PSB joga Jarbas para Armando

  
O encontro do governador Paulo Câmara com o ex-prefeito do Recife, João Paulo (PT), gerou rumores em Brasília que podem tirar o sono da aliança governista. Se houver de fato uma reaproximação do PT ao PSB, o primeiro dano será o distanciamento do deputado Jarbas Vasconcelos (PMDB) do palanque da aliança que será montada para tentar a reeleição do governador.
Maior crítico do PT em nível nacional, Jarbas veta qualquer tipo de reaproximação das forças governistas ao petismo. Humberto, senador da República, foi eleito, há oito anos, puxado pelo PSB, pela força do ex-governador Eduardo Campos. E o que se comenta é que sua postura de não agressão ao Governo Câmara seria para não fechar as portas para um entendimento em 2018.
Tese que Jarbas não corrobora. No caso do PSB estender a mão para trazer o PT de volta à aliança, Jarbas sairia da aliança pela outra porta e se aliaria, imediatamente, ao bloco de oposição. Neste caso, a opção natural dele seria se engajar ao bloco liderado pelo senador Armando Monteiro Neto, pré-candidato do PTB a governador.
Jarbas colocado em segundo plano para 2018 pelo PSB é tudo que Armando desejaria para viabilizar a coligação que está posta em sua cabeça, atraindo o PMDB, os dissidentes do PSB, liderados pelo senador Fernando Bezerra Coelho, o PSDB, do ministro Bruno Araújo, e o DEM, do ministro Mendonça Filho.
Neste caso, a chapa poderia ser encabeçada por Armando tendo como candidatos ao Senado Jarbas Vasconcelos e Mendonça Filho. Ao PSDB e aos dissidentes do PSB, Armando teria a oferecer a vaga de vice. Como o ministro Bruno Araújo já teria sinalizado que seu projeto é buscar a reeleição para Câmara, Fernando Bezerra, filho do senador, seria uma opção para vice de Armando.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo