Em ato com empresários, Maia defende reformas de Temer e 'agenda pró-mercado'

G1, Brasília

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), defendeu nesta terça-feira (28) a aprovação das reformas propostas pelo governo do presidente Michel Temer ao destacar o andamento de uma "agenda pró-mercado" no país com o objetivo de fazer o Brasil voltar a crescer e a gerar empregos.
Maia discursou em um evento organizado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) e afirmou, ainda, que o Congresso Nacional tem cumprido o papel ao discutir propostas da "agenda liberal".
"Nós temos uma agenda pró-mercado, pró-emprego, porque nós acreditamos que o Estado brasileiro precisa ser menor, para que a sociedade seja maior e possa se desenvolver e gerar empregos", declarou o presidente da Câmara, aliado de Michel Temer.
Na sequência do discurso, Rodrigo Maia afirmou que a aprovação, pela Câmara, do projeto que trata da terceirização, é um "momento histórico para o Brasil".
Em seguida, o deputado pediu a ajuda dos empresários presentes ao evento da CNI para convencer os parlamentares a reforma trabalhista proposta por Temer no fim do ano passado (o projeto está em análise em uma comissão especial da Câmara).
"O belo discurso do curto prazo, que fica num bom aplauso, não garante desenvolvimento para esse país. Não podemos fugir desses temas, não podemos fugir da modernização das leis trabalhistas, que será votada a partir de 17 de abril", afirmou.
Sobre a reforma da Previdência Social, também em análise na Câmara, Rodrigo Maia afirmou que o Brasil está "quebrado". "Não temos dúvida que a reforma da Previdência será um divisor de águas para o futuro desse país", completou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense