FHC prevê prisão de Lula e admite fim do PSDB


O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos principais articuladores do golpe de 2016, admite que seu próprio partido, o PSDB, é parte da "velharia da política". "Parece, infelizmente me parece [que PSDB e PT integram a velharia]", disse.
"Infelizmente, nós não fomos capazes de superar esses entraves enormes, que eu chamo de atraso. Não é direita e esquerda. É outra coisa, é cultural. São pessoas que querem tirar proveito do Estado", comentou, em entrevista ao jornalista Josias de Souza, do portal UOL, publicada nesta quarta-feira 7.
Sobre o ex-presidente Lula, ele diz não acreditar na versão do petista sobre o sítio em Atibaia e o apartamento no Guarujá. "É difícil colar", diz FHC. "É difícil porque houve uso reiterado dos bens. É claro que a Justiça vai ter que provar. Às vezes não é fácil provar", acrescenta.
Recentemente, o tucano foi acusado pela ex-amante, Miriam Dutra, de ter apartamentos em Paris e Nova York, além de uma fazenda em Minas, em nome de um laranja.
Ele prevê ainda a prisão de Lula. Em sua opinião, há dúvida de que "há o risco" de Lula ser remetido à cadeia. "Risco não só para ele, para todos nós, pelas consequências disso", afirma.
A eventual prisão de Lula, segundo FHC, será "uma questão delicada do ponto de vista político". "Imagino que os procuradores e os juízes estão numa situação complicada, porque eles têm a lei. Se houver fatos, o que o juiz vai fazer?", questiona.
O ex-presidente prevê no Brasil o surgimento de um populista como Donald Trump. "Pode [surgir um Trump], porque a descrença nos partidos é muito ampla, sobretudo nos mais jovens", afirma. "Há uma desconexão. É mundial. Para dizer de uma maneira mais genérica: a democracia representativa liberal está em crise porque não há mais essa conexão entre classe, partido e poder".

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo

Nova Farmácia Básica do Centro é entregue à população patoense