Críticaram a corrupção e estão na lista de propina

Odebrecht listou quatro deputados que criticaram corrupção em voto do impeachment de Dilma

A planilha da Odebrecht que detalha pagamentos de propina a políticos contém o nome de quatro deputados federais que criticaram corrupção durante a votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff. Dos quatro, três foram favoráveis ao impeachment: Antônio Imbassahy (PSDB-BA), Duarte Nogueira (PSDB-SP) e José Carlos Aleluia (DEM-BA). Contra o impeachment, Daniel Almeida (PCdoB-BA), também foi listado pela empreiteira e se opôs a corrupção na sessão que apreciou o impeachment.
De acordo com informações da Operação Lava-Jato, Imbassahy recebeu R$ 300 mil na campanha de 2014. Ao proferir o seu voto favorável à saída de Dilma, ele equiparou o voto contra o impeachment em uma parceria com “um governo do retrocesso, do vale-tudo, mergulhado na corrupção”. De acordo com o que afirmou o parlamentar na ocasião, “corrupção não se compara, corrupção se pune”.
Mais sucinto, Duarte Nogueira, prefeito eleito de Ribeirão Preto (SP), disse que o Brasil não aguenta mais “mentiras, impunidade e corrupção” e que seus pais lhe “ensinaram valores e princípios”. Já Aleluia, ao proferir o seu voto, disse que Dilma “não é honrada” e que ela “roubou na refinaria, roubou na Petrobras e roubou em Belo Monte”.
Do outro lado do espectro ideológico, Almeida se dirigiu ao então presidente da Câmara e falou em uma “conspirata de corruptos liderada por vossa excelência, deputado Eduardo Cunha”. (Folhapress)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo