Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.


Patos online

A cidade de Patos é hoje totalmente abastecida pelo Açude de Mãe D'Água, assim como 28 outras cidades da Paraíba e 3 do Rio Grande Norte. Todas estão ameaçadas de ficar totalmente sem água a partir de março do ano que vem.  Fernando Perisse, coordenador da ONG Mutat vem alertando as cidades abastecidas por esse manancial para os graves riscos que estão correndo. 
Segundo Perisse, esse risco foi confirmado pela ANA - Agencia Nacional de Águas em recente reunião do Comitê da Bacia do Piranhas Açu realizada em Santa Luzia. "O problema maior é que Mãe D'Água já está substituindo o açude de Coremas, que entrou em colapso em outubro desse ano. Nessa mesma reunião a ANA confirmou: o Plano B é Mãe D'Água. Não existe Plano C.", complementou.

Os dois açudes receberam 15 milhões de m³ no inverno passado e entraram em março com cerca de 100 milhões de m³. Coremas já secou e Mãe D'Água está apenas com 39 milhões de m³, baixando 10 milhões mensalmente. Com esse ritmo, entrará em colapso em março. 

Para alcançar o inverno de 2018 teria que receber 100 milhões de m³ no próximo inverno, 7 vezes mais do que recebeu nesse último. Ocorre que  as previsões de clima para o próximo ano não apontam para essa probabilidade.
EFEITO DOMINÓ
Na avaliação da ONG, se esse açude também secar, os de São Gonçalo, Engenheiro Avidos e Lagoa do Arroz - que já estão quase secos - deverão entrar rapidamente em colapso com a pressão dos caminhões pipa para abastecer tanta gente. Para Perisse, "a gravidade é maior porque não existem nos estados vizinhos açudes ainda com reservas para abastecer cerca de 500 mil pessoas. Além disso, seria absolutamente impossível abastecer tanta gente por pipas."
ENTENDA PORQUE OS GIGANTES SECARAM
O Sistema Coremas/Mãe D'água abastece através dos leitos dos Rios Piancó e Piranhas as Adutora de Sabugi, que atende a 16  cidades, sendo Patos a maior delas, Pombal, Paulista, Riacho dos Cavalos, Catolé do Rocha, São Bento, Brejo do Cruz e Belém de Brejo do Cruz na Paraíba. No Rio Grande do Norte abastece Jardim de Piranhas, São Fernando e Caicó.

SISTEMA COREMAS/MÃE D'ÁGUA
MunicípIos Abastecidos


Para abastecer essas cidades, 3.000 litros de água são lançados nos leitos dos rios por segundo. Uma verdadeira cachoeira se forma a jusante do açude. Ocorre que o consumo total dessas cidades é de apenas 650 litros por segundo. Cerca de 79% da água é portanto desperdiçada com a infiltração no solo, evaporação e nos desvios para a irrigação, hoje totalmente ilegal.
A PERENIZAÇÃO É INSUSTENTÁVEL NAS SECAS
Esse sistema concebido para perenizar os rios quando houvesse recargas substanciais dos açudes, tornou-se totalmente insustentável após 5 anos de seca. Já deveria ter sido construída uma adutora paralela ao rio, isolando a água para atendimento humano da do demais usos. Infelizmente agora é que a ANA elaborou um projeto básico e vai analisá-lo em uma reunião técnica no dia 6 de dezembro.
Infelizmente não há tempo para que essa adutora seja instalada antes que o colapso ocorra.

A PROPOSTA DA SOCIEDADE CIVIL

A ONG Mutat organizou um grupo de profissionais de diversas áreas, juntamente com membros de movimentos populares e buscou uma solução de emergência para evitar a tragédia que viria com a falta de água total para meio milhão de pessoas.
Essa solução já foi encaminhada às autoridades envolvidas com esse problema e compreende:
1. Antecipar o barramento do rio de Jardim de Piranhas, onde está instalado, para Paulista logo depois da captação de água de Catolé do Rocha e Riacho dos Cavalos.
2. Abastecer as 6 cidades que ficam a jusante desse ponto com caminhões pipa com água captada no barramento. Isso permitiria reduzir de 3.000 para 2.000 litros por segundo a vazão lançada nos rios.
3. Construir uma adutora de engate rápido com cerca de 30km, ligando Paulista a Pombal. O barramento do rio seria antecipado para Pombal, permitindo a redução da vazão para apenas 1.000 litros por segundo.
Essas providências permitiriam que a vida útil se alongasse para o final do ano, e com volume de chuvas esperado, se chegaria ao inverno de 2018, quando está prevista inclusive a chegada das águas da Transposição,.
INTERLIGAR COM A TRANSPOSIÇÃO
 Segundo Perisse, mesmo se conseguindo salvar o açude no próximo ano, é necessária a construção da adutora paralela ao rio. Inclusive, complementou, deve ser instalada uma Unidade de Bombeamento na confluência dos rios Piancó e Piranhas em Pombal, para, quando necessário, bombear as águas da Transposição para a Adutora de Sabugi, aumentando a segurança hídrica para todas as cidades por ela abastecidas.

Fonte - Fernando Perisse

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense