sexta-feira, 26 de maio de 2017

Aliado diz que Temer está feliz com base


Após reunião com Temer, aliado diz que presidente está ‘feliz’ com a base. Sem a oposição, base aliada votou seis MPs em votações relâmpago
O Globo - Cristiane Jungblut

O presidente Michel Temer se reuniu com grupo de parlamentares e ministros para fazer uma avaliação da situação e cumprimentou a base aliada pela aprovação de seis Medidas Provisórias no noite de quarta-feiradepois de um dia de tumultos em Brasília e convocação das Forças Armadas para conter manifestações violentas. Temer, segundo aliados que participaram do encontro, estava "feliz" pela demonstração de força da base, que na verdade, quis atendet pedido do presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), para mostrar "normalidade".
A Câmara fez sessão até perto quase 1h e interrompeu a votação da sétima Medida Provisória. Temer pediu que a base continue votando na Câmara e no Senado e anunciou que resolverá o problema de um novo Refis para os empresários, cuja MP não foi votada por falta de acordo no texto final.
Temer almoçou no próprio Palácio do Planalto com os ministros Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência), Eliseu Padilha (Casa Civil), Henrique Meirelles (Fazenda) e os deputados Darcísio Perondi (PMDB-RS), Carlos Marun (PMDB-MS), além do presidente da Fiesp, Paulo Skaf.
— Ele está feliz e e cumprimentou a base aliada. Ele ficou feliz porque a base está unida — disse Perondi, após o almoço.
O presidente disse ainda aos aliados que considerou correta sua decisão de usar militares para conter os protestos e ficou irritado com a interpretação de que recuou. O argumento é de que a revogação do decreto se deu porque a situação fora controlada.
— Estou convencido de que salvei vidas ontem — disse Temer, segundo os aliados.
Meirelles participou do almoço e ficou na Câmara até quase meia-noite, a fim de fechar um texto para o novo Refis. Os parlamentares querem esse novo benefício às empresas.
Temer continuou se encontrando com outros parlamentares da base na tarde desta quinta-feira, como o deputado Beto Mansur (PRB-SP)
Mesmo sob pressão, Temer diz aos aliados que cresce no desafio e orientou manter a estratégia de cobras investigações da JBS, do empresário Joesley Batista.
RENAN FORA DA LIDERANÇA
Temer quer a saída de Renan Calheiros (PMDB-AL) da liderança do PMDB no Senado. O Palácio do Planalto está quereno um desfecho para terça-feira, às 16h, quando a bancada do Senado voltará a se reunir. A ordem é que todos os senadores estejam presentes.
— O Renan passou dos limites — disse um interlocutor

Nenhum comentário:

Postar um comentário