quarta-feira, 19 de abril de 2017

Izaías diz que Câmara nega água e pão

Aos deputados da oposição, que recebe neste momento em seu gabinete, o prefeito de Garanhuns, Izaías Regis, fez um relato dramático das dificuldades na relação com o Governo do Estado, explicou as razões por não ter recebido o governador Paulo Câmara e fez um desabafo: "Aqui, eles me negam pão e água." Para ele, o Estado está quebrado e o governador não vai superar o grave quadro da violência.
Segundo Izaías, a presença do Governo Estadual em seu município é somente quando ele vai inaugurar uma caixa d’agua de 300 litros ou dar Ordem de Serviço para perfuração de poços. “Aí divulgam que foi destinado oito milhões de reais para Garanhuns quando eu só recebi quatro. Não sei onde foi parar os outros quatro. Agora que eu coloquei a boca no trombone foi que pagaram mais uma parcela e chegou R$ 400 mil reais”, disse.
Outro ponto que assombra a sociedade, de acordo com o prefeito, é a segurança pública, considerada um caos pelo chefe do Executivo municipal. “Não é só a matança da população, nós temos aí 1500 crimes durante três meses e ele (o governador) disse que são “almas sebosas” e que tinham que morrer mesmo. Não. O governo não fez o papel de pegar os jovens e proporcionar uma educação de qualidade para poder esses jovens não entrarem nas drogas. As drogas estão tomando conta de Garanhuns”, afirmou.
“Não é só a criminalidade, é também a quantidade de assaltos, invasão de domicílios em plena luz do dia. O negócio está um caos e a população não tem mais coragem de sair na rua”, concluiu Izaías.

Nenhum comentário:

Postar um comentário