quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Maia defende reformas no Congresso


O candidato do bloco PMDB, PSDB, PP, PR, PSD, PSB, DEM, PRB, PTN, PPS, PHS, PV e PTdoB à Presidência da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu, há pouco, as reformas trabalhistas e previdenciárias para retirar o Brasil da crise econômica.
Se eleito, em sua gestão, Maia também quer privilegiar a discussão de um novo pacto federativo, diante das dívidas dos estados e municípios. Além disso, o candidato disse que a reforma política é urgente. “A sociedade espera um sistema eleitoral que legitime nossos mandatos, que legitime a participação da sociedade”, disse. Para ele, o atual sistema eleitoral é caro e está sem previsão de financiamento.
Maia presidiu a Câmara por sete meses, em substituição ao ex-deputado Eduardo Cunha. Durante sua gestão, conseguiu novo ambiente político e boa relação com o Poder Executivo. Para ele, não só a independência dos poderes é importante, mas também a harmonia.
Maia criticou a excessiva interferência do Poder Judiciário no Poder Legislativo. Segundo ele, durante o processo de eleição do presidente da Câmara essa interferência aconteceu por iniciativa dos próprios parlamentares. “Até um juiz de primeira instância se alvorou em interferir na nossa eleição”, citou.
“Por isso quando se fala em Câmara forte, precisa se atuar para a Câmara ser forte”, defendeu. “Precisamos atuar para resolver os nossos problemas aqui dentro”, completou. O deputado disse que o Brasil, e todo o mundo, vive um momento de ataque à democracia representativa, especialmente por meio de redes sociais na internet. Para ele, é preciso que a Câmara construa uma nova forma de se relacionar com a sociedade por meio dessas redes. “Fora da democracia representativa, temos a ditadura”, afirmou.
Reforma do Regimento
Rodrigo Maia também prometeu valorizar o trabalho dos parlamentares e construir racionalidade nas votações, em que os deputados possam planejar suas vindas a Brasília o mês inteiro. “Que possamos começar as sessões cedo e acabá-las cedo”, acrescentou. Ele defendeu ainda a reforma do Regimento Interno da Câmara, para que o debate seja valorizado, em detrimento de requerimentos que atrasam a votação. Além disso, pediu que a capacidade de diálogo seja retomada.
Maia também deu os pêsames ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo falecimento de sua esposa, Marisa Letícia.
Protestos
O discurso de Maia ocorreu em meio a protestos do deputado Silvio Costa (PTdoB-PE), que quis formular nova questão de ordem sobre o indeferimento, pela Mesa Diretora, de sua candidatura à 1ª vice-presidência. Ele voltou a defender que a candidatura avulsa é legítima e não pode ser impugnada, mas o deputado Beto Mansur (PRB-SP), que presidia a sessão, afirmou que a questão de ordem já havia sido rejeitada, gerando protestos de Costa.
A sessão é presidida agora pelo 1º vice-presidente da Câmara, deputado Waldir Maranhão (PP-MA).

Nenhum comentário:

Postar um comentário