terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Prefeitura de Ouro Velho antecipa salário de janeiro

A Prefeitura de Ouro Velho já efetuou nesta segunda-feira (27), o pagamento dos salários dos servidores municipais referente ao mês de janeiro. A informação foi repassada por Dr. Júnior, esposo da Prefeita Natália.

Segundo Dr. Júnior, a Prefeita Natália também realizou o pagamento da segunda parcela do atrasado que foi deixado pelo ex-gestor municipal. “Os salários inerentes ao mês de janeiro e a segunda parcela dos atrasados já foram pagos, em sua totalidade” assegurou.

Dr. Júnior explicou ainda que, mediante acordo com os servidores públicos municipais, realizado no ano passado ficou acertado que o pagamento do atrasado será realizado em doze parcelas, sendo este mês efetuada já a segunda parcela. A primeira parcela foi quitada no mês de dezembro.

“O pagamento em dia e antecipado, além de movimentar a economia local mostra o compromisso da gestão da Prefeita Natália em valorizar os servidores municipais e reconhecer a importância da categoria”, acrescentou Dr. Júnior.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Candidatura de Cássio estremece aliança entre Eduardo e Aécio

A tentativa do senador Aécio Neves (PSDB-MG) de viabilizar a candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Governo da Paraíba tem causado algumas divergências com o governador Eduardo Campos (PSB), seu principal “parceiro” na corrida contra a reeleição da presidente Dilma Rousseff (PT).  O desencontro entre os pré-candidatos ao Palácio do Planalto – e presidentes nacionais de suas legendas - surge diante das tentativas do gestor socialista de convencer o parlamentar paraibano a apoiar a reeleição de Ricardo Coutinho (PSB).
O motivo do suposto embate é simples: Cassio Cunha Lima é visto como uma espécie de fiador da boa relação do governador Eduardo Campos com o senador Aécio Neves. Caso aceite a vontade da cúpula do seu partido, o tucano passaria de conciliador ao principal motivo de uma disputa entre os principais presidenciáveis da oposição, o que, em tese, beneficiaria a campanha da presidente Dilma Rousseff.

Veja o que Pernambuco tem como modelo para o Brasil!


PT tem dificuldade de administrar três Estados

No ano em que terá como prioridade reeleger a presidente Dilma Rousseff, o PT enfrenta dificuldades para manter o poder em três dos quatro Estados que governa. Os governadores de Rio Grande do Sul, Bahia e Distrito Federal têm pela frente desafios como problemas de popularidade e rivais fortes. A exceção é Tião Viana, aprovado por 70% no Acre.
A expectativa do PT é ter ao menos 11 candidatos a governador nas eleições deste ano. Mas o foco principal do partido estará centrado na tentativa de  conquistar os três principais redutos tucanos --São Paulo, Minas e Paraná.
Também por isso, a missão de governadores como Tarso Genro (RS) e Jaques Wagner (BA) tende a ser ainda mais complicada. Com governos de avaliação mediana, eles vivem cenários semelhantes de popularidade em declínio e oposição em ascensão. Exceção, Tião Viana é o terceiro mais bem avaliado do país com uma gestão pautada em programas de impacto social. Folha de S.Paulo 

Petistas apostam em desacertos entre Marina e Eduardo





 O entorno da presidente Dilma Rousseff aposta nos desentendimentos entre o governador Eduardo Campos e Marina Silva, com os petistas assistindo com gosto as divergências entre o PSB e a Rede na formação de palanques regionais. Eles avaliam que Eduardo dará um tiro no pé se, para atender Marina, implodir a aliança com os tucanos em São Paulo e Minas Gerais.

Quando a campanha começar, os petistas pretendem explorar supostas incoerências entre o discurso de Campos e a prática, como a aliança com a família Bornhausen, ex-PFL e ex-DEM, e a defesa de uma nova política.

Aliados de Dilma também avaliam que Marina não terá este ano a mesma força que em 2010, porque se aliou a um político e a um partido tradicionais. Por enquanto, a estratégia de Dilma é não entrar pessoalmente no fogo cruzado da pré-campanha. Mas o Planalto tem cobrado do PT respostas a críticas ao governo feitas por Campos. O Globo

domingo, 26 de janeiro de 2014

Cabral deixa claro que nunca deixou de ser tucano

Do Jornal do Brasil 

 O governador Sérgio Cabral fez bem ao decidir exonerar os cerca de 700 petistas que fazem parte de sua administração. Afinal, Cabral deixa claro que nunca deixou de ser tucano, mesmo após sua traumática saída do PSDB, em 1999, para ingressar no PMDB, quando rompeu com o ex-governador Marcello Alencar.
Cabral deixou de ser do PSDB, mas não esqueceu suas raízes. Que isso sirva de lição para o PT.
Agora, o ex-presidente Lula deve buscar um reparo junto a Cabral. Afinal, foi ele que negociou com o governador que os petistas ficariam até março no governo. E é por causa deste acordo com estes mesmos petistas estão, agora, passando por esta vergonha.

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Não queremos Copa do Mundo, queremos dignidade!

Isto é o resultado dos governos do PT!

Partidos escolhem líderes na Câmara de olho na eleição

Os novos líderes na Câmara dos Deputados neste ano – responsáveis por decidir a pauta de votações na Casa e orientar as bancadas nas votações – foram escolhidos pelas legendas para atender os interesses eleitorais das cúpulas partidárias.
Enquanto o novo líder do PT, deputado Vicentinho (SP), pretende ser um elo de reaproximação do governo Dilma Rousseff com o movimento sindical, o tucano Antonio Imbassahy (BA) foi bancado pelo possível candidato à Presidência do PSDB, Aécio Neves (MG), para fortalecer a aliança com o DEM e tentar diminuir a vantagem da presidente no Nordeste. Mesmo com uma bancada menor, o PSB aposta num nome do núcleo político do governador pernambucano Eduardo Campos para repercutir no Legislativo a plataforma pessebista à presidência.
“O Vicentinho agrega na relação com os movimentos sociais e sindicais”, avalia o vice-presidente da Câmara, deputado André Vargas (PT-PR). “Ele é uma liderança de primeira grandeza no movimento sindical.”
A escolha de Vicentinho, embora ainda não oficializada, mas é dada como certa pelas lideranças petistas para substituir José Guimarães (CE) à frente dos 88 deputados petistas.
Ex-presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo do Campo e Diadema e da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Vicentinho é encarado pelos sindicalistas como uma figura que pode levar as demandas do setor para o Legislativo ou mesmo para a presidente Dilma Rousseff, que tem sido criticada por ter abandonado a agenda das centrais. Um nome com raízes no sindicalismo é importante para o PT e para o governo num momento em que a segunda maior central sindical do País, a Força Sindical, deverá apoiar o tucano Aécio Neves na sucessão presidencial. Além do mais, ele integra um dos quadros do PT que passou imune ao escândalo do mensalão.
Se no PT a perspectiva é de estreitar o diálogo com as bases sindicais, entre os tucanos a eleição do baiano Antonio Imbassahy tem por função cimentar a construção da aliança com o Democratas e ainda aumentar o poder de fogo da legenda no Nordeste, que deu à presidente Dilma Rousseff uma vantagem de 11 milhões de votos em 2010.
Os tucanos apostam na boa relação de Imbassahy com o atual prefeito de Salvador, Antonio Carlos Magalhães Neto (DEM), como uma ponte para garantir o tempo de televisão dos Democratas ao senador Aécio Neves. A expectativa é que ACM Neto retribua o apoio dado pelo PSDB baiano no pleito por Salvador em 2012. “Essa relação do Imbassahy com o ACM Neto, além dos quatro prefeitos do Norte e Nordeste que temos, faz com que seja uma região em que o PSDB poderá ter um desempenho bem melhor do que na eleição anterior”, afirmou o presidente do PSDB paulista, deputado federal Duarte Nogueira. O PSDB é a terceira maior bancada da Câmara, com 45 deputados.
Com uma bancada bem menor do que as que estarão por trás de Dilma e Aécio, de 24 deputados, o PSB de Eduardo Campos vai escolher o nome para conduzir a legenda na Câmara somente no início de fevereiro. O posto deve ficar com o atual líder, Beto Albuquerque (RS), ou com o presidente do PSB em Minas Gerais, Júlio Delgado, ambos próximos ao governador de Pernambuco. “Qualquer que seja o nome escolhido vai ter muita relação com o Eduardo Campos”, disse o presidente do PSB paulista, deputado Márcio França. “Será um momento especial para reverberar o projeto nacional do PSB no Plenário (da Câmara)”, acrescentou.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Jarbas Senador!

    Com agenda para uma conversa tête-à-tête neste fim de semana com o governador Eduardo Campos, o senador Jarbas Vasconcelos só não será candidato à reeleição na chapa oficial (PSB) se não quiser.
Eduardo não criará nenhum obstáculo para Jarbas, até porque o senador, respeitado e com trânsito nacional, pode agregar forças políticas ao projeto presidencial do governador. Já sabendo disso, o PMDB referendou, ontem, o nome do senador à reeleição com a ressalva, em tom enfático, de que ao partido só interessa manter Jarbas no Senado.
Está nas mãos do senador, portanto, o seu destino, que depende muito mais dele a esta altura do que mesmo da vontade de Eduardo, que lidera o processo da discussão e montagem da chapa governista.

"Não voto em políticos do PSB"

Carlos Cavalcanti

Considerado um dos poucos prefeitos pernambucanos que efetivamente exercem oposição ao governo Eduardo Campos (PSB), Julio Lossio (PMDB), de Petrolina, deixou claro, nesta quarta-feira (22), que apesar de concordar com a resolução do diretório estadual do seu partido sobre o apoio à reeleição do senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), consolidando assim a presença da sigla na chapa majoritária encabeçada pelo nome a ser anunciado pelo governador, limita sua participação no acordo.
Com a presença do PMDB na “linha de frente” da coligação liderada pelo PSB do governador Eduardo Campos, Lossio aceitou a retirada da sua pré-candidatura ao Palácio do Campo das Princesas, mas frisou que não vai subir no palanque de nenhum político socialista, com exceção do vice-governador João Lyra Neto.
“Não voto nos nomes do PSB, a não ser no do Dr. João Lyra, com quem mantenho boa relação e considero ser um homem correto, que respeita as instituições e o desejo das urnas”, afirmou.

Fora da chapa majoritária, onde seu nome era cogitado para vice-governador de Tadeu Alencar (PSB), o deputado Raul Henry (PMDB) corre um tremendo risco de não ser reeleito federal. De uma eleição para outra – 2006 para 2010 – perdeu quase 50 mil votos, saindo de 138.841 para 90.100 votos. É um congressista, portanto, em queda livre e na área de risco.


o presidente nacional do PPS, Roberto Freire (SP), passou domingo passado pelo Recife e teve uma longa conversa com o governador, quando, na ocasião, bateu o martelo quanto à data de oficialização da entrada da legenda pós-comunista da coligação socialista para o próximo dia 4.


quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

O democrata Maviael Cavalcanti afirmou que pretende aguardar a decisão do PT e PTB para poder se posicionar e decidir se ingressará no bloco. Segundo ele, o PSDB quando assumiu a liderança o “escanteou”. “Eles não me consideraram nem para as comissões, me isolaram completamente. Vou aguardar ser consultado pelo PT e PTB, dependendo do comportamento deles podemos ingressar ao bloco”, afirmou.


Liderança da oposição na pauta do PT e PTB



Folha de Pernambuco

As bancadas do PT e PTB da Assembleia Legislativa se reunirão hoje à tarde para definir quem deverá ser indicado para as funções de líder e vice-líder da oposição, no lugar do deputado Daniel Coelho (PSDB) – seu partido aderiu à base do governador Eduardo Campos (PSB) desde o dia 2 de janeiro. Ao que tudo indica a liderança deve ficar com o PT, até pelo enfrentamento com o PSB a nível nacional. O presidente estadual do PTB, senador Armando Monteiro Neto, inclusive, já expressou que a preferência é pela legenda petista, ficando a vice-liderança com seu partido.
“Essa é uma opinião dele. Essa é uma questão que vai além da escolha dos líderes, nós vamos discutir as estratégias das bancadas. A escolha será feita em decorrência dessa articulação”, frisou a deputada Teresa Leitão, que pode assumir a função por ser presidente estadual do PT. Quem também afirmou que não aceitaria a missão foi Odacy Amorim.
Do outro lado, líder do PTB na Alepe, Augusto César disse: “Nós vamos fazer um encaminhamento e depois pretendemos ampliar essa discussão com todos os partidos que estiverem na oposição (DEM e PMN), ninguém está eliminado”.

Vaga do PMDB será de Jarbas Vasconcelos

Folha Política

Eduardo Campos já deixou claro a Jarbas Vasconcelos que o peemedebista será candidato ao que desejar e que caberá a ele decidir o seu destino. Tal informação já foi revelada pelo senador a interlocutores. De forma sutil, o deputado federal Raul Henry, em entrevista à Folha publicada ontem, deu o seguinte recado: o PMDB dará a Jarbas o espaço na majoritária. Ao fazer esse registro, Henry grifou que a prioridade do partido é a reeleição do senador, assim como formar chapa forte de federal e estadual. Com o gesto, o parlamentar, secretário-geral do PMDB e cotado para ocupar a vice, evitou que o próprio Jarbas precisasse se expor e deu a entender que, na hora da decisão, o partido oferecerá o nome do senador para compor. Um dos espaços na chapa majoritária a ser encabeçada pelo PSB, em Pernambuco, certamente será do PMDB. E a legenda não poderá ocupar duas vagas, coisa que nem o PSB fará. Considerando que Raul já abriu mão de ser vice, ele concorrerá à reeleição.
Da reunião do PMDB, na manhã de hoje, deve sair uma nota delegando a Jarbas Vasconcelos a missão de liderar o processo de costura com o PSB. Com a bola no pé do senador, ele, naturalmente, terá abertura para demarcar espaço de sua reeleição. Socialistas já absorveram a mensagem repassada por Raul Henry, em entrevista à Folha, e dão a fatura como liquidada.

Reunião na Federação deixa Afogados da Ingazeira próximo da 2ª divisão de 2014

Por Anchieta Santos
Uma reunião decisiva para a criação da equipe do Afogados da Ingazeira Futebol Clube aconteceu ontem na sede da Federação Pernambucana de Futebol no Recife. Na oportunidade o Presidente da FPF Evandro Carvalho recebeu o Prefeito de Afogados da Ingazeira Jose Patriota, o Presidente do Clube Ênio Amorim e o Diretor de Esportes Márcio Araujo. No encontro ficou definido que dos R$ 127 mil reais da taxa, o clube pagará inicialmente R$ 77 mil reais e os R$ 50 mil restantes serão pagos com recursos do Todos com a Nota.
O Presidente da entidade máxima do futebol estadual se comprometeu que o Afogados da Ingazeira terá espaço no site da FPF para divulgar o seu patrocinador Master. O Prefeito Patriota prometeu se empenhar para adiantar a reforma do Vianão para que o Afogados da Ingazeira já tenha condições de disputar a 2ª divisão este ano. No final da reunião o Dr. Evandro gravou um depoimento de apoio a criação do Afogados da Ingazeira Futebol Clube.

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

Armando diz que “a nova política” é um slogan

Desde que a ex-senadora Marina Silva ingressou no PSB, o partido e o seu presidenciável (Eduardo Campos) têm apostado no discurso de que o Brasil precisa vivenciar um momento diferente nas instituições e colocaram “a nova política” como uma necessidade para os tempos atuais. O conceito, que ainda não parece ter ficado claro para a maioria das pessoas, foi ironizado justamente por um neo-adversário do governador, o senador Armando Monteiro Neto (PTB).
Em entrevista à rádio JC News, o parlamentar cravou que o discurso empreendido pelo governador Eduardo Campos, com o auxílio da ex-senadora Marina Silva, se resume a uma peça de publicidade. “A nova política é um slogan”, disparou.
O senador petista, na sequência, repetiu que o ex-presidente Getúlio Vargas inaugurou as discussões sobre essa tal de nova política em 1930.

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Vencer o atraso pela Educação

Por Magno Martins
 O ex-ministro da Fazenda, o paraibano Maílson da Nóbrega, ficou encantado com um estudo do professor pernambucano Alexandre Rands, irmão do ex-deputado Maurício Rands, apontando como saída para o desenvolvimento do Nordeste um investimento maciço na Educação.
Em seu artigo semanal na revista Veja, Nóbrega faz referências a um dos capítulos do livro organizado por Fábio Giambiagi e Cláudio Porto com as ideias de Rands. A proposta passa por uma nova política de desenvolvimento regional que buscaria reduzir as desigualdades regionais em educação, tanto a qualidade quanto a quantidade disponível.
“Inversões em infraestrutura permitiriam o florescimento de novos empreendimentos, que teriam perfil adequado para absorver mão de obra mais qualificada”, escreve o ex-ministro, para acrescentar:
“Evitar-se-iam, assim, sua migração para outras regiões e a redução do efeito das novas políticas. Professores teriam bonificação por desempenho de seus alunos e os melhores estudantes receberiam bolsas de estudo. A Sudene se converteria em órgão de apoio gerencial, geração de empregos e outras funções associadas à nova estratégia”.
O ex-ministro considera as ideias de Rands uma grande novidade e merecem, segundo ele, a atenção do Governo, das lideranças políticas empresariais e dos que se preocupam com o desenvolvimento do Nordeste.
“Uma coisa é certa: o Brasil só será tão mais justo e próspero quanto menores forem as desigualdades regionais”, enfatiza Maílson da Nóbrega, para quem a Educação é o único determinante do atraso relativo da Região.

Água no Sertão? Quem fala a verdade?

A transposição do rio São Francisco, cuja obra emprega hoje 8.135 trabalhadores, tem previsão de inauguração mantida para 2015, segundo o ministro Francisco Teixeira, da Integração Nacional, segundo informa Mônica Bergamo, hoje na Folha de S.Paulo. "Houve um hiato, com uma mobilização menor [de operários], mas parada totalmente a obra nunca ficou", diz Teixeira, segundo a colunista, acrecentando que o projeto começou em 2008 e deveria ter terminado em 2012. Para Teixeira, o novo prazo é "perfeitamente compatível" com o porte da construção. Mais informações da colunista da Folha:
O ministro rebate declarações de George Moura, autor de "Amores Roubados", que em entrevista à coluna criticou o "estado de abandono" e "a sensação de desperdício de dinheiro". "Respeito a opinião dele, mas a impressão é incorreta", diz Teixeira, que viu a cena da série da TV Globo na qual a personagem de Isis Valverde reclamou do "esquecimento" da obra. O projeto de R$ 8,2 bilhões deve atender 12 milhões de pessoas em quatro Estados do Nordeste.
Sobre o "cenário desolador, um canal seco e semidestruído antes mesmo de ser totalmente construído" em Pernambuco descrito por Moura, o ministro diz que o roteirista viu "um trecho de obras em que uma empresa havia saído e outra estava entrando". O ministério também encaminhou as informações ao roteirista. Moura não quis comentar mais o assunto.

domingo, 19 de janeiro de 2014

Mãe de Eduardo Campos tira multa de órgão ligado a aliado

A mãe do governador Eduardo Campos (PSB), a ministra do Tribunal de Contas da União (TCU) Ana Arraes rejeitou uma multa contra a entidade da família do secretário de Saúde do filho. De acordo com reportagem publicada neste domingo (19) na Folha de São Paulo, a ministra foi relatora de processo sobre convênios entre o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e o governo federal.
Segundo a matéria, Ana apresentou relatório contra o parecer técnico que pediu a aplicação de multa de até R$ 43 mil por descumprimento a uma determinação do tribunal. O voto, de dezembro, foi seguido pelos outros três ministros da 2ª Câmara do TCU. Ao jornal paulista, a mãe de Campos disse que foi imparcial.
Em 2010, o TCU havia determinado ao Imip que constasse a descrição detalhada dos contratos com terceiros para cumprir dois convênios com o Ministério da Saúde. No total, a auditoria analisou sete convênios com a pasta no valor de R$ 21 milhões.
Após a determinação, foram firmados outros 68 contratos e os técnicos do TCU entenderam que a descrição deles continuava genérica e dificultava a fiscalização. O parecer técnico pediu a aplicação de multa que pode chegar a R$ 43 mil, segundo resolução interna do TCU.
No voto, a ministra Ana Arraes concorda que a determinação foi descumprida, mas diz que o Imip depois criou norma interna obrigando o detalhamento dos contratos. O secretário de Saúde de Pernambuco, Antônio Figueira (PSB), foi presidente do Imip até 31 de dezembro de 2010. No dia seguinte, tornou-se secretário.

No Congresso Nacional temos muitos deputados e senadores do bem, homens e mulheres brilhantes que realmente trabalham pela causa pública. Porém, a maior parte dos parlamentares são verdadeiros bandidos. Natan Donadon, José Genoino, João Paulo Cunha e Pedro Henry - todos condenados à prisão - são apenas alguns exemplos. Portanto, a Reforma Política não pode, de maneira nenhuma, ser feita por um Congresso desse nível. Seria o mesmo que entregar a Reforma do Código Penal para ser feita por um bando de assassinos, estupradores, assaltantes e traficantes. Essa é a mais pura verdade. Anderson Santana [Democratas]


Mais um condenado da quadrilha do PT!

Autora do (RELAXA E GOZA) Tem seus Direitos Políticos cassados por 3 anos!

Do Democratas: A receptividade do prefeito ACM Neto, aliás, só fez crescer a certeza entre democratas de que o candidato das oposições a ser apoiado por ele deve ser do seu partido…

A receptividade do prefeito ACM Neto, aliás, só fez crescer a certeza entre democratas de que o candidato das oposições a ser apoiado por ele deve ser do seu partido. Como o grande eleitor que é nesse quadro sucessório, nada justificaria, portanto, que Neto fosse apoiar um nome de outro partido, fosse ele quem fosse e parceiro de caminhada. Com isso, dois nomes crescem no tabuleiro para 2014: o ex-governador Paulo Souto, que tem a seu favor o fato de ser um ex-governador, bastante conhecido e já com densidade eleitoral comprovada, mas sujeito a comparações de sua gestão com a do atual governador, que poderia lhe ser ou não favoráveis, e o do secretário dos Transportes, José Carlos Aleluia, que representaria o novo, assim como Neto foi e está sendo na Prefeitura.
Menino danado 
Aliás, para um pré-candidato, Aleluia se saiu bem até demais no cortejo, demonstrando um prestígio em alta e baixa rejeição, tanto que, animado, deu até para arriscar: “Paulo Souto é um grande nome. Já provou sua competência e capacidade em dois mandatos de governador, eleito pelo povo. Se ele quiser ser o candidato, não me oponho a ele. Mas, enquanto ele não se decidir, mantenho o meu nome como pré-candidato. Quero mostrar o que um menino nascido e criado na Caixa D’Água pode fazer pela nossa Bahia”
Coluna Raio Laser do jornal Tribuna da Bahia

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Vereador de Itapetim denuncia caos na saúde do município

“Caros Amigos.

Venho relatar a precária situação de atendimento médico da Unidade Mista Maria Silva, hospital municipal vinculado à Secretaria de Saúde de Itapetim. Para se ter uma ideia, além das deficiências físicas e de equipamentos, conhecidos de todos nós, o hospital encontra-se simplesmente desfalcado de três dos sete médicos que prestam serviços àquela unidade de saúde, sendo dois por estarem gozando período de férias e um que teria sido afastado sem motivação conhecida.

Essa falta de planejamento da Secretaria de Saúde de não repor outros profissionais para suprir as ausências vem submetendo a população itapetinense a uma situação de falta de assistência quase que absoluta, pois é frequente - e comum - a situação de se chegar ao hospital e não encontrar médicos plantonistas, de acordo com reiterados relatos de populares e servidores do dito hospital.

Apesar disso não se viu qualquer atitude da Secretaria Municipal de Saúde para aliviar o sofrimento da população, que tem que se deslocar a outras cidades, tais como São José do Egito, em busca de atendimento médico.

Espero que esse desabafo, que é de toda a população, sirva para que o prefeito e a secretária de Saúde tomem alguma providência. Como está não podemos continuar!

Atenciosamente,

Mário José (DEM-PE).
Vereador de Itapetim.”

Contabilidade criativa não respeita nem a Saúde. Dilma e Padilha seguram repasse do SUS para melhorar superavit primário.

O governo federal reduziu os repasses financeiros do Sistema Único de Saúde (SUS) a Estados e municípios na virada do ano, revelam dados levantados pelo Estado. O expediente, que "poupou" R$ 2,66 bilhões do Tesouro Nacional em dezembro de 2013 na comparação com mesmo mês de 2012, ajudou o governo Dilma Rousseff a cumprir a meta de economia para pagar juros da dívida pública, o chamado superávit primário.

Dados do Fundo Nacional de Saúde (FNS), agente financeiro do SUS vinculado ao Ministério da Saúde, evidenciam o recuo, em dezembro, nas transferências cujo repasse é automático pelo modelo "fundo a fundo": em 2012, foram repassados R$ 8,6 bilhões. Em 2013, R$ 5,94 bilhões. As principais reduções ocorreram nas parcelas de procedimentos de média e alta complexidade, atenção básica e gestão do SUS.

São recursos para financiar ações como saúde da família, agentes comunitários, saúde bucal, serviço de atendimento móvel de urgência, pronto atendimento, cirurgias, radioterapias, transplantes, próteses e aquisição de medicamentos, além de monitoramento e auditoria do sistema.

José Agripino: “Nenhum país vai para frente se não investir pesado na educação de seus jovens”

Fonte: Assessoria de imprensa

O Brasil nunca será uma grande potência se não investir pesado e tratar como prioridade a educação de seus jovens, afirmou o líder do Democratas no Senado, José Agripino (RN). Dados recentemente divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) revelam que apenas 44% das escolas públicas do país possuem infraestrutura básica, 0,6% têm laboratório de ciências e 15% contam com biblioteca e sala de informática. “Esses dados são desesperadores. Estamos falando do básico que se deve ter em uma escola: água e luz. Não podemos aceitar isso. Ou se investe pesado na educação do país ou nunca avançaremos como nação”, destacou o parlamentar.
Hoje o Brasil possui 63 milhões de alunos e 2,3 milhões de professores na educação básica. De acordo com a pesquisa do IBGE, a carreira de professor aparece como a mais desvalorizada no Brasil, se comparada com outras profissões, como a de engenheiro. Um dos principais motivos dessa desvalorização deve-se, também, à remuneração mínima da carreira: R$ 1.567, com jornada de 40 horas semanais.“Não se fala em investir na educação sem se falar da importância de se valorizar o professor, dando a ele escolas equipadas, condições de trabalho dignas, salários atrativos, para que ele se sinta estimulado a ensinar”, ressaltou o senador potiguar.
Os números relacionados à exclusão e evasão escolar revelados pela pesquisa também são assustadores: 3,8 milhões de crianças e adolescentes entre 4 a 17 estão fora da escola no Brasil; 8,8 milhões de alunos das séries iniciais e finais do ensino fundamental estão em risco de exclusão escolar por estarem com idade superior à recomendada para a série que frequentam.
De acordo com o Banco Mundial, os conhecimentos de ciências e matemática de um brasileiro de 15 anos são iguais ao de um chinês de Xangai de 10 anos e de um coreano de 11 anos. “Nenhum país vai para frente se não tratar o jovem como prioridade, investindo em sua educação, incentivando e valorizando o estudo”, disse Agripino.

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Planalto está atento ao provável crescimento do fenômeno “rolezinho”

A equipe da presidente Dilma Rousseff (PT) começa a se preocupar com a proporção que o “rolezinho” pode tomar  ao longo de 2014. O fenômeno, inicialmente registrado na periferia de São Paulo, começa a ecoar pelo País como resultado de uma resposta a uma espécie de ditadura econômica que separa os brasileiros. Há o entendimento, no Palácio do Planalto, que o movimento pode ganhar tanta força quanto os protestos que marcaram os meses de junho e julho de 2013.
O governo ainda não teria uma posição sobre como conviver com o novo fenômeno urbano.  Entretanto, já haveria o indicativo de que a replicação desse movimento não pode receber o mesmo formato de atuação adotado em São Paulo, quando policiais militares agiram com uma força considerada desproporcional e desnecessária para combater o rolezinho em shoppings da capital paulista.

PSDB do RJ fala em Ellen Gracie para o Senado

O PSDB do Rio de Janeiro ainda não anunciou oficialmente, mas, em busca de nomes competitivos para compor a chapa no Rio, volta as atenções para quadros recém-filiados ao partido e bem avaliados pela sociedade civil. De acordo com o jornal O Globo, filiada há apenas três meses, Ellen Gracie, ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, é cotada para concorrer ao Senado ou até ser vice do pré-candidato ao Planalto, Aécio Neves.
Segundo avaliações de parlamentares, a ministra “caberia em qualquer cargo”, e também poderia concorrer ao governo do Estado. “A Ellen Gracie está filiada ao PSDB no Rio, é um grande nome que seria formidável para o Senado contra o Sérgio Cabral, fazendo uma antítese a ele, como também até candidata à vice presidente na chapa do Aécio, mas essa é uma avaliação minha. O que é certo é que teremos um candidato ao Senado contra o Cabral”, disse o deputado Otávio Leite (PSDB-RJ).

O embate é Lula x Eduardo

Por Magno Martins 
No cenário em que está sendo desenhado para as eleições em Pernambuco não haverá segundo turno para governador. O pleito deve ser decidido logo no primeiro turno por uma razão muito simples: está fora de cogitação o surgimento de uma terceira via.
De um lado, as forças governistas, capitaneadas pelo governador Eduardo Campos, marcharão unidas com o nome do secretário da Casa Civil, Tadeu Alencar. Há de fato resistências, inclusive familiares, a Tadeu, mas o governador deve conduzir o processo com absoluto sucesso.
De outro, o senador Armando Monteiro Neto (PTB) já arrebatou o coração de Lula e Dilma para levar o PT ao seu palanque. Com o PT aliado a Armando, cai por terra um terceiro candidato a governador, no caso o deputado João Paulo, que estava louco para entrar na disputa.
O hoje governista PSDB também poderia projetar uma candidatura própria, como ainda admite o senador Aécio Neves, mas o presidente estadual da legenda tucana, Sérgio Guerra, já bateu o martelo com Eduardo e apoiará o nome que ele indicar.
Sendo assim, no mano a mano entre Tadeu e Armando, o que assistiremos será um embate entre o governador, Lula e Dilma, contando com a forte disposição do ex-presidente, que está desapontado com o ex-aliado.
Por diversas vezes, Lula já repetiu que virá a Pernambuco quantas vezes for necessário ao longo da campanha para tentar impor uma derrota histórica ao ex-aliado Eduardo. A eleição para governador pode se transformar, portanto, num duelo entre Eduardo e Lula, os dois grandes protagonistas.
Vitorioso com Armando, Lula não terá elegido um poste, porque, além de senador e ter uma trajetória política, com destaque no plano nacional, o trabalhista lidera todas as pesquisas de intenção de voto para governador.
No caso do inverso, ou seja, uma vitória de Tadeu, aí, sim, o governador pode entrar para a história como maior fenômeno eleitoral do País: emplacar dois postes – o primeiro no Recife e o segundo, dois anos depois, no Estado.

Chapão poderá ser formado em torno de Cássio para governador

Fonte: Blogdokardec 

Num estado onde a política já uniu Wilson Braga e os Cunha Lima, Maranhão e Ricardo Coutinho, e Cássio com o último, nada pode ser descartado. O blog teve acesso a uma informação que começa a tomar corpo e forma. Com o objetivo de unir (de vez) a classe política paraibana em torno do desenvolvimento do Estado, uma grande aliança começa a surgir e poderá acabar de vez com o sonho de reeleição do governador Ricardo Coutinho.

A chapa seria montada com Cássio Cunha Lima governador, Luciano Agra vice-governador e Veneziano senador. Rômulo Gouveia e Wilson Santiago sairiam candidatos a deputado federal com a garantia de disputarem as duas vagas do Senado em 2018. Ambos evitariam uma disputa incerta e voltariam para a Câmara Federal sem problemas e gastando pouco.

Já Veneziano, teria a garantia de disputar a sucessão de Cássio. E caso as regras do jogo mudem e o mandato passe a ser de cinco anos e sem reeleição, melhor ainda para o cabeludo, que teria que se comprometer a não lançar candidato contra Romero Rodrigues na disputa pela prefeitura de Campina Grande em 2016.

Caso essa especulação vire realidade, Ricardo Coutinho ficaria sem palanque nas dez maiores cidades do estado, restando apenas o apoio de Bayeux. Mas o pior está por vir, o governador teria o menor tempo de rádio e TV da campanha, pois perderá partidos grandes, como o PSDB, PSD, DEM e PPS. Com exceção do PSD (que não existia) os demais estiveram coligados com Ricardo em 2010. Por baixo, o governador perderia quase 8 minutos de propaganda.

Com o PMDB e PTB unindo-se a esse grupo, Cássio teria o maior tempo de TV já conquistado numa campanha de governador. Sem palanque, bancada na Assembleia e propaganda no rádio e na TV, Ricardo seria um mero coadjuvante lutando para não passar vergonha numa eleição plebiscitária.

O chapão também contaria com o todo poderoso presidente da Assembleia Legislativa, Ricardo Marcelo (PEN), capaz de reunir quase a unanimidade dos deputados estaduais em torno da candidatura de Cássio.

Quem acompanhou as últimas declarações do senador Cássio e do ex-prefeito Veneziano Vital, percebem uma mudança nítida no discurso de ambos, que leva a crer na consolidação do chapão.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Ouro Velho comemora 53 anos de emancipação política.

O município de Ouro Velho, no Cariri paraibano, comemora nesta quarta-feira (15), seus 53 anos de emancipação política, e 130 de existência desde que foi fundado em 1884. Com área territorial de 129 km², o município tem aproximadamente 3 mil habitantes, e se destaca pela receptividade de seu povo. A atual prefeita chama-se Natália Lira.
Batizada por Conceição em 1884, teve seu nome mudado em 1886 para Conceição Mugiqui. Conta-se que um boi velho pastava à sombra de um juazeiro que terminou servindo como ponto de referência de Boi Velho.

Mas pela Lei n 803 de 18 de Outubro de 1952 passou a ser distrito de Monteiro com denominação de Boi Velho, que era referência ao preço do animal, considerado caro, comparando a ouro. Posteriormente a padroeira passou a ser Nossa Senhora das Graças logo após passou a ser chamada Ouro Velho. 

Comemoração 
A comemoração será realizada em praça pública, com show do consagrado cantor e compositor Dorgival Dantas (foto acima), e da banda Badauê. Os shows começam a partir das 22h e são um oferecimento da Prefeitura Municipal.

Convite da Juventude de Brejinho

Caro Benone

Benone Leão você tá convidado para dia 24/01/2014, as 08:30 da noite fazer uma reportagem para seu blog da vaia que o Prefeito e a Secretaria de Gabinete Zan vão receber na abertura da festa, todo mundo vai ser convocado pelo face, vem Benone pra ver a indignação do povo por essa festa ridícula de 2014.

Rompimento

O que rola nos bastidores de Brasília é que o PP pode romper com a presidente Dilma, passando a apoiar à candidatura do tucano Aécio Neves. A rebelião, formada a partir de insatisfações com a reforma ministerial, estaria sendo liderada pelo senador Ciro Nogueira (PI). O PP ocupa hoje o Ministério das Cidades.

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Senado aprova pagamento de bolsa mensal de R$ 2.000,00 para garotas de programa.

Uma proposta polêmica, de autoria da senadora Maria Rita, do Partido dos Trabalhadores, foi aprovada na tarde de hoje por maioria de votos. Trata-se do pagamento de uma bolsa mensal no valor de R$ 2.000,00 (dois mil reais) para garotas de programa em todo país.

“O objetivo da bolsa é dar a essas mulheres a possibilidade de terem uma vida mais digna, pois o dinheiro deve ser prioritariamente utilizado com prevenção de doenças”, explicou a senadora.

Segundo ela, o projeto tem interesse público, pois também tem o objetivo de “disponibilizar pra clientela um serviço de melhor qualidade, já que as meninas poderão se cuidar melhor, pagar tratamentos estéticos, frequentar academias etc.”

O projeto de lei vai ser submetido à sanção da presidente Dilma e deve entrar em vigor até o início da copa de 2014.

É isso aí pessoal. Enquanto um professor da rede pública ganha R$898,00 para formar cidadãos dignos uma prostituta ganha R$ 2000,00 para rodar bolsinha com qualidade.

Claro que a inciativa do projeto só podia vir de um PETISTA mesmo não é?

domingo, 12 de janeiro de 2014

Crise no Maranhão e as trapalhadas de Roseana Sarney

O Maranhão está com uma crise séria de segurança, mas qual a “desculpa” da Governadora Roseana Sarney (PMDB)? Que o Estado está “mais rico”, mais populoso e por isso há mais violência. Sério, Governadora? Pelo vosso raciocínio a Suíça deveria ser um país violentíssimo, enquanto a África do Sul deveria ser o país mais rico do mundo, seguida de perto pelo Sudão.
Então o desenvolvimento econômico de uma região tem como uma das consequências o aumento da violência, sendo que possibilita a mais indivíduos ascenderem de classe social e obterem condições sociais, profissionais e financeiras melhores? Explique-me, governadora, como uma região onde os indivíduos supostamente estão gerando mais riqueza e obtendo mais renda, diminuindo a miséria, pode ter como uma das causas o aumento da violência?
Não faz o menor sentido! Ora, então há mais pessoas para serem roubadas e só esse fato justifica o aumento da violência?  Há mais oportunidades para obtenção de renda, logo, há menos pobres e/ou miseráveis, como pode haver mais criminosos ou mais crimes? Se o Estado está crescendo economicamente é óbvio que menos pessoas estão marginalizadas e os índices de violência deveriam diminuir, não aumentar.
A outra desculpa é que além de mais rico o Maranhão também está mais populoso. Mas se o Estado está mais rico há a geração contínua de oportunidades para absorver o aumento populacional e integrar os cidadãos ao mercado de trabalho. Logo, o aumento populacional nada tem a ver com o problema da segurança. Ou a governadora quer dizer que estão nascendo mais bandidos? Nesse caso, se contradiz em vosso discurso, pois também afirmastes que os maranhenses não são naturalmente violentos, pelo contrário, disse que são pacíficos. Se nascerem mais pessoas pacíficas, como isso pode contribuir para o aumento da violência, governadora?
A segurança pública é ineficiente, pois o serviço não está atrelado ao sistema de preços nem ao mecanismo de lucros e prejuízos, impossibilitando a precisão da demanda e decisões racionais de como alocar os recursos disponíveis. Em resumo há regiões que demandam mais segurança que outras, no entanto, o Estado é incapaz de precisar essa demanda e a alocação dos recursos acaba prejudicada severamente. O resultado são a escassez e a má qualidade do serviço para a população.
Mas reconhecer o problema e arrumar a casa não é do interesse de Roseana Sarney (assim como não é interesse da maioria dos políticos).
A segurança nos presídios está comprometida. Só no Complexo da Pedrinha (a maior penitenciária do Estado) houve 60 assassinatos em 2013. Fora isso, líderes do crime organizado deram ordens diretamente de dentro do Complexo da Pedrinha para que houvesse vandalismo nas ruas. Ônibus foram incendiados e pessoas aterrorizadas. Fala-se em intervenção Federal para conter a crise, algo que Roseana Sarney nega veemente.
Por isso defendo a privatização do sistema penitenciário brasileiro, colocando os presídios nas mãos da iniciativa privada que terá o direito de explorar a mão de obra dos presos em troca do sustento destes dentro do sistema. Além de desestimular rebeliões, dividir melhor os presos separando mais perigosos de menos perigosos (assassinos de quem cometeu pequeno furto, por exemplo) e inibir a destruição dos presídios pelos detentos (pois teriam que trabalhar mais para pagar os prejuízos), ao colocar nas mãos da iniciativa privada aumenta-se a qualidade do serviço e até de vida dos presidiários, pois interessas à empresas que eles estejam saudáveis e aptos ao trabalho.
Por estar sujeita ao sistema de preços e ao mecanismo de lucros e prejuízos as empresas identificam a demanda e conseguem alocar racionalmente os recursos disponíveis para melhor atendê-la. Some tudo isso à desoneração e desburocratização do setor depois que privatizado e haverá livre concorrência, que obriga as empresas a investirem em qualidade e preços/custos baixos, ou seja, melhorará ainda mais o serviço do que o previsto inicialmente.
Os presos também terão oportunidades de adquirir experiência e aprender uma profissão, facilitando a reintegração social deles e proporcionando a inserção entre os economicamente ativos após a soltura. O índice de violência/criminalidade diminuirá significativamente no longo prazo, com uma base sólida e sustentável desde que outras reformas sejam implantadas para conferir mais liberdade econômica e social aos indivíduos e incentivar a livre concorrência, propiciando um ambiente com mais oportunidades para geração de riqueza e renda. Nessa reformas pode-se incluir corte de imposto e desregulamentação gradual de cada setor da economia, mas delas falarei muito neste blog e em outros artigos.
Mas nada disso importa, pois o povo do Maranhão não é violento e está enriquecendo, segundo Roseana Sarney. Por isso que em 30 de junho de 2013 um juiz de futebol que apitava um jogo em Santa Inês, no interior do Maranhão, reagiu à agressão de um jogador de 30 anos com uma facada, o jogador morreu a caminho do hospital e o juiz foi amarrado, agredido, apedrejado e depois esquartejado, com sua cabeça sendo pendurada em uma estaca. O ser humano tem a capacidade de ser violento ou pacífico e os maranhenses não escapam a essa capacidade.
Na questão do enriquecimento, como pode a governadora afirmar isso, sendo que dos dez municípios mais pobres do Brasil sete estão no Maranhão? Por acaso a governadora esqueceu que o Maranhão tem a pior renda média per capita do país? Que enriquecimento é esse que é grande o suficiente para justificar um crise de segurança pública e aumento da violência, mas não é grande o suficiente para retirar o Estado da penúltima colocação em PIB per capita no país?
Em meio a esse turbilhão Roseana Sarney não deixou de se preocupar com o próprio conforto (custeado pelos contribuintes). O Governo do Maranhão iniciou licitação para abastecimento da residência oficial da governadora e da casa de veraneio. Após a imprensa revelar o conteúdo da licitação houve o cancelamento da mesma.
Foram licitados 2,4 toneladas de camarão, 80 kg de lagosta, 220 kg de bacalhau de primeira qualidade, entre outros itens, como 750 kg de patinha de camarão fresca. A licitação passou de R$1 milhão.
Há uma crise grave de segurança pública no Maranhão; o que não é de espantar já que o Estado é o 3º que menos investe no setor (R$127 per capita). Mas claro que esse fato não quer dizer nada e a culpa é dos supostos enriquecimento e crescimento da população maranhense. Então, no meio da crise, a governadora resolve abastecer a própria residência e a casa de veraneio com toneladas de camarão fresco e 950 kg de sorvete, além dos itens já citados.
Uma das frases mais certeiras foi proferida pelo 16º presidente dos Estados Unidos da América, Abraham Lincoln: “É melhor calar-se e deixar as pessoas pensarem que você é um idiota do que falar e acabar com a dúvida”. Com certeza se aplica à Roseana Sarney, não só pelo que fala, mas também por suas ações.
É provável que a filha do senador José Sarney (PMDB) não esteja preocupada com o que diz e o que faz como governadora do Maranhão, pois deve renunciar em abril de 2014 para concorrer ao Senado. Com a influência que os Sarney exercem sobre o Maranhão não deve ser difícil a eleição de Roseana, que pode ser dar ao luxo de falar o que vem à cabeça, enquanto os maranhenses andam de cabeça baixa e com medo.
Por Roberto Lacerda Barricelli

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014

Prefeita de Betânia tem contas rejeitadas e é punida pelo TCE

 A Primeira Câmara do TCE julgou irregulares as contas de gestão da Prefeitura de Betânia relativas ao exercício financeiro de 2011. O relator do processo foi o auditor substituto Carlos Pimentel. De acordo com o seu voto, as principais falhas cometidas pela prefeita e ordenadora de despesa, Eugênia de Souza Araújo, foram as seguintes:
- Excessos de pagamento “em espécie” repetidamente criticados pelo TCE em exercícios anteriores. O montante destes pagamentos  totalizaram R$12.850.133,80; Ausência de aplicação financeira dos recursos em caixa, configurando afronta ao Princípio contábil da Eficiência, além de renúncia de receitas;
- Irregularidades  previdenciárias, não tendo sido recolhidos 68% das contribuições ao Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) e 74% das contribuições ao Regime Geral de Previdência Social (RGPS);
- Burla ao concurso público, tendo sido verificada reiterada contratação temporária para cargos de caráter permanente na estrutura administrativa do município.
Por essas razões, as contas foram julgadas irregulares e o relator aplicou as seguintes multas à prefeita de acordo com as falhas abaixo elencadas:
— R$ 10 mil pela não aplicação financeira dos recursos em caixa da Prefeitura;
— R$ 7 mil por falhas na gestão previdenciária e burla ao concurso público;
— R$ 7 mil por excesso de pagamento “em espécie.”

Ficou ainda determinado o envio de cópia do Relatório preliminar que embasou o voto do relator para o atual gestor do Município de Betânia.
Do site do TCE

Governo Dilma!