Lula: candidato reformista não terá apoio do PT


Lula diz que PT não deve apoiar candidato que mantenha reformas. Ex-presidente reconheceu que saída para crise deve ser negociada entre partidos
O ex.-presidente  Lula  participa da posse da nova diretoria do PT de São Bernardo do Campo - Marcos Alves/Agência O Globo/
O Globo - Sergio Roxo

Em encontro fechado com juristas nesta quinta-feira em um hotel de São Paulo, o ex-presidente Lula afirmou que o PT não pode apoiar um substituto para o presidente Michel Temer que mantenha em pauta as reformas trabalhista e da Previdência.
De acordo com presentes, Lula defendeu que o PT não tenha papel secundário nesse processo, apenas endossando um candidato que dê seguimento à agenda defendida por Temer. O ex-presidente reconheceu, porém, que a saída para a crise deve ser negociada entre os partidos.
Oficialmente, o PT mantém a defesa de realizações de eleições diretas, apesar de seus dirigentes admitirem a dificuldade para aprovação da Proposta de Emeda Constitucional (PEC) para que a escolha do novo presidente seja pelo voto popular.
O partido deve fechar questão sobre o tema em seu congresso, que será realizado na semana que vem em Brasília. Um dos organizadores do encontro com juristas nesta quinta-feira, o deputado federal Paulo Teixeira (SP) é favorável a um boicote à eventual eleição indireta.
— Vou defender no congresso que o PT não vá para a eleição indireta — disse o parlamentar.
A reunião teve o objetivo de organizar uma frente de juristas para se contrapor ao que, o grupo considera, "abusos da Lava-Jato".
— O Judiciário não está cumprindo bem o seu papel — afirmou o advogado Celso Antônio Bandeira de Mello.
O grupo pretende se mobilizar por meio de artigos com críticas à operação. O papel do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) também foi bastante questionado no encontro.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Crescem os riscos de Patos ficar totalmente sem água no ano que vem.

Maranata: empresa terceirizada tem lucros exorbitantes após ser contratada pela Prefeitura Municipal de Patos

Governador afaga PMDB de Patos e presenteia Grupo Mota com direção da Maternidade. Ricardo teria exigido nome de médico para o cargo