatas ao posto mais alto.

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

O ex-governador Roberto Magalhães fez um apelo a Jarbas Vasconcelos para disputar um mandato na Câmara Federal nas eleições de outubro próximo. Ele acha que o senador cumpriu bem o seu papel como representante de Pernambuco na Câmara Alta e que o Estado ficará no prejuízo se ele porventura pendurar as chuteiras. O peemedebista é um dos poucos representantes de Pernambuco no Congresso da geração pré-64, dado que Magalhães e Marco Maciel estão afastados da política.

Marco Maciel, Jarbas e Roberto Magalhães

O deputado Mendonça Filho (DEM) requereu à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara Federal que convide o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, para debater a crise no setor elétrico brasileiro, que tem suscitado constantes apagões. O requerimento foi entregue ao presidente do colegiado, Hugo Motta (PMDB-PB), e deve ser posto em votação nos próximos dias.


O deputado Augusto Coutinho (Solidariedade) foi eleito presidente da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio da Câmara dos Deputados. É o único pernambucano a presidir comissão permanente na Casa.


Baixaria Lóssio x Labanca

Prefeitos de dois municípios importantes, Júlio Lóssio (Petrolina) e Ettore Labanca (São Lourenço) adotaram o tom da baixaria em agressões. Lóssio disse que Labanca cometeu irregularidades na merenda escolar e o apelidou de “Lambança”. Na réplica, Ettore disse que houve shows superfaturados no São João em Petrolina e chamou o prefeito de “Lossinho Metralha”.

terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Dia 25


Ronaldo Caiado Presidente!


Mendonça Filho propõe moção de apoio ao povo venezuelano

O deputado federal Mendonça Filho (DEM) quer aprovar uma moção de solidariedade à população da Venezuela, uma reação à truculência das forças armadas e milícias ligadas a Nicolás Maduro na repressão aos protestos de massa que ocorrem no país. O documento foi apresentado pelo parlamentar pernambucano nesta terça-feira (25).

A ideia do deputado é apresentar uma posição oficial que represente a opinião do povo brasileiro. De acordo com o democrata, o governo da presidente Dilma Rousseff (PT) tem se omitido de fazer qualquer declaração em relação à crise política que atinge um aliado ideológico do Partido dos Trabalhadores, preferindo se posicionar de acordo com a nota emitida pelo Mercosul, condenando as manifestações.

“Infelizmente, o quadro de hoje é tenebroso, com dez mortes ocorridas nos últimos protestos. À medida que o governo brasileiro não se manifesta, se esconde por trás de uma nota do Mercosul que encobre tudo que está sendo praticado de forma ilegal pelo governo de Nicolás Maduro, a gente tem que encontrar uma maneira da nação brasileira se expressar”, argumentou Mendonça.

O democrata quer que o texto seja votado ainda esta semana no plenário, antes do recesso para o Carnaval. “Na omissão do governo brasileiro, o nosso legislativo, o nosso parlamento brasileiro, vai poder se manifestar se solidarizando com relação ao que está ocorrendo com todo o povo venezuelano”, definiu.

Carlos Dunga bate martelo e avisa que fica com Cássio: “Seguirei meu comandante”

 Após a reunião da cúpula do PSDB na Paraíba, e a determinação do senador Cássio Cunha Lima pedindo para os aliados entregarem os cargos ao governo, a relação entre alguns tucanos e socialista já mudou. O deputado estadual Carlos Dunga (PTB) por exemplo, afirmou que se houver o rompimento da aliança PSB/PSDB, ele ficará com o senador Cássio Cunha Lima. Mesmo ainda tendo cargo no governo, Dunga disse que seguirá Cássio em qualquer cenário. Ele também revelou, em conversa com o governador Ricardo Coutinho, manifestou esta posição, apesar de sua vontade é que a aliança prevalecesse.

– Se houver esse desmoronamento, lógico que eu não recuarei e deverei seguir o meu comandante político que é o senador Cássio Cunha Lima – opinou.

Randolfe bate em Eduardo: 'gato por lebre'

O senador Randolfe Rodrigues (Psol) lançou nesta segunda-feira (24), em São Paulo sua pré-candidatura à Presidência da República. Ele afirmou que irá criticar os três principais candidatos ao Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff (PT), o governador de Pernambuco Eduardo Campos (PSB) e o senador Aécio Neves (PSDB). 'O pau que baterá em Chico alcançará o Francisco', disse. Randolfe criticou a aliança entre a ex-ministra Marina Silva e Eduardo
Campos.

'Até a véspera da aliança, ele (Campos) estava conversando com o (Ronaldo) Caiado (deputado ruralista do DEM). Essa união parece gato com lebre', afirmou.
No ato, o pré-candidato do Psol disse que irá apoiar as manifestações contra a Copa do Mundo marcadas para junho, mas fez críticas a 'tática Black Bloc'. 'Vamos apoiar qualquer protesto, mas vamos torcer pelo Brasil na Copa', disse o parlamentar. 'Nós abominamos a violência, seja de quem for. Somos contra a tática Black Bloc', disse.

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Ruy comenta decisão de Cássio: “Vamos seguir nosso caminho”

O deputado federal e presidente do PSDB, Ruy Carneiro comentou ao PB Agora nesta segunda-feira (24) após o anúncio de consulta popular para decidir os rumos do partido e a possibilidade do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ser o candidato da legenda ao Governo do Estado que a decisão da legenda lhe deixou satisfeito e que agora o partido vai seguir seu próprio caminho.


Para Ruy, a decisão tomada nesta segunda de pedir aos filiados que deixem os cargos no Governo Ricardo Coutinho (PSB) faz com que a legenda possa estar isento em sua consulta popular e sem interferência de outros. Tudo de forma clara e transparente.


"O jogo é transparente e limpo. Estamos indo para uma consulta que se Deus quiser vai culminar com a candidatura de Cássio e isso aqui é um desejo pessoal meu e o governador sinta-se a vontade para tirar quem quiser. Não estou pedindo que Ricardo aceite nada. Nós vamos seguir nosso caminho e ai sermos honestos em dizer que isso não foi programado há um mês ou dois, foi pensado desde 2013".

A Polícia Federal cumpriu às 12h21 desta segunda-feira (24) o mandado de prisão expedido pelo Supremo Tribunal Federal contra o ex-deputado Roberto Jefferson (PTB-RJ), condenado a 7 anos e 14 dias de prisão em regime semiaberto no processo do mensalão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.


Armando Monteiro: "Você nomeia secretário, não governador"

O pré-candidato do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) ao Governo de Pernambuco, senador Armando Monteiro Neto, afirmou, nesta segunda-feira (24), ter a certeza de que o fundamental no debate eleitoral no estado é discutir os desafios do desenvolvimento nos próximos anos. “Nós precisamos olhar para o futuro do nosso estado, ter um debate sobre os problemas, os desafios e as potencialidades”, disse.
A declaração foi feita poucas horas antes do anúncio oficial do nome do atual secretário da Fazenda, Paulo Câmara, como pré-candidato do Partido Socialista Brasileiro (PSB) ao Governo do Estado. Questionado sobre a escolha, Armando foi enfático: “Você nomeia secretário, mas ninguém nomeia governador. Governador quem elege é o povo”.
“O fundamental nesse processo é que se possa aliar experiência, capacidade de articulação e um sentido de direção. Outra questão também muito importante é a capacidade de caminhar com as próprias pernas, ter um sentido de independência, que é tão importante e algo tão caro ao estado”, acrescentou o senador.

Ronaldo Caiado Presidente!


Jefferson usa moto para 'momentos finais de liberdade'

 Às vésperas de ser preso, o ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), delator do mensalão, passou a manhã de ontem passeando em sua moto Harley-Davidson, em Levy Gasparian, a 150 quilômetros do Rio. A Polícia Federal deve receber hoje seu mandado de prisão.
Jefferson saiu de casa às 8h e voltou por volta das 11h30. "Estou desfrutando os momentos finais da minha liberdade. Quanto a vocês, curtam a liberdade porque ela é o bem supremo da vida da gente", disse aos jornalistas de plantão em sua porta. Roberto Jefferson teve sua prisão decretada pelo STF (Supremo Tribunal Federal) na sexta.
Ao voltar do passeio, o ex-deputado federal era aguardado pelo comerciante Afonso Celso Dominguito de Castro, 55, que também estava numa Harley-Davidson. "Meus parabéns por sua atitude. Quem ganhou foi o Brasil", disse a Jefferson.  Folha de S.Paulo

A tendência do núcleo pensante de Paulo Câmara é promover encontros regionais para apresentação da sua candidatura ao lado de Eduardo, até porque não há mais tempo para percorrer o Estado. Sendo assim, Petrolina será sede do encontro do São Francisco, Serra Talhada ou Afogados da Ingazeira o do Pajeú e Palmares o da Zona da Mata. A ideia é promover dez encontros regionais.


Ricardo dá tom de racha e diz que na Paraíba tem governante que ficou no beijo e no abraço

O racha entre o governador do Estado Ricardo Coutinho (PSB), e o senador Cássio Cunha Lima (PSDB), parece mesmo inevitável. Nos últimos dias, a relação entre socialista e tucano ficou estremecida com declarações provocativas dos dois lados.

Na tarde deste sábado (15) ao participar da festa de aniversário do prefeito de Caiçara Cícero da Eletrolar, Ricardo Coutinho deixou claro que não teme o rompimento, e está pronto para a briga. Diante de alguns aliados girassóis, o governador deu o tom do novo discurso que deve mover as relações entre tucanos e socialistas.

Embora não tenha citado o nome de Cássio, ele deixou transparecer que as críticas tinham como direção o senador tucano. Conforme descreveu o jornalista Rudney Araújo, que acompanhava a festa e gravou o discurso de RC, durante a sua fala o governador chegou a afirmar que na Paraíba tem político que quer ser “deus, prometeu mundos e fundos mas ficou apenas na teoria”.

