Postagens

Mostrando postagens de Março, 2016

PTN SE POSICIONA OFICIALMENTE A FAVOR DO IMPEACHMENT

Imagem
Na tarde desta quinta-feira (31), o Partido Trabalhista Nacional (PTN) emitiu nota para imprensa divulgando seu posicionamento favorável ao impeachment da presidente Dilma Rousseff. 
De acordo com o texto, a executiva nacional do PTN orienta a sua bancada a votar a favor do impedimento, mas destaca que cada deputado " decida com base no desejo do seu eleitor, sua consciência e o melhor para o país". A vice-presidente da legenda, deputada federal Renata Abreu já pronunciou ser favorável ao impeachment. Esclarece que a executiva nacional não conversou com o governo federal e não negociará ministérios.

COMITÊ PRÓ-IMPEACHMENT DIZ TER VOTO FAVORÁVEL DE 346 DEPUTADOS

Imagem
A coordenação do Comitê Pró-Impeachment suprapartidário diz ter mapeado 346 votos a favor do impedimento da presidente Dilma Rousseff na Câmara dos Deputados. O número é maior do que o mínimo de 342 votos que a oposição precisa para aprovar a abertura oficial do processo de afastamento da petista na Casa e enviá-lo para o Senado julgar.
Segundo o coordenador do comitê, deputado Mendonça Filho (DEM-PE), o número foi colhido por líderes e deputados da oposição, que mapearam os votos por Estado. Membros do comitê tentam, no entanto, manter a lista sob sigilo. Eles alegam que não podem passar nomes ou divisão por Estados, para não dar "munição" para o governo tentar convencer esses parlamentares a mudar de voto. Na contabilidade do Planalto, Dilma tem hoje entre 130 e 150 votos contra o impeachment, número inferior aos 172 necessários para barrar a abertura do processo. O governo já avalia, contudo, que poderá conquistar até 190 votos, após distribuir cargos para partidos do cen…

Campeão da Lava Jato, PP vira trunfo na barganha

Imagem
Sigla que teve 7 denunciados ao STF por caso Petrobras faz negociação dupla com Dilma e oposição El País - Afonso Benites A legenda que hospeda 32 dos 51 políticos investigados por envolvimento no esquema de propinas da Petrobras, o Partido Progressista (PP), está em vias de se tornar o principal aliado do Governo Dilma Rousseff no Congresso Nacional e herdar o ministério mais rico da União, o da Saúde. Com o desembarque do PMDB, que ainda tem seis dos 32 ministérios, a gestão petista investe na aliança com o PP para tentar se salvar do impeachment e pode oferecer a ele mais de uma pasta. Do outro lado, o grupo favorável à queda de Rousseff e à assunção de Michel Temer ao Planalto também assedia a sigla, filha da ditadura militar e frequentemente envolvida em escândalos políticos. A razão é o número de deputados que o PP possui, 49, a quarta maior bancada da Câmara, atrás do PMDB, do PT e do PSDB. Essa posição confortável da legenda, no entanto, não é antiga. Foi quando já era "camp…

Na linha da sucessão

Imagem
De Marisa Gibson, hoje, na sua coluna DIARIO POLÍTICO Sendo eleito presidente da Câmara dos Deputados, após a esperada saída de Eduardo Cunha (PMDB) do cargo, Jarbas Vasconcelos (PMDB) será o segundo na linha da sucessão num eventual governo de Michel Temer (PMDB). Dependendo das circunstâncias, então, Jarbas poderá chegar à Presidência da República. Teve suplente de deputado federal pernambucano que, ao ouvir por telefone, que não iria participar da votação do impeachment, passou uns cinco minutos mudo do outro lado da linha, tamanho o espanto, indignação e decepção.  Dentro do PSB estadual houve quem discordasse da decisão dos quatro secretários do governo Paulo Câmara de reassumirem os mandatos para votarem a favor do impeachment: “O voto dos suplentes não divergia do votos dos titulares dos mandatos. Foi, portanto, uma ação desnecessária”. “Vai que a presidente Dilma consegue reverter a situação e vence o processo de impeachment, como é que Paulo Câmara (PSB) vai se comportar, depois …

Agora é golpe?

Imagem
O deputado Raul Jungmann (PPS) não tem dúvida de que a presidente Dilma Rousseff cometeu crime de responsabilidade. "O PT entrou com o impeachment contra os presidentes José Sarney, Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. Em nenhum desses casos, para o PT, foi golpe. Quando é a favor do Partido dos Trabalhadores, é impeachment, é legal, é constitucional. Quando é contra, é golpe? Não é assim que as coisas se resolvem. O Supremo Tribunal Federal decidiu a respeito do rito do impeachment, que está sendo rigorosamente seguido", afirmou.

A ordem é comprar votos

Imagem
Por Magno Martins  Na tentativa de barrar o impeachment, a presidente Dilma começou, ontem, no dia seguinte ao perder o PMDB, a lotear o seu fim de Governo de forma vergonhosa. Ao PP, que já tem a Integração Nacional, ofereceu Saúde. Ao PR, donatário atual da área de Transportes, ofertou Minas e Energia. Ao PSD, que ocupa Cidades, estendeu o latifúndio do Turismo. As ofertas são as mais descabidas. Não interessa currículo ou capacidade de gerenciamento. O que está em jogo é a guerra travada com a oposição na Câmara dos Deputados para sepultar qualquer tentativa desdobramento do processo de impeachment, aberto pela Comissão Especial, que aprova o relatório provavelmente na terça-feira, 12. O PP tem uma bancada de 49 deputados. Segundo vazou ontem, a promessa do partido é a garantia de 30 votos, no plenário da Câmara, onde o Governo só tem, hoje, 102 votos para os 172 necessários de freamento do impeachment. Dos 102, 58 seriam do PT, 20 do PDT, 13 do PCdoB, 6 do PSOL e 5 da Rede. Na prá…

PF INDICIA GLEISI E PAULO BERNARDO POR CORRUPÇÃO PASSIVA

Imagem
A Polícia Federal indiciou a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) e o ex-ministro Paulo Bernardo (Planejamento e Comunicações do Governo Lula), por corrupção passiva, na Operação Lava Jato ao concluir que o casal recebeu R$ 1 milhão de propina oriundo de contratos da Petrobrás. A senadora petista teria recebido o valor em espécie na campanha de 2010 para custear as despesas da eleição ao Senado. Também foi indiciado o empresário Ernesto Kugler Rodrigues, de Curitiba.
Segundo a PF, o ex-ministro Paulo Bernardo teria solicitado a quantia ao doleiro Alberto Youssef ou ao ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa para custear a campanha. Para a PF, Paulo Bernardo tinha conhecimento de que os valores eram ilícitos, caso contrário não teria solicitado a Paulo Roberto Costa. A PF ainda aponta que Ernesto Kugler Rodrigues  recebeu o valor em quatro parcelas a pedido da senadora e do marido. Durante as investigações, a PF encontrou na agenda de Paulo Roberto a inscrição a ‘1,0 P…

Chefe da Força Nacional de Segurança pede demissão

Imagem
Ao pedir demissão do comando da Força Nacional de Segurança de Pública, o coronel Adilson Moreira enviou um e-mail a seus subordinados com críticas ao governo federal e à presidente Dilma Rousseff. "Minha família exigiu minha saída, pois não precisa ser muito inteligente para saber que estamos sendo conduzidos por um grupo sem escrúpulos, incluindo aí a presidente da República. Me sinto cada vez mais envergonhado. O que antes eram rumores, se concretizaram", diz o texto do coronel. Aos colegas, ele afirma que sempre viveu um "conflito ético de servir a um governo federal com tamanha complexidade política". "A nossa administração federal não está interessada no bem do País, mas em manter o poder a qualquer custo. Como o compromisso era de não causar solução de continuidade, solicitei apontar um substituto." Adilson Moreira estava no cargo de diretor da Força interinamente desde janeiro e disse, no comunicado, que gostaria de ficar até o fim dos Jogos Olímp…

Veneziano diz que respeita rompimento do PT

Imagem
O rompimento do PMDB com o governo Dilma Rousseff provocou um rompimento local do PT estadual com o PMDB na Paraíba.

O deputado federal Veneziano Vital do Rêgo disse que respeita a decisão do PT em não apoiá-lo para prefeito de Campina Grande. Ele lembrou que o PT participou por mais de sete anos de suas duas gestões na prefeitura, inclusive ocupando secretarias.

No entanto, conforme lembrou o peemedebista, às vésperas da campanha de 2012, decidiu romper e se aliar ao PP. Depois, o então petista Alexandre Almeida, ex-secretário de Obras, decidiu lançar candidatura própria, o que gerou uma batalha jurídica, mas ele conseguiu homologar sua postulação.

“O PT participou de nosso governo por mais de sete anos e depois rompeu conosco. Eu respeitei a decisão e o PMDB continuou dando apoio ao governo de Dilma Rousseff. Espero que nossa decisão hoje seja respeitada pelo partido”, afirmou Veneziano. PBAgora

São José do Egito: Açude velho tomando água !!!

Imagem
Fotos deKassio Vinicius

IBOPE: MANEIRA DE DILMA GOVERNAR É REJEITADA POR 82% DA POPULAÇÃO

Imagem
Diário do Poder

Pesquisa Ibope encomendada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgada nesta quarta-feira, 30, aponta que “a maneira de governar” da presidente tem a aprovação de 14% da população, contra 82% que a desaprovam; e 3% não souberam ou não responderam. Pela pesquisa, 69% dos brasileiros avaliam o governo da presidente Dilma Rousseff como ruim ou péssimo. E apenas 10% avaliam o governo como ótimo ou bom
Na última pesquisa do Ibope encomendada pela CNI, divulgada em dezembro do ano passado, 9% dos entrevistados aprovavam o governo (consideravam "ótimo" ou "bom"); 70% consideravam a gestão Dilma "ruim" ou "péssima"; e 20%, "regular". Dilma tem apenas a confiança de 18%, enquanto 80% dos entrevistados afirmaram não confiar, e 2% não souberam ou não responderam. Segundo mandato
Na comparação com o primeiro governo Dilma, 3% dos entrevistados consideram o segundo mandato dela “melhor”. Para 80%, a atual gestão é “pior” …

Rompimento com o governo marca homenagem aos 50 anos do PMDB

Imagem
Eduardo Cunha disse que o PMDB tem a maior bancada na Câmara, com 69 deputados, além de sete governadores, quatro vice-governadores, 18 senadores e o vice-presidente da República. Foto: José Cruz/Agência Brasil Da ABr Ainda em clima de ressaca pela decisão do Diretório Nacional do PMDB que, ontem (29), por aclamação, deixou a base aliada do governo da presidenta Dilma Rousseff, poucos parlamentares da legenda participaram hoje (30) da sessão solene marcada para comemorar os 50 anos do partido. A cerimônia foi na Câmara dos Deputados. Nenhum senador ou figuras históricas do PMDB, como o ex-senador Pedro Simon e ex-presidente José Sarney, compareceram, assim como o presidente da legenda, Michel Temer, vice-presidente da República. O dever de falar sobre a importância do rompimento no momento de aniversário da legenda ficou com o advogado e ex-deputado Eliseu Padilha, vice-presidente do PMDB e ex-ministro da Aviação Civil no governo Dilma. Padilha disse que a decisão reflete o que “há dé…

JOSÉ AGRIPINO ACREDITA QUE REJEIÇÃO DE DILMA É REFLEXO DO ABANDONO DE PRIORIDADES

Imagem
Diário do Poder

O presidente do Democratas, senador José Agripino (RN) disse que a reprovação do governo Dilma Rousseff por 82% da população é reflexo do abandono do PT a todas as bandeiras que eram prioritárias, “com o passar do tempo o governo do PT ao invés de aprimorar procedimentos conseguiu desqualificar as suas próprias prioridades”, declarou. 
Segundo pesquisa CNI/ Ibope divulgada nesta quarta-feira, 30, o governo Dilma é desaprovado em todas as áreas de atuação, incluindo áreas defendidas historicamente pelo partido como o combate à fome e à pobreza, 69%, educação, 74%, e combate ao desemprego, 86%. Ainda de acordo com a pesquisa, para 80%, a atual gestão é ainda “pior” do que o primeiro mandato da presidente e para 68% dos entrevistados, a perspectiva em relação ao restante do mandato de Dilma à frente do Planalto será “ruim/péssimo”. Para Agripino, a percepção da sociedade, reforçada pelos dados da pesquisa, é a mesma do Congresso Nacional: não há outra saída para o Brasil q…

Temer viaja pelo País com sua ‘caravana da vitória’ em abril

Imagem
Estadão Conteúdo – Após orquestrar o desembarque do PMDB do governo Dilma,  o vice-presidente da República, Michel Temer, planeja iniciar em abril viagens pelo País para “aquecer” a militância do partido às vésperas da disputa municipal de outubro. A legenda detém o maior número de prefeitos eleitos em 2012. O novo giro pelo País foi batizado previamente de “Caravana da Vitória”, nome escolhido coincidentemente em meio às negociações pelo rompimento com o governo. As viagens deverão ser nos moldes da “caravana da união”, realizada por Temer no início do ano. Na ocasião, o vice percorreu quase todos os Estados em busca de apoio para a sua candidatura à reeleição como presidente do PMDB, confirmada na convenção de 12 de março. As viagens estão sendo organizadas pelo segundo vice-presidente do PMDB, o ex-ministro Eliseu Padilha. Além do fortalecimento na relação com os diretórios estaduais, responsáveis pela vitória da tese do desembarque do governo de Dilma Rousseff, as viagens também t…

Chuva em São José Do Egito ultrapassa os 200 milímetros

Imagem
Na madrugada desta quarta-feira, foram registrados altos índices de chuva em várias cidades do Sertão do Pajeú. Em São Jose do Egito, a 404 km do Recife, os níveis chegaram a 215 mm. A água invadiu casas e lojas do centro, derrubou residências e provocou medo. O maior estrago foi no bairro Pajeú, mas ainda não há informações sobre feridos. Em Itapetim a chuva atingiu 180 mm, Afogados da Ingazeira registrou 59 mm, Carnaíba 45 mm. Choveu também nas cidades de Ingazeira, Solidão, Serra Talhada, Salgueiro, Iguaracy e Sertânia.

PARA COMPRAR APOIO, DILMA OFERECE SAÚDE AO PP E MINAS E ENERGIA AO PR

Imagem
Por Claudio Humberto

A presidente Dilma Rousseff mandou oferecer o Ministério da Saúde ao Partido Progressista (PP), presidido pelo senador Ciro Nogueira (PI), e o Ministério de Minas e Energia ao Partido da República (PR), cujo principal mandante é o ex-deputado Waldemar Costa Neto (SP).
Nogueira e Costa Neto, aliás, estão reunidos neste momento na sede do PR, no complexo empresarial Brasil 21. A reunião é realizada nesse local porque é ali onde Waldemar Costa Neto mora, no prédio ao lado, no cumprimento de prisão domiciliar. Ele usa tornozeleira eletrônica e não pode ser afastar do prédio. O oferecimento do Ministério da Saúde ao PP atende a uma questão estadual do presidente do partido, Ciro Nogueira, que é adversário, no Piauí, do atual ministro Marcelo Castro.

Governo Dilma tem desaprovação de 69%, diz Ibope

Imagem
Do G1 Pesquisa Ibope divulgada hoje mostra os seguintes percentuais de avaliação do governo da presidente Dilma Rousseff (PT): - Ótimo/bom: 10% - Regular: 19% - Ruim/péssimo: 69% - Não sabe: 1% O levantamento do Ibope, encomendado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), foi realizado entre os dias 17 e 20 deste mês e ouviu 2.002 pessoas, em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. Segundo a CNI, a soma dos percentuais não iguala 100% em decorrência do arredondamento. Na última pesquisa do Ibope encomendada pela CNI, divulgada em dezembro do ano passado, 9% dos entrevistados aprovavam o governo (consideravam "ótimo" ou "bom"); 70% consideravam a gestão Dilma "ruim" ou "péssima"; e 20%, "regular". O nível de confiança da pesquisa, segundo a CNI, é de 95%, o que quer dizer que, se levarmos em conta a margem de erro de dois pontos, a probabilidade de o resultado retratar a realidade é de 95%. 'Maneir…

IMPEACHMENT JÁ TEM DATA MARCADA: 21 DE ABRIL

Imagem
Diário do poder

O impeachment da presidente Dilma Rousseff será votado na Câmara dos Deputados no feriado de 21 de abril, uma quinta-feira, segundo garantem os principais líderes partidários. A intenção do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), era pôr o assunto em votação no domingo 17 ou 24 de abril, com o povo na rua, mas a tendência é que seja realizado mesmo no Dia de Tiradentes. Com o povo na rua. 
Como restam poucos dias, haverá intensificação dos conchavos para garantir votos pró-impeachment (e pró-governo Temer) ou pró-Dilma. A vitória do impeachment ou de Dilma passará pelo entendimento com as bancadas de 140 votos do PP, PR, PSD e PRB, o fiel da balança. O Planalto tenta convencer PP, PR, PSD e PRB a aceitarem a “herança” de sete ministérios e 600 cargos abandonados pelo PMDB O Planalto quer pressa na votação do impeachment, temendo as articulações, já iniciadas, com vistas a eventual governo Michel Temer.

Jarbas diz que rompimento do PMDB consolida processo de impeachment de Dilma

Imagem
POR  EM NOTÍCIAS Para o deputado federal Jarbas Vasconcelos, o anúncio oficial do rompimento do PMDB com o Governo Dilma Rousseff consolida o processo de impeachment da presidente. Na última semana, o deputado pernambucano já tinha adiantado ao Blog a decisão da legenda. Na reunião do partido nesta terça-feira (29), que durou cerca três minutos, o deputado dividiu a bancada com o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, e alegou ter ficado constrangido. “Fiquei constrangido de dividir a mesma mesa. Esse cidadão não tem a menor condição de presidir a Câmara dos Deputados muito menos um processo de impeachment. Mas se os fatos caminharam para isso, cuidemos de um para depois tiramos o outro. O tempo dele também já acabou. As denúncias contra ele só aumentam”, disparou Jarbas. Nesta segunda-feira (29), um dia antes de o PMDB bater o martelo oficialmente, o deputado defendeu um governo de coalizão caso a legenda assuma a presidência. “Se o partido assumir a Presidência da Repúbl…

Oposição vai monitorar os votos pelo impeachment de Dilma Rousseff

Imagem
Por Inaldo Sampaio Deputados de oposição criaram um “comitê” em Brasília nesta terça-feira (29) para monitorar os votos dos colegas sobre o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. O coordenador do comitê é o deputado Mendonça Filho(PE), ex-líder do DEM na Câmara Federal. Haverá subcoordenadores nos estados, cuja missão é procurar colegas de outros partidos que ainda não se definiram sobre a matéria. Pelos cálculos de Mendonça Filho, 342 dos 513 deputados já seriam favoráveis ao impeachment. Como são necessários 382 votos, estariam faltando apenas 40. De Pernambuco estariam indecisos os deputados Cadoca (sem partido), Eduardo da Fonte (PP), Ricardo Teobado (PTN), José Côrte Real (PTB), Zeca Cavalcanti (PTB) e outros. Segundo Mendonça Filho, a proposta do comitê é que o processo de impeachment seja votado no plenário da Câmara no dia 14 de abril. “A ideia inicial era fazer a votação num dia de domingo. No entanto, avaliamos que o processo de impeachment não pode ser visto…

Governo prepara reforma ministerial para até sexta

Jaques Wagner fala em 'governo novo' e 'boa oportunidade' para a presidente O Globo - Catarina Alencastro e Eduardo Barretto A presidente Dilma Rousseff escalou seu chefe de gabinete, ministro Jaques Wagner, para dizer que, após o rompimento formal do PMDB, o governo prepara uma reforma ministerial, que deverá ser anunciada até sexta-feira. Wagner chegou a falar em "governo novo", pontuando que a saída do principal aliado abre uma "boa" oportunidade para que Dilma inicie uma nova fase, em que outros aliados assumam os espaços deixados pelo PMDB. Nesta terça-feira, em clima de festa e aos gritos de "Fora, PT" e "Temer presidente", o PMDB aprovou por aclamação em três minutos a moção de rompimento com o governo. - Eu creio que a decisão dele (PMDB) chega em uma boa hora. Boa hora porque oferece à presidenta Dilma uma ótima oportunidade de repactuar o seu governo. Poderia até falar de um governo novo - disse, completando em outro moment…

Marina: PMDB tentar sair da fogueira que ateou

Imagem
A ex-senadora e ex-candidata à Presidência da República Marina Silva criticou nas redes sociais a decisão do PMDB de abandonar o governo, oficializada nesta terça-feira (29). Em seu perfil do Facebook, Marina escreveu que o PMDB "abandonou o governo do qual foi o maior sócio e beneficiário". "Nenhuma satisfação à sociedade, nenhum pedido de desculpas por ter sido igualmente responsável por tudo o que levou à situação atual, nenhuma autocrítica, nenhuma proposta", escreveu, completando que o partido agora tenta "renascer das cinzas da fogueira que ele mesmo ajudou a atear". Em três minutos, apenas três minutos, e por unanimidade dos diretórios presentes, o PMDB abandonou o governo do qual foi o maior sócio e beneficiário nos últimos 13 anos. Nenhuma satisfação à sociedade, nenhum pedido de desculpas por ter sido igualmente responsável por tudo o que levou à situação atual, nenhuma autocrítica, nenhuma proposta. Apenas a jogada política supostamente magistral…

Enfim, PMDB na oposição!

Imagem
por Magno Martins às 06:00 Nunca como antes na história deste País, como diz Lula, o PMDB tomou uma decisão tão rápida. Em menos de três minutos, o diretório nacional oficializou, no início da tarde de ontem, sua saída do Governo. Aos gritos de "Brasil para frente, Temer presidente" e "Fora PT", uma moção que determina a entrega de todos os cargos no Executivo e a punição de quem desobedecer isso. Vice-presidente nacional da legenda, o senador Romero Jucá (RR) leu a moção, de autoria do diretório regional da Bahia, sustentada na "imediata saída do PMDB do Governo com entrega dos cargos em todas as esferas do Poder Executivo Federal, importando a desobediência a esta decisão em instauração de processo ético contra o filiado". A votação ocorreu de forma simbólica. Nos bastidores, foi decidido que não haveria exposição dos peemedebistas que se posicionassem contrários à decisão. Nos bastidores ficou combinado que as cadeiras ocupadas pelo partido na Esplanad…

Deputado Mendonça Filho diz que sua campanha para prefeito recebeu doação legal da Odebrecht, conforme prestação de contas feitas à Justiça Eleitoral‏

Imagem
Deputado Mendonça Filho diz que sua campanha para prefeito recebeu doação legal da Odebrecht, conforme prestação de contas feitas à Justiça Eleitoral Nádia Ferreira
     Com relação à divulgação da planilha de doações feitas pela Odebrecht, o deputado federal, Mendonça Filho, esclarece que a sua campanha para prefeito do Recife em 2012 recebeu doação empresarial da Odebrecht de forma legal, repassada por meio das contas do Democratas, conforme prestação de contas feita à Justiça Eleitoral e disponível ao público. O deputado destaca, ainda, que é importante separar a doação empresarial legal, permitida então pela Lei Eleitoral, e contribuições ilegais derivadas de corrupção, as quais são investigadas pela Operação Lava Jato.

REUNIÃO DEFINE POR ACLAMAÇÃO SAÍDA DO PMDB DO GOVERNO DILMA

Imagem
Por André Brito

O diretório nacional do PMDB decidiu por aclamação pela saída do governo da presidente Dilma Rousseff. Sob a presidência do senador Romero Jucá (RR), mas sem a presença dos poucos correligionários contrários ao desembarque como o presidente do Senado, Renan Calheiros (AL), a reunião de tema único definiu a saída do governo, bem como a entrega de todos os cargos ocupados por representantes do PMDB. A decisão se estende aos seis ministros de Estado, já que o ministro do Turismo, Henrique Alves, entregou carta de demissão à Dilma ontem.
A moção aprovada, por aclamação, pede a "imediata entrega de todos os cargos", entretanto não estabelece um prazo para isso. Aliados importantes como Jorge Picciani, um dos caciques do partido no Rio de Janeiro, marcaram presença engrossando o coro de "Brasil pra frente, Temer presidente" e "Fora PT", entoados pelos participantes. Enquanto o maior partido com a maior bancada na Câmara deixava a base aliada da p…