sexta-feira, 4 de novembro de 2016

RENAN GOLEADO NO STF: 6XO

DECANO CELSO DE MELLO ADIANTOU O VOTO, CONFIGURANDO MAIORIA

UM BONECO MOSTRANDO RENAN EM ROUPA DE PRESIDIÁRIO FOI INFLADO EM FRENTE DO SUPREMO. (FOTO: MATEUS BONOMI/ESTADÃO CONTEÚDO)
Depois de cinco votos favoráveis a impedir que um réu permaneça na linha sucessória presidencial, o ministro Dias Toffoli pediu vistas dizendo ser necessário analisar mais a fundo o processo para manifestar o seu voto e paralisou o julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF).
Apesar do pedido de vistas de Toffoli, o decano da Corte, ministro Celso de Mello, pediu a palavra para dar voto favorável ao impedimento. Como o voto do decano, uma maioria já está formada, mas o resultado não pode ser proclamado.
Com isso, Renan Calheiros (PMDB-AL) teve adiado o vexame de ser retirado da Presidência do Senado, pois é o segundo na linha sucessória após o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ). Alvo de 11 inquéritos, Renan pode se tornar réu ainda este ano, mas, sem uma definição sobre o caso, o senador alagoano deve permanecer no comando do Senado até o fim do mandato, fevereiro de 2017.

Votaram favoravelmente a impedir réu na linha sucessória o relator da matéria, ministro Marco Aurélio Mello, e os ministros Edson Fachin, Teori Zavascki, Rosa Weber e Luiz Fux. O ministro Luis Roberto Barroso se absteve de votar por "motivos pessoais".

Nenhum comentário:

Postar um comentário