“Tem político na Paraíba querendo ser deus. Prometeu mundos e fundos e ficou apenas nos beijos e nos abraços” disse.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Jarbas Vasconcelos (PMDB) emite sinais de que não está confortável na Frente Popular por não ter recebido o apoio que esperava para disputar a reeleição. Não foi à festa de reinauguração do Palácio das Princesas e nem irá ao Baile Municipal, embora tenha sido convidado pelo prefeito Geraldo Julio. Vai ao baile do Siri e no dia seguinte viaja a Portugal.


Governo Federal demite 89 profissionais do Mais Médicos

G1.

O Ministério da Saúde desligou 89 profissionais do Mais Médicos por ausência nos postos de trabalho onde foram escalados para atuar. Entre os médicos que saíram do programa, quatro são cubanos.

Na última semana, o governo já havia publicado, no Diário Oficial da União, uma notificação para que os médicos apresentassem justificativa para as ausências. Desses, 30 procuraram o governo e manifestaram vontade de deixar o programa. Os demais não responderam e foram desligados automaticamente.

Os quatro médicos cubanos que foram desligados são Anisley Perez Liriano, Jose Armando Corzo Gomez, Luis Enrique Marzo Herrera e Ortelio Jaime Guerra, que foi para os Estados Unidos.

Dos demais que deixaram o programa, 80 são brasileiros e os outros cinco são intercambistas de outros países.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Paralisação na saúde! Médicos, dentistas e enfermeiros provam que estão tentando falar com secretária de saúde de Patos desde o início do ano


 O médico Dr. Denilson Alencar, que integra o movimento que declarou paralisação na saúde com médicos, dentistas e enfermeiros, disse que a sua categoria tenta falar com a secretária de saúde do Município de Patos, Ilana Motta, desde o início de fevereiro, mas não foram atendidos na solicitação. O pedido foi feito juntamente com o Sindicato dos Odontologistas e dos enfermeiros através de ofícios.
O movimento de paralisação teve início nesta terça-feira, dia 18, e já deixou milhares de pessoas sem atendimento nos Postos de Saúde do Município de Patos. Nesta quarta-feira, dia 19, os ativistas do movimento paredista se concentraram na Praça Getúlio Vargas, Coreto I, e depois fizeram panfletagem pelo centro da cidade explicando o ato.
Um ofício dos médicos, odontólogos e enfermeiros foi entrege no dia 05 de fevereiro de 2014, assinado pelo Dr. Tarcísio Campos Saraiva de Andrade, presidente do Sindicato dos Médicos da Paraíba (SIMED-PB), pela Dra. Eva Vicente da Silva, presidente do Sindicato dos Enfermeiros da Paraíba e pelo Sindicato dos Odontologistas, e protocolado na Secretaria Municipal de Saúde de Patos, mostra que as tentativas de reunir com a secretária existem, mas que devido à falta de retorno por parte da secretaria o movimento decidiu paralisar as atividades.
Na tarde desta terça-feira, uma representação dos enfermeiros esteve reunida com a prefeita Francisca Motta. A reunião foi coordenada pelo Sindicato dos Funcionários Públicos de Patos e Região (SINFEMP) e a presidente da entidade convidou a representação dos enfermeiros. A prefeita pediu para aguardar até o dia 6 de março para que seja feito um estudo e para avaliar o quadro de finanças da Prefeitura.
A coordenação do movimento que paralisou as atividades dos médicos, dentistas e enfermeiros está no aguardo do chamamento da gestão. Além do cumprimento do Plano de Cargo, Carreira e Salários (PCCS), os servidores querem discutir outros assuntos da saúde.
Uma assembleia das categorias está marcada para a próxima sexta-feira, dia 21, para avaliar a luta e decidir os novos rumos da paralisação.


Patosonline.com

Dilma cai!


Omissão brasileira frente a sangue venezuelano

 - A Venezuela é o país que registrou o menor índice de crescimento de 2013 da America Latina (1,1%), tem o maior índice de inflação do continente (56,2%), uma das maiores taxas de assassinatos do mundo (46 por cem mil), e passa por uma forte crise de desabastecimento.

- As instituições no país também vivem sob ameaça. Há poucos jornais que ousam criticar o governo de Nicolás Maduro, o sucessor de Hugo Chávez. Uma das poucas televisões que apontavam erros do executivo, a Globovisión, foi comprada por um grupo de empresários chapa-branca para ficar bem comportada.

- Frente a essa situação faz mais do que sentido uma parcela expressiva da população, principalmente da classe média, vai para as ruas. Em reação, houve repressão policial e já houve quatro mortos. Arbitrariamente, o governo mandou prender um dos líderes das marchas, Leopoldo López, que se entregou ontem à frente de uma manifestação de milhares de pessoas.

- Mas o que faz o Brasil frente a esse descalabro? Omite-se. Pior, dá a sua concordância ao se esconder por trás de um Bloco Comercial combalido como o Mercosul, que resolveu defender o protoditador venezuelano.

- De acordo com a nota divulgada pelo Mercosul, que é presidido pela Venezuela, as recentes manifestações se tratam de "ações criminosas". Os protestos seriam apenas ações de grupos que querem disseminar intolerância e ódio no país venezuelano.

- Em visita ao Brasil, o chanceler britânico William Hague deu o devido tom ao que ocorre na Venezuela: "O Reino Unido está muito preocupado com a violência na Venezuela, (...) especialmente com relatos de que o governo está procurando suprimir protestos pacíficos, prendendo ativistas, líderes oposicionistas", disse.

- Enquanto isso, conforme relato da colunista d'O Globo, Miriam Leitão, a qualidade de vida de toda a população decai rapidamente. Segundo ela, os venezuelanos ficam em enormes filas esperando para comprar óleo de cozinha. Depois, quando chega a vez de serem atendidos, a compra está limitada a duas latas por pessoa.

- Além disso, "desde a época de Hugo Chávez, o governo tem formado, treinado e armado os Colectivos, as milícias chavistas. O governo foi encurralando e tirando legitimidade de todas as instituições e ameaça qualquer oposição que se forma.

- O que ocorre na Venezuela não se compatibiliza com a democracia. O governo brasileiro, ciente disso, devia se posicionar de forma contundente. Prefere, como é de seu feitio, passar a mão na cabeça de ditadores.

- Antes que nos esqueçamos, um dos maiores cabos eleitorais de Nicolás Maduro foi o ex-presidente Lula
- A Venezuela é o país que registrou o menor índice de crescimento de 2013 da America Latina (1,1%), tem o maior índice de inflação do continente (56,2%), uma das maiores taxas de assassinatos do mundo (46 por cem mil), e passa por uma forte crise de desabastecimento.

- As instituições no país também vivem sob ameaça. Há poucos jornais que ousam criticar o governo de Nicolás Maduro, o sucessor de Hugo Chávez. Uma das poucas televisões que apontavam erros do executivo, a Globovisión, foi comprada por um grupo de empresários chapa-branca para ficar bem comportada.

- Frente a essa situação faz mais do que sentido uma parcela expressiva da população, principalmente da classe média, vai para as ruas. Em reação, houve repressão policial e já houve quatro mortos. Arbitrariamente, o governo mandou prender um dos líderes das marchas, Leopoldo López, que se entregou ontem à frente de uma manifestação de milhares de pessoas.

- Mas o que faz o Brasil frente a esse descalabro? Omite-se. Pior, dá a sua concordância ao se esconder por trás de um Bloco Comercial combalido como o Mercosul, que resolveu defender o protoditador venezuelano.

- De acordo com a nota divulgada pelo Mercosul, que é presidido pela Venezuela, as recentes manifestações se tratam de "ações criminosas". Os protestos seriam apenas ações de grupos que querem disseminar intolerância e ódio no país venezuelano.

- Em visita ao Brasil, o chanceler britânico William Hague deu o devido tom ao que ocorre na Venezuela: "O Reino Unido está muito preocupado com a violência na Venezuela, (...) especialmente com relatos de que o governo está procurando suprimir protestos pacíficos, prendendo ativistas, líderes oposicionistas", disse.

- Enquanto isso, conforme relato da colunista d'O Globo, Miriam Leitão, a qualidade de vida de toda a população decai rapidamente. Segundo ela, os venezuelanos ficam em enormes filas esperando para comprar óleo de cozinha. Depois, quando chega a vez de serem atendidos, a compra está limitada a duas latas por pessoa.

- Além disso, "desde a época de Hugo Chávez, o governo tem formado, treinado e armado os Colectivos, as milícias chavistas. O governo foi encurralando e tirando legitimidade de todas as instituições e ameaça qualquer oposição que se forma.

- O que ocorre na Venezuela não se compatibiliza com a democracia. O governo brasileiro, ciente disso, devia se posicionar de forma contundente. Prefere, como é de seu feitio, passar a mão na cabeça de ditadores.

- Antes que nos esqueçamos, um dos maiores cabos eleitorais de Nicolás Maduro foi o ex-presidente Lula

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Paralisação da saúde começa com caminhada e ato público em frente à Prefeitura de Patos

 Médicos, enfermeiros e dentistas da cidade de Patos deram início nesta terça-feira, dia 18, a paralisação que reivindica o cumprimento da Lei nº 4.217/213 que trata do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) das categorias de saúde do Município.
As mobilizações tiveram início às 09:00h com encontro na Secretaria de Saúde do Município e depois percorreu às ruas da cidade até a sede da Prefeitura de Patos onde foram feitas as primeiras orientações para a população sobre o porque da atividade de paralisação.

De acordo com José Medeiros, diretor do Sindicato dos Odontólogos (SINDODONTO), e um dos coordenadores da comissão que dirige o movimento, a paralisação é tão somente para pedir que a Prefeitura Municipal de Patos, através da prefeita Francisca Motta (PMDB), cumpra a lei que ela mesma criou dando origem ao PCCR.
“Parece que lei em Patos não serve para nada. Passamos vários anos lutando por esse plano, à prefeita Francisca Motta abraçou a causa e agora que ela mesma sancionou a lei não quer cumprir. A nossa mobilização é justa e está embasada juridicamente. Vamos continuar mobilizados até a próxima sexta-feira (dia 21) e esperamos bom sendo da atual gestão”, disse José Medeiros.
A reportagem fez contato com a secretária de saúde do Município de Patos, Ilana Motta. A secretária está participando de atividades na sede do 6º Gerência Regional de Saúde (6º GRE), em Patos, e não pode atender a imprensa.

 Patosonline.com


Oposição quer ir à Holanda apurar suborno na Petrobras

O líder do DEM na Câmara, Mendonça Filho, apresentou um requerimento à Mesa Diretora da Casa nesta terça-feira solicitando a formação de uma comissão externa para viajar até a Holanda e investigar as denúncias de que a SMB Offshore, empresa que aluga plataformas de petróleo, teria pago suborno à Petrobras. A oposição quer que o grupo seja formado por parlamentares do DEM, PSDB, PPS, Solidariedade e líderes da minoria. O pedido será analisado pelos líderes partidários e pode ser avaliado pelo plenário da Câmara.
Caso os outros deputados sejam contra a comissão, a liderança do DEM pretende organizar a viagem por conta própria para apurar o caso. De acordo com o partido, O roteiro também pode incluir Inglaterra e Estados Unidos, onde há investigações de casos de suborno pela empresa holandesa. (De O Globo)

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

DEMOCRATAS pede rigor na apuração de denúncia contra Petrobrás

O deputado federal Mendonça Filho (DEM) vai propor ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), a formação de uma comissão externa para apurar as denúncias de pagamento de propina de uma empresa holandesa para fechar contratos com a Petrobras.
De acordo com o democrata, a intenção é formar um grupo de parlamentares ou técnicos que irão à Holanda para averiguar as graves revelações feitas pela Revista Veja, com informações de que a SBM Offshore, a maior fabricantes de plataformas marítimas de exploração de petróleo do mundo, teria pago até US$ 30 milhões em suborno para favorecer contratos com a estatal brasileira.
“É uma denúncia muito grave contra a Petrobrás, que se envolve mais uma vez em um caso corrupção. A estatal está cheia de dívidas em decorrência de uma sequência de atos de má gestão e casos de corrupção. Essa denúncia precisa ser investigada a fundo”, disse Mendonça Filho.
O deputado disse, ainda, que caso a base aliada impeça a aprovação do requerimento no plenário, existe a possibilidade da formação de uma comissão da oposição por conta dos partidos. “Mas não acredito que isso vá acontecer, pois o governo estaria sendo conivente com um caso de corrupção”, atestou.
A formação de uma comissão externa será a primeira providência para aprofundar as investigações e, dependendo das informações coletadas, poderia haver até a instalação da uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).O deputado federal Mendonça Filho (DEM) vai propor ao presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), a formação de uma comissão externa para apurar as denúncias de pagamento de propina de uma empresa holandesa para fechar contratos com a Petrobras.
De acordo com o democrata, a intenção é formar um grupo de parlamentares ou técnicos que irão à Holanda para averiguar as graves revelações feitas pela Revista Veja, com informações de que a SBM Offshore, a maior fabricantes de plataformas marítimas de exploração de petróleo do mundo, teria pago até US$ 30 milhões em suborno para favorecer contratos com a estatal brasileira.
“É uma denúncia muito grave contra a Petrobrás, que se envolve mais uma vez em um caso corrupção. A estatal está cheia de dívidas em decorrência de uma sequência de atos de má gestão e casos de corrupção. Essa denúncia precisa ser investigada a fundo”, disse Mendonça Filho.
O deputado disse, ainda, que caso a base aliada impeça a aprovação do requerimento no plenário, existe a possibilidade da formação de uma comissão da oposição por conta dos partidos. “Mas não acredito que isso vá acontecer, pois o governo estaria sendo conivente com um caso de corrupção”, atestou.
A formação de uma comissão externa será a primeira providência para aprofundar as investigações e, dependendo das informações coletadas, poderia haver até a instalação da uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI).

Liderados de Tony Gel não viram vantagem na decisão dele de trocar o DEM pelo PMDB para entrar na base governista. Dizem que a posição correta era ter ficado com Armando Monteiro (PTB) pra governador a fim de ocupar o espaço da oposição. Até porque, como dizia o ex-prefeito Drayton Nejaim, “Caruaru tem dois lados e lá só se come charque ou carne de sol”.


PSDB da Paraíba rompe com o PSB

Surgiu mais um problema no Nordeste para o governador Eduardo Campos administrar: a conturbada relação do governador da Paraíba, Ricardo Coutinho, filiado ao PSB, com o PSDB do senador Cássio Cunha Lima. Ambos foram eleitos na mesma chapa nas eleições de 2010, Coutinho disputando o governo e Cunha Lima uma das vagas do Senado. A aliança se fez necessária para enfrentar a força eleitoral do então governador José Maranhão, que é filiado ao PMDB e postulava um novo mandato. Agora, sob o argumento de que o governador está desgastado e não dá atenção aos aliados, Cunha Lima não pretende apoiá-lo à reeleição. Ele próprio quer ser o candidato e já está se articulando com o PMDB para montarem uma chapa de oposição. Se esta aliança for desfeita, Eduardo Campos e o senador Aécio Neves vão ter que rediscutir a relação do PSB com o PSDB em vários estados, entre eles Minas Gerais e o Paraná.

Presidente estadual do PV, o consultor Carlos Augusto diz que sua entrevista à Rádio Folha, na semana passada, não foi interpretada como deveria. Ressalta que o partido ainda não fechou com o PSB no plano estadual, porque estaria na dependência de espaços na chapa majoritária ou de apoio efetivo do governador para eleição de um deputado federal do partido.


Aliados do governador não acreditam que o ex-ministro Fernando Bezerra (Integração) fique fora da chapa majoritária do PSB, perdendo a vaga de senador para o deputado Eduardo da Fonte (PSB). Raciocinam que FBC traz para a chapa a presença do Interior, evitando que fique muito urbana, o que levaria a uma gritaria das lideranças do Sertão e Agreste.


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Fundo partidário pagou diárias de Eduardo no carnaval

Prestação de contas do PSB em análise no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostra que o partido pagou R$ 14,6 mil para seu presidente nacional, o governador de Pernambuco e pré-candidato à Presidência Eduardo Campos, se hospedar durante o carnaval de 2012 no Rio, quando assistiu ao desfile das escolas de samba com a mulher e os filhos.
Os seis dias no Hotel Ceasar Park, na Praia de Ipanema, foram pagos com recursos públicos do Fundo Partidário, que, por lei, só pode ser usado para custeio de atividades relacionadas à manutenção do partido.
Conforme nota fiscal apresentada pelo PSB no processo, em análise pela Coordenadoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (Coepa), a hospedagem de 17 a 23 de fevereiro daquele ano foi num apartamento padrão luxo, de frente para o mar. Durante a temporada, no entanto, o partido não divulgou nenhuma agenda partidária dele ou de outros filiados na capital do samba.
O Estado ouviu três dirigentes do partido à época, que, reservadamente, disseram não ter ocorrido eventos ou reuniões no período do carnaval.
Nos primeiros três dias da hospedagem, o governador não estava no Rio, mas em Pernambuco. Participou de eventos de carnaval em Recife, Olinda e Bezerros, como registrou sua agenda oficial, divulgada pelo governo.
No dia 20, após o almoço, embarcou para a capital fluminense, onde assistiu, com a mulher, Renata, os filhos e uma comitiva de integrantes de seu governo, ao desfile da Unidos da Tijuca.
A escola homenageava o Rei do Baião, Luiz Gonzaga, com apoio do governo pernambucano. Campos ficou no camarote com a mulher, enquanto os filhos desfilaram. Até a data do check-out, não houve mais agenda oficial pelo governo. O PSB não registrou nenhum compromisso partidário no Rio, segundo sua página oficial.

PMDB pode abandonar PT nos estados



 A quatro meses da convenção nacional que deve sacramentar a aliança do PMDB com o PT para a reeleição da presidente Dilma Rousseff, a relação entre os dois partidos enfrenta problemas em dois terços das 27 unidades da federação.
Em alguns casos, como na Bahia, em Pernambuco e Acre, o rompimento já vem de longa data e não causa surpresa. O problema é a profusão de estados em que os peemedebistas veem seu futuro em risco pela dita “ganância” do PT.
A maioria dos dirigentes do PMDB ainda considera improvável que a aliança nacional não se confirme, mas mesmo os mais próximos aliados de Dilma já consideram possível que boa parte dos candidatos do partido nos estados abandonem a campanha da presidente. O GLOBO

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Democratas pede ao TCU investigação sobre repasses a OPAS pelo programa Mais Médicos

Nesta quarta-feira, o líder do Democratas na Câmara Federal, Mendonça Filho (PE), e os deputados Mandetta (MS) e Ronaldo Caiado (GO) anunciaram que protocolaram uma representação no Tribunal de Contas da União (TCU) para que o órgão investigue os repasses do governo a Organização Panamericana da Saúde (OPAS) pelo programa Mais Médicos.
Na representação, os parlamentares pedem que o TCU examine os termos do contrato entre o governo brasileiro e a OPAS para trazer médicos cubanos ao país.
O documento revela que a forma de contratação desses profissionais contraria as diretrizes da Agência Brasileira de Cooperação (ABC), vinculada ao Ministério de Relações Exteriores (MRE).
Segundo a ABC, a utilização de acordos de cooperação internacional para a contratação de pessoas físicas pressupõe a prestação de consultorias com o objetivo de transferência de know-how, para promoção de mudanças qualitativas na área que se pretende desenvolver (por exemplo, instalação de bancos de leite, desenvolvimento de novas técnicas de cultivo agrícola etc).
O partido de oposição reclama que, ao contrário do que especifica a lei do Mais Médicos, esses profissionais estão prestando um serviço ao País, com cumprimento de carga horária caracterizando vínculo trabalhista e não estão aqui para um curso de especialização.
De acordo com representação, “Em não prosperando o argumento da especialização na modalidade ensino-pesquisa-extensão, há que se demonstrar no bojo deste acordo internacional o know-how transferido à medicina e ao País por esses médicos, para atendimento às diretrizes estabelecidas pela Agência Brasileira de Cooperação. De outra forma, restará caracterizado nesse acordo firmado entre Brasil e Cuba, com intermediação da OPAS, o simples recrutamento de profissionais médicos exclusivamente para suprirem a carência de mão de obra na área de saúde, clara relação trabalhista, o que é proibido”.
Além disso, com a saída da médica cubana Ramona Rodriguez, veio à tona a presença da Sociedade Mercantil Comercializadora de Serviços Médicos Cubanos S.A., entidade que aparece no contrato assinado pela profissional.
“Pelos termos explicitados pela Agência Brasileira de Cooperação, caracteriza-se desvio de finalidade o uso de subcontratos nos projetos de cooperação técnica internacional”, especifica a representação.
O documento encaminhado ao TCU mostra que, multiplicado o valor da “bolsa” por 4 mil médicos cubanos, daria um total de R$ 344 milhões pagos pelo governo brasileiro, no período de oito meses.
“Sabendo-se que apenas 22% são realmente repassados para os profissionais, a indagação que se faz é: qual a destinação de R$ 268,32 milhões transferidos pelo Brasil para Cuba, em apenas 8,6 meses, por força deste Termo de Cooperação? Levando-se em conta que este 3º Termo de Ajuste ao 80º Termo de Cooperação tem vigência até 26 de abril de 2018, esta cifra passará, e muito, da casa dos bilhões de reais”, questionam os parlamentares.
Os valores descritos acima estão expressos em um acórdão do TCU e foram informados pelo próprio Ministério da Saúde no ano passado.
“São recursos públicos, sujeitos, portanto, à fiscalização dos art. 70 e 71, da Constituição Federal. Por isso entendemos que devam restar esclarecidos por essa Corte de Contas a destinação destes valores, bem como a legalidade, legitimidade e economicidade dos pagamentos efetuados pelo governo brasileiro”, atestam os deputados.

Inocêncio Oliveira confidenciou a vários deputados da bancada pernambucana que irá tentar o 11º mandato. Há seis meses, o republicano havia renunciado à disputa de mais um mandato, apoiando o sobrinho Sebastião Oliveira. Aos colegas de bancada, Inocêncio alegou que sai candidato a pedido do governador, com quem esteve segunda-feira passada.


Se o deputado Inocêncio Oliveira (PR) recuar na promessa de abandonar a vida pública e disputar mais uma vez a reeleição não terá o apoio do presidente do Porto do Recife, Rogério Leão (PR), candidato a estadual. Leão seria o mais prejudicado, porque Sebastião Oliveira, que sairia para federal no lugar de Inocêncio, deve disputar à reeleição.


O prefeito de Belém do São Francisco, Gustavo Caribé (PSB), confirmou, ontem, a fuga do médico cubano Luiz Henrique Marzo Ferrera do programa Mais Médicos, o terceiro a deixar o País. “Ele não chegou sequer a atender, embora tenha ficado por quase dois meses na cidade”, disse. Na cidade, segundo ele, as informações dão conta de que o profissional fugiu para os Estados Unidos, mas o Ministério da Saúde não sabe do seu verdadeiro paradeiro.


terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Depois de Ramona 89 médicos abandonam o Mais Médicos

Cinco cubanos deixaram o programa Mais Médicos e não voltaram para o seu país, informou nesta terça-feira, 11, o Ministério da Saúde. O ministro Arthur Chioro disse que, desde sexta-feira, 7, houve registro de quatro intercambistas que deixaram de comparecer ao serviço, entre eles, Ortelio Guerra, que nesta segunda-feira, 10, postou nas redes sociais que já estava nos Estados Unidos. Soma-se a esse grupo Ramona Rodriguez, que na terça-feira da semana passada, 4, pediu refúgio para liderança do DEM, depois de abandonar o posto de Pacajá (PA).
Ao todo, desde sexta-feira, 89 profissionais são considerados faltosos no programa, sendo 80 brasileiros e 9 estrangeiros, dos quais 4 são cubanos. Nesta quarta, 12, será publicado no Diário Oficial da União um comunicado requisitando o retorno desses profissionais ao programa. Eles terão 48 horas para se apresentar, caso contrário, serão formalmente desligados do Mais Médicos.
O Ministério da Saúde não sabe ao certo quando os 89 profissionais deixaram de comparecer a seus postos de trabalho. "Não significa que as ausências foram de sexta-feira para cá. Há casos mais antigos, mas que somente foram comunicados agora", disse o ministro.

Mendonça Filho denuncia vice-líder do PT na Secretaria da Mulher

O líder do Democratas na Câmara Federal, Mendonça Filho (PE), anunciou nesta terça-feira (11/2) que o partido entrou com uma denúncia na Secretaria da Mulher  contra o vice-líder do PT, Zé Geraldo (PA).
O governista utilizou a tribuna do plenário para ofender a honra da médica cubana Ramona Rodriguez, acusando-a de ser “vista várias vezes totalmente embriagada” e por "querer se deitar com homens" no município de Pacajá (PA), onde a refugiada atendia pelo programa do governo federal Mais Médicos.
A Secretaria da Mulher é composta pela Procuradoria da Mulher, liderada pela deputada Elcione Barbalho (PMDB-PA); e pela Coordenadoria dos Direitos da Mulher, chefiada por Jô Moraes (PCdoB-MG).
“O deputado Zé Geraldo subiu à tribuna para ler uma nota de um conselho municipal de uma cidade do Pará caluniando, mentindo, diminuindo e falando da intimidade da médica cubana. Falando dos encontros dela. Uma atitude discriminatória que atinge os direitos fundamentais na condição de ser humano da doutora Ramona e atinge os direitos dela na condição de mulher”, denunciou Mendonça Filho.
O município paraense em questão é reduto eleitoral do petista, que ainda acusou a refugiada de ser uma profissional “que não tem como prestar um bom serviço à população”. As declarações foram feitas na última quarta (5/2), logo após ela ter abandonado o programa sob a alegação de ter sido enganada pelos governos brasileiro e cubano e por só receber 10% do valor pago aos seus colegas não-cubanos.
“O cubano não pode ser tido como um ser menor, um ser humano reduzido à condição de 10% de um médico espanhol ou português. O cubano tem que ser tratado com respeito, com dignidade, no mesmo patamar”, defende o democrata.
Na representação encaminhada à secretaria, o partido acusa Zé Geraldo tomando como base a Declaração sobre a Eliminação da Violência contra a Mulher, aprovada pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1993. Na definição do manifesto, configura-se como violência baseada no gênero quando “um ato é dirigido contra uma mulher, porque é mulher, ou quando atos afetam as mulheres de forma desproporcional”.

PROS não aceita ser padrinho de ministro

 O Planalto foi avisado pelo comando do PROS que não aceita a indicação do interino da Integração Nacional, Francisco Teixeira, para ser efetivado no cargo em nome do partido. Teixeira, que não é filiado à legenda, está no posto, segundo a coluna de Felipe Patury, em Época, por ser amigo dos irmãos Gomes – Cid Gomes, governador do Ceará, e do ex-ministro Ciro Gomes.
O único interlocutor definido pelo partido para as conversas com a presidente Dilma Rousseff (PT) para tratar de participação da sigla no ministério foi o presidente nacional do PROS, Eurípedes Junior; o que descartaria os irmãos Ferreira Gomes como interlocutores.
Cid e Ciro Gomes se filiaram ao PROS depois de deixarem o PSB, do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, por discordarem da candidatura de Campos ao Planalto.

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Isaltino Nascimento que abandonou Terminal Rodoviário será votado pelo prefeito de São Jose do Egito


por Anchieta Santos

Está repercutindo na imprensa da região o estado de abandono em que se encontra o Terminal Rodoviário de São José do Egito. Banheiros sujos, lixo, cadeiras quebradas e abandono é o retrato do terminal de passageiros.
O interessante é que a “Rodoviária” é de responsabilidade da Secretaria Estadual de Transportes, até bem pouco tempo comandada pelo ex-petista e agora candidato a deputado federal Isaltino Nascimento, que pelo feito será homenageado pelo Prefeito da cidade Romério Guimarães. É o Federal do Prefeito. Na terra da poesia, abandono vale voto.

Fora Dilma!


Ronaldo Caiado desiste da Câmara sem dizer para onde vai

Quando o deputado Claudio Cajado (DEM-BA) se despedia de Ronaldo Caiado (DEM-GO), que deixou a liderança do partido na Câmara dos Deputados, acabou pegando muitos correligionários de surpresa.
Isso porque, ao render homenagens a Caiado, Cajado desejou boa sorte ao colega nas suas novas empreitadas eleitorais. "Você Caiado, que já tomou a decisão de não disputar para deputado, boa sorte", disse o baiano.
O comentário gerou burburinho durante a reunião da bancada do DEM e Cajado pediu ajuda a Caiado para resolver o zum-zum-zum que se formou. Com um sorriso, Caiado confirmou o que dissera o correligionário, mas não respondeu aos colegas quando perguntado qual seria o futuro eleitoral, que gira entre candidatura ao Senado ou ao governo goiano.  Poder Online