Governo avalia opções para fazer 'balanço' de fim de ano


Mesmo com a possibilidade de ser alvo de panelaços, o presidente Michel Temer estuda formas de divulgar uma mensagem de fim de ano com o balanço dos sete meses de sua gestão e com sinalizações de que continuará em 2017 empenhado em ter uma marca do seu trabalho.

O mais provável é que Temer faça um pronunciamento em cadeia nacional de TV e rádio, como antecipado pela colunista Vera Magalhães, nesta segunda-feira, 19, no jornal O Estado de S. Paulo, mas ainda há assessores que resistem à convocação da rede nacional. No Palácio do Planalto, há quem defenda que o formato seja outro, como um café com jornalistas ou uma entrevista coletiva. 

A ideia, de acordo com auxiliares do presidente, é destacar as medidas aprovadas pelo governo - como a PEC do Teto de Gastos - e também ressaltar a importância da reforma da Previdência e Trabalhista, que ainda não foi enviada ao Congresso, mas que pode sair por meio de medida provisória. Temer deve ainda falar um pouco das projeções para o futuro e destacar que o governo seguirá em 2017 trabalhando para adotar medidas para a retomada do crescimento.

Aliados do presidente tentam minimizar a possibilidade de panelaços ou reações contrárias ao presidente durante o pronunciamento e dizem que o peemedebista "não está preocupado com a baixa popularidade", como têm mostrado recentes pesquisas divulgadas. Na sexta-feira, 16, durante cerimônia de comemoração do Natal com crianças da Escola Rural Boa Vista, de Sobradinho, cidade-satélite do Distrito Federal, Temer disse que poderia "ficar comodamente instalado nas mordomias da Presidência e nada patrocinar".

Com isso, afirmou, "não teria embates, nem controvérsias, nem contestações e seguiria tranquilo seu caminho". "O caminho certo que estamos todos trilhando, nem sempre é o mais popular. Nossa responsabilidade não é buscar aplausos imediatos. Nossa missão não é buscar aprovação a qualquer preço. Nosso compromisso é desatar os nós que têm comprometido nosso crescimento econômico" declarou.

PSDB
Nesta segunda, Temer recebeu o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG), para, segundo fontes do Palácio do Planalto, fazer mais um aceno e destacar a disposição do governo em trazer o PSDB para as discussões internas e assegurar a manutenção do apoio do partido ao governo federal.

Os dois também conversaram a respeito da votação do projeto da renegociação das dívidas dos Estados, com votação prevista para esta semana. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que também foi recebido por Temer no fim da tarde desta segunda, conversou na semana passada com senadores do PSDB para agradecer o apoio na votação da PEC do Teto e tentar garantir o aval do partido às medidas do governo. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo