terça-feira, 22 de novembro de 2016

BB arrastado pela crise


     Por Magno Martins 
A violenta crise que se abate no País atinge em cheio o sistema financeiro. Sem meios de se manter de forma saudável no mercado, o Banco do Brasil saiu na frente e anunciou um amplo programa de reestruturação que passa pelo fechamento de agências, fusões e incentivo a aposentadorias. Segundo o banco, será preservada a presença do BB nos municípios em que já atua.
Serão fechadas 31 superintendências regionais e 402 agências. Outras 379 agências serão transformadas em postos de atendimento. O Banco do Brasil vai também ampliar o atendimento digital e propor redução de jornada de trabalho para parte dos funcionários. Segundo o banco, será preservada a presença do BB nos municípios em que já atua. Em outubro, o BB já havia iniciado o encerramento de outras 51 agências.
A estratégia de ampliação do atendimento por canais digitais prevê a abertura, ainda em 2017, de mais 255 unidades de atendimento digital, entre escritórios e agências digitais, que irão se somar às 245 já existentes. Essas unidades digitais já atendem a 1,3 milhão de clientes, com expectativa de chegar a quatro milhões até o final de 2017. Com a reestruturação, haverá redução de 9,3 mil vagas no quadro do banco.
O Banco do Brasil não está demitindo ninguém. “Em função em extinção de agências, teremos redução de vagas", disse o presidente do BB, Paulo Caffarelli. Segundo Caffarelli, o BB gasta, atualmente, R$ 3 bilhões por ano a mais do que os bancos privados com folha de pagamento. O BB tem atualmente 109.159 funcionários. De acordo com o presidente da instituição, a realização de novos concursos vai depender da adesão ao programa de aposentadoria incentivada.
Segundo o banco, se até fevereiro de 2017 os funcionários de agências fechadas não tiverem sido realocados, ainda terão quatro meses para a mudança, com manutenção dos salários. Devido à rotatividade de funcionários e às adesões à aposentadoria voluntária, o banco não espera ter problemas com a realocação de pessoas.
O Plano Extraordinário de Aposentadoria Incentivada será destinado ao público potencial de até 18 mil pessoas que já reúnem condições de se aposentar, com adesão voluntária. Será concedido incentivo de desligamento correspondente ao valor de 12 salários, além de indenização pelo tempo de serviço, que varia de um a três salários, a depender do tempo de banco (entre 15 e 30 anos completos). Para aderir é preciso já estar aposentado pela previdência social ou ter 50 anos de idade e, no mínimo, 15 anos de trabalho no banco.
De acordo com simulação do Banco do Brasil, se 18 mil funcionários aderirem ao programa, haverá redução de despesas anuais de mais de R$ 3 bilhões. Segundo o BB, a partir de hoje, cerca de seis mil assessores da direção geral e superintendências também poderão aderir voluntariamente à nova jornada. A jornada de seis horas já foi anteriormente oferecida a funcionários que ocupam cargos comissionados não gerenciais na rede de agências e em órgãos regionais com 71% de adesão. O salário passará a ser 83,75% do relativo à jornada de oito horas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário