sábado, 27 de fevereiro de 2010

CHAPA PURO-SANGUE: NO PSDB TODO MUNDO QUER O SANGUE DO OUTRO

Dilma e Mário Kosel Filho.

Um ser humano não terá dificuldade alguma para entender o que vem abaixo...

Entendam porque os petistas não querem abrir os arquivos do Governo Militar, seus crimes não serão apagados.

Dilma e Mário Kosel Filho. Um ser humano não terá dificuldade alguma para entender o que vem abaixo...


Mário Kosel Filho nasceu em 6 de julho de 1949, em São Paulo. Era filho de Mário Kosel e Therezinha Vera Kosel.

foto do soldado Mário Kosel Filho ANTES do "encontro" com Dilma



Fazia parte do Grupo Juventude, Amor, Fraternidade, organizado pelo Padre Silveira, da Paróquia Nossa Senhora da Aparecida, no bairro de Indianópolis, juntamente com mais de 30 jovens.
O símbolo do grupo, ironicamente idealizado por Mário, era uma rosa e um violão.
Por ser muito prestativo e preocupado em ajudar as pessoas, principalmente crianças e necessitados, foi apelidado de Kuka, pelos demais participantes do grupo.
Mário estava com 19 anos e prestava o serviço militar. Estava incorporado na 5ª Cia. de Fuzileiros do 2º Batalhão, no 4º Regimento de Infantaria Raposo Tavares, em Quitaúna.
Na madrugada de 26 de junho de 1968 estava no quartel, em serviço, quando ouviu um tiro, disparado pelo soldado Rufino, que fazia a guarda externa do quartel. Saiu para ver o que se passava e foi informado pelo soldado Rufino que o tiro foi para cima, para advertir um automóvel que, em alta velocidade, rompeu a barreira da área proibida ao tráfego de veículos.
O motorista do automóvel deve ter se assustado e colidiu com um poste. Mário, preocupado em ajudar possíveis feridos, foi até o mesmo.

Ao se aproximar do automóvel acidentado, um outro automóvel passa pelo local e seus ocupantes lançam sobre o automóvel acidentado uma bomba de grande poder destrutivo.
Mário teve morte instantânea, pedaços de seu corpo foram lançados em todas as direções.

foto do soldado Mário Kosel Filho DEPOIS do "encontro" com Dilma

Um dos ocupantes do segundo automóvel era Dilma Rousseff.

Não consigo entender como é possível uma assassina permanece solta e ainda chegar aonde essa mulher - terrorista e assassina - chegou.
Dilma e outros criminosos e assassinos, que deveriam estar nas penitenciarias, relaxam e gozam sem quaisquer preocupações, enquanto os ladrões de galinhas sofrem severas penalidades.


Agora, a exemplo do que fizeram com Lula, os marqueteiros vão tentar vender a imagem de paz e amor dessa assassina, terrorista e efetiva pilantra.
Acho que o Brasil acabou e os brasileiros não se deram conta disso. Ainda assim, enquanto eu viver, não me calarei, até que todos saibam.
Estamos deixando um grupo perigoso assumir o poder e as Instituições de nosso País desde 2002!


***

QUEM NÃO É ELA?
Ela não é filha de sem-terra, de sem-teto, de família pobre, de vidas em desgraça, não é vítima de nenhuma religião. Não passou fome na infância, nem depois.
Ela é o pior tipo de ser humano, aquele que recebe tudo de mãos beijadas e não quer perder o que tem ao mesmo tempo em que não quer ocupar-se de manter o que tem. Ela é aquele tipo de ser humano que vive como se a presença dela no planeta fosse uma dádiva de Deus (ou do diabo) a todos nós e, portanto, todos temos que nos curvar ante a sua completa e total feiúra e podridão moral. É o que pior pode sair de um relacionamento sexual entre um homem e uma mulher, é a VERGONHA para qualquer pai e mãe decentes, que tenham algum princípio que, mesmo de leve, faça-os entender que os OUTROS seres humanos são seus semelhantes.
Ela é socialista/comunista e isto quer dizer que ela é, sempre foi e sempre será PARASITA. Socialismo/comunismo é coisa de filhinho de papai. Parasitas de seus pais e depois de qualquer um que se aproxime (de preferência o ESTADO), nunca se deu ao luxo de sequer entender como manter aquilo que recebeu de berço. Que dirá ir além e aumentar o patrimônio ou doar o que ganhou de papai e mamãe e viver uma vida de dedicação ao próximo.
Vamos ler mais:
O pai dela - Pétar Russév (mudado para Pedro Roussef) -, filiado ao Partido Comunista búlgaro, deixou um filho (Luben) lá na Bulgária e veio dar com os costados em Salvador, depois Buenos Aires e, ao fim, fez negócios em São Paulo. Encantou-se com a professorinha de 20 aninhos,Dilma Jane da Silva (rica, filha de fazendeiro), e com ela casou e viveu em Belo Horizonte, tendo três filhos: Igor, Dilma - a guerrilheira - e Lúcia. Igor morreu em 1977.
Era uma família classe A, com casa enorme, três empregadas, refeições servidas à francesa, com guarnições e talheres específicos. Tinham piano e professora particular de francês. Dilma entrou primeiro numa escola de freiras - Colégio Sion - e, depois, no renomado Estadual Central. Nas férias, iam de avião para Guarapari/ES e ficavam no Hotel Cassino Radium.
Dilma, ainda jovem, entrou para o POLOP - Política Operária - e depois se mudou para o COLINA - Comando de Libertação Nacional. Apaixonou-se e casou-se com Cláudio Galeno Linhares, especialista em fazer bombas com os pós e líquidos da farmácia de manipulação do seu pai.
Sua primeira aula de marxismo foi-lhe dada por Apolo Heringer e, pouco depois, estava em suas mãos o livro: "Revolução na Revolução", de Régis Debray, francês que mudou-se para Cuba e ficou amigo do Fidel e mais tarde, acompanhando Guevara, foi preso na Bolívia.
Aos 21 anos, Dilma partiu para o RJ a fim de se esconder dos militares,após o frustrado assalto ao Banco da Lavoura de Sabará. No Rio, ainda casada, apaixonou-se por Carlos Franklin Paixão de Araújo, o chefe da dissidência do Partidão. Então, chegou, de chofer, e disse para o marido: "Estou com o Carlos!".
Carlos vivia antes com a geógrafa Vânia Arantes e, sedutor, já havia tido outras sete mulheres, aos 31 de idade. Com ele, Dilma participou da fusão COLINA/VPR (esta do Lamarca), que deu origem, em Mongaguá, à Vanguarda Armada Revolucionária - Palmares, cujo estatuto dizia:
Art.1º - A Vanguarda Armada Revolucionária - Palmares é uma organização político-militar de caráter partidário, marxista-leninista, que se propõe a cumprir todas as tarefas da guerra revolucionária e da construção do Partido da Classe Operária, com o objetivo de tomar o poder e construir o socialismo."
Foi em Mongaguá, litoral paulista, que se traçou o plano da "Grande Ação", que se deu em 18 de julho de 1969, com o assalto e roubo do cofre da casa da amante do Ademar de Barros, em Santa Teresa /RJ, que rendeu-lhes 2,5 milhões de dólares, cofre aberto em Porto Alegre, a maçarico, pelo metalúrgico Delci. Mas a organização se dividiu entre "basistas" - que defendiam o trabalho das "massas" e junto às "bases", e os "militaristas", que priorizavam a imediata e constante luta armada comunista. A disputa pelo butim dolarizado foi ferrenha! Dilma era chamada de "Joana D'Arc da subversão".
Então, foi para São Paulo onde dividia um quarto com Maria Celeste Martins, hoje sua assessora imediata no Planalto.
Dedurada por José Olavo Leite Ribeiro - mantinha com ela três contatos semanais. Depois de vários ataques, -, foi presa, armada, em um bar da Rua Augusta, juntamente com Antônio de Pádua Perosa; depois, entregou à polícia seu amigo Natael Custódio Barbosa. Enquanto isso, o Carlos Araújo teve um romance tórrido com a atriz Bete Mendes, da TV Globo.
Dilma saiu do presídio em 1973 e foi para Porto Alegre, reatar com o Carlos infiel. Mas hoje, Carlos Araújo mora sozinho com dois vira-latas (Amarelo e Negrão), numa casinha às margens da lagoa do Guaíba, em Porto Alegre. Ele tem enfisema pulmonar e está com 71 anos. Diz que é feliz, mesmo com a ex-esposa sendo Ministra e candidata do apedeuta/fronteiriço à Presidência
da República.
Eis aí a "síntese/sintética/resumida" da vida da Dilma Roussef que, logo....logo... será apresentada pelo Lulla como a pessoa ideal para governar o país. E, em se tratando do povo brasileiro (batuque, bola, bolsa-família e bunda), tudo pode se esperar, infelizmente.
Mas, nem tudo está perdido... vc tem uma arma poderosa para utilizar na hora certa contra esse estado de coisas. É o seu voto.
ALÉM DA ARMA ATUAL? A INTERNET, VOCE TEM UMA ARMA MAIS PODEROSA, SEU VOTO.
ENTENDA ISTO. PENSE NISSO.


Prefeito de São Joaquim do Monte é DENUNCIADO

PROCESSO T. C. Nº 0805197-5

DENÚNCIA

DENUNCIANTES: Srs. ALUÍZIO PEDRO BARBOSA LINS, GLÉCIO CARVALHO DE SOUZA, JOSÉ NILSON DA SILVA E MILTON COELHO DE ARAÚJO

DENUNCIADO: Sr. JOSÉ LINO DA SILVA IRMÃO

ADVOGADOS: Drs. MÁRCIO JOSÉ ALVES DE SOUZA – OAB/PE Nº 5.786; CARLOS HENRIQUE VIEIRA DE ANDRADA – OAB/PE Nº 12.135; MAURÍCIO DE FONTES OLIVEIRA – OAB/PE Nº 21.241; LILIANE CAVALCANTI BARRETO CAMPELLO – OAB/PE Nº 20.773; DIMITRI DE LIMA VASCONCELOS – OAB/PE Nº 23.536-D; AMARO ALVES DE SOUZA NETTO - OAB/PE Nº 26.082 E EDSON MONTEIRO VERA CRUZ FILHO – OAB/PE Nº 26.183

RELATOR: CONSELHEIRO, EM EXERCÍCIO, MARCOS NÓBREGA

ÓRGÃO JULGADOR: SEGUNDA CÂMARA

ACÓRDÃO T. C. Nº 006/10

EMENTA: Denúncia formulada pelos Srs. Aluízio Pedro Barbosa Lins, Glécio Carvalho de Souza, José Nilson da Silva e Milton Coelho de Araújo, contra o Sr. José Lino da Silva Irmão, Prefeito do Município de São Joaquim do Monte. Procedente em parte.

VISTOS, relatados e discutidos os autos do Processo T.C. nº 0805197-5,

ACORDAM, à unanimidade, os Conselheiros da 2ª Câmara do Tribunal de Contas do Estado, nos termos do voto do Relator, que integra a presente Decisão,

Considerando que ficou plenamente demonstrado o desvio de recursos públicos, no montante de R$ 168.959,52, para contas de particulares ligados ao Prefeito, contrariando o disposto no artigo 37 da Constituição Federal de 88;

Considerando que o valor desviado retornou posteriormente aos cofres públicos como provam os documentos às fls. 183 a 189 e 218 a 223;

Considerando, ademais, que as irregularidades administrativas, devidamente comprovadas no processo, constituem indícios de ilicitude penal e de ato de improbidade administrativa;

Julgar PROCEDENTE, EM PARTE, a presente denúncia.

Aplicar, nos termos do artigo 73, inciso II, da Lei Estadual nº 12.600/04, ao Sr. José Lino da Silva Irmão multa no valor de R$ 10.000,00, que deverá ser recolhida, no prazo de 15 (quinze) dias do trânsito em julgado desta Decisão, ao Fundo de Aperfeiçoamento Profissional e Reequipamento Técnico do Tribunal, por intermédio de boleto bancário a ser emitido no sítio da internet desta Corte de Contas (www.tce.pe.gov.br).

Determinar a remessa dos autos ao Ministério Público de Contas para remessa ao Ministério Público do Estado para as providências cabíveis.

Recife, 19 de fevereiro de 2010.

Conselheiro Valdecir Fernandes Pascoal – Presidente em exercício da 2ª Câmara

Conselheiro, em exercício, Marcos Nóbrega - Relator

Fui presente: Dr. Gilmar Severino de Lima – Procurador.

VEREADORES INGRESSAM COM AÇÃO CONTRA DELMIRO BARROS

Caro Benone Leão,

Tendo em vista as dúvidas acerca do ocorrido venho através deste lhe comunicar os verdadeiros fatos:

1. O Prefeito Municipal de São José do Egito (Evandro Valadares) convidou os vereadores Rogaciano e Jota Ferreira para exercerem os cargos em comissão de Secretários Municipais em 04/02/2010;

2. Durante todo esse período, em uma atitude omissa, o Vereador Delmiro Barros nunca comunicou aos vereadores do convite e ainda nunca respondeu a Prefeitura vários ofícios enviados a sua pessoa;

3. Em 22/02, na sessão ordinária da Câmara Municipal, mais uma vez, mediante uma atitude ilegal, abusiva e autoritária o Vereador Delmiro Barros colocou em votação o requerimento e em seu voto de minerva negou o pedido de licença;

4. Os vereadores prejudicados ingressaram na justiça local com um mandado de segurança (nº 00165-10.2010.8.17.1340) contra Delmiro Barros e aguardam a decisão liminar do magistrado que poderá sair em instantes, solicitando as suas liberações e optando pelas remunerações dos seu s mandatos (a Câmara deve pagar os salários);

5. A atitude autoritária e ilegal do Vereador Delmiro Barros, além de demonstrar profundo desconhecimento da lei, tendo em vista que a Lei Orgânica Municipal, o Regimento Interno da Câmara e consulta ao TCE/PE autorizam, faz transparecer que ele não quer liberar os colegas, não gosta do povo de Riacho do Meio e/ou estar preocupado em ter que diminuir o seu salário ou ter que demitir mais de 20 assessores particulares;

Diante das várias versões ao caso esclarecemos a verdade dos fatos e estamos à disposição para dirimir qualquer dúvida ou esclarecimento sobre o tema, inclusive enviando qualquer documento comprobatório do alegado.

Dr. Augusto Valadares (Advogado dos Vereadores)

OAB/PE nº 23.756

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Caro Benone Leão,

Tendo em vista as dúvidas acerca do ocorrido venho através deste lhe comunicar os verdadeiros fatos:

1. A Presidente da Câmara de São José do Egito, Vereador Delmiro Barros, em noticiário do blog, afirmou que o Prefeito de São José do Egito (Evandro Valadares) aprovou Lei, devidamente rejeitada pelos Vereadores de Oposição, e por isso irá ingressar na Justiça contra o “trem da alegria”;

2. É de esclarecer que o projeto de Lei, cuja sanção obteve respaldo no Regimento Interno da Câmara, na votação por 7x2 dos Vereadores e ainda mediante CD e DVD da sessão do dia 01/02/2010, visa aumentar em 34% os cargos efetivos e diminuir em 38% os cargos comissionados e contratados da Prefeitura;

3. O vereador Delmiro de Araújo Barros, por muitas tarefas e viagens semanais, deve ter esquecido, sem maldade, que ele também votou a favor do projeto, conforme gravação (vídeo e áudio) que se encontra em posse desta Edilidade;

4. Por falar em “trem da alegria” é de lembrar ao citado vereador que o seu 1º projeto de lei quando retornou a Câmara Municipal de Vereadores em 2009 foi aumentando em 100% os seus assessores particulares, cuja lei encontra-se sancionada sob nº 012, de 03 de abril de 2009;

5. Caso a Lei (que já foi aprovada por 7 x 2 votos) seja derrubada na justiça o salário mínimo de São José do Egito voltará para o seu antigo valor de R$ 465,00, o abono pecuniário será mais uma vez cortado (R$ 40,00), os estagiários perderão os auxílios financeiros, os servidores efetivos não terão mais vários benefícios e direitos, programas sociais serão parados e os seus recursos devolvidos, e por fim, vários funcionários serão demitidos;

6. Será que Delmiro Barros vai querer tantas demissões ??? Será que ele vai negar, após assistir a gravação, que também votou a favor do projeto ??? Será que ele vai prejudicar mais uma vez o povo de São José do Egito ???

7. Na 1ª votação desde projeto a Câmara Municipal, através dos votos da oposição, REJEITOU o projeto de lei, por isso, em janeiro os servidores municipais recebem aproximadamente R$ 85,00 a menos em seus vencimentos;

8. Com aprovação do novo projeto em fevereiro a Prefeitura Municipal irá pagar, ainda este mês, o novo salário mínimo de R$ 510,00 e ainda a diferença do mês de janeiro (que tinha sido votada contra !!!), ou seja, o povo que tinha sido prejudicado pelo voto da oposição (Delmiro Barros, Rona Leite do PT, Bal de Riacho do Meio, Doido de Zé Vicente e Zé Bilu), agora em fevereiro, receba toda a diferença salarial;

9. Caso a Lei seja acionada na justiça, mais uma vez por culpa da oposição, a população irá ser prejudicar, pois, além de não recebe seus vencimentos ainda irá devolver o que tenha recebido indevidamente;

10. Neste sentido temos certeza que a foi aprovada pela Câmara Municipal por 7 x 2, conforme DVD da sessão;

11. Em relação aos problemas na justiça estamos tranqüilos, pois a oposição ingressou com mais de 52 processos e perdeu em todos, inclusive a última ação no TRE/PE teve a sua decisão unânime por 6 x 0 contra eles;

Diante das várias versões ao caso esclarecemos a verdade dos fatos e estamos à disposição para dirimir qualquer dúvida ou esclarecimento sobre o tema, inclusive enviando qualquer documento comprobatório do alegado.

Dr. Augusto Valadares (Procurador Municipal)

Discurso em tom de despedida

Marliéria (MG) - O tom de despedida marcou o discurso do governador de Minas Gerais, Aécio Neves, ontem, no Parque Estadual do Rio Doce, no Vale do Aço.

Aécio (centro) e Anastasia (direita): vice ainda não se lançou como candidato, mas não esconde intenção de ocupar o cargo. Foto: Renato Weil/EM/D.A Press
Ao inaugurar obras de apoio à pesquisa e ao turismo na reserva ambiental, com investimentos de R$ 3,5 milhões, ele enfatizou o fim de seu mandato, em abril, por restrição eleitoral. "Dentro de quatro semanas, não serei mais governador de Minas Gerais. Por imposição legal, no dia 30 de março, deixo o governo. Mas com a tranquilidade e a serenidade de que deixarei o governo nas mãos limpas e honradas de Antonio Anastasia, para que ele possa dar continuidade ao trabalho desenvolvido", disse Aécio, que permaneceu ao lado do vice durante toda a solenidade. "É recompensador andar por Minas Gerais e receber o reconhecimento, o abraço afetuoso e o olhar de confiança dos mineiros. Temos lutas enormes a enfrentar, mas vemos uma Minas diferente daquela de 2003", acrescentou o governador, fazendo um balanço de seu mandato. DP,27/02/10

Campeões

São apontados nas listas partidárias como candidatos à Câmara Federal com potencial superior a 150 mil votos Ana Arraes (PSB), João Paulo ou Humberto Costa (PT), Mendonça Filho (DEM), Inocêncio Oliveira (PR) e Eduardo da Fonte (PP). Fogo Cruzado

Risco paraibano

Em encontro com o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, o presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba, Arthur Cunha Lima, alertou para o risco que a legenda tucana corre se apostar na candidatura do senador Cícero Lucena a governador. “A rejeição de Lucena bate nas estrelas”, advertiu o tucano paraibano. Folha Política

Marina quer “melhor” de PT e PSDB

A pré-candidata do PV à Presidência, senadora Marina Silva (AC), afirmou ontem que pretende fazer um “realinhamento histórico”, no qual quer governar “com os melhores do PSDB e os melhores do PT”. Marina participou da gravação do programa da Rede TV! “É Notícia”, de Kennedy Alencar. A entrevista vai ao ar à 0h15 da próxima segunda-feira. “Enquanto o PT e o PSDB não conversarem, vai ficar muito difícil uma governabilidade (...) Devíamos ser capazes de estabelecer uma governabilidade básica, onde o PT e o PSDB digam: “Naquilo que é essencial para o Brasil, nós não vamos colocar em risco a governabilidade”, disse.
A senadora criticou as alianças dos dois partidos com forças políticas mais à direita. “O presidente Fernando Henrique ganhou sozinho e, para governar, teve que ficar refém dos Democratas; o presidente Lula (ficou refém), dos setores mais retrógrados do PMDB. Isso não é bom para o Brasil”, afirmou.FP, 27/02/10

Parecer por cassação é aprovado

A Comissão Especial da Câmara Legislativa aprovou, por unanimidade, parecer preliminar do relator, deputado Chico Leite (PT), favorável à cassação do mandato do governador afastado do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). O próximo passo será notificar o governador - preso desde o último dia 11 pela Polícia Federal por obstrução da Justiça -, que terá 20 dias para apresentar defesa.
Arruda é acusado de chefiar um esquema de corrupção que, em suma funcionava assim: empresas contratadas pelo governo pagavam propina e, depois, o dinheiro ilegal era repassado a deputados distritais da base aliada, secretários de Estado, assessores, e também ao empresário Paulo Octávio, que renunciou à vice-governadoria do DF na última terça-feira. A denúncia é investigada pela Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal. FP,27/02/10

Bruno Araújo diz que Guerra é opção

O deputado federal Bruno Araújo (PSDB) ratificou a possibilidade de o presidente nacional do seu partido, senador Sérgio Guerra (PSDB), ser um bom nome para a vice em uma chapa onde o governador de São Paulo, José Serra, se configure como candidato a presidente da República pela oposição. A ideia tem sido ventilada como uma segunda formatação de chapa puro-sangue tucana, caso o governador de Minas Gerais, Aécio Neves, não queira preencher a vaga.
“O senador Sérgio Guerra está hoje habilitado dentro do partido para essa posição. Na eventualidade de não se conseguir concretizar o nome de Aécio Neves para vice, ou não tiver outra alternativa de coligação, Sérgio Guerra é um nome sim, que pode ser uma alternativa para o governador José Serra. Mas isso é algo que o próprio Sérgio não opera e não vai atrás”, afirmou, ontem, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Marco Maciel comandará DEM do DF

Nomeado pela Executiva nacional do DEM, o senador Marco Marciel vai comandar o diretório regional do partido em Brasília até que um novo seja eleito. Por pressão da direção da legenda, que se sentia muito incomodada com o envolvimento do diretório regional no escândalo do mensalão da capital, o deputado Osório Adriano, que presidia interinamente o partido, tomou uma decisão drástica: decretou a autodissolução do diretório regional.

Desde o início do escândalo do mensalão no governo de José Roberto Arruda, com farta documentação em que o próprio chefe do Executivo foi filmado pondo a mão em pacotes de dinheiro, e deputados distritais e empresários tiveram suas imagens registradas no momento em que guardavam as cédulas em meias, cuecas e bolsas, o DEM tem sofrido um sério desgaste político. Principalmente porque o escândalo passou a ser conhecido por “mensalão do DEM” - levando, assim, a legenda a se igualar ao PT e ao PSDB, envolvidos em outros mensalões.

Para provocar o PT e dizer que não aceita a convivência com pessoas envolvidas escândalos no seu meio, a direção do DEM decidiu expulsar o então governador Arruda. Mas ele se antecipou e saiu do partido. Em seguida, os dirigentes do DEM atacaram o deputado Leonardo Prudente, pego numa filmagem em que coloca dinheiro nas meias. Prudente, que era presidente da Câmara Legislativa, teve de deixar o partido. Em seguida, renunciou à presidência da Câmara.

Com a prisão de Arruda no dia 11, assumiu o vice Paulo Octávio, até então presidente do DEM local. Pressionado, ele se afastou do cargo, deixando a direção partidária para Osório Adriano. Mesmo assim, o partido não se contentou. Pressionou-o a sair da legenda. Na terça-feira Paulo Octávio fez uma renúncia dupla: ao DEM e ao governo do Distrito Federal. FP,25 /02/10

“Aloprado” é reintegrado ao PT

Envolvido no episódio que ficou conhecido como escândalo dos “aloprados”, Hamilton Lacerda voltou a integrar a lista de filiados do PT. Flagrado em 2006 transportando uma mala de dinheiro, que serviria para pagar por um dossiê contra tucanos, Lacerda teve sua nova ficha de filiação validada há cerca de um mês pelo Diretório Municipal do PT, em São Caetano do Sul.

Ex-coordenador de Comunicação da campanha do senador Aloizio Mercadante (SP) ao governo de São Paulo, ele havia pedido sua desfiliação do partido em meio à repercussão negativa provocada pelo episódio. Na época, os petistas Gedimar Passos e Valdebran Padilha - que junto com Lacerda ganharam do presidente Luiz Inácio Lula da Silva o apelido de “aloprados” -, foram presos tentando adquirir o dossiê, o que abriu uma crise nas campanhas estadual e nacional do PT. Na época em que foi implicado nas denúncias, Lacerda empenhou-se em negar as acusações e disse transportar na mala apenas material de campanha.

A informação sobre a volta de Lacerda aos quadros petistas foi noticiada no último sábado pelo jornal “ABC Repórter”, que circula na região do ABC paulista, e replicada pela imprensa local e nacional. De acordo com o presidente do PT de São Caetano do Sul, Edgar Nóbrega, a articulação teve início no meio do ano passado. No cargo há 15 dias, Nóbrega diz que aceitou prontamente o pedido da corrente derrotada na eleição interna do partido para que Lacerda fosse reintegrado à sigla. A decisão, disse ele, foi tomada em nome da unidade partidária. FP,25/02/10

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Mão Santa defende sucessão natural no governo do DF

O senador Mão Santa (PSC-PI) defendeu sexta-feira (19) o respeito à cadeia sucessória "natural" na hipótese de afastamento definitivo do governador José Roberto Arruda, contra quem deve ser aberto processo de impeachment. Pelas regras constitucionais, lembrou, o posto deve ficar com o vice-governador, Paulo Otávio, lançando-se mão, na sequência, se necessário, do nome do presidente da Câmara Distrital e do titular do Poder Judiciário em Brasília.

No pronunciamento em Plenário, Mão Santa também recomendou que o presidente Luiz Inácio da Silva não desse ouvido a eventuais conselhos de "aloprados" de seu partido para apoiar a tese de intervenção federal no Executivo de Brasília. Ele aproveitou para lembrar episódios da história do país, em momentos crise, em que prevaleceu a cadeira sucessória natural. Um dos exemplos foi a posse do vice-presidente Café Filho, após o suicídio de Getúlio Vargas, que só deixou o cargo após a eleição de Juscelino Kubistchek. Segundo ele, os "aloprados" também tentaram estimular o então presidente a tentar a permanência no posto por mais um mandato.

Agência Senado

Bancadas pernambucanas podem encolher

As bancadas federal e estadual de Pernambuco devem encolher na próxima legislatura. Minuta do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), com base na estimativa da população brasileira do ano passado, prevê a redução de 25 para 24 deputados federais e de 49 para 48 deputados estaduais. Se aprovada pelo plenário do tribunal, o que pode ocorrer até o dia 5 de março, a proposta deve também diminuir o número de candidatos por chapa, seja ela "puro sangue" ou coligação. Em contrapartida, a quantidade de votos para um deputado se eleger deve aumentar.

"Havendo a mudança, a tendência é que os partidos revejam suas estratégias para as próximas eleições em Pernambuco", avalia o professor de Direito Eleitoral Bruno Baptista, do Espaço Jurídico. No caso das pequenas legendas, o caminho mais provável seria unir-se a outras siglas, enquanto a disputa no anunciado chapão da base do governador Eduardo Campos (PSB) deve ficar acirrada. Pelas regras atuais e prevalecendo a lógica da redução, um partido concorrendo sozinho poderia indicar até 36 candidatos a deputado federal. Isso representa 1,5 vez a quantidade de vagas disponibilizadas. Em caso de coligação, os candidatos somariam duas vezes o número de cadeiras: 40.

Pernambuco, segundo a minuta, não seria o único estado a perder cadeiras na Câmara Federal. Há outros sete. Rio Grande do Sul, Paraná, Maranhão, Goiás e Piauí também perderiam uma vaga, enquanto o Rio de Janeiro e a Paraíba ficariam com dois deputados federais a menos. O Pará seria o mais beneficiado com a mudança, ampliando a bancada de 17 para 20 deputados federais. E Minas Gerais ganharia duas vagas. As bancadas do Amazonas, Rio Grande do Norte, Ceará, Bahia e Santa Catarina, por sua vez, teriam um acréscimo de um deputado federal, cada. Nos demais estados, não haveria alterações na representação e a situação das assembleias legislativas permaneceria inalterada. O número de deputados estaduais é baseado na quantidade dos federais.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Marco Maciel elogia a Campanha da Fraternidade de 2010

Ao discursar durante a sessão plenária desta sexta-feira (19), o senador Marco Maciel (DEM-PE) louvou a oportunidade da Campanha da Fraternidade, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) que, em 2010, tem como lema "Vocês não podem servir a Deus e ao dinheiro".

- O lema da Campanha coloca o dedo na ferida: a avareza, que é a busca ávida dos bens desta vida, como se fossem o objetivo último do viver humano, leva o homem a passar por cima de tudo para obter e possuir esses bens. A Campanha nos leva a uma reflexão sobre as prioridades que uma pessoa deve ter em sua vida - disse o senador, citando artigo publicado pelo cardeal dom Odilo Scherer, arcebispo de São Paulo, publicado nesta quinta-feira (18).

Para Maciel, riqueza e poder geram pobreza e injustiça social. Para se obter o verdadeiro desenvolvimento do país, que não se resume a crescimento econômico, é preciso sedimentar uma cultura de participação que elimine assimetrias e desigualdades regionais e pessoais, uma vez que consumo e posse de bens não podem ser confundidos com o real papel da pessoa no mundo moderno.

O senador por Pernambuco lembrou o caráter ecumênico da Campanha da Fraternidade deste ano, que reunirá, ao lado da Igreja Católica Romana, as Igrejas Episcopal Anglicana, Luterana e Presbiteriana do Brasil, bem como a Igreja Síria Ortodoxa de Antioquia, que formam o Conselho Nacional das Igrejas Cristãs do Brasil (Conic). Agência Senado

Mensalão petista vira ''golpismo'' no congresso do PT

Iniciado ontem em Brasília, o 4º Congresso Nacional petista classifica como 'golpismo' a mais grave crise política do partido, não mencionando o termo mensalão, como ficou conhecido o escândalo iniciado em meados de 2005. Em um dos painéis destinados a contar a versão petista de cada ano de sua história, o mensalão é descrito da seguinte forma: 'A partir de uma reportagem de uma revista que mostrava um episódio de pagamento de propina dentro dos Correios, desencadeou-se uma crise que atingiu fortemente o governo e o partido'.

A seguir, ele lembra de forma indireta a declaração do então presidente do PFL (hoje DEM), Jorge Bornhausen, em que ele se disse 'encantado' com a crise política pela possibilidade de 'se ver livre dessa raça [o PT], por, pelo menos, 30 anos'.

'Um senador deixa claro o objetivo: acabar com a raça do PT. Mas a militância petista, os movimentos sociais e os partidos aliados reagem, derrotando o golpismo', completa o texto. Em 2005, os partidos de oposição chegaram a discutir a possibilidade de pedir o impeachment de Lula, mas recuaram.(Informações da Folha de S.Paulo)

Simon defende firme combate à corrupção

A decretação da prisão preventiva do governador licenciado do Distrito Federal José Roberto Arruda representa um passo importante no combate à corrupção e na luta contra a impunidade, disse nesta sexta-feira (19) o senador Pedro Simon (PMDB-RS).

Na opinião do parlamentar, a prisão de Arruda será um marco para o país.

- Pela primeira vez na história do Brasil um homem público, em pleno exercício de seu mandato, dorme por algumas noites na prisão. Isso é muito positivo para a moralização da coisa pública - lembrou o senador.

De acordo com Simon, é necessário que os escândalos políticos de Brasília sirvam de exemplo para que o país encontre saídas concretas para combater os desmandos administrativos e a corrupção. Do contrário, observou, a nação continuará a acompanhar, atônita, escândalos como os de Brasília. Agência Senado

Marina Silva diz que é urgente implantar a política nacional de mudanças climáticas

Preocupada com o aumento do número de desastres climáticos causadores de perdas humanas e econômicas, a senadora Marina Silva (PT-AC) disse que é urgente a implementação da lei que institui a política nacional de mudanças climáticas (Lei 12.187/2009), especialmente no que diz respeito às ações de adaptação aos efeitos nocivos do aquecimento global. Em seu discurso nesta sexta-feira (19) no Plenário, Marina citou uma série de estudos nacionais e estrangeiros que comprovam o aumento no número de doenças e de outros problemas na produção de alimentos em função das alterações de clima da Terra.

A senadora explicou que essa "crise ambiental global", como denominam os cientistas, tem consequências para diferentes setores da vida na sociedade.

- O custo de não encararmos com a devida urgência e prioridade essa questão aumentará enormemente o sofrimento das pessoas e os custos para a sociedade - afirmou Marina Silva, observando que, no Brasil, os efeitos negativos são mais claros na questão da saúde pública. Agência Senado

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

BRASÍLIA TEM EPIDEMIA DE DENGUE E DE CORRUPÇÃO

Sérgio vai a Jarbas articular chapa de oposição a Eduardo

As definições para o lançamento da pré-candidatura da oposição ao Governo Estado chegaram à sua reta final. Até o próximo domingo, o senador Sérgio Guerra (PSDB) deve procurar o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) para uma conversa de conteúdo não revelado, mas com conjecturas previamente anunciadas na antessala oposicionista, com vistas às eleições de outubro. Parece ter chegado o tempo da oposição confirmar ou não, a candidatura de Jarbas Vasconcelos ao Governo. O encontro entre ambos pode oficializar a pré-candidatura oposicionista que concretizaria o esperado conflito entre o governador Eduardo Campos (PSB) e Jarbas Vasconcelos. Em seu twitter, Sérgio Guerra declarou ontem: “Procurarei Jarbas (Vasconcelos) ainda esta semana. Está faltando uma conversa entre nós”, afirmou.

Jarbas já deu a entender mais de uma vez que a definição de seu futuro em Pernambuco passa pela decisão a ser tomada pelo governador de São paulo, José Serra (PSDB). O tucano, principal cotado para encabeçar a chapa de oposição na corrida presidencial, continua a fazer suspense sobre seu futuro eleitoral.

Escrito por Magno Martins

André confiante em vitória de Serra

Mesmo com um momento favorável nas pesquisas a Dilma Rousseff (PT), o deputado federal André de Paula (DEM) parece mesmo confiante em uma vitória de seu candidato, José Serra (PSDB). O democrata chegou até a tripudiar das declarações do presidente Lula de que sua ministra não é "vaca de presépio" e será candidata a reeleição em 2014, caso vença o pleito. "Dilma não será eleita, então ele não terá esse problema. Se quiser Lula pode ser candidato em 2014 contra Serra", ironizou.

O deputado também não se mostrou preocupado com a demora tucana em oficializar seu candidato. "É óbvio que o ideal seria já ter definido o candidato, mas isso não é um grande problema. Se tivéssemos um candidato sem o recall e a experiência de serra já estávamos com ele na rua, mas, com a envergadura política que ele tem, temos que respeitar o tempo de nosso candidato", sustentou.

De Paula também referendou a crença na candidatura de Jarbas ao Governo de Pernambuco tão logo Serra se assuma candidato publicamente. "A principal motivação de Jarbas é o seu compromisso com um projeto para o país. Tenho dúvidas de que se o nome fosse Aécio ele disputaria, mas com Serra há toda a sinergia". Blog da Folha

Com 36%, Ibope mostra Serra à frente de Dilma. Ciro ajuda a segurar votos em Serra

Deu na Folha de S.Paulo

Realizada entre os dias 6 e 9 deste mês, pesquisa Ibope/Diário do Comércio registra uma vantagem de 11 pontos do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), sobre a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), no cenário que inclui o nome do deputado Ciro Gomes (PSB) na disputa presidencial.

Segundo a pesquisa, Serra tem 36% da preferência contra 25% de Dilma. Como a margem de erros é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos, Ciro aparece tecnicamente empatado com a pré-candidata do PV, Marina Silva. Ele tem 11%. Ela, 8%.

Na simulação que exclui o nome de Ciro, Serra conta com 41% das intenções de voto contra 28% de Dilma. Marina tem 10%.

Se o segundo turno fosse hoje, Serra venceria Dilma por 47% a 33%.

O Ibope ouviu 2002 eleitores em 144 cidades. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo 3196/20.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

ACM Neto: expulsão de Paulo Octávio do DEM depende de renúncia

O deputado federal ACM Neto (DEM-BA) divulgou nota há pouco onde explica que o seu partido, o DEM, fará “de tudo para desvincular completamente a legenda do governo do Distrito Federal”. “Quem não renunciar aos seus cargos vai ser expulso da legenda. O partido não pode mais ter qualquer vínculo com o governo do DF. Já pagamos um preço muito caro por tudo o que já aconteceu e sem responsabilidade alguma. Não podemos continuar vinculados a esse governo”, avisou Neto. A afirmação é uma mensagem ao governador interino do DF, Paulo Octávio, que decidiu, há instantes, permanecer no cargo.

DF: Lula não aconselhou ‘PO’ a ficar

Assessores ligados ao presidente Lula desmentiram há pouco (18) que o ele tenha aconselhado o governador interino do Distrito Federal, Paulo Octavio, a continuar no cargo. Na manhã de hoje, PO procurou Lula para informá-lo da sua possível renúncia. Mas, em discurso nesta tarde, o governador interino informou que resolveu voltar atrás “após orientação de Lula”. Interlocutores se apressaram para avisar à imprensa que o presidente foi “imparcial” e ficou “irritado” com Paulo Octavio. CH,18/02/10

Paulo Octavio fica no governo e sai do DEM

Em pronunciamento no Salão Branco do Palácio do Buriti, sede do governo do Distrito Federal, o governador em exercício do DF, Paulo Octavio, acaba de ler uma nota em que comunica a decisão de permanecer no cargo, por enquanto, apesar da falta de apoio dos partidos políticos. A decisão ele havia antecipado à deputada distrital Eliana Pedrosa (DEM), nesta quinta-feira. Ele chegou a redigir uma carta em que explicava a decisão de renunciar, lembrando sua tentativa frustrada de unir as forças políticas do DF, em um governo de coalização. Com essa decisão, Paulo Octavio deverá se afastar do seu partido, o DEM, que o ameaça de expulsão. A decisão do governador é provisória, segundo ele próprio afirmou, ao dizer que segue a sugestão do presidente Lula, de aguardar o desenrolar dos acontecimentos, inclusive quanto ao pedido de intervenção federal no DF. CH,18/02/10

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Jarbas sobre Sérgio Murilo: Nossas convergências foram maiores do que as divergências

Depoimento de Jarbas Vasconcelos sobre Sérgio Murilo

“Tive com Sérgio Murilo uma longa convivência. Fomos deputados federais juntos pelo MDB, na década de 1970, e depois pelo PMDB. Também combatemos juntos a ditadura militar e o autoritarismo. Sérgio chegou inclusive a advogar em minha defesa.

Tivemos apenas uma divergência – séria – na eleição para a Prefeitura do Recife, em 1985, quando nos enfrentamos em campos opostos. Esse episódio, no entanto, não reduziu o respeito que sempre tive por Sérgio. Nossas convergências foram maiores do que as divergências.

Recentemente, quando da sua doença, procurei me informar de sua condição, com seus familiares. Sérgio Murilo deixa uma longa folha de serviços prestados a Pernambuco, na política e no mundo jurídico”.

Jarbas Vasconcelos

Senador (PMDB-PE)

domingo, 14 de fevereiro de 2010

IR 2010: PAGUE TUDO, PRINCIPALMENTE O PATO

Lula já fez sua declaração: ele declarou que vota na Dilma. “Ela é o meu maior bem, depois da Marisa. Me perguntaram se eu colocava na declaração que a Marisa era dependente, e eu fiquei bravo: a Marisa toma só uma cervejinha, não é dependente não“.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Recife e Olinda têm o melhor carnaval de rua do Brasil, segundo internautas

Para os internautas do iG, o melhor carnaval de rua do Brasil é o de Recife/Olinda. Em três dias de votação, foram contabilizados quase 10 mil votos, sendo 45% deles destinados às cidades de Pernambuco. Salvador, que tem tradição com os trios elétricos, ficou em segundo lugar, com 43% dos votos.

Já o Rio de Janeiro, que retomou com força seu carnaval de rua nos últimos anos, muito além da festa das escolas de samba na Sapucaí, ficou em terceiro lugar na opinião das pessoas, com 13%.

Por Jamildo Melo

Arruda imagina que voltará ao cargo

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Câmara: oposição continuará obstrução

A oposição na Câmara dos Deptuados anunciou que vai continuar em obstrução para impedir a votação dos projetos do pré-sal. Os líderes do DEM, PSDB e PPS não concordaram com a inversão na pauta que colocaria o projeto de capitalização como o primeiro a ser votado. Paulo Bornhausen (SC), líder do DEM, quer retomar a votação pela emenda que divide os recursos do petróleo segundo os critérios do Fundo de Participação. Já que o governo teme ser derrotado, tentou adiar a votação da emenda. CH,10/02/10

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Jarbas volta à carga contra o presidente

Em seu primeiro pronunciamento desde a volta do recesso - na semana passada - o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) usou a tribuna, ontem, para investir contra o presidente Lula (PT). Para começar, disse que o petista faz lembrar o slogan do ex-governador de São Paulo, Ademar de Barros: “Rouba, mas faz”. E relacionou a citação à questão do Tribunal de Contas da União (TCU), cujos embargos a obras superfaturadas foram anulados a mando do presidente. “Então, é preciso pegar o dinheiro para poder fazer, mesmo o Tribunal de Contas dizendo que está superfaturado”, alfinetou. Em seguida, voltou-se para a Justiça, que, em sua visão, estaria “de joelho, de cócoras, a toda hora, a todo instante, diante do comando do presidente Lula”. Para o senador, “várias e várias vezes”, o petista tem levado o Judiciário “ao ridículo”.

O arsenal de críticas chega 12 dias depois de Lula sugerir ao governador Eduardo Campos (PSB), em solo pernambucano, que colocasse a “tropa na rua” que ele engrossaria as fileiras - num sinal de que não medirá esforços para derrotar o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), caso este seja candidato ao Governo de Pernambuco. À época, Jarbas evitou responder o recado, alegando que seu nome não fora citado. Com a postura, dá mostras de que não recuará se provocado.

Defensor do projeto presidencial do governador de São Paulo, José Serra (PSDB), o peemedebista seguiu fazendo uma retrospectiva dos feitos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (1994-2002), de quem, dizem os governistas, o gestor paulista seria a continuidade. “O Presidente Lula, quando assumiu em 2003, assumiu um país equilibrado em que, com muita força e determinação, os presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso combateram e venceram o processo inflacionário (...) O País passou a ter uma moeda forte, que é o Real. Aliás, Lula e o PT votaram contra o Plano Real. Depois, o Proer conseguiu sanear os bancos privados e públicos, que também foi ameaçado, nesta Casa e na outra, a Câmara dos Deputados, pelo PT e por Lula, que votaram contra. Por fim, a Lei de Responsabilidade Fiscal recebeu também o combate do Presidente da República”, recordou Jarbas. FP,10/02/10

PSOL protocola ação contra Sarney

A bancada do PSOL na Câmara protocolou, nesta quarta-feira, representação contra o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). O partido cobra a abertura de processo de investigação sobre o suposto desvio de dinheiro na fundação que leva o nome de Sarney. A Controladoria Geral da União identificou no final do ano passado um desvio de R$ 129 mil em um convênio entre a fundação e o Ministério da Cultura, patrocinado pela Petrobras. CH,10/02/10

Mendonça Filho no Galo

No sábado, Mendonça Filho, presidente estadual do DEM, dá uma olhada na concentração do Galo, no Forte das Cinco Pontas, depois segue a pé pela rua da Concórdia e vê o final do desfile na Av. Guararapes.

Em busca de palanques

Enquanto Serra não oficializa sua entrada no páreo presidencial, o presidente do PSDB, Sérgio Guerra, cumpre a missão de armar os palanques estaduais. Na quinta-feira da semana passada esteve em Curitiba, almoçou com o prefeito Beto Richa e depois teve um encontro reservado com o senador Álvaro Dias, para tentar unificar o palanque no Paraná em torno de Richa. Anteontem, foi a Belo Horizonte, em companhia do senador Tasso Jereissati (CE), ternurar o governador Aécio Neves, que resiste na chapa puro-sangue como candidato a vice de Serra.

