terça-feira, 30 de novembro de 2010

Tribunal de Contas do Estado rejeita contas de prefeituras


A prestação de contas da Câmara Municipal de Caetés do exercício financeiro de 2008 foi julgada irregular, hoje (30), pela Segunda Câmara do TCE, que aplicou uma multa no valor de R$ 3.000,00 ao então presidente Aécio José de Noronha. O relator do processo foi o conselheiro Severino Otávio.

Auditoria "in loco" realizada na Câmara apontou as seguintes irregularidades: descumprimento do artigo 42 da Lei de Responsabilidade Fiscal, reincidência na extrapolação do limite de despesa total do Poder Legislativo e reincidência na ausência de retenção, contabilização e repasse das contribuições previdenciárias patronal e dos vereadores ao INSS. O presidente foi notificado para apresentação de defesa e, por meio de advogado habilitado, contestou o relatório prévio dos auditores, pedindo a aprovação das contas, sem restrições.

Descumprimento
Após o exame da documentação, o conselheiro relator desconsiderou o descumprimento do artigo 42 da LRF - despesas sem cobertura para ser assumida pela gestão posterior - porque o déficit encontrado era de pequena monta: apenas R$ 8.409,75.

Em relação às outras irregularidades, Severino Otávio considerou "frágeis" os argumentos da defesa e manteve o entendimento da equipe técnica dizendo que tem chamado a atenção do Tribunal de Contas "para a falta de atendimento às determinações desta Corte de Contas por parte dos poderes Executivo e Legislativo do município de Caetés". E acrescentou: "É necessário uma tomada de posição mais rígida por parte deste Tribunal no sentido de coibir a falta de atendimento às nossas determinações".

Por essa razão, julgou irregular a prestação de contas, aplicou multa ao então presidente e determinou o envio de cópias do processo ao Ministério Público de Contas e à Receita Federal para as providências que julgarem necessárias.

Inajá
A Câmara julgou também irregulares as contas do Fundo Previdenciário de Inajá do exercício financeiro de 2008, aplicando uma multa no valor de R$ 2.700,00 à então presidente Jeane de Jesus Silva.

Segundo o conselheiro relator, Romário Dias, foram encontradas pelos técnicos algumas irregularidades, a saber: ausência de registro individualizado das contribuições do servidor, demonstrativo de resultado da avaliação atuarial em situação irregular e o não recolhimento integral das contribuições previdenciárias patronal e dos servidores.

Lagoa dos Gatos

A Segunda Câmara rejeitou ainda a prestação de contas da Prefeitura de Lagoa dos Gatos do exercício financeiro de 2006 que teve como interessado o então prefeito Reinaldo Santos Barros. Segundo o voto do auditor substituto, Marcos Flávio Tenório de Almeida, o prefeito aplicou em educação e em saúde um percentual inferior ao limite mínimo constitucional, extrapolou o limite máximo de gastos com pessoal, que é de 54% da Receita Corrente Líquida do município e praticou irregularidades em processos de licitação.

Parecer prévio foi emitido pelos conselheiros recomendando à Câmara Municipal a rejeição das contas de Reinaldo Barros. Blog da Folha

Lula se irrita com pergunta sobre Sarney e manda repórter 'se tratar'

Agência Estado(AE)

ESTREITO (MA) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou profundamente irritado, nesta tera-feira, 30, em Estreito (MA), com uma pergunta do Estado sobre sua relação com o grupo do senador José Sarney (PMDB-AP) no Maranhão. A reportagem indagou se a visita era uma forma de "agradecer o apoio da oligarquia Sarney" ao seu governo. Para Lula, a pergunta foi "preconceituosa".
"Agradeço, agradeço... e a pergunta preconceituosa como esta é grave para quem está há oito anos cobrindo Brasília. Demonstra que você não evoluiu nada. O presidente Sarney é presidente do Senado... preconceito é uma doença. O Senado é uma instituição autônoma diante do Poder Executivo, da mesma forma o Poder Judiciário. O Sarney colaborou muito para a institucionalidade. E ademais é o seguinte: o Sarney foi eleito pelo Amapá, eu não sei por que o preconceito. Você tem de se tratar, quem sabe fazer uma psicanálise para diminuir o preconceito", disse o presidente ao repórter.
Irritado, Lula ainda mencionou o palhaço Tiririca, eleito deputado federal. "Se você tiver que fazer algum protesto você vai para o Amapá, porque foi lá que o povo elegeu Sarney. E vai para São Paulo, porque o povo elegeu Tiririca. Na medida que a pessoa é eleita e toma posse, ela passa a ser uma instituição e tem que ser respeitada", afirmou, dirigindo-se ao repórter.
Durante a resposta de Lula, a governadora Roseana Sarney interveio. "É preconceito contra a mulher. Eu fui eleita governadora do Maranhão para tomar conta do povo", no que Lula emendou: "Sarney não é o meu presidente. Ele é o seu presidente do Senado, ele é o presidente do Senado deste País. Eu lamento que não tenha tido evolução (da imprensa)".
O presidente Lula virou aliado fiel de Sarney durante seu mandato de presidente. Em julho de 2009, articulou para que o PT recuasse da decisão de apoiar o afastamento do senador da presidência do Senado, após as revelações, pelo Estado, de envolvimento dele no escândalo dos atos secretos da Casa, e demais irregularidades, dentre elas a fraude na Fundação José Sarney com dinheiro da Petrobrás.

Jader Barbalho renuncia ao cargo de deputado federal

Agência Brasil
Brasília - O deputado federal Jader Barbalho (PMDB-PA) renunciou hoje (30) ao mandato que terminaria em 2 de fevereiro. No ofício de renúncia, protocolado às 10h24 na Secretaria-Geral da Mesa, o parlamentar afirma que está “em dupla condição” eleitoral.
Jader Barbalho questiona o posicionamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que o diplomou deputado em 2006 e que posteriormente o considerou inelegível com base na Lei da Ficha Limpa.
“Fui declarado [pelo TSE e Supremo Tribunal Federal, o STF] um cidadão híbrido, isto é, elegível para exercer o mandato de deputado federal e inelegível para o cargo de senador da República”, afirmou o parlamentar na carta. “Nada mais tenho a fazer na Câmara dos Deputados, já que para exercer o cargo tenho que ser um cidadão elegível”, completou.
No pleito deste ano, Jader concorreu ao Senado e obteve 1,8 milhão de votos – o que lhe garantiria a segunda vaga do Pará à Casa. Porém, o STF decidiu a validade da Ficha Limpa para este ano. Houve impasse na sessão, que ficou empatada. A maioria dos ministros, porém, decidiu manter a decisão do TSE que barrava a candidatura de Jader.
Segundo o secretário-geral da Mesa Diretora da Câmara, Mozart Viana, o documento será lido na sessão plenária desta tarde. No lugar de Jader Barbalho assumirá a suplente Ann Pontes (PMDB-PA).

Senado reverencia memória de Petrônio Portella

Um dos artífices da abertura democrática brasileira, político conciliador, sempre pronto ao diálogo e a enfrentar novas situações políticas. Assim os senadores lembraram Petrônio Portella, em sessão especial nesta segunda-feira (29). A homenagem, que lembrou os 30 anos da morte de Petrônio Portella, foi solicitada pelo senador João Vicente Claudino (PTB-PI).
À frente da sessão, o presidente do Senado, José Sarney, lembrou o papel de Petrônio Portella no processo de transição para democracia, nos anos que antecederam o fim do regime militar. Formaram a Mesa da homenagem, ao lado de Sarney, João Claudino e o deputado Mauro Benevides (PMDB-CE).
Presentes à sessão, a viúva de Petrônio Portella, Iracema Portella Nunes, seus filhos e netos e o ex-senador Elói Portella, irmão do político, foram homenageados pelos senadores.
Natural de Valença (PI), Petrônio Portella foi senador de 1967 a 1974 e de 1976 a 1980. Ocupou a presidência do Senado por duas vezes, sendo ainda presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ). Nomeado ministro da Justiça em 1979, no governo Figueiredo, Portella trabalhou pela restauração do pluripartidarismo e a decretação da Lei da Anistia. Formado em Direito, Portella também foi deputado estadual (1954-1958), prefeito de Teresina (1958-1962) e governador do Piauí (1962-1966).
 Agência Senado

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Judiciário é a maior ameaça à liberdade de imprensa hoje, diz Ayres Britto

O Estado de S. Paulo

O ministro Carlos Ayres Britto, do Supremo Tribunal Federal, declarou nesta sexta-feira, 26, que o Poder Judiciário é, hoje, a maior ameaça à liberdade de imprensa em nosso País. O ministro participou na tarde desta sexta do Seminário Cultura de Liberdade de Imprensa, promovido pela TV Cultura. 
“Não perco oportunidade de cortar na própria carne”, continou Ayres Britto. “Há nichos que parecem vigorar no passado. A lei de imprensa foi sepultada pelo STF e uma parte do Judiciário parece não entender isso”,  completou. O ministro concordou que constituem censura decisões como a que proibiu o jornal ‘O Estado de S.Paulo’ de publicar reportagens sobre a Operação Boi Barrica, da Polícia Federal, que investiga o empresário Fernando Sarney, filho de José Sarney.
Ayres Britto comentou ainda a decisão do STF que derrubou os dispositovos da Lei Eleitoral (9.504/1997). “O humor é o tipo de crítica mais sarcástico, mais cáustico. E a gente disse o quê? É plena a liberdade de imprensa, inclusive em época de eleição. Conseguimos emplacar a ideia de que o humor a sátira são atividades tipicamente de imprensa”, afirmou.
Para Ayres Britto, não pode haver outra lei sobre liberdade de imprensa além da própria Constituição. “Para a nossa Constituição, a liberdade de imprensa não conhece meio termo, não é uma liberdade pela metade. Ou é total ou não é liberdade de imprensa”, afirmou.
“Há um regime constitucional sobre a liberdade de imprensa, a Constituição é a lei orgânica sobre liberdade de imprensa. Nenhuma outra lei pode ter a pretensão de conformar a liberdade de imprensa, a não ser pontualmente. Direito de resposta, direito de indenização, participação de empresas estrangeiras, tudo isso é matéria lateralmente de imprensa, mas não é o núcleo duro. Onde se afirma o núcleo duro da liberdade de imprensa, não pode haver lei. Não pode haver lei dispondo sobre o tamanho e a extensão da liberdade de imprensa, e sua duração”, acrescentou.

Estoque da dívida de Estados com União reproduz financiamentos impagáveis

O Estado de S.Paulo
Os Estados desembolsarão este ano R$ 34 bilhões para pagar a dívida que têm junto ao governo federal. Ainda assim, o estoque devido aumentará em R$ 22 bilhões. A situação dos governadores é a mesma das famílias que assinaram contratos de financiamento habitacional nos anos 1980 e 1990: pagam, pagam, e a dívida só faz crescer. Pior: ao final do contrato, eles ainda terão um resíduo enorme para quitar.
Tal como os financiamentos habitacionais difíceis de pagar, os contratos de refinanciamento da dívida dos Estados pelo Tesouro Nacional foram assinados a partir de meados dos anos 90.
O governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pretende capitanear um movimento para convencer a equipe econômica da presidente eleita Dilma Rousseff (PT) a mudar o índice de inflação que corrige o saldo devedor.

Moradores do Alemão retomam rotina, mas escolas continuam sem aula

Agência Brasil
Rio de Janeiro - O clima no conjunto de favelas do Alemão, na Penha, zona norte do Rio de Janeiro, é de aparente tranquilidade na manhã de hoje (29), dois dias depois da ocupação por tropas policiais e das Forças Armadas. Moradores da região voltam à rotina, saindo de casa para trabalhar. Além disso, o comércio, que permaneceu fechado nos últimos dias por conta dos tiroteios entre policiais e traficantes, abre as portas nesta manhã.
As escolas da rede municipal do conjunto de favelas do Alemão e da Vila Cruzeiro, no entanto, não terão aulas hoje. Em nota, a Secretaria Municipal de Educação informou que o reinício das atividades será definido em uma reunião com o prefeito Eduardo Paes, ainda nesta segunda-feira.
A polícia continua vasculhando das cerca de 30 mil casas da região, à procura de armas e drogas abandonadas pelos traficantes em fuga. Por causa dos confrontos e devido à queima de caminhões pelos traficantes, faltam luz e água em diversos pontos das comunidades.
Homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) passaram a madrugada posicionados em pontos estratégicos das comunidades, mesmo com as buscas por armas, drogas e criminosos interrompidas. Segundo a cúpula da segurança pública do estado, a ocupação é por tempo indeterminado.

PPS quer formar bloco de oposição com o PV


Brasília – O PPS vai propor ao PV formar um bloco de oposição ao governo na Câmara dos Deputados, segundo o deputado Raul Jungmann (PPS-PE). Mais de cem representantes do partido participaram de encontro encerrado hoje (27), que discutiu os rumos do partido.
A união com o PV, que elegeu 15 deputados em outubro, visa a reunir número suficiente de parlamentares para conquistar lugares na Mesa Diretora e nas comissões da Câmara. O PPS elegeu 12 deputados federais nas últimas eleições. De acordo com Jungmann, a ideia é que o PSDB e o DEM também façam parte do bloco, mas as legendas ainda não se manifestaram.
“Se eles não quiserem ou não responderem [PSDB e DEM], vamos procurar o PV. Queremos espaço na Mesa [Diretora]”, disse o deputado.
No encontro, o presidente da sigla, Roberto Freire, descartou definitivamente uma fusão com o partido tucano. “Não queremos fusão [com o PSDB]. Queremos discutir e propor a social democracia”, reforçou Jungmann.
Diante dos atos de violência no Rio de Janeiro, membros do PPS, segundo Jungmann, defenderam a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 300, que fixa um salário nacional para policiais militares e bombeiros. No entanto, os governos federal e estaduais alegam que a proposta vai desequilibrar as contas, por provocar uma despesa extra estimada em R$ 43 bilhões. Com o impasse, as chances de a PEC ser apreciada este ano são mínimas.

Parlamentares se livram de ações no STF

Agência Brasil

Brasília – O senador Mão Santa (PSC-PI) e os deputados federais Ciro Nogueira Filho (PP-PI) e Abelardo Camarinha (PSB-PI) não respondem mais a ações que tramitavam no Supremo Tribunal Federal (STF). Os processos, relativos a crimes eleitorais, foram arquivados porque prescreveram.
O inquérito de Mão Santa e Nogueira era o mesmo e dizia respeito à promoção de uma carreata no dia do primeiro turno das eleições de 2006, o que é proibido pela Justiça Eleitoral. Já Camarinha respondia por uma ação penal por ter por ter divulgado em propaganda eleitoral no pleito de 2006 fatos inverídicos em relação a opositores com potencial de influenciarem o eleitorado.
Segundo os relatores dos casos, ministros Ellen Gracie (Mão Santa e Nogueira) e Joaquim Barbosa (Camarinha), a pena máxima para os crimes eram de um ano de detenção. De acordo com o Código Penal, a prescrição para esses tipos de crimes ocorre em quatro anos contados da data dos fatos.
Nogueira foi eleito senador pelo Piauí e Camarinha foi reeleito para a Câmara dos Deputados após obter uma liminar do Superior Tribunal de Justiça (STJ) para que a Lei da Ficha Limpa não produzisse efeitos sobre sua candidatura. Ele foi condenado por improbidade administrativa em 2008 por ter celebrado convênios ilegais quando era prefeito de Marília (SP). Mão Santa não conseguiu se reeleger.
Uma ação contra o ex-senador Wellington Salgado (PMDB-MG) também deixou de tramitar no STF, uma vez que ele voltou à suplência após o retorno de do ex-ministro das Comunicações Hélio Costa (PMDB-MG) para o cargo. O ministro Dias Toffoli encaminhou a ação que acusa Salgado de sonegação de contribuição previdenciária para a primeira instância da Justiça Federal no Rio de Janeiro porque o parlamentar não tem mais direito a foro privilegiado. Salgado não conseguiu se eleger deputado federal.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

DEMOCRATAS OFERECE AJUDA AO GOVERNADOR PARA COMBATE AO NARCOTRÁFICO NO RIO

O Democratas vem a público se solidarizar com o governador do Estado do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, frente aos graves ataques de violência por qual tem passado todo o Estado.
      
      O Democratas manifesta sua extrema preocupação com os atentados à população do Rio de Janeiro e, juntamente com líderes partidários, o partido se compromete a mobilizar as suas bancadas em nível federal, estadual e municipal, para discutir e votar propostas urgentes de apoio e combate ao narcotráfico no Estado.
      
      O Democratas, dessa forma, reafirma colocar como prioridade do partido discutir e votar, em regime de urgência, as medidas a serem solicitadas pelos Chefes dos Poderes Executivo Federal, Estadual e Municipal.
      
      Deputado Rodrigo Maia
      Presidente nacional do Democratas

SÃO JOSÉ DO EGITO : PROCURADOR SE DEFENDE ATACANDO

Diante das criticas da oposição, o Dr. Augusto Valadares procurador da Prefeitura de São José do Egito afirmou informou que a energia cortada da prefeitura de São Jose do Egito na última quarta foi religada uma hora depois e que a questão jurídica e financeira com a empresa já foi resolvida . Ele acrescentou falando a Anchieta Santos que as críticas de Delmiro Barros repreentam o papel de quem está fora do governo.
Falando à Rádio Cidade FM de Tabira, o advogado Augusto Valadares aproveitou pra dar uma estocada no presidente da Câmara,  que teria comprado um prédio por mais de 200 mil ao ex-deputado José Marcos a quase dois anos para construir uma nova câmara e até agora não fez nada.
Por Nill Júnior



O Cirurgião Dentista, Benone Leão, é aprovado em concurso realizado pela Prefeitura Municipal de Patos/PB

PREFEITURA MUNICIPAL DE PATOS                       Data -28/09/10      PAG - 1
  FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA                  CONCURSO PÚBLICO    -   2010
  RELAÇÃO DOS CANDIDATOS   CLASSIFICADOS     ORDEM CARGO ALFABÉTICA
  CARGO - 2093   DENTISTA CLASSE I (ESF)  (T-40)
  -----------------------------------------------------------------------------------------------------------
  INSCR.     NOME                                          PORT. POL.PUB MUNIC.  ESPEC POSIÇÂO DT-NASC MEDIA                                       
  -----------------------------------------------------------------------------------------------------------
  2200008  ABRAAO LYNCOLLY DE MEDEIROS LUCENA               7      10      2        14    55   100679   33      
  2200009  ACACIO VASQUES ALEXANDRE                         6      11      3        15    42   030980   35      
  2200083  ADRIANA NAVARRO JACOME                           8      12      1        15    30   190473   36      
  2200250  ALEXANDRE CAVALCANTE E SOUZA                     7      12      2        11    68   220284   32      
  2200267  ALEXANDRE RIBEIRO ALBINO DA SILVA                9      13      0        16    19   060386   38      
  2200317  ALINE ARAUJO NOGUEIRA                            4      10      2        10    105  180486   26      
  2200484  ANA CATARINA ALVES E SILVA                       7      14      1        14    35   301284   36      
  2200492  ANA CLARA PEREIRA GERMANO                        4      14      1        14    58   220986   33      
  2200493  ANA CLARA SOARES PAIVA                           10     14      3        15    2    281188   42      
  2200629  ANDREA CARLA BEZERRA SILVA M. DE ARAUJO          6      11      1        14    66   210877   32      
  2200860  ARIOSTO RIBEIRO DE FARIAS                        6      12      3        11    67   271279   32      
  2200885  ARTHUR MATOS DE OLIVEIRA                         6      12      0        11    95   270686   29      
  2200925  Benone Leão de Oliveira                          6      12      3        12    52   080859   33      
  2201009  CANDICE REGADAS GONDIM                           9      11      0        11    77   171184   31      
  2201048  CARLOS EDUARDO ALVES LIMA                        6      15      2        14    22   261279   37      
  2201128  CHRISTINE ELIZABETH GAMBARRA DA NOBREGA          3      14      1        11    92   170470   29      
  2201363  DANIEL FURTADO SILVA                             9      10      1        14    49   170785   34      
  2201402  DANILLO URQUIZA DE FIGUEIREDO                    7      9       1        15    69   161284   32      
  2201515  DENISIO CAIO DE ARAUJO                           5      12      1        14    72   240388   32      
  2201776  ELBANIZIA MELO WANDERLEY                         7      10      1        14    64   280168   32      
  2201863  ELTON TELLES LIRA MARTINS                        8      15      1        16    8    040284   40      
  2201943  ERICK JOSE BORJA DE FREITAS                      4      12      1        14    75   261271   31      
  2201946  ERIKA BRASILEIRO DE HOLANDA FERNANDES            6      12      2        12    65   130471   32      
  2202066  EWERTON CESAR LAURINDO OMENA                     8      13      1        16    16   290182   38      
  2202101  FABIANA TORRES CAVALCANTE                        8      12      0        13    56   220683   33      
  2202103  FABIANE GOMES PEREIRA                            10     14      1        16    6    190987   41      
  2202104  FABIANNA DA CONCEICAO DANTAS DE MEDEIROS         8      14      1        17    11   130489   40      
  2202131  FABIO FERREIRA GUIMARAES                         4      13      0        15    70   270285   32      
  2202207  FERNANDA STELLA FERNANDES DE OLIVEIRA            7      11      0        10    99   200383   28      
  2202437  FRANCISCO EDUARDO BARBALHO BRASILEIRO            8      11      2        16    21   271176   37      
  2202460  FRANCISCO JADSON LIMA                            6      14      0        13    59   271186   33      
  2202607  GIGLIOLA ARRUDA PIRES                            7      14      1        17    12   050569   39      
  2202635  GILLEIDE MELQUIADES DE MEDEIROS NUNES            6      12      2        13    53   281061   33      
  2202691  GISELE CHAVES DE MEDEIROS                        8      15      2        15    10   060486   40      
  2202814  HELGA BEZERRA DANTAS                             7      13      2        14    37   090585   36      
  2202870  HINDIANE SAIURES ARAUJO DE MEDEIROS              6      11      0        12    96   010289   29      
  2202893  HUMBERTO TARGINO DE SANTANA                      4      12      2        11    87   200354   29      
  2202908  IARA MEDEIROS DE ARAUJO                          4      12      2        11    93   021275   29      
  2202923  IEDA XAVIER GUEDES                               7      9       1        12    90   160264   29      
  2202943  INACIO DAVI SOLTO NETO                           6      13      1        13    61   270988   33      
  2202963  IONE MARIA DE LIMA PLUTARCO                      5      12      2        9     98   300565   28      
  2202996  ISAAC DE SOUSA ARAUJO                            9      13      2        15    14   200885   39      
  2203005  ISABEL CRISTINA DA SILVA MEDEIROS WONS           4      12      0        12    100  211287   28      
  2203010  ISABELITA PESSOA RAFAEL BOMFIM                   7      13      0        12    71   191285   32      
  2203073  IVANICE MARIA SOARES                             6      13      3        10    62   010548   32      
  2203084  IVANILTON ALAN DE SOUZA SILVA                    6      12      0        12    84   041286   30      
  2203100  IZABELA MARTHA ARAUJO DE SOUZA-                  8      13      2        13    36   110285   36      
  2203298  JEFFERSON LUIS FREIRE DE ALMEIDA                 6      11      0        14    78   240386   31      
  2203472  JORGE EDUARDO ALVES DA SILVA                     6      10      1        10    103  011081   27      
  2203523  JOSE ANTONIO QUERIDO                             5      11      0        13    86   091247   29      
  2203527  JOSE BENTO JUNIOR                                8      14      1        16    13   240585   39      
  2203653  JOSE LEONILSON FEITOSA                           7      13      0        16    39   240986   36      
  2203668  JOSE MARIO ALVES CARNEIRO                        7      9       2        14    63   260557   32      
  2203841  JUDENALVA GOMES OLIVEIRA                         5      10      1        11    101  240255   27      
  2203860  JULIANA DE MEDEIROS LINO                         7      14      1        14    38   220886   36      
  2203879  JULIANA RODRIGUES PAULO                          5      13      1        10    94   021284   29      
  2203938  KADMO AZEVEDO DE FIGUEIREDO                      10     12      2        17    3    190684   41      
  2204131  KLEITON ALVES FERREIRA                           6      12      0        12    83   011086   30      
  2204151  LAIO DA COSTA DUTRA                              7      10      1        15    60   200988   33      
  2204170  LARIANE JANE DOS SANTOS RAULINO                  8      14      1        14    27   110888   37      
  2204356  LORENA BEZERRA DE BRITO                          10     14      2        12    17   031084   38      
  2204511  LUCYANA BRAGA DE MELO                            8      13      0        9     82   250877   30      
  2204655  MANOEL TENORIO CAVALCANTE JUNIOR                 5      9       1        10    107  311083   25      
  2204702  MARCIA CRISTINA TARGINO DE BARROS                3      10      2        13    97   100464   28      
  2204743  MARCOS ALEXANDRE CASIMIRO DE OLIVEIRA            9      13      0        14    40   110288   36      
  2204776  MARGARETE CRISTINA DE CARVALHO                   3      12      2        12    91   030266   29      
  2204936  MARIA DA PENHA MARINHO GOMES                     5      14      2        16    20   190754   37      
  2204910  MARIA DAGUIA ALMEIDA TRIGUEIRO                   5      9       1        10    106  310854   25      
  2204950  MARIA DAS GRACAS ALVES LOURENCO                  6      12      2        13    54   130766   33      
  2205129  MARIA EMILIA FERREIRA NOBRE DE SOUZA             5      13      1        10    88   101155   29      
  2205235  MARIA LEUTEMBERG EVANGELISTA ALVES DE AS         5      12      1        12    81   020375   30      
  2205500  MELISSA TAUMATURGO DIAS CORREIA                  5      14      2        13    48   080975   34      
  2205504  MERCIA CRISTINA RAMALHO MANICOBA DE LACE         5      11      0        13    89   130361   29      
  2205515  MERIELE LEITE DE ANDRADE                         7      15      0        13    41   280280   35      
  2205711  NEY THIAGO DE BARROS RODRIGUES                   8      13      1        11    57   280385   33      
  2205759  ODAIR JOSE QUEIROZ DE LIMA                       4      12      1        14    76   260477   31      
  2205804  PABLO AUGUSTO VASCONCELOS DOS SANTOS             9      12      3        17    7    110888   41      
  2205853  PATRICIA PEREIRA MACIEL                          9      13      1        18    5    250387   41      
  2205898  PAULO CESAR PINHEIRO                             9      15      2        14    9    161085   40      
  2205964  POLLYANA COSTA MARINHO NOBREGA                   9      12      1        14    33   180778   36      
  2206029  RAFAELLA DANTAS ROCHA                            8      11      2        9     85   160587   30      
  2206178  RENALY NUNES DE LUCENA BEZERRA                   8      12      3        14    25   110686   37      
  2206274  RINARDO BARBOSA DE LUCENA                        8      12      1        13    51   211087   34      
  2206301  RIVANA FREIRE MEDEIROS                           6      13      1        11    74   230869   31      
  2206370  RODRIGO MARISTONY MEDEIROS DANTAS                5      12      1        9     102  220980   27      
  2206405  RONILSON BATISTA DE SOUZA                        9      14      3        13    15   080886   39      
  2206512  RUBENIA CRISTINA GOMES DE MEDEIROS               7      15      3        17    1    051285   42      
  2206515  RUBIA BARROS VILACA                              7      13      0        16    32   010177   36      
  2206546  SAMARA DE QUEIROZ CAMPOS                         8      13      3        12    28   190568   36      
  2206572  SAMUEL XAVIER DE ANDRADE                         8      12      1        9     80   060867   30      
  2206618  SAULO DE OLIVEIRA UBARANA                        6      11      3        15    45   031086   35      
  2206633  SEBASTIAO BATISTA COSTA                          8      12      0        18    18   270685   38      
  2206707  SILVANIA MOURA DA SILVA                          8      14      0        14    31   241175   36      
  2206720  SIMAO RODRIGUES DO O FILHO                       6      11      1        13    73   071159   31      
  2206737  SIMONE QUEIROZ LEITE DE LIMA                     6      8       1        11    104  030457   26      
  2206792  STEPHANIE TRAJANO DE SOUSA                       10     14      2        11    24   090586   37      
  2206806  SUELLEN PEIXOTO DE MEDEIROS                      9      14      2        16    4    090485   41      
  2206865  TALITA CAETANO ROCHA                             8      12      1        16    23   011185   37      
  2206903  TARSILLA STEPHANIE LEITE DE MENEZES              8      14      0        13    46   301286   35      
  2206910  TASSIA TAMARA PEDROZA VIEIRA                     8      11      1        15    44   191085   35      
  2207022  THIAGO CANDEIA QUINTANS                          7      13      1        13    50   210686   34      
  2207036  THIAGO SERPA SIMOES DE FARIAS                    9      13      1        13    34   170783   36      
  2207049  TIAGO MARCELINO FERREIRA                         7      14      1        13    43   090585   35      
  2207074  ULPIANO ARAGAO FERREIRA                          7      12      1        15    47   200287   35      
  2207094  VALDEMAR FLORENTINO DE SOUZA IRMAO               7      9       2        12    79   070149   30      
  2207325  WENZEL DE MOURA MATIAS                           8      12      2        14    29   180671   36      
  2207398  YURI VICTOR DE MEDEIROS MARTINS                  9      13      1        14    26   070987   37   

Parecer recomenda cassação de prefeito de Manaus

A Procuradoria Geral Eleitoral enviou hoje ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) parecer favorável à cassação do mandato do prefeito de Manaus, Amazonino Mendes (PTB), e seu vice, Carlos Souza (PP). O documento foi baseado em representação da Procuradoria Regional Eleitoral no Amazonas, que recebeu denúncias de que o prefeito teria doado combustível a eleitores na véspera do primeiro turno das eleições de 2008.
Na época, a defesa de Mendes e Souza reconheceu que a doação ocorreu, alegando que o combustível era destinado a militantes, e não a eleitores. O Ministério Público Eleitoral amazonense contestou a defesa do prefeito e do vice e classificou o fato como "incontroverso" e violador do artigo 41-A da Lei Eleitoral nº 9.504/97. O artigo caracteriza qualquer benefício do candidato ao eleitor, a fim de obter voto ou qualquer vantagem, como compra de votos.

Defesa determina envio de tropas para apoiar ações da polícia do Rio


Brasília – O ministro da Defesa, Nelson Jobim, determinou na noite de hoje (25) que as Forças Armadas apoiem o governo fluminense nas operações contra os ataques de criminosos no Rio de Janeiro.

De acordo com nota divulgada pelo Ministério da Defesa, o apoio foi solicitado pelo governador Sérgio Cabral e autorizado pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Serão mandados para a capital fluminense 800 militares do Exército, “para garantir a proteção dos perímetros das áreas ocupadas pelas polícias”. A nota também informa que a polícia fluminense terá ainda o apoio de dois helicópteros da Força Aérea e dez blindados de transporte, além de equipamentos de comunicação e óculos para visão noturna.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

PAIS QUE LEVAM O FILHO PARA A IGREJA NÃO VAI BUSCÁ-LO NA CADEIA!‏

Muitas análises e conclusões podem ser feitas sobre os dizeres do Dr. Içami. Veja abaixo:


"PAIS QUE LEVAM O FILHO PARA A IGREJA NÃO VAI BUSCÁ-LO NA CADEIA!
Palestra ministrada pelo médico psiquiatra Dr. Içami Tiba, em Curitiba, 23/07/08.

1.
A educação não pode ser delegada à escola. Aluno é transitório. Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo. Não se pode castigar com internet, som, tv, etc...

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real. Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento. O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa. Não são todos que conhecem. Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais. Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.


7.
Em casa que tem comida, criança não morre de fome. Se ela quiser comer, saberá a hora. E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.


9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.


10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.


12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.


13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.


14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.


15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.


16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.


17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.


18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas (palavras dele).


19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.


20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.


21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.


22. Pais e mães não podem se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.


23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.


24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.


26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.
"

Frase: "A mãe (ou o pai!) que leva o filho para a igreja não vai buscá-lo na cadeia"
  
Por Francisco Siqueira

Francisco Dornelles e Alvaro Dias se solidarizam com população do Rio de Janeiro

Os senadores Francisco Dornelles (PP-RJ) e Alvaro Dias (PSDB-PR) manifestaram, nesta quinta-feira (25), pesar pela crise instalada no Rio de Janeiro e se solidarizaram com a população, vítima de ataques de traficantes armados há três dias.
Dornelles salientou que a forte reação dos marginais é resultado da ação da polícia pacificadora, posta em prática pelo governador do estado, Sérgio Cabral, e mandou um alerta: o governo não será paralisado pela ação de bandidos. Para o senador, o estado será vitorioso na luta contra o tráfico e a atuação dos marginais.
Já Alvaro Dias, citando a opinião de jornalistas e estudiosos, afirmou que o Rio de Janeiro está sendo vítima de terrorismo, algo que é questão de segurança nacional e devia mobilizar as polícias estadual e Federal e as Forças Armadas, sempre estabelecendo uma interação entre os diversos responsáveis pela segurança pública.
O senador paranaense também defendeu a modificação da legislação para impor mais rigor às visitas dos advogados e das famílias dos presos, especialmente nos presídios de segurança máxima. Ele alertou que o combate à violência nos centros urbanos deve começar pelas faixas de fronteira, estabelecendo-se uma verdadeira operação de guerra no combate ao tráfico de drogas e armas, ou a violência continuará a grassar nas cidades brasileiras.
Agência Senado

Mão Santa lamenta estado de barbárie no Brasil

O senador Mão Santa (PMDB-PI) lembrou nesta quinta-feira (25), ao comentar os episódios que estão aterrorizado a população da cidade do Rio de Janeiro, que há muito tempo vem advertindo as autoridades para o crescimento da violência nos grandes centros urbanos do país. Ele reconheceu que a violência sempre existiu, mas assinalou que até agora as instituições conseguiam administrar a situação e citou o cientista político italiano Noberto Bobbio que disse que o mínimo a se exigir de um governo é a segurança.
Mão Santa lamentou que o país esteja vivendo "um período de barbárie", chamando a atenção para o fato de que nos vizinhos Uruguai, Chile e Argentina não existe o mesmo nível de violência registrado no Brasil.
O senador afirmou que instituições importantes na pacificação da sociedade estão destroçadas no Brasil, como a família e a escola. Ele fez uma ressalva à religião, a qual, conforme afirmou, é no país "uma benção de Deus", devido ao surgimento de muitas igrejas cristãs.
- Numa audiência sobre violência, ouvi um jornalista dizer que andava pelas favelas e percebeu que onde tem uma igreja tem paz - afirmou.
Mão Santa também criticou os baixos salários pagos aos policiais e aos soldados. Ele fez um apelo ao presidente da Câmara dos Deputados, Michel Temer, para que vote a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) nº 300, que cria o piso salarial nacional para policiais civis, militares e bombeiros. O senador disse que, na verdade, os parlamentares estão enganando os policiais, pois durante a campanha eleitoral prometeram aprovar a PEC. Agência Senado

PREFEITURA DE SÃO JOSÉ DO EGITO TEVE FORNECIMENTO DE ENERGIA CORTADO

O fornecimento de energia elétrica da Prefeitura Municipal de São José do Egito foi cortado na manhã desta quarta-feira, 24 de novembro, por falta de pagamento. De acordo com informações horas depois o prefeito Evandro Valadares efetuou o pagamento de débito  junto a Celpe restabelecendo o fornecimento. A interrupção no fornecimento de energia atingiu apenas a sede da prefeitura, os outros órgãos de governo não foram atingidos., segundo o Blog de Itamar.

.A luta está apenas começando. Diz José Serra

José Serra parece que vai seguir ao pé da letra aquilo que disse, em São Paulo, no domingo do 2º turno, quando reuniu a imprensa no Edifício Joelma para falar sobre sua derrota: a luta da oposição para tentar voltar ao poder está apenas começando.
O ex-candidato do PSDB reapareceu ontem no Congresso para cumprimentar seus aliados e teve o registro de sua presença anunciado pelo senador José Agri­pino (DEM-RN), um dos poucos da oposição que Lula tentou derrotar, mas não conseguiu. Fogo Cruzado

José Agripino celebra 'tripla vitória' no RN e destaca importância da oposição

Em seu primeiro pronunciamento após retornar ao Senado, o senador José Agripino (DEM-RN) relatou nesta quarta-feira (24) as dificuldades vividas nas eleições de outubro, em seu estado. Segundo ele, apesar de ter sido uma "tarefa difícil", o grupo de que fazia parte conseguiu uma vitória "de ponta a ponta". Além de sua própria reeleição ao Senado, Agripino celebrou a conquista do governo do estado pela senadora Rosalba Ciarlini (DEM), bem como a volta do colega Garibaldi Alves Filho (PMDB) à Casa.
José Agripino creditou o que chamou de "tripla vitória" à qualidade da candidatura de Rosalba Ciarlini ao governo estadual e às fortes alianças formadas para a campanha. O senador criticou, porém, a participação excessiva do governo federal no pleito.
- Até telemarketing o presidente da República fez, pedindo voto para os candidatos dele. Sim, isso é normal. Mas pedir voto contra aqueles a quem ele, o presidente, não queria ver eleito é afrontar a liberdade do voto do norte-rio-grandense, que tem o direito de votar pelos argumentos e pela vida pública dos candidatos e não pela pressão de alguém que tem, é verdade, uma popularidade nos píncaros das alturas e que a usou para tentar derrotar alguém que era, é e vai continuar sendo líder de oposição, falando pelo povo do Brasil e que tem o direito de falar - disse Agripino.

Cumprimentos 
Em aparte, o senador Antonio Carlos Júnior (DEM-BA), que ocupou a liderança do Democratas no Senado durante o afastamento de José Agripino, cumprimentou o colega pela "vitória maiúscula", obtida "mesmo contra a influência do presidente da República".
O senador Eliseu Resende (DEM-MG) também saudou José Agripino, relembrando suas passagens pela prefeitura de Natal e pelo governo do Rio Grande do Norte, bem como o exercício de seu atual mandato no Senado.
Já o senador Marco Maciel (DEM-PE) disse que Agripino honra as "tradições de seu estado e de sua família". Ele elogiou, ainda, a qualidade da liderança exercida pelo colega à frente da bancada do Democratas no Senado e disse esperar que a vitória do partido no Rio Grande do Norte garanta muitos avanços ao estado.
A senadora e governadora eleita Rosalba Ciarlini disse que "o povo do Rio Grande do Norte deu uma demonstração de resistência e liberdade" ao eleger a ela e a José Agripino para o governo do estado e o Senado. Ela lembrou que em breve deixará a Casa, mas garantiu se sentir mais preparada "para enfrentar os grandes desafios que teremos".
Agência Senado

Kátia Abreu defende relatório de Aldo Rebelo para o novo Código Florestal

A senadora Kátia Abreu (DEM-TO) defendeu em Plenário, nesta quarta-feira (24), o substitutivo do deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB-SP) ao projeto que modifica o Código Florestal brasileiro. O texto, já foi aprovado em uma comissão da Câmara dos Deputados, onde ainda será votado pelo Plenário.
A senadora contestou críticas ao texto de Rebelo, como a publicada nesta quarta nos jornais O Estado de S. Paulo e Folha de S. Paulo e baseada em estudo da estudo da organização não-governamental Observatório do Clima, que aponta a dispensa de reserva legal para as propriedade de até quatro módulos fiscais.
Kátia Abreu diz que o relatório de Aldo Rebelo não autoriza o desmatamento de reservas existentes neste tipo de propriedade rural, mas apenas deixa de exigir o reflorestamento em fazendas que desmataram no passado.
- Aqueles que possuem reserva legal, quando o relatório for aprovado, não poderão desmatá-la. A reserva deverá permanecer intacta. Portanto, com relação a esse dito estudo do Observatório do Clima, eu desafio seus autores para um debate em qualquer uma das comissões desta Casa para que nós possamos colocar a verdade à tona - afirmou.
Agência Senado

Alfredo Cotait propõe a criação dos prêmios Cesar Lattes e Santos Dumont

O senador Alfredo Cotait (DEM-SP), em discurso nesta quarta-feira (24), comunicou a apresentação de projeto instituindo os prêmios Cesar Lattes e Santos Dumont.
O Prêmio César Lattes destina-se ao cidadão brasileiro que receber prêmio ou láurea conhecidos internacionalmente, a exemplo do Prêmio Nobel, por atividades realizadas individualmente ou em instituições localizadas no Brasil, inclusive empresas, com o intuito de estimular o desenvolvimento do pensamento nacional. Será concedido nas áreas de Física, Química, Fisiologia ou Medicina, Economia, Literatura e Paz, nos moldes do Prêmio Nobel, com montante pago em reais equivalente ao recebido em coroas suecas.
Já o Prêmio Santos Dumont deve ser conferido a cidadãos brasileiros que, trabalhando individualmente ou em instituições localizadas no Brasil, inclusive empresas, criarem inovações capazes de resolver determinados problemas cuja solução seja de interesse nacional e gere benefícios para a população e/ou para as atividades econômicas brasileiras.
- Esse é um desafio, mas, acima de tudo, é um incentivo à pesquisa e ao desenvolvimento, principalmente para que as nossas cabeças fiquem no Brasil, tenham oportunidade de desenvolver o seu trabalho na pesquisa aplicada e sejam estimuladas para obter esses dois prêmios - disse.
Agência Senado

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

LEMBRA DO PASTOR QUE CHUTOU N. S. APARECIDA ?‏

O pastor que chutou Nossa Senhora APARECIDA. 
Você se lembra do pastor Sérgio Von Helder?
Para refrescar a sua memória: 12 de outubro de 1995, dia de Nossa Senhora Aparecida, durante o programa "Palavra de Vida", transmitido pela TV Record, o pastor Von Helder teve o que podemos chamar de acesso de fúria, descontrole e total falta de respeito pela crença alheia e começou a chutar a imagem da padroeira do Brasil, gerando uma das maiores polêmicas religiosas da história recente do nosso país. O "bispo" da Igreja Universal do Reino de Deus acabou condenado por "incitar a discriminação de preconceito religioso, por meio de palavras e gestos", mas a maior pena ele nunca imaginava qual seria...
Um dia desses, na TV Canção Nova (canal 20 UHFRJ),durante a homilia o Padre Edmilson relembrou o fato que nos parecia tão distante, mas que ele trouxe à tona pelo final mais do que surpreendente.
Um tempo depois do episódio, o pastor Von Helder passou a sentir fortes dores na perna esquerda, a mesma que ele havia chutado a imagem da SANTA. Aos poucos as dores até então sem explicação foram aumentando até um ponto que ele teve que procurar auxílio médico. Von Helder tentou vários tipos de tratamentos no país, mas sem nenhum resultado, a dor simplesmente não melhorava.
Recomendado pelos médicos, Sérgio foi procurar ajuda nos Estados Unidos, numa clínica especializada. E lá passou um bom tempo internado. Segundo o próprio Sérgio, o tratamento era o melhor possível e o atendimento exemplar. Mas havia uma enfermeira que sempre lhe dedicou uma atenção especial, acompanhando-o durante todos os momentos difíceis e de muita dor, principalmente durante as noites em que a dor insistia em não passar, cuidando de sua perna e dando-lhe conforto e esperança. E assim o tempo passou e aos poucos o tratamento foi dando resultado, até a cura completa.
Sua alegria era tanta que, comovido, resolveu dar uma festa de agradecimento e despedidas para toda equipe que havia cuidado dele.
Durante a festa, Sérgio notou que a tal enfermeira, que havia sido tão importante em sua recuperação, não estava lá. Então foi procurar o diretor da clínica para saber do seu paradeiro. Perguntou a ele onde estava a tal enfermeira negra, simpática e atenciosa, que havia confortado-o em todas as noites de dor e desesperança. Para o espanto de Sérgio, o diretor falou desconhecer tal enfermeira e que não havia nenhuma enfermeira negra trabalhando naquela área do hospital. Sérgio ainda insistiu, perguntando inclusive para outros médicos e enfermeiras se não poderia ser de alguma outra área, mas ninguém fazia idéia de quem ela fosse.
Foi aí que o ex-pastor Sergio Von Helder caiu de joelhos aos prantos, no meio da festa, se dando conta do que tinha  acontecido. Ninguém entendeu nada na hora, mas não havia o que entender. Sérgio se deu conta de que, neste tempo todo, a enfermeira que esteve ao seu lado em todos os momentos de dor e dificuldade era Nossa Senhora Aparecida. Tomado de vergonha e remorso, o Sérgio se converteu ao catolicismo e hoje conta a sua história para quem quiser ouvir. Um testemunho de fé tardia, mas nunca é tarde para a bondade infinita de Deus e o carinho e amor maior de Maria, nossa Mãe, que mesmo humilhada não abandonou seu filho na doença.
 
AMIGOS ESSA MENSAGEM É PARA QUE a gente NUNCA DUVIDE DO PODER DE NOSSA SENHORA. 

por Francisco Siqueira

Jarbas Vasconcelos denuncia 'abusos' de Lula nas eleições

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) disse nesta terça-feira (23) que o resultado das urnas "de forma alguma" apaga os abusos cometidos durante a campanha eleitoral pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pelo Partido dos Trabalhadores (PT). Jarbas assinalou que, ao contrário do que Lula imaginava, seu governo nunca foi uma unanimidade.
- O presidente da República usou e abusou da popularidade para eleger Dilma. Lula montou um palanque móvel antes do prazo legal e com ele percorreu o Brasil. O presidente desrespeitou a legislação eleitoral para viabilizar a vitória da candidata do PT. Fez uso exagerado da máquina do governo, atacando a oposição e pregando o extermínio dos seus adversários - afirmou.
Para Jarbas, a verdade é que Lula atuou como chefe de uma facção e não como o presidente de todos os brasileiros, desrespeitando a legislação e fazendo pouco caso das multas aplicadas pela Justiça Eleitoral. Ele acrescentou que Lula, com o objetivo de eleger a ex-ministra Dilma Rousseff, chegou ao "absurdo" de desconsiderar as recomendações do Tribunal de Contas da União (TCU) de rever contratos irregulares que recebem bilhões em recursos públicos.
Outra prática considerada condenável por Jarbas Vasconcelos, que já teria sido utilizada em outras disputas, foi a de repetir uma mentira vária vezes com o intuito de transformá-la em verdade, como o PT teria feito em relação às privatizações. Ele disse que essa "prática fascista" deve ser enfrentada, denunciada e repudiada, para que não se repita no futuro.
- Mais uma vez, o PT colocou nas ruas a mentira de que a oposição privatizaria o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, a Petrobras e até as reservas do pré-sal. Se as privatizações realizadas nos governos anteriores foram irregulares e danosas aos interesses nacionais, por que o presidente Lula não determinou a sua revisão? - questionou.
A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) disse, em aparte, que o presidente Lula interferiu enormemente na condução da candidata do PT e colocou os recursos das estatais e de organismos federais, com o aparelhamento do Estado, a serviço do seu propósito de eleger Dilma.
Limites institucionais 
O senador Marco Maciel (DEM-PE) lamentou que, nos últimos anos do mandato, o presidente Lula tenha consumido todo o seu tempo em campanha política, tratando de eleger os seus candidatos nos estados, desconhecendo os limites institucionais que a Constituição impõe ao exercício do mandato e, de modo particular, ao uso do governo para fins eleitorais.
O senador Alvaro Dias (PSDB-PR) classificou como "fábrica de blefes" o atual modelo político brasileiro porque "faz prevalecer o imaginário, a ficção, sobre a realidade, a mentira sobre a verdade". O senador Heráclito Fortes (DEM-PI) disse que sai frustrado do Congresso Nacional por não ter conseguido, ao longo de 28 anos de exercício parlamentar, realizar uma reforma política. Ele disse também se preocupar com o "objetivo" de maiorias eventuais de enfraquecimento do Parlamento brasileiro.
 Agência Senado

TRE nega pedido de cassação do governador de MG

Agência Estado
O Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG) negou hoje dois pedidos de cassação do diploma do governador reeleito em Minas, Antônio Anastasia (PSDB), e do vice-governador eleito, deputado estadual Alberto Pinto Coelho (PP), apresentados à Justiça Eleitoral pela coligação "Todos Juntos por Minas", do candidato derrotado Hélio Costa (PMDB).
Na primeira representação, a coligação (que envolvia o PT, PMDB, PCdoB e PRB) acusava Anastasia de participar, em julho, de uma solenidade em Governador Valadares para anunciar a construção de um gasoduto e a inauguração de um estrada que liga a BR-381 a Vila Nova Floresta.
Já a segunda representação acusava Anastasia de usar um endereço de e-mail da Polícia Militar (PM) de Minas para enviar propaganda eleitoral, com anúncio do site oficial de campanha do então candidato. Cruvinel mais uma vez julgou a representação improcedente, sob alegação de que "tem-se que os endereços de e-mail, ainda que institucionais, são utilizados por servidores públicos, que devem responder pessoalmente por eventuais abusos".

Governadores pedem prioridade para duas propostas na Câmara

Agência Câmara

Governadores eleitos de cinco estados reuniram-se nesta terça-feira com o presidente da Câmara, Michel Temer, e pediram a aprovação, até o final do ano, de duas propostas que tramitam na Casa. A primeira altera a Lei KandirA Lei Kandir (Lei Complementar 87/96) dispensou do ICMS operações que destinem mercadorias para o exterior, bem como os serviços prestados a tomadores localizados no exterior. Com isso, estados e municípios perderam parcela da arrecadação de seus impostos. Essa lei disciplina o ressarcimento por parte da União até que outra lei estabeleça um mecanismo definitivo.
A lei também define regras para a cobrança do ICMS no comércio entre os estados.
para criar a figura da substituição tributária nas operações de energia elétrica (Projeto de Lei Complementar – PLP – 352/02). A segunda (Proposta de Emenda à Constituição – PEC – 507/10) prorroga por tempo indeterminado o Fundo de Combate e Erradicação da Pobreza, cuja vigência termina neste ano.
As duas propostas são oriundas do Senado. O PLP 352 está pronto para ser analisado pelo Plenário, após ter sido aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) na primeira semana deste mês. Já a PEC 507, que teve a admissibilidade aprovada pela CCJ também no início do mês, ainda precisa passar por uma comissão especial, que vai analisar seu mérito. Dois partidos ainda não indicaram seus integrantes para a comissão, que terá 18 titulares.
De acordo com o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), e com o governador reeleito da Bahia, Jaques Wagner (PT), as duas propostas contam com o apoio dos 27 governadores que tomam posse em janeiro.

Denúncias ameaçam império do clã Jucá

Agência Estado

BOA VISTA - Líder do governo Lula no Senado e considerado o rei de Roraima - onde controla a política local e um império de comunicações, este por meio de aliados e parentes -, o senador Romero Jucá (PMDB-RR) está sendo alvo de denúncias do lobista Geraldo Magela da Rocha.
Ele se apresenta como "ex-laranja de Jucá" e acusa formalmente o senador de fraudar documentos e assinaturas para viabilizar a outorga de retransmissão de uma emissora de TV, concedida à Fundação de Promoção Social e Cultural de Roraima em março de 1990, para a Buritis Comunicações, hoje controlada por Rodrigo Jucá (filho do senador). Essa outorga foi feita por um ato de José Sarney - padrinho político de Jucá - no penúltimo dia como presidente da República. Paralelamente, investigações do Ministério Público estadual apontam o senador como proprietário indireto das TVs Caburaí, afiliada da Band, e Imperial, da Record, bem como da Rádio Equatorial 93,3 FM.
Nenhuma das emissoras está registrada em nome de Jucá, expediente para driblar a Constituição - que proíbe expressamente deputados e senadores de serem proprietários ou diretores de emissoras de rádio e televisão. Mas o presidente da Assembleia Legislativa e adversário político de Jucá, Mecias de Jesus (PR), afirma que os veículos pertencem ao senador. As duas emissoras, Caburaí e Imperial, funcionam no mesmo endereço, antiga residência de Jucá na capital.

Vereadores de Santa Cruz condenados pelo TCE

O Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) julgou irregular as prestações de contas referentes ao ano de 2007 de todos os vereadores que compunham a Câmara Municipal de Santa Cruz do Capibaribe na época. Ao todo, são 12 parlamentares, cinco dos quais reeleitos. Entre eles, o atual presidente, João Fernando Arruda Aragão e o primeiro-secretário, Ernesto Lázaro Maia. De acordo com o relator do processo, conselheiro Marcos Nóbrega, os vereadores não justificaram, devidamente, a aplicação das verbas de gabinete no pagamento de diárias, nem foi comprovada a finalidade pública de despesas com alimentação, combustível e contas de telefone, por exemplo. ´O controle interno dos gastos era muito frágil`, disse.


João Fernando Arruda Aragão
Foram aplicadas multas individuais de RS 5 mil aos julgados. Eles também deverão ressarcir os valores referentes aos gastos considerados indevidos. Por haver indícios de crime, cópias do processo serão encaminhadas ao Ministério Público Estadual, a quem cabe dar entrada na Justiça. João Fernando Arruda Aragão se mostrou indignado com o julgamento do TCE e adiantou que vai recorrer. ´O problema do TCE é que eles não tiveram poder de condenar o Recife naquele episódio das notas fiscais frias e agora querem mostrar serviço em outras cidades.` Aragão deverá devolver aos cofres públicos R$ 15 mil, uma das maiores cifras irregulares apontadas pelo Tribunal. DP, 24/11/10

terça-feira, 23 de novembro de 2010

INFIDELIDADE DE KASSAB

 O DEMOCRATAS permanece em silêncio sobre a anunciada saída dos seus quadros do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. Mas como, pela lei, o mandato não é dele e sim do partido, caso a saída seja consumada a cúpula procederá como procedeu em relação a Sebastião Rufino e Ciro Coelho: irá à Justiça exigir o mandato de volta. A ameaça é do presidente Rodrigo Maia (RJ). Fogo Cruzado

Pauleira na AMUPE

 Na reunião dos prefeitos do Pajeú, Albérico Rocha (PR), de Iguaracy, fez duras críticas à omissão da direção da Amupe. Segundo ele, a instituição cruzou os braços diante dos cortes sistemáticos do FPM feitos pelo Governo Lula. Folha Política

Humberto tem bronca com justiça

Humberto Costa comprou uma bronca com a justiça eleitoral. Nas doações que fez, os valores aparecem em seu nome e não da conta da sua campanha. Como a justiça eleitoral só permite o máximo de contribuição de 10% da renda declarada, Humberto teria que comprovar uma movimentação de R$ 5 milhões, tendo em vista que doou R$ 598 mil. Folha Política

Mozarildo diz que problema da saúde no Brasil não é falta de dinheiro, mas corrupção e má gestão

O senador Mozarildo Cavalcanti (PTB-RR) afirmou que a saúde pública no Brasil é ruim não por falta de dinheiro para o setor, mas devido à corrupção e à má gestão praticada pelos dirigentes da área. Ele disse que, como médico, ex-diretor de hospital e ex-secretário de Saúde, pode garantir que o problema não é falta de recursos.
- O que falta é vergonha na cara de quem dirige o setor de saúde, de quem é responsável, a começar pelo prefeito, pelo governador, pelo presidente da República, de cobrar realmente que a saúde seja tratada de maneira séria - afirmou Mozarildo.
Agência Senado

‘Para o PMDB não ficar com presidência da Câmara, vai depender das compensações’, diz peemedebista

São Paulo(AE) Nos bastidores da bancada do PMDB no Senado, a briga pelos cargos de comando – presidência e liderança do partido na Casa – segue intensa. De acordo com um interlocutor do partido, dada como certa a candidatura de José Sarney (AP) à reeleição, a disputa agora é para definir quem será o líder da sigla – cargo geralmente indicado por alguém ligado ao presidente da Casa.
Sobre a disputa pela presidência da Câmara, disse: “Lá não tem discussão, a cadeira também é do PMDB. Para não ficarmos com ela, vai depender das compensações. Só em função do Senado eles não abririam mão da Câmara”.
Segundo fontes, o ex-ministro das Comunicações Eunício Oliveira (CE) quer tomar o posto de Renan Calheiros (AL). O problema para Eunício  – que acaba de ser eleito para seu primeiro mandato como senador – é fazer parte da chamada “Turma do Temer”.
Conforme tem sido dito por parlamentares de PT e PMDB, o vice-presidente eleito não tem no Senado a influência que tem na Câmara. “A briga é escancarada por espaços políticos, cargos e ministérios”, disse um peemedebista.

Para FHC, 'refundação' do PSDB é expressão forte

O Estado de S.Paulo

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso refutou nesta segunda-feira, 22, a ideia de que o PSDB seja um partido predominado por lideranças paulistas, o que chamou de um "slogan" da oposição, que não encontra respaldo na realidade. Fernando Henrique também classificou como "uma expressão muito forte" a tese de "refundação" do partido proposta pelo ex-governador mineiro e senador eleito, Aécio Neves.
Fernando Henrique participou no início da noite do 1º Fórum da Liberdade de Minas Gerais, organizado pelo Instituto de Estudos Empresariais (IEE). Antes de proferir a palestra de encerramento do evento, ele foi questionado se o PSDB não seria "muito Avenida Paulista". O ex-presidente lembrou que o partido saiu vitorioso em oito estados do País.
"Isso é slogan que a oposição coloca para marcar. O PSDB teve 44% da população, você acha que isso é Avenida Paulista? Não é verdade. Isso é simplesmente uma repetição de política eleitoreira. Se fosse assim, eu não teria sido eleito presidente", reagiu.

José Serra deve assumir presidência do Instituto Teotônio Vilela

O Estado de S.Paulo BRASÍLIA - O PSDB já tem a fórmula para não entregar a presidência nacional do partido ao candidato derrotado José Serra, nem tampouco forçar a aposentadoria do expoente tucano, deixando-o sem tribuna. Para preservar aquele que arrebanhou 43,7 milhões de votos e valorizar o "racha" do eleitorado pela oposição, Serra deverá assumir a presidência do Instituto Teotônio Vilela (ITV) de estudos e pesquisas do PSDB.
Esta é a alternativa que os tucanos vislumbram para reservar a Serra um espaço confortável na estrutura partidária, que lhe permita agir como oposição tucana e não afronte as resistências à ideia de abrigá-lo na presidência da legenda, como ocorreu depois da eleição de 2002.

Justiça Federal condena Paulinho e Força Sindical por improbidade administrativa

Agência Brasil

São Paulo - A Justiça Federal condenou o deputado federal Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) e a Força Sindical por improbidade administrativa na gestão de recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) destinados a convênios para cursos de qualificação. Paulinho e a central sindical por ele presidida vão ter que devolver aos cofres públicos R$ 235,5 mil. A juíza Fernanda Souza Hutzler, da 25ª Vara Federal Cível, estabeleceu ainda uma multa de R$ 471 mil.

Na sentença, a juíza também determinou que o parlamentar e a Força Sindical sejam proibidos de assinar novos contratos com o Poder Público e de receber quaisquer benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, por um período de cinco anos.

Polícia diz que mortes em Alagoas estão ligadas a grupos de extermínio

Agência Brasil

Brasília – Dos 39 casos de assassinatos de pessoas em situação de vulnerabilidade em Maceió, 24 envolveram moradores de rua e a maioria dos crimes foi motivada por questões relacionadas ao tráfico de drogas e por brigas, segundo relatório divulgado hoje (22) pela Polícia Civil de Alagoas.

A investigação apontou alguns casos com características de grupo de extermínio, como os crimes praticados por Luiz Carlos Soares da Silva Santos, conhecido como Orêia, que trabalhava como vigilante autônomo para uma rede de supermercados, e é acusado do assassinato de quatro moradores de rua.O ex-policial civil Miguel Rocha Neto também está preso acusado de dois assassinatos e três policiais civis são investigados por participação na morte de um morador de rua.
Segundo o relatório, 83% das pessoas assassinadas eram dependentes químicos. A maioria das vítimas é do sexo masculino, com idade entre 18 e 29 anos.

Segundo a Polícia Civil, dos 24 crimes esclarecidos com autoria, 15 foram investigados pela polícia alagoana e oito pela Força Nacional. Ainda há 14 crimes sem autoria definida.

Julgamento do mensalão deve começar no final de 2011

Agência Brasil

Brasília – O julgamento dos 38 réus envolvidos no suposto esquema de compra de votos de parlamentares revelado em 2005, conhecido como mensalão, deve começar no final do ano que vem no Supremo Tribunal Federal (STF).
Nesta semana, o ministro Joaquim Barbosa, relator do caso, encerrará a fase de perícias – em que se investigam fatos relevantes para a causa – e abrirá prazo de 15 dias a um mês para que as partes façam as alegações finais, pedindo esclarecimentos sobre fatos novos que surgiram já com a ação penal em andamento. Depois disso, o ministro encerra a fase de instrução e deve levar cerca de um ano para elaborar seu voto.

Segundo Joaquim Barbosa, o longo período reservado para a elaboração do voto se deve ao fato de que nunca houve no STF uma ação penal com tantos réus e com tantos detalhes a serem analisados. O ministro deverá estudar mais de 40 mil páginas de processo, fora os apensos, antes de votar. Apesar de serem poucos os réus com foro privilegiado – direito de serem julgados pelo STF – os ministros decidiram que todos os 38 deveriam ser julgados em conjunto. A decisão contrariou pedido de desmembramento do relator, que visava a dar mais agilidade na tramitação do caso.

A previsão é que o julgamento demore cerca de três semanas para ser concluído, caso não haja pedido de vista de outro ministro (que não tem prazo para devolver seu voto). As três semanas de julgamento incluiriam sessões extras às segundas, terças e sextas-feiras. Somente o relatório – que traz todas as informações sobre a denúncia e andamento da ação penal – deve ter mais de 300 páginas, o que dá uma estimativa de três dias apenas para leitura.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

“Não vou negar que sentirei falta”

RENATA BEZERRA DE MELO   
O deputado federal Roberto Magalhães (DEM) entrou na política “para passar quatro anos”. “Para advogar, eu tenho o resto da minha vida”, pensava nos idos de 1970. Acabou levando mais 30 anos até que tomasse a decisão de abandonar de vez a vida pública, o que fará em janeiro de 2011, quando encerra-se seu quarto mandato na Câmara Federal. Daqui para frente, pensa em retomar a advocacia. Mas a prioridade é escrever suas memórias, que já começou “a digitar”. Prestes a virar essa página, recorda a pressão mais negativa sofrida quando, para atender o partido, saiu candidato ao Senado, na chapa de José Múcio e acabou derrotado. Este ano, ao passar por convocação similar, entendeu que os aliados estavam “equivocados”. Estava decidido a não concorrer a mais nada desde 2006, eleição na qual a única coisa que pediu foi “para não perder com humilhação”. À Folha, o democrata fez algumas reflexões antes de dar adeus ao Congresso Nacional.
A desistência foi planejada?
Eu achei que ia ter uma eleição muito difícil (2006). Mas eu disse: não vou deixar de disputar essa eleição, porque eu tenho muita gente que trabalha comigo. Então, disputei eleição sem motivação. Não queria nem abrir comitê. Foi minha mulher que abriu. Comecei fazendo aquelas placas. Mas quem disse que eu conseguia aumentar o número? Denunciavam. “Não pode. Está em cima do borracheiro, borracheiro é comércio”. Trabalho enorme, caro. Cheguei a botar 30 na cidade, que é muito pouco. Quando vi, as dez melhores já tinham sido tiradas pelo Tribunal (Regional Eleitoral). Veja como eu estava certo, eu nunca tive menos de 200 mil votos. Só no Recife, eu tive 106 mil (2002) quando tinha deixado a Prefeitura. E, naquele ano, tive abaixo de 110 mil. Aliás, eu tinha dito a minha mulher: Eu só quero me eleger. Só peço a Deus uma coisa: que não perca com humilhação.
E qual seria essa humilhação?
Não é humilhação ficar na primeira metade. Pois, não é que eu fiquei?! São 25 (vagas) não é? Acho que fiquei em 12º, exatamente como eu queria. Não caí. Aí reuni o pessoal aqui e disse: quero comunicar que não sou mais candidato. Vocês vão ter quatro anos para planejar suas vidas. E não houve um dia que eu tivesse dúvida.
Por que, este ano, lhe propuseram sair candidato ao Senado?
Eles estavam equivocados. Estou na planície há muito tempo. Desde que eu perdi para a Prefeitura do Recife (2000/reeleição), eu só fui deputado minoritário num Congresso dominado inteiramente pelo Planalto.
O senhor disse a eles que os julgava equivocados?
Pedi uma reunião. Fiz uma carta, nunca fui tão competente na minha vida, para Jarbas Vasconcelos e uma para Marco Maciel, inclusive, dizendo que estava diagnosticado um aneurisma na aorta. Agora, todo mundo diz: dr. Roberto é que estava certo, porque ele viu a derrota de Maciel e de Jarbas.
Antevia derrotas nas dimensões em que se deram?
Não. Eu acho que Jarbas e Maciel mereciam muito mais pelo que eles já fizeram por Pernambuco. Jarbas deixou uma obra extraordinária, que foi a BR 232. Ela não é uma obra do Agreste, é uma obra de Pernambuco. Agora, já há um projeto para chegar até Garanhuns. Não poderia perder em todos os municípios que margeiam aquela estrada. Uma coisa que me doeu. Uma coisa é uma derrota feito eu perdi para João Paulo, por menos de um ponto. Primeiro, eu ganhei por 90 mil votos de diferença, e, por menos de um ponto, não cheguei aos 50%. Logo em seguida, fez-se uma pesquisa. Ele disparou e eu caí. Ficamos com 14 pontos de diferença. Nos debates, foram três ou quatro e com a campanha eu recuperei. E entramos empatados no dia da eleição. Ao meio-dia, uma pesquisa de boca de urna do Ibope dava que eu estava ganhando por 1,5 ponto. Às 17h, eu perdia. Perdi por quanto? Uns cinco mil votos. Em seis milhões de pessoas, dá menos de 1%, não é? Então, é uma derrota honrosa. Tanto que na eleição de deputado (2002), sem comprar voto, sem um prefeito, eu tive 106 mil votos no Recife e me elegi com 204 mil votos.
Guarda lembranças da carreata, em Boa Viagem, daquela campanha contra João Paulo (PT)?
Colocaram uma jamanta atravessada. Esperaram que a gente chegasse, e o PT, aquela coisa do PT, começou a dizer impropérios, provocando.
Qual fato mais traumático de sua vida pública?
Foi ter perdido a senatoria (1986). Saí do Governo com 73% de aprovação. Eu tinha o maior ibope do Brasil, com 65% na pesquisa da TV Globo/Gallup e, no dia, eu perdi. Embora tenha uma explicação: Miguel Arraes (PSB) começou a pedir voto para os senadores.
Há segredo guardado dessa trajetória política que, hoje, possa ser contado?
Vou escrever um livro e aí eu vou decidir quais coisas que não contei. Muitas eu não vou poder contar, porque as pessoas estão vivas aí e fica muito ruim você dizer coisas que possam atingir. Não só as vivas. Eu não vou fazer isso.
Já começou?
Não. Estou pensando.
Há algo gravado?
Pouca coisa. Estou digitando...Acho que o melhor é ditar, anda mais ligeiro.
O que lhe foi dito que marcou ou surpreendeu ao longo da vida pública?
Anteontem, citei um. Foi entregue a medalha Nilo Coelho, no Tribunal de Contas do Estado. Então, o Severino Otávio fez o discurso. E disse uma coisa que me sensibilizou e é verdadeira. Falou que, em 21 anos, que ele é conselheiro, Dr. Roberto nunca me pediu nada, nem a favor de seus correligionários, nem contra os seus adversários. Quando ele me entregou a medalha, eu disse: vou fazer uma homenagem, revelando aqui um fato que eu nunca registrei na Imprensa, nem em conversas. Eu governador, nos idos de 1984, reuni a bancada, comuniquei que tinha chegado a decisão, que deveria apoiar Tancredo Neves, embora de partido adversário, para presidente da República. Com isto, estarei cometendo, do ponto de vista partidário, um grave erro, porque estaremos transmitindo o poder ao partido adversário. Mas, ao mesmo tempo, quero dizer que, como pernambucanos e brasileiros, temos o dever de agir dessa forma, porque esta entendo que é uma última oportunidade de nós redemocratizarmos o Brasil pacificamente. Severino Otávio foi o primeiro que se levantou e disse: governador, estou ao seu lado. Não faltarei nem ao Brasil, nem a Pernambuco.
Do que sentirá mais falta?
Eu não vou negar que sentirei falta, porque eu jamais quis ser político. Fui nomeado secretário de Estado, surpreendentemente, num fim de tarde. Me saí bem. E por isso não esqueceram mais de mim. Voltei para advocacia e o magistério universitário. Sete, oito anos depois Marco Maciel (DEM) me convida para ser o vice na sua chapa. Minha mulher ficou angustiada, disse que eu ia jogar fora minha profissão. Eu disse: são só quatro anos. Marco Maciel tem 36 anos, muito jovem. Vai fazer um Governo renovador. Para advogar, eu tenho o resto da minha vida. Mas eu tava enganado, porque fui ser vice e, no final, fui candidato a governador para perder, que era contra Marcos Freire, o mais forte candidato do PMDB do Brasil, e ganhei. Aí não saí mais. Sabe o que é? A pessoa se realiza inteiramente na profissão liberal, empresarial, mas quem passa pela experiência do poder público, em grande parte, não esquece, e tendo oportunidade retorna. Porque, na coisa pública, sobretudo no Poder Executivo, você tem o poder de fazer. Eu vi a população de Salgueiro três anos sem água. Um tonel nas costas, o caminhão vinha, água nem era tratada. Depois, se botava umas pastilhas de cloro. Resolvi fazer a chamada Adutora do Sertão, que era 70 quilômetros. De Cabrobó, levando água do São Francisco até Salgueiro. Fiz mais. Em vez de 70, fiz 172 km. Antes de Salgueiro, fiz um braço para levar para o município de Parnamirim, Terra Nova, distrito de Salgueiro, que é o Mães, Verdejante, Serrita. Já pensou? Até hoje está lá dando água.
Vicia...
Agora, às vezes, eu me pergunto: por que é que eu me saio tão bem nos cargos e perco as eleições depois? É simples. Eu tenho tanta paixão pela obra que não faço política.
Há arrependimentos?
Ora, quem é que não erra?
O senhor deixou transparecer que se cobra muito.
Quer ver um erro que eu cometi? Eu, quando era governador, queria ir até o fim do mandato, porque era tradição dos governadores pernambucanos ficar até o fim. E o partido em cima de mim, em cima de mim. ‘Sem você, José Múcio não se elege, enfraquece a chapa’. E eu, para atender o partido, fui ser candidato (a senador). Perdi.
Qual foi a maior pressão que já sofreu?
Deve ter sido essa, porque foi a mais negativa para mim.
Recentemente, convidado para candidatar-se ao Senado na chapa de Jarbas, o senhor já estava escolado...
Agora eu digo, como Cristo (risos), ‘tu dizes’. Você é que está dizendo. Mas não tinha condições. Um aneurisma, se estourar, você morre.
Atribui a derrota da oposição no Estado ao poder de Lula?
Há casos em que líderes conseguem dominar uma população. Sem querer comparar Lula a Hitler. Mas, eu queria dizer: Hitler dominou o povo alemão, ao ponto que fez uma guerra e destruiu, principalmente, a Alemanha. Como se admite que Hitler tenha levado a Alemanha à desgraça e aquele povo não tenha reagido? Houve duas tentativas de assassinato totalmente frustradas. Outro que dominou a Itália foi Mussolini. Tem Stalin, se bem que Stalin foi pela força, mas transformou-se numa figura importantíssima. Ainda hoje tem stalinista por aí. O próprio Niemayer disse: continuo comunista e stalinista. O caso Lula deverá ser estudado não só politicamente, mas também do ponto de vista da psicologia social, porque ele conseguiu se dissociar do PT, sobretudo, depois do mensalão. É como se Lula e PT não tivessem nada a ver e o PT foi feito à imagem e semelhança de Lula que foi seu fundador. Ontem, vi um programa onde se discutia porque Lula tem 80% de aprovação e seu Governo 50%. Porque ele se dissociou.
Daqui para frente, quais são os planos na área política?
Já aprendi que nós não podemos ultrapassar os fatos. Eu não tenho, hoje, dados, fatos que me autorizem a tomar um rumo.
Está dependendo de como a oposição se organizará?
O PMDB aqui em Pernambuco é sui generis, né? É nosso aliado, mas é liderado por Jarbas. Eu não sei se amanhã a direção nacional intervém aqui e acaba com tudo.
Há comentários de que, ainda durante a campanha, planejava-se passar o comando para Edgar Moury (deputado federal não reeleito/PMDB).
Jarbas é um político muito competente. Eu acho que ele saberá traçar seu caminho.
O que vê de perspectivas para oposição em Pernambuco?
Temos que nos preparar para não ter candidato para perder, preparar prefeitura e tudo, porque política se faz agregando e com muita inteligência, estratégias corretas para ter candidatos viáveis para disputar prefeitura e Governo. Pode parecer impossível a alguns. Eu digo que nada é impossível em Política, vai depender da nossa capacidade de congregar partidos e lideranças.
Pensa em ajudar a oposição a traçar rumos para 2012?
Sim, se ela agir sem personalismo, voltada apenas para o interesse da vitória das oposições.
Foi a decisão acertada interromper a carreira política agora?
Na Bíblia diz que há tempo para tudo. E eu diria que os políticos também devem saber a oportunidade de entrar e o momento de sair. Qual foi meu ápice? Comecei procurador, assessor jurídico de governador, secretário de Estado, vice-governador. Governador foi o ápice, e tive ainda meus dois primeiros mandatos de deputado, que foram muito bons, porque eu não era oposição. Ser deputado com Lula e também com Dilma, na oposição, você não recebe projetos importantes para relatar. Até nas comissões, você é discriminado, coisa que nunca houve no Congresso Nacional. Os projetos mais importantes, que eu relatei foram fruto de pessoas ou entidades que pediram ao presidente que distribuísse a mim, Roberto Magalhães, porque tudo importante eram o PT e PMDB que escolhiam os presidentes.
Reclama da partidarização?
No caso, a partidarização das comissões, que era uma coisa tênue no passado, passou a ser regra geral. Então, já no final da primeira legislatura, de 2003 a 2006, comecei a cogitar encerrar atividade de deputado. Você não se sente bem naquele ambiente. Nós (oposição) éramos 100, Lula tinha 400 deputados. Aí, a oposição fazia uma coisa que eu não gosto de fazer, só excepcionalmente: obstrução. Aliás, em relação à Comissão de Justiça, tenho duas ressalvas importantes. Houve dois presidentes do PT que não discriminaram, que eu considerava amigos. Primeiro, o Antônio Carlos Biscaia, que foi procurador de Justiça do Rio de Janeiro, extraordinário, pessoa muito honesta, perdeu a eleição. O outro foi o Maurício Rands. Eu não conhecia Maurício Rands, nos fizemos amigos na Comissão. Esse nunca discriminou.
Por que pensou em parar no final daquela segunda legislatura?
Ora, meu voto sempre foi independente. Como é que eu poderia me comunicar com a população se não fosse através do outdoor? É o único meio de comunicação de massa que o político de classe média pode bancar com seus recursos. Um deputado para receber milhões, ele tem que prestar serviços e eu não tenho vocação para lobista. Nunca fiz lobby. Aliás, nem advogo como deputado, para não misturar as coisas.
Pensa em retomar?
Estou reiniciando a convite de um filho, que é advogado, para trabalhar com ele. Mas, é claro, que a minha prioridade, no momento, é escrever alguma coisa.