Lula candidato

Hélio Schwartsman - Folha de S.Paulo
Para Luiz Inácio Lula da Silva, faz mesmo todo o sentido sair como candidato a presidente no pleito de 2018.
A vantagem mais óbvia é que Lula terá um discurso para contrapor às acusações que enfrenta na Justiça. Poderá dizer que os processos não passam de uma tentativa de afastá-lo das eleições, tentando assim transformar a discussão jurídica numa disputa política. E, se ele for condenado em segunda instância antes do pleito, hipótese em que não poderia concorrer e correria até o risco de ser preso, sempre poderá atribuir o desfecho à contenda eleitoral e não a seu comportamento ético.
Para o PT também existem benefícios de curto prazo. Em primeiro lugar, ao sair com Lula, diminuem as chances de o partido sofrer uma derrota acachapante nas urnas, semelhante à que ocorreu no último pleito municipal. A união das tendências em torno da candidatura do ex-presidente também evita que o partido rache no que provavelmente é o momento mais difícil de sua história.
Receio, porém, que no médio e no longo prazo, seria mais vantajoso para o PT e para a própria democracia brasileira que a agremiação não ficasse estacionada no passado, mas conseguisse renovar-se, para o que é fundamental que ela passe por um processo de autocrítica que precisa abarcar tanto o aspecto ético —mesmo que Lula seja inocentado, está claro que várias lideranças "se lambuzaram", para usar a expressão de um petista ilustre— como o programático —um bom pedaço da crise que enfrentamos pode ser atribuído a uma visão equivocada do partido sobre o funcionamento da economia. E será muito difícil fazer essa autocrítica enquanto Lula se mantiver na posição de esteio da legenda.
Toda democracia precisa de um partido de massas mais à esquerda. Até aqui, foi o PT quem desempenhou este papel de forma inconteste. Se um PT renovado não ocupar este espaço, outra agremiação o fará.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense