domingo, 30 de julho de 2017

Maia: denúncia contra Temer votada, mesmo sem oposição


Blog do Camarotti
O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, afirmou em entrevista à GloboNews que é possível ter quórum para iniciar a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer mesmo sem a presença de deputados da oposição.
"Eu acho que dá, dá pra votar sem a oposição, com aqueles deputados da base dos partidos da base que votarão pela abertura do processo. São muitos deputados já, não é tão grande assim, mas é um número que, com aqueles que governo diz que já confirmaram que votarão com o governo, dá um número bem pouco superior a 342", afirmou.
"A gente sabe que o governo já teve uma base de 400, os partidos que estão na base representam menos de 400, mas mais que 342. Então eu acho que os deputados que votarão contra a abertura [do processo] e aqueles que votarão pela abertura da base não têm motivos de obstruir. É por isso que eu estou apostando que, mesmo com a obstrução da oposição, na quarta-feira a gente tem quórum e a gente vota essa matéria", complementou o presidente da Câmara.
Questionado, então, sobre o motivo de o governo estar tão inseguro em colocar a matéria em votação já nesta quarta-feira (2), Maia disse que uma das possibilidades é pelo fato de diversos deputados ainda não terem declarado publicamente se votarão contra ou a favor de Temer.
Ele, porém, defendeu que, para o próprio governo, é melhor encerrar de vez o assunto para poder "construir um ambiente de votações que colabore com o Brasil". 
"Eu acho que é importante votar. Pelo últimas sondagens que a gente vem acompanhando, a situação do governo hoje é muito melhor do que era duas, três semanas atrás. Então eu acho que para o próprio governo encerrar essa matéria na quarta-feira, do meu ponto de vista, é muito importante", afirmou Maia.
Maia disse respeitar a estratégia da oposição de deixar o governo "sangrando", mas defendeu rapidez para encerrar o tema.
"O que a oposição quer é que essa matéria não seja votada na quarta-feira. É uma estratégia política. Eu respeito essa estratégia, é uma estratégia política de deixar o governo sangrando semana a semana para que o quórum seja atingido só um pouco mais a frente", disse..

Nenhum comentário:

Postar um comentário