Ministro apela a “bons policiais” : voltem ao trabalho


Ministro da Defesa Raul Jungmann e governador César Colnago em reunião no 38º Batalhão de Infantaria
Folha de S.Paulo – Leonardo Heitor
O ministro da Defesa Raul Jungmann fez um apelo na manhã deste sábado (11), no 38º Batalhão de Infantaria, em Vila Velha (ES), para que os policiais militares voltem ao trabalho e "honrem suas fardas e seus juramentos". Apesar do pedido, ele também afirmou que o objetivo de normalizar a situação da segurança pública no Espírito Santo já está sendo cumprido.
"Não cabe às forças policiais deixar os cidadãos desprotegidos. Aqueles que são bons policiais devem honrar o seu juramento, que é o de proteger a sociedade. Aqueles que assim não o entendem, de forma consciente ou não, estão contribuindo para o aumento da criminalidade", disse Jungmann. "Fazemos um apelo aos bons policiais, sejam praças, oficiais ou comandantes, para que honrem a sua farda e o seu juramento e vão para a rua proteger o povo".
Vinte mortes foram registradas no Espírito Santo entre sexta (10) e a manhã de sábado, segundo informação do Sindicato dos Policiais Civis do Estado. Assim, chega a 137 o número total de mortos no Estado desde o início do motim da PM, que já dura uma semana.
Nove mortos foram confirmados apenas na manhã de sexta, apesar de acordo entre associações de policiais militares e o governo do Espírito Santo para o fim do movimento, que mantém PMs e bombeiros militares fora das ruas.
Jungmann ressaltou a diminuição nos números de homicídios nos últimos dias e o fim dos saques ao comércio. Ele também reprovou a manifestação e disse que dará suporte a qualquer decisão do Estado.
Jungmann pediu ainda às mulheres de policiais que protestam a favor da paralisação para que "não levem seus maridos, companheiros e familiares para um caminho sem volta". Ele disse que policiais que quiserem trabalhar poderão usar os quartéis do exército para abastecer e até dormir.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo