Temer recebe lista com nomes para substituir Janot


Do G1
A Presidência da República recebeu, na manhã de hoje, a lista tríplice com os nomes dos três procuradores da República mais votados na eleição interna do Ministério Público Federal (MPF) para a sucessão de Rodrigo Janot. Cabe a Temer a palavra final de definir o substituto de Janot, que deixará, em setembro, o cargo de procurador-geral da República.
Ontem, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) realizou a eleição interna do MPF para definir os nomes da lista tríplice. Na votação, o vice-procurador eleitoral, Nicolau Dino, recebeu 621 dos 1.108 votos dos procuradores do MPF. Ele é irmão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).
O vice-procurador eleitoral foi seguido por Raquel Dodge, que obteve 587 votos, e Mario Luiz Bonsaglia, que teve 564. Eles são os outros dois nomes da lista tríplice entregue a Michel Temer.
Foram vencidos na votação os procuradores Ela Wiecko (424 votos), Frederico Santos (221 votos), Eitel Pereira (120 votos), Sandra Cureau (88 votos) e Franklin Rodrigues da Costa (85 votos).
Após Temer indicar um nome para assumir a PGR, o indicado será submetido a sabatina no Senado e precisará ter a indicação aprovada pelos parlamentares para, então, assumir a chefia da PGR.
Escolha do PGR
Michel Temer não é obrigado a escolher um nome da lista tríplice. No entanto, em maio do ano passado, quando assumiu a Presidência da República após o impeachment de Dilma Rousseff, ele disse que manteria a tradição de escolher o nome mais votado na lista tríplice.
Desde o governo Lula (2003-2010), tem sido tradição o presidente da República escolher o procurador mais votado na eleição interna da ANPR para o cargo de procurador-geral da República. Foi assim nos dois mandatos de Lula e ao longo dos cinco anos e quatro meses em que Dilma comandou o Palácio do Planalto (2011-2016).
Segundo a colunista do G1 Andréia Sadi, interlocutores de Temer afirmam que o presidente da República – alvo de uma denúncia da PGR por corrupção passiva – está disposto a quebrar a tradição dos últimos 14 anos para indicar um procurador que não encabeça a lista tríplice.
Ainda de acordo com a colunista, a procuradora da República Raquel Dodge tem a preferência de Temer para substituir Janot na chefia do Ministério Público Federal.
Dino, que foi o mais votado pelos integrantes do MPF, era o candidato de Janot na eleição interna. Além disso, ele é irmão do governador do Maranhão, que faz oposição ao governo Temer.
A possibilidade de Temer indicar um procurador que não estiver na lista tríplice tem preocupado integrantes do Ministério Público. Eles avaliam que isso pode ferir a independência do órgão.
O que está em jogo
O substituto de Rodrigo Janot chefiará, pelo período de dois anos, o Ministério Público da União, que abrange os ministérios públicos federal, do trabalho, militar, do Distrito Federal e dos estados.
Cabe ao procurador-geral da República representar o MP junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) e ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Ele também desempenha a função de procurador-geral Eleitoral.
No STF, o PGR tem, entre outras prerrogativas, a função de propor ações diretas de inconstitucionalidade e ações penais públicas.
Cabe ao PGR, por exemplo, pedir abertura de inquéritos para investigar presidente da República, ministros, deputados e senadores. Ele também tem a prerrogativa de apresentar denúncias nesses casos.
O PGR pode ainda criar forças-tarefa para investigações especiais, como é o caso do grupo que atua na Lava Jato. Também pode encerrá-las ou ampliá-las.
O próximo PGR terá ainda a tarefa de conduzir as investigações da Lava Jato que envolvem políticos com foro privilegiado.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo