quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Eduardo busca apoio e ouve cobrança

Bem que a di­re­ção do Sin­dicato de Policiais Civis de Pernambuco (Sinpol/PE) se es­for­çou para fazer de uma ple­ná­ria um ato de apoio - com toda pompa e cir­cuns­tân­cia - ao go­ver­na­dor-can­di­da­to Edu­ardo Campos (PSB). Só es­que­ce­ram de com­bi­nar com os fi­lia­dos, que pu­se­ram o so­cia­lis­ta em uma saia-justa, ontem, ao co­bra­rem au­men­to sa­la­rial para os po­li­ciais com mais tempo de ser­vi­ço, nos mes­mos mol­des da gra­ti­fi­ca­ção dada aos no­va­tos. Eduardo fez mea-culpa re­co­nhe­cen­do que o Estado co­me­teu uma “in­jus­ti­ça”.
O co­mis­sá­rio Antônio Ro­berto, co­nhe­ci­do como Ro­berto Catapora, ini­ciou as re­cla­ma­ções. “Governador, com todo res­pei­to, nós que somos a Polícia Civil, es­ta­mos na rua e sa­be­mos como é. Houve um au­men­to di­fe­ren­cia­do para os (po­li­ciais) que en­tra­ram. Anti­guidade é posto”, co­brou. Já o co­mis­sá­rio Cícero Tadeu fez um de­sa­ba­fo. “Votei no se­nhor, acre­di­tei. Por causa de uma po­lí­ti­ca hor­rí­vel de Jarbas. Estou in­se­gu­ro. Hoje me sinto em di­fi­cul­da­de de con­fiar”, la­men­tou Tadeu

Nenhum comentário:

Postar um comentário