E, ontem, em meio ao tiroteio da base governista em direção ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, ainda sobrou um tempinho para almoçar em Brasília com o prefeito de Teresina, Silvio Mendes, pré-candidato tucano ao Governo do Piauí. Na Paraíba, Guerra tem encontro agendado com o senador Cícero Lucena, na semana após o Carnaval, para convencê-lo a retirar sua candidatura em apoio ao prefeito de João Pessoa, Ricardo Coutinho (PSB), nome apoiado pelo ex-governador Cássio Cunha Lima. Em todas as intervenções, Guerra tem colocado que a eleição de Serra está acima das questiúnculas estaduais. Mas a tarefa não é fácil, porque ninguém quer abrir mão de seus projetos. Folha Política

Na Alepe, Terezinha questiona licitações

A deputada Terezinha Nunes (PSDB) ocupou ontem a tribuna da Assembleia Legislativa para reclamar dos custos que o Governo Estadual terá com a instalação de camarotes e camarins, durante o período carnavalesco, em todo o Estado. O pronunciamento foi rebatido, em plenário, pelo deputado André Campos, líder do PT.
A motivação da tucana partiu do processo licitatório da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), que visava contratar uma empresa para prestação de serviços de Buffet, com intuito de atender necessidades de alimentação dos técnicos, artistas, cortejos e receptivos (camarotes), a serem utilizados durante os 17 polos - municípios - do Ciclo Carnavalesco de 2010. Duas empresas disputavam a cota: Espaço Porto Fino LTDA, com a proposta de R$ 1, 2 milhão; e Publicidade e Eventos Adrenalina LTDA, com a proposta de R$ 890 mil. Porto Fino ganhou a licitação mesmo tendo o maior preço. A Fundarpe apresentou R$ 1, 5 milhão como valor de referência. FP,10/02/10

Está tudo certo para Serra vir ao Galo.

Acaba de ser confirmado ao Blog que o governador de São Paulo e presidenciável José Serra (PSDB) vem ao desfile do Galo da Madrugada, no Recife, no próximo sábado (13). O único impedimento à vinda de Serra é a chuva. Se daqui para sexta-feira SP voltar a ficar debaixo d'água, o pré-candidato à Presidência da República cancela a viagem.

Chegou-se a cogitar a ida de Serra, no domingo, para Bezerros, onde participaria do Carnaval dos papangus. Mas ele só vai mesmo ao Galo. Ficará no camarote oficial do bloco. Deve chegar na noite de sexta-feira ou bem no comecinho da manhã do sábado.

A vinda do governador deve causar polêmica em São Paulo, afinal desde o início do ano chove por lá. O intervalo no dilúvio só aconteceu ontem. Mas, muitos já morreram e/ou perderam suas casas. Vai ter muita gente incomodada em ver o político frevando pelo Nordeste. Blog do Jamildo

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Democratas não aceitam mentiras do governo

Prezado amigo,

É com muita alegria que estou enviando a você o primeiro boletim de notícias de 2010, ano de eleições gerais no Brasil. Tudo indica que a disputa será dura porque nosso maior adversário vem agindo de forma desonesta e totalmente desleal.
Este comportamento abusivo ficou evidente com o texto do Ministério do Desenvolvimento Social para recadastramento do programa bolsa-família distribuído às prefeituras. O texto dá a entender que a partir de 2011 o programa não estará mais garantido.
A afirmação é uma mentira absurda e seu objetivo é ameaçar, aterrorizar e chantagear o eleitor para impedir que ele escolha livremente seus candidatos. Isto não está certo. Nosso compromisso é ampliar e fortalecer o programa bolsa-familia de forma a manter a segurança de renda das famílias mais necessitadas.
Temos de ser suficientemente firmes para rebater estas e outras inverdades. Ao mesmo tempo, vamos seguir combatendo a campanha eleitoral antecipada e ilegal da candidata do governo.
É isso, vamos em frente, um forte abraço e até a próxima semana,

Rodrigo Maia

LULA E DILMA DEFENDEM ESTADO FORTE


Henry: confirmação só depois de Serra

O deputado federal Raul Henry (PMDB) se atrapalhou na resposta, mas acabou confirmando a tese defendida pelo presidente estadual de seu partido, Dorany Sampaio. Segundo o veterano, o senador e possível candidato ao Governo, Jarbas Vasconcelos (PMDB) só deve confirmar candidatura depois da colocação oficial do governador de São Paulo José Serra (PSDB) na disputa presidencial. “Acho que ele (Serra) precisa administrar São Paulo. Tenho avaliação de que a situação em Pernambuco depende apenas da definição de Jarbas. Aqui não temos uma equação para montar, como em outros estados que têm mais pedras no tabuleiro. Precisamos da definição de Jarbas, que vai depender da de Serra”, confirmou, ontem, em entrevista à Rádio Folha FM 96,7.
Ele reforçou também que a decisão deve se submeter ao seu desejo pessoal e conjuntura política. O parlamentar ainda se queixou da antecipação da convenção de seu partido, no último sábado, quando seria apenas em março. Afirmou que tratou-se de manobra do presidente da sigla, o deputado federal Michel Temer (PMDB-SP) e criticou a desunião do partido, que possui tantas vertentes opostas. “O PMDB tem história de ser um partido plural, um partido heterogêneo, heterogêneo até de mais, mas respeitado ao longo de sua história. Nasceu na ditadura com duas alas, a autêntica e a moderada e depois foi ficando essa salada, onde cada estado tem o perfil da sua liderança partidária principal. Ficou com cara de uma federação de partidos estaduais”, reclamou, citando a liderança de Jarbas em Pernambuco, o ex-governador de São Paulo, Orestes Quércia, o senador Pedro Simon no Rio Grande do Sul e o prefeito de Goiânia (GO), Íris Rezende. FP,09/02/10

Oposição aciona TRE contra Campos


O PSDB e o DEM protocolaram uma representação no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) contra o governador Eduardo Campos (PSB) por suposto uso da máquina pública com objetivo de fazer campanha eleitoral extemporânea. Ontem, os deputados estaduais, Augusto Coutinho (DEM), Miriam Lacerda (DEM) e Terezinha Nunes (PSDB), da bancada de oposição da Assembleia Legislativa, foram recebidos pelo presidente do TRE, desembargador Roberto Ferreira Lins, que encaminhará a matéria para apreciação do Ministério Público Eleitoral (MPE). Caso o MPE apresente denúncia ao TRE, o processo será distribuído para análise de um dos três juízes auxiliares da propaganda: os desembargadores Antônio Melo e Cândido Saraiva e o juiz de carreira Raimundo Nonato.
O pleno do TRE será acionado apenas se o processo passar por todos os trâmites jurídicos. Os oposicionistas reclamam da caravana realizada pelo governador, na semana passada, no Sertão, quando, segundo a oposição, membros e ex-membros da equipe do Governo Estadual estariam utilizando eventos administrativos para fazerem discursos eleitorais. “Estamos em ano eleitoral e é preciso ter cuidado para que a máquina pública esteja trabalhando para a população. Acho que não fica bem esse tipo de atitude do governador, isso deveria ser proibido. O governador deve inaugurar como manda a lei”, disse Coutinho. FP,09/02/10

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Após promulgação de emenda constitucional, Rosalba pede aos deputados que regulamentem atividades dos agentes comunitários

A senadora Rosalba Ciarlini (DEM-RN) pediu aos deputados que votem com rapidez projeto da senadora Patrícia Saboya (PDT-CE) que fixa em R$ 930 o piso salarial nacional dos agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias. Ela fez o apelo em discurso, pouco depois que os presidentes do Senado e da Câmara promulgaram emenda constitucional que dá competência à União para estabelecer o regime jurídico, o piso salarial e a regulamentação das duas atividades.
Rosalba informou que o projeto (PLS 196/09), já votado pelos senadores, encontra-se desde setembro do ano passado sendo examinado na Câmara. Além do piso salarial, o projeto estabelece que o governo federal terá de ajudar financeiramente os municípios a pagar os agentes. Fixa ainda que a jornada de trabalho das duas categorias será de 40 horas semanais. A senadora do Rio Grande do Norte foi relatora do projeto no Senado. Agência Senado

Falta de alianças pode minar candidatura

A decisão do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) de manter a sua pré-candidatura à Presidência da República, reforçada por ele em várias entrevistas, poderá encontrar obstáculos no seu partido. O PSB enfrenta dificuldade para conquistar apoio de partidos do bloco aliado ao governo para sustentar uma candidatura própria. Sozinho na disputa, sem outras siglas aliadas, Ciro teria, em um cálculo preliminar, apenas 1 minuto e 11 segundos no horário eleitoral gratuito, enquanto PT e PMDB, juntos, chegam a quase 6 minutos.

O maior empecilho no caminho do PSB é o fato de estarem avançadas as articulações dos partidos aliados com o PT, restando pouco espaço de manobra para discutir apoio a Ciro. De acordo com o senador Renato Casagrande (PSB-ES), PCdoB e PDT já foram procurados pelo partido. “Mas já estão em negociação avançada com o PT”, admite. O PP e o PTB também foram procurados. “Mas não tivemos resposta ainda. A conversa ainda está no início”, relatou, em entrevista à Agência Estado.
O que também pesa contra Ciro na hora de costurar alianças com outros partidos é a indefinição na relação do PSB com o PT. Esses dois partidos ainda não chegaram a uma conclusão se uma eventual candidatura de Ciro à Presidência ajuda ou atrapalha o desempenho da pré-candidata petista Dilma Rousseff. Os outros partidos temem avançar na costura de alianças com um pré-candidato que pode não se confirmar candidato.
O presidente Lula pressiona Ciro a deixar a corrida pela Presidência porque, segundo avaliação do PT, uma candidatura única da base aliada fortaleceria Dilma e abriria espaço para um debate polarizado com o PSDB e o pré-candidato tucano, o governador de São Paulo, José Serra. Em entrevista publicada ontem no jornal “O Estado de S.Paulo”, o próprio Ciro Gomes afirmou, porém, que o presidente comete “grave erro” quando avalia que sua desistência beneficiaria Dilma.
A tese é compartilhada pelo presidente do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE). Segundo ele, os eleitores do presidente Lula já devem ter assimilado o fato de que a escolhida para sucedê-lo é Dilma, e não Ciro. “Os votos do Ciro já foram para Dilma. Os que ele ainda tem vão para o Serra”, afirma o tucano. FP,04/02/10

sábado, 6 de fevereiro de 2010

De volta ao controle da Câmara

A base aliada ao governador José Roberto Arruda (sem partido) conseguiu retomar ontem o comando da Câmara Legislativa do Distrito Federal. Por 15 votos a sete, o deputado Wilson Lima (PR) foi eleito presidente da Casa, derrotando o deputado Cabo Patrício (PT) na disputa. Lima é aliado de Arruda e assume o comando em meio à crise política que teve início com a Operação Caixa de Pandora, da Polícia Federal, sobre a existência de esquema de arrecadação de dinheiro de empresas contratadas pelo governo. No comando da Câmara, Lima substitui o deputado Cabo Patrício (PT), vice-presidente que exerceu o comando da Casa interinamente desde que o deputado Leonardo Prudente (sem partido) renunciou ao cargo, há três semanas. Prudente foi flagrado guardando nos bolsos e nas meias maços de dinheiro de suposta propina. DP,04/02/10

Governo lança novas notas. Cédulas serão de vários tamanhos.


PMDB bate de frente com Ciro

Irritado com críticas do deputado Ciro Gomes (PSB-CE) à cúpula do PMDB, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) disse ontem que a candidatura do socialista ao Palácio do Planalto lembra a da ex-senadora Heloísa Helena (PSOL), que nas eleições de 2006 terminou com pouco mais de 6% dos votos na disputa à Presidência. “A candidatura do Ciro Gomes parece demais a candidatura da senadora Heloísa Helena, na eleição passada. Durante a campanha, ela tinha 11%, 10%. Depois, acabou com 6% dos votos. Acho que isso tem deixado o Ciro Gomes em um estado de nervosismo permanente. Só vejo isso para explicar todos os dias as suas desencontradas declarações”, afirmou.

Renan disse acreditar que Ciro, assim como outros políticos, “padeça da TPE”: tensão pré-eleitoral. “Ele está cada vez mais preocupado com essa candidatura”, afirmou. Anteontem, Ciro disse que, como um candidato “independente”, pode adotar postura mais agressiva na disputa que os seus adversários. Ao comparar a relação do PT e do PSDB com os peemedebistas, Ciro disse que tem autonomia para criticar o PMDB, ao contrário do que podem fazer os pré-candidatos Dilma Rousseff (PT) e José Serra (PSDB). “Eu posso falar coisas que o PT, pela qualidade das alianças que formou, não pode mais falar. Eu não tenho que fazer homenagem ao (ex-governador Orestes) Quércia, como o Serra, nem ao Michel Temer ou ao Renan (Calheiros) como a Dilma tem que fazer”, afirmou. As declarações do pré-candidato irritaram a cúpula do PMDB, que decidiu reagir por meio do discurso de Renan. FP,05/02/10

Compromisso com Pernambuco

Por Augusto Coutinho

Começou hoje o ano legislativo na Assembleia. Como é de praxe, fiz, como líder da oposição, um dos discursos de abertura dos trabalhos. O outro foi de Isaltino Nascimento, líder do governo.

Em termos gerais, pautei minha fala em duas preocupações. A primeira, que o acirramento natural dos debates em virtude da eleição não seja confundido com embate eleitoral. A Assembleia é um espaço político, claro, mas não eleitoral. Ela tem uma agenda que precisa ser mantida e não pode haver nenhum tipo de radicalização que signifique prejuízo para os interesses do estado.

É mais do que necessário que se preserve a normalidade legislativa. A Alepe não é palanque e o interesse individual de cada deputado em se eleger não pode ser colocado em primeiro plano.

Por outro lado, esperamos que a bancada governista também tenha consciência disso. Vai ser difícil. No seu primeiro discurso, o líder do governo passou a maior parte do tempo exaltando “feitos” de sua gestão. É natural, como disse. Mas não pode ir além. O papel da base governista é defender o governo, o nosso, ser o contraditório necessário e democrático. No entanto, a tendência que os governistas apresentam de querer trazer para dentro da casa a estratégia de comparação entre gestões pouco tem a ver com as funções desta casa.

O que está em pauta permanente aqui é a atuação do atual executivo estadual. São quatro anos de governo, mas ainda resta um ano inteiro que deve ser acompanhado, observado, fiscalizado. Se algo deve ser comparado á a atual gestão com ela mesma. Isso não significa que fugiremos desta tática. Ao contrário. Queremos muito mostrar o que fizemos e o que este governo deixou de fazer. Mas a Alepe não é o espaço para isso.

O segundo ponto do meu pronunciamento foi quanto ao uso da máquina na campanha. A praga que começou com o governo federal de transformar eventos oficiais em campanha antecipada já baixou por aqui.O próprio presidente Lula deu o conselho ao governador de colocar a tropa na rua. Leia-se: aproveitar cada inauguração, cada evento para fazer campanha.

Isso é crime e não deixaremos passar batido. Nas eleições anteriores, demos um exemplo de como conduzir uma campanha respeitando a lei e o dinheiro público. Nenhum dos nossos adversários levantou qualquer suspeita ou acusação. Não houve o que mostrar. Estaremos de olho e, se preciso for, iremos à justiça para coibir esta prática nefasta e antidemocrática.

No mais, ainda alertei para a necessidade de que pelo menos no seu último ano o governo reveja sua conduta em relação à Assembleia. Abandone a prática cotidiana de projetos em regime de urgência e passe a respeitar mais a casa, debatendo, dialogando, sem atropelar os prazos regimentais.

Enfim, somos políticos, estamos em um ano de campanha, mas antes de tudo temos um compromisso com cada pernambucano até o último dia do nosso mandato. É preciso honrar este compromisso.

Augusto Coutinho (DEM) é deputado estadual, líder da oposição na Assembleia Legislativa