sábado, 24 de julho de 2010

Ceará lembra Pernambuco


O cenário eleitoral do Ceará tem semelhanças com o de Pernambuco. Ali, o governador Cid Gomes (PSB), que tenta a reeleição, desponta como favorito, mas quem lidera as pesquisas para o Senado é o tucano Tasso Jereissati, que tinha uma aliança branca com o socialista e rompeu por pressão do PT, que quer emplacar o ex-ministro José Pimentel, que aparece com 24% contra 59% de Jereissati, segundo levantamento do Datafolha.
Aqui, o senador Marco Maciel, apesar do amplo favoritismo do governador Eduardo Campos (PSB), também está na frente, inclusive batendo o candidato com mais intenção de voto da chapa governista, o ex-ministro petista Humberto Costa. Isso significa que teremos uma eleição atípica, na qual os governadores turbinados não terão a força para eleger os dois senadores? Só quem tiver a esta altura bola de cristal pode dar essa resposta. Cada eleição tem a sua história e o seu curso. O que posso antecipar é que se o cenário não mudar com duas ou três semanas de guia eleitoral na rádio e na televisão, que começa em 17 de agosto, ficará caracterizado que os percentuais robustos de Marco Maciel, hoje, não se traduzirão de fato em recall, (lembrança), conforme costumam encontrar a explicação para este fenômeno os aliados do governador. Folha Política

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Maia: Não dá para culpar a mídia por problemas no Rio

O Globo O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, rebateu o general Walter Souza Braga Netto e disse que não é possível transf...