quarta-feira, 30 de agosto de 2017

Deputado diz que postura de FBC impulsiona oposição

A frente de oposição gestada em evento do Ministério das Cidades, na última segunda-feira, em Caruaru, evidenciou a pulverização do governo Paulo Câmara. A avaliação foi feita pelo deputado estadual Álvaro Porto (PSD) em discurso proferido na Assembleia ontem. "A notícia é boa para oposição, que reforça sua musculatura, e é excelente para o povo pernambucano, que vem sofrendo diariamente com a violência, com a precariedade de hospitais e dos transportes públicos. No Recife, na Região Metropolitana e no interior a insatisfação e a falta de esperança das pessoas são gritantes. Nas redes sociais, críticas de manifestações de descontentamento são vistas a todo momento", disse.
De acordo com o deputado, "por isso tudo, o caminho que começou a ser construído no dia de ontem (anteontem) está perfeitamente sintonizado com a realidade que aflige os cidadãos pernambucanos". Ele destacou que não por acaso o discurso mais claro e mais forte em favor da formação da frente tenha partido do senador socialista Fernando Bezerra Coelho. "Isso atesta que se as ruas evidenciam a falta prestígio do governo comandado pelo PSB, internamente a escassez de unidade é óbvia no Palácio do Campo das Princesas. Ou seja, o governo de gestão fraca está se despedaçando a cada dia", frisou.
Nas suas declarações, FBC fez questão de lembrar que em 2006, na campanha em favor do então candidato Eduardo Campos, Caruaru e Petrolina se uniram para apoiar uma candidatura considerada impossível de ser vitoriosa. E, sem fazer arrodeio, arrematou: “Em 2018, oxalá teremos de novo, mais uma vez, a união de Caruaru e Petrolina para que Pernambuco possa voltar a entrar nos rumos do desenvolvimento”. O senador se referia ao fato de ele e do ex-governador João Lyra (presente no evento), líder político de Caruaru, terem se unido lá atrás e agora estarem dialogando sobre a sucessão estadual em 2018.
A fala cresceu em simbolismo porque aconteceu diante do senador Armando Monteiro (PTB), dos ministros da Educação, Mendonça Filho (DEM); das Minas e Energia, Fernando Bezerra Filho (PSB); da Defesa, Raul Jungmann (PPS); e das Cidades, Bruno Araújo (PSDB). Também estavam presentes o ex-governador Joaquim Francisco, 50 prefeitos de diversas regiões do estado, com destaque para Raquel Lyra (PSDB), prefeita de Caruaru, maior colégio eleitoral do interior.
"O governador Paulo Câmara, que no domingo tinha dado como desculpa para ausência de Fernando Filho ao congresso do PSB os preparativos do ministro para uma viagem à China, viu que a realidade é outra. Fernando Filho esteve no evento e mostrou que o caminho da China tinha Caruaru no meio. Aliás, o caminho da oposição para 2018 começou a ser trilhado e também passa por Caruaru", arrematou Álvaro Porto.
O encontro que culminou com o ensaio de aliança da oposição se deu no Alto do Moura, durante a entrega de 2.404 unidades habitacionais do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. Mas de 9.600 pessoas passaram a contar com um teto próprio e a dispor da estrutura de uma pequena cidade, com área de lazer, parque infantil, quadra de esporte, salão de festas, centro comunitário e ciclovia. Isso sem falar no fato de que todas as unidades são adaptadas para pessoas com deficiência. Os residenciais Luiz Bezerra Torres I e II custaram cerca de R$ 151 milhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário