terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Alencar acusa colegas de alugar mandato a empreiteiras


Folha de S.Paulo – Daniel Carvalho
Com o cancelamento da sessão plenária da Câmara nesta segunda-feira (12) por causa da morte de um parlamentar, deputados da oposição aproveitaram a reunião da CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) para repercutir a delação do ex-executivo da Odebrecht Cláudio Melo Filho, que diz que políticos receberam recursos em troca de vantagens para a empreiteira.
A morte do deputado João Castelo (PSDB-MA) fez o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), cancelar a sessão principal da Casa.
A CCJ, no entanto, manteve a reunião, que serviu de palco para as críticas.
O deputado Chico Alencar (PSOL-RJ) foi o primeiro a trazer o tema.
"Às vezes as pessoas alugam mandato para empreiteira e negam, como estamos vendo aí", afirmou Alencar.
"É bom você citar nomes. Você não pode agredir as pessoas desse jeito", reagiu Danilo Forte (PSB-CE).
"Não estou agredindo ninguém. Li nos jornais que o diretor da Odebrecht entregou vários nomes. Não tenho tempo de dizer aqui nem é meu interesse", reagiu Alencar.
O deputado do PSOL disse que há "vício de origem" na PEC (Proposta de Emenda à Constituição) porque o secretário de Previdência no Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, teria conversado com entidades de Previdência privada.
"O senhor Marecelo Caetano, dizem que, antes de produzir este projeto, conversou com várias entidades de previdência privada. Portanto há um vício de origem muito grave nesta proposta", afirmou Chico Alencar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário