Maior parte dos que integram a “Lista Fachin” votou a favor do impeachment de Dilma

Levantamento feito pelo jornal “O Globo” constatou que a maior parte dos deputados federais e senadores citados na “Lista Fachin” (70%) votou a favor impeachment da presidente Dilma Rousseff.
“Quanta honra o destino me reservou de poder, da minha voz, sair o grito de esperança de milhões de brasileiros. (…) Carrego comigo nossas histórias de luta pela liberdade e pela democracia. Por isso eu digo ao Brasil: sim para o futuro!”, disse o deputado federal e ministro das Cidades, Bruno Araújo (PSDB-PE), autor do voto que sacramentou o impeachment.
Araújo foi citado nas delações premiadas dos ex-executivos da Odebrecht por ter recebido R$ 600 mil da empreiteira para suas campanhas eleitorais de 2010 e 2014. Ele confirma o recebimento, porém nega ter sido de “caixa dois” ou de propina.
Também integrante da “Lista Fachin”, o deputado Ônix Lorenzoni (DEM-RS) declarou o seguinte na sessão do impeachment: “Estamos legitimados pelo povo brasileiro para dar um basta à roubalheira!”.
Segundo o ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Alexandrino Alencar, Lorenzoni recebeu R$ 175 mil da empreiteira, via “caixa dois”, para sai campanha de 2006.
O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), que também votou a favor do impeachment, é outro que consta da “Lista Fachin”, assim como o deputado federal Betinho Gomes (PSDB-PE).

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense