sexta-feira, 30 de março de 2012

DEMOCRATAS: Raimundinho será lançado pré-candidato a vereador de São José do Egito, neste sábado dia 31, no Distrito da Serra do Machado.

Na dedicatória do livro “A Bíblia do Caos”, de sua autoria, que enviou para Marco Maciel, o filósofo Millôr Fernandes, cujo corpo foi cremado ontem no RJ, escreveu: “Ao Marco Maciel, que tem o físico exato para, publicamente, passar pela porta estreita do bem e da salvação. Fraternamente, Millôr”.

Os presidentes nacionais do PPS e do PMN, Roberto Freire (foto) e Telma Ribeiro, respectivamente, estarão, hoje, na Câmara do Recife selando a primeira aliança formal das oposições para sucessão municipal deste ano. O ato será às 15h com a presença do ex-deputado federal Raul Jungmann, pré-candidato à Prefeitura do Recife. Folha Política

SÃO JOSÉ DO EGITO: DEMOCRATAS JÁ TEM SUA SEDE !

Blog Pajeúdagente

 Visando as eleições de 2012 na Terra dos Poetas, o DEMOCRATAS já começa a montar sua estrutura. Em breve será inaugurada sua nova sede na Rua Dr Arlindo Leite Lopes com direito ao tradicional "bate papo molhado". Antes eles terão um encontro no distrito de Serra do Machado que poderá contar com representantes da executiva  Estadual.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Por determinação do governador, o presidente da Compesa, Roberto Tavares, esteve ontem em Santa Terezinha (Pajeú) a fim de dar a ordem de serviço para a construção de uma adutora que irá salvar a cidade do colapso d’água. O “pedido de socorro” foi feito há duas semanas pelo ex-prefeito Adeval Ferreira de Andrade (PSB), muito amigo de Eduardo Campos. Inaldo Sampaio

Barragem do Zé António

TCU faz novo questionamento sobre transposição

Marta Salomon

 BRASÍLIA – Auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) apontou superfaturamento de R$ 29 milhões num dos trechos da obra da Transposição do São Francisco, localizado no Ceará, e mandou rever os custos do negócio. As novas licitações deverão consumir R$ 2,6 bilhões, segundo previsão do Ministério da Integração.
As irregularidades encontradas no edital do lote cinco da obra foram consideradas graves, e incluem preços de até 143% acima dos cobrados pelo mercado, no caso da areia, além de suposta restrição à concorrência. O TCU mandou rever o edital antes do lançamento, previsto para abril. Mas, logo depois do anúncio da decisão do tribunal, o ministério informou que o edital já foi lançado no início de março. À revelia, portanto, do processo em curso no tribunal.
 A licitação do chamado lote cinco havia sido suspensa em janeiro por causa de reclamações apresentadas por empresas concorrentes.
Trata-se de um dos trechos mais complicados da obra. O lote cinco já passou por duas tentativas fracassadas de licitação desde 2007 e prevê a construção de seis barragens, duas pontes, quatro trechos de canais de concretos e 463 metros de túneis.
A Transposição do São Francisco é o mais caro dos projetos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Só no governo Dilma Rousseff, os preços aumentaram 71% e saltaram para R$ 8,2 bilhões. O trecho cinco tem custo estimado em R$ 720 milhões, de acordo com o TCU, mas o edital lançado vinte dias antes do aprovação da auditoria do tribunal teve preço fixado em R$ 693 milhões, segundo o ministério.
A transposição prevê a construção de mais de 600 quilômetros de canais de concreto para desviar parte das águas do rio São Francisco para o semiárido de quatro Estados do Nordeste: Ceará, Paraíba, Pernambuco e Rio Grande do Norte. O principal uso da água será em projetos de irrigação.
 Em fevereiro, a presidente Dilma Rousseff visitou a obra, em Pernambuco, e destacou sua importância “estratégica” para o País. “O ministro Fernando Bezerra Coelho negociou contratos, reequilibrou esses contratos e agora nós temos uma clara perspectiva de fazer com que essa obra entre em regime de cruzeiro e não tenha nenhum problema de continuidade”, declarou a presidente, conforme registro feito pela equipe do Ministério.
O lote cinco é o mais atrasado no cronograma da transposição. A mais recente previsão indica a conclusão desse trecho em dezembro de 2015, mais de cinco anos depois da previsão original A Transposição do São Francisco tem outros três trechos parados.

Aliança em prol do Estado, amadurecimento político, ser opositor não é ter inimizade”. As definições de deputados da pequena bancada de oposição na Assembleia Legislativa de Pernambuco para o reencontro dos arquirrivais governador Eduardo Campos (PSB) e o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB), terça-feira (27), em Brasília , são também uma aprovação à iniciativa e ao desarme de espíritos e de rancores das disputas políticas dos últimos 20 anos. Se por trás do apoio à aprovação do financiamento de US$ 500 milhões do Banco Mundial (Bird) a Pernambuco virá uma reaproximação, que avançará para uma aliança político-eleitoral futura, unanimemente a oposição não sabe.

A mensagem do presidente da República em exercício, Marco Maia (PT), com a autorização para o governo estadual receber o empréstimo do Bird foi aprovada, ontem, pelo Senado Federal, com o apoio dos senadores Jarbas, Armando Monteiro Neto (PTB) e Humberto Costa (PT). O investimento deve ser em rede de escolas técnicas, UPAs especializadas e recuperação da malha rodoviária. “Ser oposição não é ter inimizade. Nunca tive inimigo político. Se são recursos para o Estado, Jarbas, como ex-governador e agora senador, tem até obrigação de apoiar. Se há um relação política, não sei dizer. Acho que é coisa do interesse de Pernambuco”, julgou Maviael Cavalcanti (DEM), um dos mais antigos parlamentares na Assembleia.

O democrata Tony Gel (DEM) referenda os colegas de bancada, destacando que foi o reencontro de uma liderança em ascensão nacional com um líder que tem uma leitura política ampla do País. “Eduardo pegou uma base boa deixada por Jarbas. O governador pediu apoio, o senador - que representa o Estado - se prontificou a ajudar. Não podia ser diferente. O Estado não pode ter adversários. É uma aliança em prol de Pernambuco. Não creio em aliança política”, avaliou.

Sport vence Ypiranga por 2x1 e é semifinalista da competição

Marcos Leandro

Jogando de forma bem consistente durante grande parte da partida, o Sport venceu o Ypiranga por 2x1, nesta quarta-feira (28/3), no estádio Otávio Limeira Alves, em Santa Cruz do Capibaribe, pela 19ª rodada do Campeonato Pernambucano. Com o resultado, o Leão chegou aos 41 pontos e não só se manteve na liderança como se classificou matematicamente para as semifinais. As três últimas rodadas servirão para os rubro-negros definirem em que posição vão terminar a primeira fase.
Com três desfalques – Hamilton, Diogo Oliveira e Bruno Aguiar –, o técnico Mazola Júnior resolveu mexer mesmo no esquema tático da equipe, implantado o 3-5-2. O zagueiro Aílson fez sua estreia, atuando ao lado de Tobi e Edcarlos. No meio de campo, Naldinho reapareceu, atuando na cabeça de área ao lado de Rivaldo.
O Sport começou mais solto, com Marcelinho Paraíba e Willians se movimentando bastante. O Leão seguia melhor e tomando a iniciativa, até porque o Ypiranga apostava na marcação e nos contra-ataques. Aos leoninos faltava poder de fogo no ataque. Único atacante de ofício, Jael sentia dificuldade para dar sequência as jogadas.
No setor defensivo do Sport, o goleiro Magrão praticamente não foi exigido. O lance de maior perigo do Ypiranga foi um cruzamento de Tigrão, que acabou nas mãos do arqueiro rubro-negro.
Para a etapa complementar, nem Mazola Júnior nem Reginaldo Souza mexeram nas equipes. O técnico alviazulino foi obrigado a fazer uma alteração ainda no primeiro tempo, pois o zagueiro Neto se contundiu. Oseas entrou no seu lugar.
Mas aos dez minutos, Mazola perdeu a paciência com os laterais Moacir e Renê. Ambos afunilavam demais as jogadas, em vez de procurar os lados do campo. Resultado: Renato entrou no lugar de Moacir e Marquinhos Gabriel, no de Renê.
Mas aos 23 não teve jeito. Após um bate-rebate na intermediária, Willians acertou um forte chute de fora da área. Dessa vez não deu para o goleirão do Ypiranga: Sport 1x0.
Aos 31, Marcelinho cobrou falta com capricho, mas André Pereira foi buscar. No rebote, Jheimy estava esperto e empurrou para o fundo da rede.
Pelo Ypiranga, Danilo Lins recebeu na área e chutou cruzado, sem chance para Magrão. Mas já era tarde para uma reação.

Com vitória por 1x0 sobre o Náutico, Salgueiro também está nas semifinais

Marcelo Sá Barreto

O Náutico entregou de bandeja, nesta quarta-feira (28/3) uma invencibilidade 30 partidas nos Aflitos. Desfalcado e sem peças de reposição à altura,  Timbu caiu diante do Salgueiro por 1x0 – gol do volante Vitor Caicó, no Campeonato Pernambucano. Em todo confronto, os alvirrubros mostraram pouca força vencer e, depois, para virar em cima do Carcará. A equipe timbu, na quarta posição com 35 pontos, deixou o campo sob vaia e gritos de “Timinho! Timinho! Timinho!", da torcida. O time não vence há quatro rodadas. O Salgueiro, vice do Estadual, com 39, carimbou a sua sua presença nas semifinais.
Nos dois tempos, o Náutico foi alvo de sua própria incapacidade de criar e arrematar de maneira correta para o gol. Vale adicionar, ainda, a pouca inteligência emocional nos momentos mais difíceis do confronto. O Salgueiro, por sua vez, limitou-se a jogar no erro do adversário e foi letal. Vitor Caicó ficou livre de marcação na entrada da área e chutou sem defesa. Curiosamente diante de uma equipe com três volantes em campo.
Era esperada mesmo uma partida dura para o Náutico ante o Salgueiro. Com quatro desfalques, o técnico Waldemar Lemos optou por entrar com três volantes e apostou em Philip para fazer as vezes de Eduardo Ramos, ausente pelo terceiro cartão amarelo. Embora se apresentasse compacto na frente e previlegiando a posse de bola, faltava aos alvirrubros o passe diferenciado. Aquele que colocasse um dos dois atacantes – Henrique e Dorielton – em boas condições para marcar. Isso não aconteceu.
O Salgueiro errava passes e não conseguia impor seu jogo coletivo. Até facilitava o toque dos alvirrubros e o trabalho da defensiva recifense. Mas, no primeiro erro do Náutico, aos 36 Vitor Caicó abriu o marcador.
O técnico Waldemar Lemos tentou mexer com seu time no segundo tempo. Acionou Marquinho, Berguer e Anderson. Até pelos nomes dos substitutos – e pelo futebol também, frise-se –, foi difícil acreditar que os alvirrubros pudessem mudar a sua postura. E não mudaram. Ao contrário, perdeu o pouco de consciência da etapa inicial. E passou a sufocar os adversários de maneira atabalhoada, no famoso “vamos que vamos”.
Perdeu sim algumas oportunidades com Dorielton, Jefferson e Ronaldo Alves, mas caiu no confronto vítima de um elenco que sobrevive de quatro ou cinco nomes. Muito pouco para um clube que está perto de disputar a final do Pernambucano e figurar bem na elite do futebol nacional.

Santa Cruz é terceiro classificado da noite para a próxima fase do Estadual

Do JC Online

Contando com uma equipe que mesclou titulares e reservas, o Santa Cruz demonstrou a superioridade técnica de seu elenco ante o Porto, nesta quarta-feira (28/3), no estádio Luiz Lacerda, e venceu por 3x1, garantindo a classificação às semifinais do Campeonato Pernambucano. No momento, o time coral é o 3º, com 38 pontos, e não pode mais ser alcançado pelo Petrolina (5º, com 26). Já o Porto está em 7º, com 34..
A vitória vem para consolidar ainda mais o bom momento do tricolor, que chega à 6ª vitória consecutiva no Estadual e vai motivado para o Clássico das Emoções, domingo (1/4), contra o Náutico, no Arruda. Para o duelo, o zagueiro William Alves e o volante Sandro Manoel receberam o terceiro cartão amarelo e estão suspensos.
Com vários jogadores pendurados, o Santa Cruz entrou com modificações. Na defesa, Vágner e André Oliveira foram escalados. O primeiro fez sua estreia pelo time tricolor e não compromenteu. Na cabeça-de-área, Chicão e Sandro Manoel receberam chance. Nos outros setores, os titulares foram mantidos.
Aos 25 minutos do primeiro tempo, Joelson tocou para Aírton, na passagem, e o lateral chutou forte para defesa de Tiago Cardoso. No minuto seguinte, foi a vez de Baiano fazer fila e chutar de fora da área, para nova intervenção do goleiro tricolor.
Com as chances desperdiçadas, o Gavião acabou levando um gol. Aos 39, Geílson foi derrubado na área por Romero. Na cobrança do pênalti, aos 41, Dênis Marques cobrou do lado direito e abriu o placar. Foi o nono gol do atacante no Estadual.
No segundo tempo, o Santa já mostrou poder de fogo aos 5 minutos, em cobrança de falta perigosa de Luciano Henrique. A resposta do Porto veio aos 6, quando Joelson perdeu a chance de marcar em cruzamento.
Aos 22, o volante Rodolfo Potiguar fez pênalti em Flávio Recife, que havia entrado, mas o árbitro Carlos Costa não marcou. Alguns minutos antes, Vágner havia puxado Joelson e a arbitragem também não marcou penalidade. Carlos Costa voltaria a falhar em pênalti de Moisés sobre Branquinho, que passou batido.
Aos 26, Natan, outro que saiu do banco, deu um belo passe para Chicão, que fuzilou a meta de Romero de canhota, fazendo 2x0. Correndo atrás do marcador, o Porto conseguiu um pênalti aos 30, quando Robertinho foi derrubado por William Alves. Na cobrança de Joelson, Tiago Cardoso defendeu, mas o atacante fez o gol no rebote, seu 10º no Estadual, o que o faz empatar na liderança da artilharia com Vanderlei, do Araripina, e Marcelinho Paraíba do Sport.
E depois de perder um gol feito aos 35, Flávio Recife deixou sua marca aos 38, depois de linda jogada de Renatinho, finalizando a partida em 3x1.

quarta-feira, 28 de março de 2012

Teste de oposiocionismo: se PR aderir, oposição consegue instaurar CPI da Saúde

Poder Online

 O líder do PSDB no Senado, Álvaro Dias (PMDB-PR), diz ter 20 assinaturas para criar a CPI da Saúde.
Para instaurar a comissão, o senador precisa de sete assinaturas até juntar 27 necessárias.
Dias tenta buscar no PR, que recentemente anunciou que migraria para a oposição. O partido conta justamente com sete senadores.

José Agripino será o novo líder do DEMOCRATAS no Senado

O senador Jayme Campos (DEM-MT) afirmou nesta terça-feira (27) que o colega de partido José Agripino (DEM-RN) vai acumular a presidência do Democratas com a liderança da bancada no Senado. Um dos cotados para assumir o posto, Campos conversou nesta tarde com Agripino no plenário da Casa e chancelaram o acordo. O senador do Mato Grosso não poderia regimentalmente assumir o cargo porque já é o líder da oposição no Senado.
Ao contrário de Campos, José Agripino, mesmo sendo presidente do Democratas, não teria qualquer impedimento de ordem legal para acumular as funções. O acordo será informado à bancada do partido, em reunião ainda nesta terça-feira.
Campos, que é presidente interino do Conselho de Ética, disse que a situação do senador Demóstenes Torres (DEM-GO) é "desagradável". Mas não quis emitir uma opinião sobre se o caso envolvendo Demóstenes deve ser julgado pelo colegiado. Ele disse que caberá, primeiro, ao corregedor da Casa, Vital do Rêgo (PMDB-PB), avaliar as provas para depois, se for o caso, remetê-las para o conselho.
"Eu até prefiro não emitir um juízo, porque compete ao colegiado. Se externar minha opinião, eu seria até suspeito para participar", disse. Campos elogiou a iniciativa de Demóstenes de não "expor o partido", ao renunciar à liderança.

Para evitar briga, os senadores Cássio Cunha Lima e Cícero Lucena fizeram um acordo: o deputado Ruy Carneiro presidirá o PSDB-PB.

Mário Couto diz que povo está cansado do governo do PT

Agência Senado

 O senador Mário Couto (PSDB-PA) atacou o governo federal, nesta terça-feira (27), em Plenário, em razão de casos de corrupção, envolvendo órgãos de diversas áreas da administração pública. Na avaliação do parlamentar, os vários episódios de renúncias e demissões de ministros e membros do alto escalão do governo ocorridos nos últimos meses, pelo envolvimento em escândalos relativos a desvios de verbas públicas, seria motivo suficiente para uma rejeição total do povo brasileiro à administração petista.
— Um eleitor me perguntou se o povo não estava cansado do PT. Refletindo, pensei e comecei a dar razão a ele. Não precisa ir muito longe para dar razão. Basta pegar coisas muito recentes do governo da presidente Dilma Rousseff para ver que ele tem toda razão — disse.
Como exemplos de casos de má gestão noticiados pela imprensa, Mário Couto destacou as denúncias de má gestão sobre suposto esquema de superfaturamento de obras envolvendo servidores do Ministério dos Transportes. Ele se referiu ainda a outros escândalos ocorridos nos Ministérios do Trabalho e Emprego; no Ministério dos Esportes; no Ministério das Cidades e no Ministério da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior.
— Agora temos dois ministros, Agnaldo Ribeiro [das Cidades] e Fernando Pimentel [do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior], que estão prontinhos para sair e fazer parte [da lista] dos corruptos que roubam o povo brasileiro. Será que esta pátria, de filhos tão nobres, não está cansada de ver tanta corrupção, não está cansada do PT? questionou Mário Couto.

terça-feira, 27 de março de 2012

DEMOCRATAS DE SÃO JOSÉ DO EGITO DEBATEM ELEIÇÕES


Está programado para o dia 31 de março o Encontro Municipal do Democratas em São José do Egito. Presidente do partido e pré-candidato a prefeito do município,  Benone Leão conta com a presença dos pré candidatos a vereador e simpatizantes da sigla. A reunião vai acontecer no Distrito da Serra do Machado.
 
 
Por Nill Júnior

PSDB fecha com DEMOCRATAS em Salvador por aliança em São Paulo

 O PSDB deve anunciar nas próximas duas semanas que vai abrir mão de lançar um candidato próprio à Prefeitura de Salvador para apoiar o candidato do DEM no município, o deputado ACM Neto. O movimento faz parte de uma negociação para que os democratas entrem o quanto antes na coligação do ex-governador José Serra em São Paulo.

Os tucanos estão próximos de superar as últimas resistências ao acordo na capital baiana. O deputado Antonio Imbassahy se lançou como candidato do PSDB, mas deve ser convencido pelo comando do partido de que deve abrir espaço para facilitar a aliança entre Serra e o DEM.


 As negociações entre PSDB e DEM em São Paulo são conduzidas pelo governador paulista Geraldo Alckmin. Nesta segunda (26), ele almoçou com Imbassahy para discutir o impasse.

Há cerca de 15 dias, Alckmin incluiu Serra em uma reunião com dirigentes do DEM e ACM Neto. No encontro, os democratas pediram que o ex-governador se empenhasse para convencer Imbassahy a abrir mão de sua candidatura na Bahia. ACM Neto estabeleceu o dia 14 de abril como limite para a resposta dos tucanos sobre o acordo.




A partir de então, Serra manteve conversas com o deputado tucano Jutahy Júnior - seu amigo e aliado de Imbassahy.

O PSDB acelerou as negociações para fortalecer a candidatura de Serra imediatamente após a prévia para reduzir a repercussão de seu porcentual de votos (52,1%), que ficou abaixo da expectativa de sua equipe. Além disso, o partido também pretende evitar que o DEM, seu aliado histórico, se aproxime da candidatura de Gabriel Chalita (PMDB) em São Paulo.

segunda-feira, 26 de março de 2012

O PT no prejuízo

No JC

 O PT, ao que parece, vai mesmo resolver o impasse sobre a sucessão no Recife em uma prévia interna, solução na qual o partido já sai perdendo antes mesmo do início da campanha eleitoral. Senão, vejamos: se o atual prefeito, João da Costa, sair vitorioso dessa briga, vai buscar a reeleição sem contar com o empenho dos principais caciques petistas, quase todos comprometidos com seu adversário nas prévias, o deputado Maurício Rands.
Por outro lado, se o vencedor for Rands, o PT ficará de joelhos diante do governador Eduardo Campos (PSB), presidente nacional do PSB, que praticamente “inventou” a candidatura do seu secretário de Governo, com o objetivo de solucionar o impasse petista e, de quebra, garantir a fidelidade do partido a ele até 2014, quando estará em jogo a sua própria sucessão.
Se fossem dois pré-candidatos sem mandato disputando a indicação, o desgaste até seria menor. Mas no momento em que um prefeito tem sua candidatura à reeleição questionada pelo próprio partido, ainda que vença as prévias entrará na campanha com o moral baixo. E um imenso flanco aberto para os ataques dos seus concorrentes.

José Serra vence prévias tucanas em São Paulo

SÃO PAULO – Favorito na disputa interna do PSDB, o ex-governador José Serra venceu ontem, com 52% dos votos dos filiados, as prévias do partido para a escolha do candidato à Prefeitura de São Paulo. Ele disputava a indicação com o secretário estadual de Energia, José Aníbal, que recebeu 31,2% dos votos, e com o deputado federal Ricardo Tripoli, que teve 15,7%.
Com o resultado, Serra passa a ser oficialmente o único pré-candidato do partido, e volta a disputar a cadeira de prefeito após ter renunciado ao cargo em 2006 para disputar o governo do Estado. Após o resultado, Serra pregou a união do PSDB. “A partir de hoje somos uma só voz e uma vitória para São Paulo. Saímos unidos e vitoriosos. Este é um dos processos mais democráticos, pois além de a militância escolher seu candidato, ela sai preparada para as eleições”, disse.
A entrada de Serra na disputa interna foi tardia, a menos de uma semana da data inicial da consulta interna, e causou um racha no partido. Os dois outros pré-candidatos foram contra o adiamento das prévias, que estavam marcadas para o dia 11 de março. Outros dois postulantes, os secretários Bruno Covas (Ambiente) e Andrea Matarazzo (Cultura), desistiram da disputa interna em favor de Serra.
Serra recebeu o apoio do o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin. Após votar, FHC defendeu a realização de prévias no PSDB para a disputa presidencial de 2014, dizendo que as eleições internas são um meio democrático de escolha sempre que houver mais de um pré-candidato. Ele aproveitou para alfinetar o PT, afirmando que o partido escolhe seus candidatos por imposição. “O ex-presidente Lula vai lá e manda: vai ser a Dilma Rousseff. Vai ser o Fernando Haddad. E foi. Deixou de funcionar democraticamente como no passado”, afirmou.

Integrante do grupo dissidente do PMDB no Senado, o paraibano Vital do Rêgo recolhe assinaturas, na surdina, para instalar uma Comissão Parlamentar de Inquérito que investigará empresas telefônicas e a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Ele critica que as operadoras não cumprem cláusulas dos contratos de concessão: “Muitas escolas e postos de saúde até hoje não têm acesso à internet”, diz.

Vital do Rêgo garante já ter avisado ao líder do governo no Senado, Eduardo Braga (AM), sobre a intenção da criação da CPI. Não ouviu dele qualquer objeção.

domingo, 25 de março de 2012

O senador Demóstenes Torres, líder do DEM no Senado poderá ter o mesmo destino do ex-governador do Distrito Federal José Roberto Arruda, flagrado em esquema de corrupção e expulso do partido. O DEMOCRATAS espera explicações e provas convincentes de Demóstenes a respeito do seu envolvimento com o empresário do jogo no Mato Grosso, Carlos Cachoeira. As acusações contra o senador levantadas pela Polícia Federal são contundentes, e se ele não tiver uma boa história para contar a respeito será expulso do DEM. Será um desfecho inesperado para um parlamentar que vinha pautando a sua atuação no Congresso como o maior combatente contra a corrupção, principalmente nos governos Dilma e Lula, aos quais atacava violentamente todo dia, e já vinha se credenciando para disputar a Presidência da República pelo DEMOCRATAS e partidos aliados.

Herdeiros do legado político de Leonel Brizola, os irmãos Juliana, Leonel e Carlos Brizola, netos do ex-governador, querem reconquistar para a família o controle do PDT no ano em que o avô completaria 90 anos. Na busca pelo comando do partido, os irmãos travam uma queda de braço com o presidente nacional da legenda, o ex-ministro do Trabalho Carlos Lupi, que mantém a sigla com mãos de ferro e forte influência política. A disputa pelas rédeas do PDT se intensificou nos últimos meses e respingou na indicação do novo ministro do Trabalho. Partidários de Lupi minaram o nome do deputado federal Carlos Brizola Neto (RJ), o Carlito, para o cargo. O Globo

A Justiça Eleitoral condenou o professor Saulo Roberto Gomes ao pagamento de uma multa de R$ 5.000, sob a alegação que o professor estaria fazendo campanha política antecipada em favor da candidatura de José Patriota (PSB-foto) em afogados da Ingazeira. Folha Sertão

Na próxima quinta, Mendonça Filho, Miriam Lacerda e Priscila Krause, assinam, no Democratas, a carta compromisso com o programa Cidades Sustentáveis. O projeto oferece uma agenda de sustentabilidade para gestão pública municipal. Pré-candidatos como Fernando Haddad (PT/SP) já assumiram o compromisso. Detalhe: Priscila Krause está no meio. Folha Política

Está o maior buchicho sobre a “nova rasteira” de Sérgio Guerra (PSDB). O primeiro a levar foi Raul Jungmann (PPS), que acreditou que teria apoio do tucano para disputar a PCR. Terezinha Nunes (PSDB) foi a última, ao ser jogada em Olinda e rifada sem a menor cerimônia. E já andam bradando: “Viva Tony Gel!” - que apoiaria Guerra para deputado, mas pediu voto para Augusto Coutinho (DEM).

Renildo Calheiros chegou na hora. Mas o presidente nacional do PSDB, Sérgio Guerra, atrasou uma hora e meia para o ato em que formalizou apoio ao PCdoB, no PSDB, ontem.

Para o senador tucano Aécio Neves (MG), a CPI da Saúde é o primeiro grande teste para o PR provar se realmente está na oposição, ou o anúncio foi só pra inglês ver e ganhar novo cargo no governo.

sexta-feira, 23 de março de 2012

A ex-prefeita de Afogados da Ingazeira, Giza Simões (PSDB), lidera, hoje, todas as pesquisas de intenção de voto no município.

Viva a Vontade do Povo!

Raul Jungmann vê Sérgio Guerra se deslocando da Oposição e em direção à Frente Popular

Inaldo Sampaio

 O ex-deputado Raul Jungmann (PPS) confirmou hoje que será no dia 31 o pré-lançamento de sua candidatura a prefeito do Recife em solenidade que terá a presença do presidente nacional do partido, deputado Roberto Freire.
Ele cansou de esperar por uma definição do PMDB (Raul Henry) e do DEM (Mendonça Filho) e vai se lançar sozinho com o apoio do PMN.
Sobre o PSDB, ele não acredita que o partido estará no bloco das oposições porque o seu presidente, Sérgio Guerra, há muito não quer “negócio” com elas porque está se reaproximando da Frente Popular e do governador Eduardo Campos.

“Dilma ganha no grito e na cara feia”, diz Jarbas

O senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) voltou a destilar sua acidez contra Dilma Roussseff. O parlamentar pernmabucano disse que o temperamento da presidente faz com que “ela desperdice a chance de fazer aliados no Congresso”. Integrante do grupo de senadores do PMDB não alinhados ao governo federal, Jarbas diz que a petista não tem os atributos que são de Lula. “Malícia, carisma. Lula tinha paciência. Ela não tem. É uma pessoa muito arrogante”, afirmou o senador em entrevista ao UOL e à Folha de São Paulo.
Para Jarbas, Dilma erra ao tentar “ganhar sempre no grito e na cara feia”. Ele disse que a presidente criou chance de aproximação com os dissidentes ao substituir Romero Jucá (PMDB-RR) por Eduardo Braga (PMDB-AM) no cargo de líder do governo no Senado. Mas, segundo o senador, o acerto de Dilma para aí. “Ela não quer dialogar com o Senado, não quer dialogar com a Câmara”.

A atitude de Dilma é de quem não disputará a reeleição. Suas broncas que impressionam pela ferocidade, além de ministros, atingem aliados e “eleitores” importantes. Em recente visita ao Rio, ela embarcou com o governador e o prefeito num passeio que se tornaria desagradável, no teleférico de uma favela. Fechada a porta, ela se dirigiu a Sérgio Cabral tão asperamente que Eduardo Paes, sem saber o que fazer, colou o rosto na janela oposta, insinuando não testemunhar a cena degradante. Claudio Humberto

quinta-feira, 22 de março de 2012

Encontro Municipal do DEMOCRATAS de São José do Egito


O Presidente do DEMOCRATAS de São José do Egito, Benone Leão, Convida a população do município e da região para o Encontro Municipal do DEMOCRATAS, dia 31 de março, às 19 hs. No Distrito da Serra do Machado, com a participação dos pré-candidatos a vereadores de São José do Egito.

Os jarbistas não ficaram nem um pouco solidários com as cobranças da tucana Terezinha Nunes porque entendem que os gestos do presidente do PSDB, Sérgio Guerra, é que agravaram o clima entre ele e o senador Jarbas Vasconcelos. Pinga Fogo

Refere-se a turma de Jarbas às declarações de Sérgio Guerra à imprensa de que o PSDB serviu em muitas eleições de “escadinha” para o PMDB e o DEM e que a ex-União Por Pernambuco é a cara do “passado”.

Sávio Torres (PTB), prefeito de Tuparetama, comunicou a Eduardo Campos que está fechando um acordo em sua cidade com o PSB, que indicaria Vanilda Patriota, esposa do ex-prefeito Vitalino Patriota, para vice. “É um problema a menos para a gente administrar”, disse-lhe o governador. Fogo Cruzado

Terezinha Nunes fica contra PSDB e apoia oposição

Jornal do Commercio

 Enquanto a maior liderança do PSDB no Estado confirma o apoio do partido à reeleição do prefeito Renildo Calheiros (PCdoB) em Olinda, a ex-deputada Terezinha Nunes (PSDB) permanece manifestando seu apoio à ala oposicionista do município. Dois dias após desistir de sua postulação por falta de “apoio político”, a tucana compareceu ontem ao lançamento da pré-candidatura do deputado estadual Ricardo Costa (PTC), que se coloca como opositor à gestão comunista.
No evento, a ex-deputada elogiou o colega, voltando a demonstrar que não seguirá a orientação de seu partido. “Reforço aqui o grande trabalho que você (Ricardo Costa) realiza como homem político e o apoio que tem dado ao povo olindense. Espero que seja vencedor nesta caminhada e sou defensora de que é preciso mudar a administração atual”, afirmou a tucana no ato do pré-candidato do PTC.
Ao anunciar sua retirada da disputa em Olinda, na segunda (19), Terezinha Nunes já havia avisado que, independentemente da posição do PSDB, não apoiaria a reeleição de Renildo porque integrava as fileiras da oposição no município.

Base se rebela e Dilma sofre três derrotas

Agência O Globo
BRASÍLIA – No dia em que o Palácio do Planalto chegou a anunciar que a crise com a base governista estava superada, os aliados na Câmara dos Deputados comandaram uma rebelião que provocou ontem pelos menos três derrotas à presidente Dilma Rousseff, mantendo paralisadas as votações em plenário. A principal delas foi obstruir a votação da Lei Geral da Copa.
Para surpresa do Planalto, a ministra Miriam Belchior (Planejamento) foi convocada na Comissão do Trabalho. Também foi aprovado convite para o ministro Guido Mantega (Fazenda) falar na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Casa. E na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara foi aprovada emenda constitucional que tira do Executivo a prerrogativa de demarcar terras indígenas. Pela manhã, o ministro Gilberto Carvalho (Secretaria Geral), tomando por base a aprovação de uma consensual medida provisória no Senado, na véspera, afirmou: “Isso está superado (a crise). Está tudo ótimo. Está tudo bem”.
No final do dia, a avaliação feita no núcleo palaciano era de que a situação está difícil e que será preciso traçar nova estratégia com o líder do governo, Arlindo Chinaglia (PT-SP), para romper o ciclo da rebeldia aliada.
Ontem, apesar da pressão do Planalto, a maioria dos 17 partidos da base obstruiu a votação da Lei da Copa. Só PT, PSB, PCdoB e PP defenderam a votação. No fim do dia, Chinaglia cobrou responsabilidade dos aliados: “Foi assinado um contrato. Por isso, o Brasil tem que respeitar. Não se pode ameaçar a Copa do Mundo por conta da votação do Código Florestal. Não dá para fazer essa vinculação entre as duas votações. Vamos administrar esse período, mas não há nenhuma tensão”.
O líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), justificou, sem convencer muito: “Obstruímos para evitar que o governo fosse derrotado. Havia uma maioria silenciosa contra. Ou o governo seria derrotado ou tirariam o quórum. Evitei o vexame. Precisamos de tempo para construir um acordo e ter uma maioria barulhenta a favor. A base quer que o governo marque uma data para votar o Código Florestal antes de votar a Lei da Copa”.
Em plena quarta-feira, quando normalmente as votações se estendem até tarde da noite, o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), anunciou o fim da sessão às 17h30 e comunicou nova tentativa de votação na próxima semana. Mas a aposta é que votação só ocorra após a Semana Santa, em abril.
Pelos corredores, os insatisfeitos deputados da base aliada diziam que a paralisação das votações é uma forma de mostrar a Dilma que eles devem ser tratados com respeito.

Armando Sérgio (DEM), pré-candidato a prefeito de Olinda, discorda da tese de que Terezinha Nunes (PS­D­B) afastou-se do páreo por falta de apoio do PMDB­/DEM. Ele diz que há um acordo nas oposições pelo qual se fará uma pesquisa em maio. Quem estiver na frente será o candidato. Fogo Cruzado

quarta-feira, 21 de março de 2012

MPPE COMBATE ACUMULAÇÃO IRREGULAR DE CARGOS PÚBLICOS NO SERTÃO DO PAJEÚ

O Ministério Público de Pernambuco expediu recomendação aos municípios da 3ª Circunscrição Ministerial (Sertão do Pajeú) sobre a acumulação indevida de cargos públicos na área de saúde. A Constituição Federal permite a acumulação máxima de dois empregos e sob a condição de compatibilidade horários. Mas há indícios de que profissionais de saúde estariam acumulando três ou mais cargos na região.
A recomendação confere prazo de 30 dias para que os profissionais preencham uma declaração de acúmulo, que será arquivada nas repartições de pessoal das respectivas prefeituras, seguido do encaminhamento de sua cópia ao MPPE. Nos casos em que forem detectadas irregularidades, os profissionais devem ser exonerados de seus cargos.
Fazem parte do grupo as cidades de Afogados da Ingazeira, Brejinho, Carnaíba, Iguaracy, Ingazeira, Itapetim, Tabira, Solidão, São José do Egito, Sertânia, Santa Terezinha, Tuparetama e Quixaba. O objetivo do documento é combater essa prática, proibida pela Constituição Federal, que compromete a eficácia do atendimento ao cidadão, além de causar danos ao erário municipal.
Também foi considerado que as remunerações percebidas cumulativamente podem proporcionar rendimentos excedentes aos subsídios mensais da prefeitura, do governador, dos deputados estaduais e dos desembargadores, gerando danos ao município, ao Estado e aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.
O documento foi assinado em conjunto pelos promotores de Justiça Lúcio Luiz de Almeida Neto, coordenador da circunscrição; Guilherme Vieira Castro, Eduardo Henrique Gil Messias de Melo, Fabiana Kiuska Seabra dos Santos, Francisco das Chagas Santos Júnior, Leôncio Tavares Dias e Lorena de Medeiros Santos.
Caso a recomendação não seja adotada, o Ministério tomará as medidas necessárias para a implementação, inclusive com a responsabilização daquele que não lher der cumprimento, através de ações de responsabilidade por improbidade administrativa.
Por Nill Júnior

O deputado Tony Gel (DEM-foto) disse, ontem, que os investimentos em saúde que o Governo do Estado tem feito em Caruaru não estão surtindo efeito porque a gerência do setor não saiu do controle do município. “A cidade vive um caos na saúde por incompetência do prefeito José Queiroz”, acusa o parlamentar.

O pré-candidato do DEMOCRATAS em Olinda, Armando Sérgio, ironiza o apoio que o PSDB dará à reeleição do prefeito Renildo Calheiros (PCdoB). “Quero ver se ele trará Fernando Henrique, que tanto combateu, para o seu palanque”, provoca, numa referência ao noticiário de que a ex-deputada tucana Terezinha Nunes renunciou à disputa porque o seu partido se aliará ao comunista. Magno Martins

Apesar do anúncio formal de “rompimento”, o PR permanece no balcão negociando as pazes com o governo Dilma, mas exige como prêmio o Ministério do Desenvolvimento, Industria e Comércio Exterior. O PR já avisou que seu candidato único ao cargo é o senador Blairo Maggi (PR-MT). Nessa hipótese, o ministro Fernando Pimentel, amigo e “curinga” de Dilma, seria deslocado para o Ministério das Comunicações.

Durante algum tempo, a ex-deputada tucana Terezinha Nunes (foto) atuou no esforço de promover o entendimento entre o senador Jarbas Vasconcelos e o deputado federal Sérgio Guerra. Mas todas às vezes que levava de um para o outro o resumo das tratativas, saía do encontro, tanto com Jarbas quanto com Guerra, com a frustração como companhia. Agora, caiu a ficha.

terça-feira, 20 de março de 2012

‘Briga de Sérgio Guerra e Jarbas Vasconcelos é obstáculo para oposição’

Folha de Pernambuco

 Até ontem pré-candidata a prefeita de Olinda, a tucana Terezinha Nunes atribui a sua desistência e o enfraquecimento das oposições em Pernambuco às arestas pessoais e falta de diálogo dos principais caciques do grupo, o senador Jarbas Vasconcelos (PMDB) e o deputado federal Sérgio Guerra. “As oposições nunca estiveram tão perto de chegar ao poder em Recife e Olinda  enfrentam um obstáculo: a falta de diálogo entre os caciques.É impossível hoje sentar numa mesma mesa nomes importantes para nós como Sérgio Guerra e Jarbas Vasconcelos”, postou a ex-deputada e secretária-geral do partido, em sua página no Twitter. E complementou: “Entendo que os dois, em nome do projeto maior, devem se despir de vaidades e agir em nome do bem comum”.
Terezinha Nunes afirmou que “as dificuldades pessoais” de Jarbas e Guerra acabam afetando as questões políticas no Estado para o grupo de opositores. A tucana admitiu que tanto o peemedebista quanto o tucano “lavaram as mãos” sobre o cenário em Olinda por conta do “lado pessoal”. Com a possibilidade de o PSDB apoiar a reeleição do prefeito Renildo Calheiros (PCdoB), Terezinha já adiantou que não votará no comunista e muito mesmo subirá no palanque do atual gestor. Para ela, seria incoerente estar ao lado de um político que tem a maior taxa de rejeição e com uma administração com muitas mazelas denunciadas por ela nos últimos meses através de ações em diversos bairros do município.

O Prefeito de São José do Egito, Evandro Valadares (PSB) respondeu declarações de Gilberto Rodrigues, que o acusou de direcionar a eleição para escolha de seu primo, Augusto Valadares: “Aprendi que o povo é que tem que ter voz”. Folha Sertão

O Ministério Público quer explicações do prefeito de Tabira, José Edson (PSB), responsável por pagar do próprio bolso, as despesas de asfaltamento no povoado de Brejinho. A promotoria enviou um ofício ao prefeito e quer saber de onde veio o recurso. Folha Sertão

O VAI E VEM DOS POLÍTICOS E O PESO DO LIDER.

Wildo Muniz 

Passam os dias e os movimentos políticos, adesões, divisões, rachas, agrupamentos, reagrupamentos também começam a aumentar de intensidade. Depois de boa parte de políticos que estavam ao lado do prefeito e foram por ele demitidos da prefeitura, agora foi à vez de Gilberto de Justa que pegou o boné e decidiu ser oposição ao prefeito, Gilberto levou com ele o vereador Neném de Zé Dudu e o ex-vereador Naldinho de Raimundo. Conversas de bastidores dão conta de que Romerinho e sua esposa Ana Maria que também são ex-vereadores seguiram no mesmo barco. A pergunta que não quer calar: Pq Romerinho não estava presente no sábado na entrevista coletiva da frente das oposições na Rádio Gazeta FM?
 Existem boatos na cidade de que não há nada como um dia após o outro com uma noite no meio e o ex-vereador ter conversado calmamente com o grupo e reavaliado sua posição mantendo-se junto com a sua esposa no grupo do prefeito, é esperar pra ver. A oposição que hoje sobe no mesmo palanque de Zé Marcos critica o segundo mandato do prefeito Evandro, isso significa dizer que essa mesma oposição aprova o primeiro mandato do prefeito, haja contradições; quando parte dessa mesma oposição trabalhava no Governo no primeiro mandato o prefeito foi perfeito e agora que houve o racha político o prefeito não é perfeito, vai entender essa política de São José do Egito.
 O fato é que mesmo com o vai e vem dos políticos, a maioria da população da capital dos poetas, parece não pretender abandonar o barco e se diz satisfeita com as duas administrações do prefeito Evandro. É a voz do povo, é o peso do líder.

Tensão e bate-boca entre PT e PTB

 Do JC Online

Dois dias após o PT do Recife tecer duras críticas ao senador Armando Monteiro Neto (PTB) em caravana realizada sábado (17), ontem o clima entre as duas legendas voltou a esquentar. Em debate realizado na Rádio JC/CBN, o secretário municipal de Turismo, André Campos (PT), e o deputado federal Sílvio Costa (PTB) bateram boca durante boa parte do programa – especialmente quando o tema em questão foi cargos na PCR. O deputado federal Carlos Eduardo Cadoca (PSC) também esteve presente.
 Durante um determinado momento, André Campos – que também é um dos articuladores políticos do prefeito João da Costa (PT) – questionou ao trabalhista "por que o PTB não abandonou todos os cargos que possuía na Prefeitura, se a gestão é tão ruim assim". "Deixou a gestão aonde? Tem um bando de gente indicada pelo PTB. Saiu, entre aspas. (...) Tem gente do PTB que gosta de ter um carguinho", afirmou.
Sílvio Costa reagiu, reclamou que André Campos estava "apequenando o debate" e disse desconhecer qualquer cargo que o partido tenha na prefeitura – em janeiro do ano passado, o PTB anunciou sua saída da gestão de João da Costa. "Eu desconheço que tenha gente do PTB com cargos, mas se tiver, vou sugerir ao senador Armando que retire todo mundo".